21 mai Aposentadoria

Agora um pouquinho de VGBL

Vários leitores chegam até o Dinheirama buscando maiores detalhes das modalidades existentes de previdência privada, fomentando dúvidas e comentários sobre a dupla PGBL e VGBL. No começo de abril, publiquei um artigo sobre o PGBL. Agora é a vez de explorar um pouco o universo e as características do VGBL. A análise não trará nenhuma […]

por Conrado Navarro
há 7 anos

Boa AposentadoriaVários leitores chegam até o Dinheirama buscando maiores detalhes das modalidades existentes de previdência privada, fomentando dúvidas e comentários sobre a dupla PGBL e VGBL. No começo de abril, publiquei um artigo sobre o PGBL. Agora é a vez de explorar um pouco o universo e as características do VGBL. A análise não trará nenhuma receita para que você possa encantar-se por um ou por outro. Sabendo diferenciá-los, sua decisão terá fundamento e isso basta para um futuro mais tranquilo. A propósito, VGBL significa Vida Gerador de Benefício Livre.

Você precisa de previdência privada? Essa é uma pergunta importante e que requer reflexão. Previdência é sinônimo de tranquilidade no longuíssimo prazo, portanto não pense que ela vai deixá-lo rico ou transformar seu patrimônio. Este parágrafo é parecidíssimo com o do artigo sobre PGBL. É quase uma cópia e isso tem uma explicação: decida-se por um plano, deste ou daquele tipo, sabendo o que ele pode lhe oferecer. Tome cuidado com suas expectativas. Fica a frase do amigo e leitor Eduardo: “Previdência privada é uma forma de acumulação de capital para o longo prazo (10 – 20 anos)”.

Por que optar por um VGBL? Qual a principal diferença em relação ao PGBL?
No plano VGBL não há possibilidade de dedução do Imposto de Renda, o que o torna uma opção interessante, e mais indicada, para as pessoas físicas que fazem a declaração simplificada do IR. Profissionais autônomos normalmente preferem este modelo. Algumas particularidades também costumam atrair clientes ao VGBL:

  • Os recursos disponíveis em um plano VGBL não são contabilizados em inventários (caso de herança), o que permite que os honorários pagos aos advogados sejam menores, uma vez que estes profissionais cobram uma porcentagem da herança como honorário.
  • Aplicações em VGBL são impenhoráveis. Isso significa que estes recursos não podem ser bloqueados automaticamente pela Justiça.

Como fica a questão do Imposto de Renda no caso do VGBL?
Neste tipo de plano, a tributação do IR incide apenas sobre os rendimentos obtidos no período de aplicações e acontece no momento do recebimento dos benefícios. Ou seja, não há tributação durante o período de acumulação. Esta é a principal diferença para o PGBL.

Posso transferir meu dinheiro para outra instituição?
Sim, desde que os planos tenham características similares.

Notei que o banco quer cobrar uma taxa de administração muito alta (mais de 5%). Isso pode ser negociado? Que cuidados devo tomar com estas taxas bancárias?
Tome todos os cuidados possíveis. Comece por questionar todas as taxas envolvidas e peça que o banco explique as razões para valores desta dimensão. Questione. Atente para o fato de que as taxas são negociáveis, informação esta que quase nenhuma instituição faz questão de comunicar. Além da taxa de administração, ainda existe a taxa de carregamento, que é cobrada a cada depósito. Procure por produtos que tenham taxas atraentes e aprenda a inclui-las em suas contas.

O mercado cobra, em média, 4% de taxa de administração (anual) e 3% de taxa de carregamento (em cada depósito). Pode parecer pouco, mas lembre-se que estamos falando de 20, 30 anos. Acredite, isso pode fazer a diferença. Mais do que isso, o resultado final pode decepcioná-lo. Não há garantia de rentabilidade, mas as taxas serão certamente cobradas. Sempre. Alguns planos oferecem taxas de administração que podem reduzir ao longo dos anos. Atenção redobrada nestes casos. Estes produtos normalmente cobram taxas de administração muito mais altas no início e taxas de carregamento mais altas que as do mercado.

Há algum risco neste tipo de plano?
Um plano de previdência oferece dois riscos básicos, independente se na modalidade PGBL ou VGBL. O primeiro risco diz respeito à solidez da seguradora. Se ela quebrar, você pode demorar um pouco até que possa colocar a mão em sua aposentadoria. Há a possibilidade de, nem com a ajuda da Justiça, conseguir seu dinheiro de volta. Então lembre-se de que é possível transferir de uma operadora para outra, e a qualquer momento, desde que os planos sejam similares.

O segundo risco nos leva ao inesperado. Se você morrer enquanto acumula capital, seus beneficiários receberão o saldo acumulado, depois de descontados os impostos. Se você morrer enquanto já desfruta do benefício, são dois os cenários possíveis:

  • Se a opção no plano for por renda vitalícia, seus beneficiários não colocam a mão no dinheiro. Isso porque o plano foi calculado com base na sua expectativa de vida, quando da assinatura do contrato. Morreu, o contrato se encerra.
  • Se a opção no plano for por renda dentro de um período determinado, seus beneficiários receberão o dinheiro até o que prazo contratado termine. Eles também podém sacar o valor de uma só vez, sempre descontando os impostos.

Com mais este artigo, você tem mais subsídio e conhecimento para decidir-se. Lembre-se do fator racional antes de assinar qualquer contrato deste tipo. Muitas vezes o banco apela e faz uso de armadilhas emocionais que podem induzi-lo a assinar um plano sem nem conhecê-lo em detalhes. Nem preciso dizer quem é o grande “beneficiário” neste caso, certo? Conte comigo e tenha uma boa aposentadoria.

Conrado Navarro

Educador financeiro, tem MBA em Finanças pela UNIFEI. Sócio-fundador do Dinheirama, autor dos livros "Dinheiro é um Santo Remédio" (Ed. Gente), “Vamos falar de dinheiro?” (Novatec) e "Dinheirama" (Blogbooks), autor do blog "Você Mais Rico" do Portal EXAME e colunista da Revista InfoMoney. No Twitter: @Navarro.

Leia todos os artigos de Conrado Navarro
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.
  • http://chr.investor.blogspot.com CHRistian

    Conrado, mesmo possuindo um plano de previdência privada, acho que devemos analisar bem antes de adquirirmos um. Ou pelo menos devemos calcular se não existem possibilidades mais atraentes de investimento para a aposentadoria.
    Digo baseado em dois aspectos.
    Primeiro a rentabilidade de um plano de previdencia é pequena comparada a outros investimentos. Segundo, a taxa de carregamento, na maioria dos casos, é abusiva !
    Calculando, podemos concluir que a rentabilidade de um plano acaba sendo muito ruim.
    Se o indivíduo possui uma certa disciplina, acredito que a compra de uma empresa de primeira linha no mercado, pode se tornar mais atraente. Além da rentabilidade superior (no longo prazo) o investidor ainda pode se beneficiar com os dividendos, juros sobre capital, etc.

    Vale a pena pensar nisso.

    Abs
    CHRistian

  • http://issomesmo.com/ Pedro Villalobos

    poxa, vi o post ontem e quando eu entrei ach oque você tirou ele do ar ehehhe vou ler agora…

  • Pingback: Você vai ficar velho? Eu também! : Dinheirama - Investimentos, educação financeira, ações

  • Michel

    Eu sou um analfabeto financeiro. Para mim, só existe renda fixa e poupança. Sou completamente avesso a risco, mais do que a máxima tempo é dinheiro, acredito que dinheiro é tempo, e o tempo é o bem mais escasso do mundo, portanto não posso arriscá-lo. Dito isso, só vejo restrições nesses planos de previdência. Tenho bastante disciplina. Se eu programar depósitos mensais equivalentes ao gasto no plano num fundo de renda fixa, por exemplo, revendo periodicamente os investimentos, não acaba dando na mesma? No final de 30 anos eu vou ter um principal do qual posso obter os rendimentos. Não estou preso a contrato longo e a liquidez é maior, se acontecer uma tragédia. Os ganhos dos planos de previdência são muito maiores?
    Afinal, qual a vantagem? Será que não é só para quem não tem disciplina?

  • http://pop Marta

    Sou aposentada por invalidez, pelo INSS, por motivo de doença grave (neoplasia). Sou isenta de pagar IR sobre a minha aposentaria do INSS. Atualmente, pago uma aposentadoria complementar particular, a qual vou receber daqui há alguns anos.
    Quero saber se, quando eu for retirar estes depósitos eu também serei isenta do pagamento do IR? Como e onde poderei receber melhores esclarecimentos?
    Obrigada,

  • http://www.dinheirama.com Arthur Gouveia

    Marta, se não me engano os rendimentos com previdência privada NÃO estão isentos de recolhimento de IR. Acho que o imposto é recolhido diretamente na fonte. Entre em contato com seu banco para ter maiores informações. Tente receber essa informação por escrito…

  • Junior

    Fiz uma aplicação em VGBL há dois anos atrás, com juros variando entre 1,28% ao mês, achei lucrativo, a partir de junho de 2007 o juros começou a cair e está igual os juros da poupança, descontando os 15% que terei que pagar de imposto de renda, a renda está menor do que se o dinheiro estivesse na poupança,seria aconselhável retirar deste investimento e voltar para a poupança ou aguardar mais um pouco para ver se o juros volte a subir?

  • cleusa

    eu tinha uma poupança achei que nao estava rendendo nada optei por entrar nessa de VGBL -CDI (Previdencia Privada) hj tenho mais dinheiro so que os lucros menor do que a poupança me arrependi no fundo da alma pensei que fosse so eu que tivesse a sensaçao de estar lucrando menos sera que compensa voltar para poupanca O QUE FAZER ?????

  • Pingback: Os filhos, a família e o dinheiro! | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos

  • HSeganfredo

    Para quem um dia pssar pelo Blog. Recentemente fiz uma simuação numa planilha de um fundo de renda fixa desses de baixo aporte (R$ 200 reais por aplicação) e que (infelizmente) normalmente tem taxa de administração alta (4,5% no caso). Foram 360 aportes (30 anos). Tenho aplicado as rentabilidades desse fundo durante os 3 últimos anos.

    Em outra planilha, fiz os aportes a um plano de previdência durante 30 anos (360 aportes), descontando as taxas de carregamento e também usando as rentabilidades dos últimos 3 anos também.

    Ao final, apurei os montantes acumulados e fiz os devidos descontos de imposto sobre a rentabilidade e, no caso do VGBL, ainda a questão do IR, pois aquilo na hora da retirada fica constando como renda sua e deve ser declarado na DIRPF posterior para ajuste.

    Mesmo havendo desconto de 27,5% na DIRPF posterior ao ano do saque, o montante acumulado via o plano de previdência foi maior. Basicamente por dois motivos:
    a) IR sobre rentabilidade que cai para 10% depois de 10 anos de formação do fundo (em relação aos aportes mais antigos).
    b) O fundo ao qual os aportes ao VGBL foram feitos tinham uma parte lastreada em mercado de ações (20%), com a boa performance desse setor nos últimos 3 anos acabou influenciando bem a rentabilidade anual do VGBL.

    Enfim, seria muito interessante que alguém de dispusesse a fazer estudo semelhante, pois posso ter falhado em algo.

  • Helio

    Fundo conservador(renda fixa)
    Fundo moderado(composto)
    Fundo agressivo( açoes)

    Pelo que andei lendo, saiu no prejuizo quem deixou o Plano aplicado em fundo conservador e saiu lucrando quem optou por aplicar em fundo moderado e agressivo.

  • Junior

    Ola, gostaria de saber se o imposto de renda que vou pagar quando eu retirar o dinheiro aplicado em VGBL é de todo o dinheiro ou só do que ele rendeu?
    No banco dizem que é só do rendimento e o contador onde fiz a decleração do imposto de renda diz que quando eu retirar o dinheiro vou pagar imposto do rendimento e tambem do que eu tinha quando apliquei,sendo que esse dinheiro já era meu e estava na poupança. Porque tenho que pagar de novo sendo que eu já tinha. Então seria melhor ter deixado na poupança.

  • HSeganfredo

    Junio, você vai pagar:

    a) IR sobre rendimento como um fundo qualquer.

    b) E quando começar a sacar, na declaração de imposto de renda posterior vai ter que declarar também que aquele saque, no ano, fez parte da sua renda. O programa da declaração irá calcular o imposto a pagar somando este saque com outra fonte de renda (outra previdência).

    Portanto, se você continuar na tabela de isenção de IR, então em tese, a tributação é só no rendimento mesmo.

    Mas se você por exemplo, já tem uma renda X que vem do INSS ou outro plano de previdência, os recebimentos desse outro plano de previdência vão pesar e provavelmente te jogarão para dentro da tabela onde há sim incidência de IR.

    Como o ajuste do IR é a posteriori, talvez você consiga minimizar a incidência do IR com as deduções (velhice = despesas médicas, filhos na faculdade, etc.).

    Concordo que fica parecendo bi-tributação mesmo. Por isso quem acha que vai ter renda razoável na velhice e sempre entrar na tabela onde há cobrança de IR sobre as rendas recebidas durante o ano, vai ter que fazer um PGBL mesmo, para ao menos postergar a tributação. Se você tiver certeza que não vai entrar com tudo na faixa de recolhimento do IR, vai tranquilo.

    Ao meu ver, o VGBL portanto fica mais para quem vai receber, em valores atuais, uns 2 a 3 mil reais por mês, isso já somado com qualquer outra previdência/fonte de renda. Mais que isso é sensato migrar para PGBL logo.

    *****DICA PERIGOSA*****
    PS: existe uma outra possibilidade de interesse pelo VGBL. O fulano saca a grana, e como o pagamento do IR sobre a percepção da renda é a posteriori (só na declaração seguinte essa renda é declarada e calcula-se o imposto a pagar) poderia, em tese, fugir do país com o dinheiro sem recolher esse imposto.

  • Rubens Bicalho

    Boa Tarde,

    Estou adotando um plano de previdência pravada VGBL, entrei em contato com a instituição ( Prudential ) onde eles propoem um seguro de vida muito mais rentavel e sem dedução de impostos e carregamentos como no VGBL. Qual a melhor opção adotar este seguro de vida da Prudential onde os mesmos aplicam em titulos do governo a longo prazo ou na previdencia privada. Obrigado!!!!

  • Edson Pacheco

    Muito interessante esta interação que o site proporciona!
    Gostaria de receber esses comentários e se possivel assinar o site.

  • thiago

    Boa Tarde galera, acabei de ler alguns comentarios sobre vgbl e estou com uma dúvida.
    Minha mãe tem uma empresa e estava com um dinheiro num fundo de renda fixa, o gerente da conta dela a ofereceu um plano vgbl com uma parte em renda variavel, (desculpe mas sou bem iniciante nesse negócio de aplicação) puxei o saldo depois de 4 meses e ela tem menos do q aplicou. Outra coisa a idéia desse investimento era obter uma rentabilidade mesmo q pequena, mas q fosse maior q uma renda fixa e q pudessemos sabar se sem problemas caso tivessemos necessidade. Pelo q entendi esse plano funciona a longo prazo e como uma renda tipo aposentadoria. Acho que o gerente agiu de má fé com minha mãe. Vocês pode riam me explicar se agil mesmo ??? E se eu tirar o dinheiro agora vou perder mais ainda??? Obrigado e agurado resposta

  • HSeganfredo

    Thiago, voce tem que ver o seguinte:
    O plano de prev. privada tem taxa de carregamento, Ou seja, se colocou 100 reais, a administradora fica com alguma coisa entre 1% a 3% (alguns casos chega a 5%) a titulo disso. Dependendo o plano oferecido, se for esses de uma aplicação só e de alto valor, é comum essa taxa de carregamento ser devolvida no final no plano. Muito provavelmente é essa modalidade que sua mae pegou. Verifique com o gerente. Então no fim do plano, além do rendimento a taxa de carregamento volta. Mas isso explica por que logo de início, com pouco tempo de rendimento ainda, o valor depositado pareça “menor”.

    Outra coisa, a opçào pelo VGBL não permitirá abater do imposto de renda, se vocês fazem declaração simplificada do IR tudo bem. No momento do resgate ao menos vem o liquido e vocês não se incomodam de ter que declarar os ganhos da DIRPF do ano seguinte. Tem gente que prefere assim para não se incomodar ou porque a renda mensal/anual enquadra o sujeito como isento ou só um pouco dentro da faixa dos 15% de IR.

    Quanto ao rendimento, depende da distribuicão dos fundos do plano. O normal é varios planos de previdencia permitirem até 49% da aplicação em ações e mercado de renda variável. Ao médio/longo prazo é uma boa, a curto prazo não. Tem uns que vão dimuindo com o tempo a parte aplicada em renda variável, seguindo uma fórmula que os americanos inventaram de ir passando os ativos da renda variavel pra renda fixa conforme vai se ficando velho (alguns chama isso de Ciclo de Vida).

    Mais uma: uma boa sacada do plano de prev. privada é que se sua mãe falecer (toc toc na madeira) a grana vem para os beneficiários cadastrados no plano sem passar pelo inventário demorado e sem recolher imposto de transferência. Por isso muitos tem optado por isso pra fazer uma passagens de bens sem tributação antes de partirem pra outra vida.

  • Isaac

    Sou iniciante, conservador, bastante disciplinado e poupo pelo menos 500,00 todo mês. Gostaria de uma opinião comparativa, entre a poupança e a aplicação em um fundo fixo vgbl a longo prazo. Pelo que andei lendo, a cobrança de taxas abusivas através das corretoras e o IR torna, a meu ver, o investimento em plano de previdência privada torna-se inviável com relação à poupança. Seria mais interessante investir na poupança? Além do mais, na poupança posso mexer na hora em que eu quiser e se eu morrer, meus parentes podem sacá-la sem descontos.

  • Pingback: Previdência privada e aposentadoria em tempos de crise | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos

  • Deisy Medrano

    Fiz uma aplicação no vgbl,venho acompanhando o redimento dia a dia, notei então, que houve um desconto de quase 0,01% decrescento o valor aplicado. Gostaria de saber qual foi o motivo desse decréscimo e qual o motivo.
    Ps. Meu gerente disse que é difícil explicar mas, a grosso modo, está relacionado com a alta dos juros (ex: Os juros que eram 10% foram para 15%). mas que vai ser reposto no decorrer do mês.

  • antonia

    tenho 100.ooo,oo no vgbl e estou com medo dessa crise ,o que devo fazer retiro esse dinheiro (será que perco muito?) ou coloco em outra aplicação ou poupança, por favor me ajude…aguardo resposta ???

  • junior

    olá, Conrado, ainda estou perdendo com o vgbl, o que você pode me aconselhar a respeito e gostaria de saber em que é baseado o rendimento do vgbl, assim poderei estar por dentro do que pode acontecer, dependendo de como é feito os calculos para se chegar a esse rendimento, porque este plano está rendendo igual a poupança, e se descontar os 15% de IR ele fica menor ainda.agradeço eaguardo resposta.

  • http://omesmo. expedito.

    bom-dia senhor conrado, li estas páginas sobre o vgbl, na
    qual eu também apliquei alguns dim-dins, estou assustado com o que estou lendo sobre varias pessoas. eu também tive uma perca de dim-dim para esta instituição(VGBL)emJulho de 2008,recebi um extrato com um valor X, em novembro ano(2008)recebi outro extrato com valor menor bastante inferior.
    liguei para a previnveste vgbl, e fui informado que eu perdi esta importância, por motivo da crise que houve no E.U.A. será que esta informação procede? ou existe má fé de alguém querendo se aproveitar da crise e colocando o meu dim-dim em ações ou outros.

  • Mário

    APLICAÇAO VGBL
    No saldo de um ano para o proximo tenho por exemplo r$50.000, se retirei 20.000,00 e apresentou um lucro de 2.000,00 ,obviamente o valor a ser informado a DIRPF seria o IR sobre os dois mil reais ,contudo ocorre ao contrario o informado é sobre o total da retirada ou seja os vinte mil reais o qual é lançado no IR como salário e quando foi aplicado o IR já tinha sido recolhido e agora tenho que pagar com bitributação !!Existe alguma forma de resolver?J´que não concordo com as informaçoes do banco e justificativas,uma vez que voce não faz uma aplicação para pagar mais do que rende!! Agradeço e aguardo.

  • HSeganfredo

    Mário, simulei um saque com a minha corretora e o valor do IR calculado foi somente sobre a rentabilidade aferida desde o início do contrato. É um VGBL com tributação regressiva definitiva.

  • Célio Caixeta

    Tinha um plano de previdencia privada no Bradesco e fiz o resgate integral ano passado.

    Meu plano incidiu a taxa de 15% e ao que parece o VGBL é modalidade de tributaçao fixa.

    Ocorre em todos os lugares que li, deve declarar os rendimentos e o imposto retido no campo: Rendimentos Tributáveis recebidos por PJ pelo titular.

    Em análise mais aprofundada, fica paracendo que ao regastar o VGBL ocorre bitributaçao, pois simulei meu imposto de renda sem declarar este valor e restituiria 400 reais a mais.

    Achei um absurdo, pois o rendimento incidiu sobre a faixa de 27,5%.

    Tire esta dúvida por favor

  • Diogo

    PGBLs são penhoráveis? É comum a justiça bloquear contas de previdência privada? Eles podem fazer isso?

  • Angela

    Verificando os comentários feitos acho que o investidor deve pensar sobre o comportamento dos bancos nestes planos. Coloquei todas as economias, há 7 anos, no PGBL. Nunca fiz resgates, meu propósito era um investimento para comprar um imóvel. Quando fui pedir o resgate, dezembro do ano passado,quase enlouqueci. O Banco me fez pedir um cartão para retirada do valor, 10 dias depois, quando o cartão chegou, tive que fazer, de proprio punho, um solicitação alterando uma data. O dinheiro não chegava e o prazo para pagar a construtora, com abatimento, vencia no dia 20 (fiz o pedido de resgate no dia primeiro de dezembro). No ultimo dia util do ano, após minha reclamação ao Procon, o gerente me ofereceu um emprestimo (sem juros) porque o meu resgate somente poderia ocorrer no dia 05 de janeiro de 2009. Aceitei, paguei juros e nunca mais penso em fazer aplicações. Sinto-me a maior idiota do mundo. Pelo que vejo ninguem passou uma vergonha dessas, que bom.

  • Sonia Lopes

    Tenho um VGBL ( 40% fixa e 30% varável ) e gostaria de passar tudo para poupança. Perderei muito dinheiro? Como proceder?

  • ROZELY

    FIZ UMA APLICAÇÃO NO VGBL EM DEZEMBRO DE 2007 COM A INTENÇÃO DE TIRAR EM DEZEMBRO DE 2009, POIS O GERENTE ME DISSE SER O MELHOR INVESTIMENTO, SÓ QUE DEPOIS DE PESQUISAR DESCOBRIR NÃO SER UM BOM INVESTIMENTO. APLIQUEI 7.000,00, E QUERO SABER QUANTO RENDEU U SE VALE A PENA TIRAR AGORA EM DEZEMBRO. NÃO TIVE CORAGEM NEM DE VER SE RENDEU E QUANTO

  • ROZELY

    Tenho um VGBL ( 40% fixa e 30% varável ) e gostaria de passar tudo para poupança. Perderei muito dinheiro? Como proceder?

  • Daniele

    Nao devemos acreditar nunca em conselhos de gerentes de banco. Eles estao la somente para vender o peixe deles e bater a meta. Nao estao nem um pouco interessados se vai ser bom ou ruim pra voce. Ja fui enrolada, pedi uma aplicacao e o cara me vendeu um seguro de vida, q soh fiquei sabendo depois que a papelada chegou com o contrato. Sao um bando de picaretas!

  • filipe fernandes

    Felipe
    Gostaria de tirar uma duvida com relação ao VGBL, em Setembro deste ano contratei este plano sem antes ter pesquisado, fiz um aporte (acho q é esse o nome q se dá) no valor de R$ 10000,00(dez mil reais) e todos os meses mais R$ 900,00 (novecentos reais), vale a pena continuar por quanto tempo no minimo para q minhas perdas (se houverem perdas) não sejam tão significativas, contratei este plano pelo Banco Bradesco, ficaria muito grato se minha duvida fosse esclarecida.

  • Silvio

    Boa noite…

    Trago esta questão em nome de uma cliente. Ela fez uma aplicação VGBL, porém, alguns dias depois da aplicação, entrou em dificuldades financeiras, em função de mudança de endereço, mas principalmente em função de saúde. Necessita retirar uma pequena parte do valor inverstido para dar início ao tratamento de saúde emergencial e pretende manter a maior parte do valor aplicado. É possivel?? como fazê-lo??

  • Thomas

    Aplicações em VGBL são bloqueáveis ou penhoráveis pela Justiça em qualquer esfera? Ou estão protegidas de tal ocorrência por lei?

  • Pingback: Previdência privada, que renda escolher? | Renda Vitalícia

  • roselis mazurek

    Ola, faco um pergunta com certo desespero de investidora amadora.
    apliquei 15 mil na brasil prev VGBL em marco de 2010. foi com susto que fui ver o saldo em dezembro de 2010 e tinha 14.775,00!!!!!!
    aLGUEM PODE ME EXPLICAR COMO UM DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO QUE TEVE LUCRO DE 16.4% consegue diminuir do meu investimento original? Isto pr amim, mesmo sendo amadora, me parece bastante errado!!! alguem pode me orientar em como proceder junto ao Brasil Prev?
    agradeceria muito !

    • Mkarneiro

      Roselis,

      É provável que o VGBL que vc aplicou possui uma carteira mista, ou seja, renda fixa e ações. Nesses casos, se a perda com ações for alta, o rendimento pode ser negativo.Para ficar mais tranquila procure um vgbl de renda fixa pois ele vairender a taxa de juros dos títulos do governo menos administração (procure fundos com no máximo 1%) e carregamento (cobram no ato das aplicações) de , no máximo 0,5%.Vc pode trocar de seguradora quando quiser, através da portabilidade, sem custos adicionais.

  • jorge

    ESSE PLANO VGBL DE PREVIDENCIA, É GARANTIDO PELO BANCO CENTRAL? POR EXEMPLO SE TENHO 100.000 NO VGBL DO SANTANDER QUE ESTA NO BICO JÁ, O GOVERNO ME GARANTE TUDO, O BANCO CENTRAL QUE É ENCARREGADO DE FISCALIZAR COM MILHARES DE ECONOMISTAS GANHANDO MUITO BEM, ELES ESTAO DE OLHO NOS BANCOS “IMPORTADOS”, SERÁ QUE PODEMOS DORMI TRANQUILOS?

  • Marilia

    Boa noite o meu marido já esta aposentado e tem um plano de seguridade parecido com o vgbl na empresa que trabalha pois ainda não saiu de lá.
    A pergunta é a seguinte:qual seria o tipo de aplicação que poderiamos fazer para não pagar tanto imposto de renda,pois ela desconta em folha quase 1.000,00 mensais e ainda vamos pagar uns 4.000,00 de IR nesse ano.Obrigada pela atenção.

  • Antonieta

    Vai tentar resgatar para ver!!!!! Não consegue de jeito nenhum….Oh negócio difícil. Muita burocracia, uma bagunça!!!!!

  • Valdir Brunhole

    Devido a crise na Espanha uma aplicação em VGBL no banco Santander pode ter algum risco?

  • 100004659421890

    Nota 10 … 10

  • Fabio Amaral Viana

    Boa Tarde

    como posso saber se a taxa de administração do Vgbl cobrada pelo meu banco esta razoavel? Qua parametro a seguir. possuo um investimento totalizando 200.000,00 nesta modalidade. Poderia nos ajudar? obrigado