Imóvel - Comprar ou alugar?Márcia comenta: “Navarro, li seu blog praticamente em uma noite. Adorei. Tenho algum dinheiro guardado no banco e meu pai quase enfarta quando digo que pretendo morar de aluguel. Acho que vale muito mais a pena deixar o meu dinheiro rendendo no banco do que gastá-lo em um apartamento que não me trará rendimento algum, somente gastos. Você já pensou em escrever algo a respeito”?

Oi Márcia. Antes, muito obrigado pelo enorme interesse e pelas tantas horas lendo o Dinheirama. Sua pergunta costuma gerar excelentes debates e revela diversos “especialistas” de norte a sul deste país. São tantos os argumentos subjetivos usados para tentar enterrar a matemática, que muitas vezes fico com a impressão de estar lidando com mais um tabu. Para facilitar a visualização dos resultados, farei uso de simulações e de uma planilha eletrônica, já disponível para download.

A casa própria é um grande sonho do brasileiro e a grande maioria das pessoais afirma que comprar uma casa é sempre melhor que morar de aluguel. “Financiar sua casa é muito melhor, porque depois de 20 anos você tem o SEU espaço” é o que dizem. Tem também aquele preconceito clássico do tipo “fulano trabalha a tanto tempo e continua morando de aluguel”? Ridículo né?

São duas as dúvidas mais interessantes:

  1. Tendo o dinheiro todo em mãos para compra de um imóvel, vale mesmo a pena realizar a compra? Ou será que investir o dinheiro e pagar o aluguel com os rendimentos pode ser interessante?
  2. Há interesse em financiar o imóvel para pagamento em 20 anos. Para isso, a família deve ter capacidade de pagar as parcelas do financiamento, certo? Será que não vale a pena usar dinheiro disponível da parcela para alugar um imóvel e ainda investir a diferença?

Vamos aos exemplos, aos números. Prometo manter os cálculos de forma objetiva e muito simples. Quero que aprendam a pensar no custo/benefício de suas decisões e não apenas no aspecto psicológico e pessoal. Vale lembrar que a maioria das pessoas não acumula riqueza porque não investe tempo suficiente analisando oportunidades. Outro detalhe importante que merece destaque: esta é uma decisão que, cedo ou tarde, todos enfrentam. Portanto preste atenção e faça bom uso da planilha disponível e apresentada neste artigo.

Cenário 1: Tenho dinheiro para comprar um imóvel à vista. Compro ou não?

Imaginemos que você tem R$ 100.000,00 disponíveis para este fim e que decida-se por comprar o imóvel, gastando todo este valor. Seu caixa então ficará zerado e toda a capacidade de investimento futuro dependerá de um valor mensal separado para este fim. Para o exemplo, vamos dizer que você possa investir R$ 200,00 mensais, rendendo 0,8% ao mês, para formar uma nova poupança. Ao final de 10 anos você terá o imóvel e mais R$ 40.043,49 ou R$ 140.043,49 em termos de patrimônio. Em 20 anos, teria o imóvel mais 144.226,24, ou R$ 244.226,24 de patrimônio. Interessante.

Se decidir-se por investir os R$ 100.000,00 na mesma aplicação anterior, que rende 0,8% ao mês e usar seus rendimentos para pagar um aluguel de R$ 750,00 mensais, será que a situação muda? Suponha que você ainda consiga investir os R$ 200,00 mensais nesta mesma aplicação. Em resumo, você pagará um aluguel de R$ 750,00 com dinheiro proveniente de sua aplicação e investirá mensalmente R$ 200,00. Plausível, certo? Em 10 anos você terá acumulado R$ 125.755,40. Em 20 anos seriam R$ 194.538,76. Valor este descontado o aluguel, pago em dia, mês a mês.

Note que se o aluguel for mais barato ou se a rentabilidade for maior, a opçÃo de aluguel pode tornar-se muito interessante. Brinque com os números usando a planilha de simulação disponível aqui e encontre a resposta que a tanto tempo procura. E não se espante se chegar à conclusão de que, mesmo tendo o dinheiro na mão, ainda não é hora de comprar seu imóvel.

Cenário 2: Não tenho dinheiro e pretendo financiar o imóvel. Vale a pena financiar ou será melhor usar o valor da parcela para alugar algo e ainda investir?

Vamos continuar com os mesmos R$ 100.000,00 como valor do imóvel. Via de regra, para financiar um determinado valor, serão cobrados juros e pagamento das parcelas por um determinado tempo. Suponha juros de 1,2% ao mês e financiamento em 20 anos (240 meses). Neste caso, a parcela a ser paga é de R$ 1272,68. Por enquanto você pagou R$ 1272,68 por mês e ao final de 20 anos tem seu imóvel no valor de R$ 100.000,00. É óbvio que, se você optou por este modelo, pode dispor de R$ 1272,68 todo mês.

Note como a matemática financeira pode ser traiçoeira, e por isso muito interessante e valiosa. Se você optasse por pagar um aluguel de R$ 750,00 e portanto investisse a diferença de R$ 522,68 (valor da parcela – valor do aluguel) naquela mesma aplicação de 0,8% ao mês, durante os mesmos 20 anos, quando será que teria? Exatos R$ 376.920,87. Que tal? Os cálculos podem facilmente ser realizados através da mesma planilha de simulação.

Conclusão

Você deve estar achando que sou contra a idéia comprar um imóvel ou que não quero que você tenha “seu cantinho”. De novo, sem sentimentalismo. Agora que você tem a ferramenta para calcular e decidir o que é mais interessante, pare de querer apenas ajeitar seu futuro tendo um lugar pra morar e pense em formar um patrimônio capaz de permitir que more onde quiser, inclusive em um imóvel de padrão muito melhor que aquele que gostaria de comprar. Inteligência financeira faz bem ao seu bolso, pode crer. E isso pode significar que morar de aluguel vá deixá-lo mais rico que tendo sua casa própria.

PS: Muitos leitores afirmam que faltou mencionar o poder de valorização de um imóvel. É verdade. Mas isso não muda o artigo e sua idéia principal. Lembre-se de que a valorização é algo subjetivo e não há como colocá-la na fórmula, porque ela não é um valor conhecido. O imóvel pode valorizar-se muito, mas pode não valorizar nada ou ainda desvalorizar. Muito cuidado na defesa incontestável da compra de imóveis. Pense um pouco “fora da caixa”. Faz bem!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Anônimo
  • poxa Navarro, essa foi realmente supreendente… Eu tinha certeza que era melhor negócio comprar o imóvel. Mas se for pensar bem, ele tem algumas vantagens interessantes:
    1- Investimento conservador, já que é um patrimônio
    2- Ainda conservador, a segurança de não depender do aluguel caso haja algum imprevisto

    É, realmente adquirir um imovel pode ser algo extremamente conservador ehehheeh Pensar como rico é mais difícil do que parece e arriscar-se também =p

  • Pingback: Isso Mesmo! » O sonho da casa própria()

  • A lógica é boa, mas esqueceu um fator: a valorização possível do imóvel ao longo do tempo, que normalmente acontece tendo em vista o desenvolvimento da cidade e o fato de a terra urbana ficar cada vez mais escassa. Dependendo da localização do imóvel, essa valorização pode ser bastante grande.

    Parabéns pelo blog!

  • Navarro

    Renato, tudo certo? Obrigado pelas palavras! Como você disse, a valorização normalmente acontece. Normalmente. Na matemática financeira exata o quase e o desconhecido não podem ser levados em conta. Sua observação é super pertinente, mas no exemplo não temos como mensurar esta valorização, portanto não há como inclui-la na fórmula. Obrigado pela colaboração. Um grande abraço.

  • Marcelo

    Pensei na valorização do imóvel também, que não foi considerada. Antes de comprar, sempre pesquise muito, veja o quanto o imóvel pode valorizar. Outra coisa, quem decidir pelo aluguel precisa ser uma pessoa muito bem resolvida em relação à lida com seu dinheiro, pois grana no banco sempre é uma tentação para os gastadores. “-Nossa, olha essa nova tv de plasma, que linda, e se eu morrer amanhã? Vou comprar, a grana está lá mesmo no banco”. E assim vai. Eu penso que no longo prazo é melhor ter o imóvel (a casa própria), mas a idéia do aluguel não é furada não, principalmente hoje em dia com os aluguéis caindo (quando eu era criança o aluguel dificilmente era menos de 1% do imóvel, hoje em dia às vezes nem 0,5% é) já vi gente de grana fazer, mas por curto espaço de tempo (pra reformaer a casa ou mesmo trocá-la, por assalto ou outra coisa).

  • Acho que você esqueceu de falar que: quando compramos um imóvel, existe uma probabilidade desse mesmo imóvel ser muito valorizado. Por exemplo: minha mãe comprou um aparamento no valor de R$80 mil à vista. E hoje, 3 anos depois, o apartamento está valendo em torno de R$350 mil. Claro que depende do local que o imóvel foi contruido. e as expectativas de valorização que aquele imóvel pode sofrer.

  • Carmen

    Oi Navarro.
    Muito bem, seu raciocínio é claro e muito bom.
    Tirando esses milagres de supervalorização de imóveis, posso garantir que manter os recursos financeiros ao alcance da mão é muito melhor.

  • Paulo Lima

    Navarro muito interessante, aprendei estes conceitos com a leitura de alguns livros do Gustavo Cerbasi que explica bem esse assuntos, é o poder dos juros compostos em ação, seja a seu favor ou compra você 😛

    []s;

  • Navarro, quando casei, há 2 anos, eu e minha mulher íamos comprar um apê financiado pela CEF em 20 anos. Pela simulação do próprio banco, no final do primeiro ano eu já perderia o imóvel por inadimplência. Depois de refazer as contas e firmar um acordo com o sogrão, vamos morar cinco anos no quarto de hóspedes (é bucha mas vale à pena!)para comprar à vista ou, já estamos pensando nisso, deixar a grana aplicada e, com os rendimentos, pagar o aluguel e ainda sobrar uma graninha pra ganhar no juros-sobre-juros.
    Só para curiosidade, postei um texto no meu blog sobre um financiamento às avessas que fazem nos EUA. O dono recebe uma pensão até o dia em que ele morrer de uma financeira, que em troca fica com o imóvel quando ele morrer. Os herdeiros devem detestar, mas os velhinhos ficam felizes da vida sem depender de ninguém! O endereço é http://www.agenciadoradio.com.br/dinheiroempauta

  • fernanda

    Bom…tem outros fatores que não foram levados em conta. No caso de quem é obrigado a recolher o FGTS e uma das poucas coisas possiveis com ele é abater o saldo devedor, quando a parcela da prestação do imovel sai mais “barata” que o aluguel do mesmo e quando o imovel comprado está abaixo do valor de mercado (geralmente herdeiros apressados).

    Fora outro valor sentimental, projeto de vida, que é construir uma casa ‘do seu jeito’ – o que é para poucos…

  • Nilson

    Cara, essa conta está errada pelo seguinte motivo:
    o valor do aporte mensal quando vc opta por comprar a casa deve ser 200 + 750 que é o valor do aluguel que vc acabaria gastando na opção de aluguel, ou seja, seriam 950 depósitos mensais. O que daria um montante de mais de 680 mil

  • Navarro

    Nilson, a conta não está errada. Quando você opta por comprar a casa, não reserva valor nenhum para aluguel. Repare que o exemplo diz que, ou você compra a casa e fica zerado, ou usa o valor que iria gastar para a compra do imóvel para pagar o aluguel, através de seus rendimentos. Comprar a casa e ainda ter 750,00 + 200,00 para investir ia ser fácil demais, certo? A realidade das pessoas é outra. Repare na interpretação do problema. Um abraço. Obrigado pela visita.

  • Faltou falar apenas, em defesa do aluguel, é que um imóvel, em termos de liquidez, é muito pior que uma aplicação média (renda fixa ou ações), que demoraria no máximo uma semana para você ter dinheiro em caixa. Já um imóvel você pode passar anos sem conseguir vender, se for querer vender pelo “preço justo”, é claro.

  • Nilson

    Navarro, desculpe, não percebi que os 750,00 vinham dos rendimentos. Brincando com os números, vi que só compensa o aluguel de imóveis nos valores menor ou igual 810,00.
    (800 deve ser considerado um valor exagerado para um aluguel por muitos, isso porque não mora numa cidade onde barracos são alugados por 500,00 e quitinetes por 250,00)

  • Rafael Ferreira

    Navarro, realmente concordo que a cultura brasileira é muito preocupada com o que o vizinho irá pensar se vc morar de aluguel, sendo o que realmente importa é a rentabilidade e o aumento de sua riqueza. Concordo com a liquidez de uma boa aplicação visando a compra de um ativo melhor no futuro. Um abraço

  • Lu

    Teus artigos são sempre ótimos, mas esse me interessou mais ainda, já que há cerca de um mês deparei-me com a questão e fiz cálculos bem parecidos para chegar à resposta. Agora, com a planilha, ficará muito mais fácil simular diferentes situações.

  • Roger

    Conrado,
    Faltou lembrar que o custo efetivo de um financiamento imobiliário não é somente a taxa de juros, mais incidem outros, como: taxa de vistoria, seguro, impressão do boleto etc o que torna bem mais caro o finaciamento imobiliário.

  • Adriano

    Navarro. Interessante o que você descreve. Muito útil. Agora ficou uma dúvida. No caso do valor do aluguel ser praticamente o mesmo da prestação ou pouco mais barato com certeza seria mais interessante a compra. Concorda?

  • Luís Fernando

    Oi Navarro, li a sua publicação ‘Imóvel: comprar ou alugar?’ e gostei muito.

    Estou com uma dúvida financeira, e, se possível, gostaria de uma opinião sua.

    Tenho 2 aprtamentos; um onde moro (R$80 mil) e outro, um conugado, que está alugado (R$ 50 mil) e me rende R$ 300,00/mês. Decidi substituir o apartamento que moro por outro de maior valor (R$ 150mil). Comprei um apartamento na planta e em janeiro/2008, quando terminar a obra, terei de quitar o saldo devedor (R$ 130mil). A minha dúvida é: o que seria mais interessante, vender os dois apartamentos para quitar o saldo devedor, ou ainda, vender somente o que moro para abater o saldo devedor e financiar a diferença (R$ 50mil) em 15 anos, deixando o conjugado alugado? Ou ainda outra opção que achar mais interessante.

    Obrigado.

    Um abraço.

    Luis Fernando

  • Rogério Wanderley Galhardi

    Um outro fator que não pode ser desconsiderado, e de grande importância, é a LIQUIDEZ: quantas pessoas conhecemos que já não tiveram que vender algum imóvel para quitar uma dívida imperativa, pagar alguma conta de hospital, etc?! E, normalmente, nestas situações, o valor obtido é mais baixo que o valor de mercado do imóvel, já que a urgência não permite a espera da “melhor oferta”!!!

  • tobias

    Navarro, é interessante sua análise, sob uma visão matemática é infalível. Mas quando se trata de botar um teto sobre a própria cabeça a questão não pode ser resolvida nestes termos, penso eu. Não se esqueça de que os valores que você citou são pura ficção para a maioria das pessoas ($100.000 para investir na mão?!), e que a moradia é urgente. O argumento contra o aluguel geralmente é: não há segurança de que eu possa morar aqui pra sempre. O aluguel pode aumentar, o locatário pode querer não renovar o contrato no final (o imóvel é dele, ele pode fazer isso), meu emprego pode não durar pra sempre. Nesses termos um pensamento objetivo entra em contradição com um instinto de sobrevivência básico: tenho uma toca pra me esconder se for necessário? é isso que gera os “preconceitos” citados no seu artigo.
    Também a questão de herança pode entrar aí, afinal deixar minha família com um imóvel quando eu morrer pode ser uma motivação.
    Uma terceira questão é que vivemos num país que já teve uma “confiscação” de poupanças compulsória, e não me venha dizer que isso foi em outra época que se pode esperar de tudo no Brasil. Poupar não é tão seguro quanto parece, em todos os fundos dos “conservadores” aos “agressivos”.
    São esses meus argumentos, emotivos e talvez irracionais, mas todos têm lá seu fundo de verdade.

  • Pingback: Dinheiro pra quê? « – O Idiota –()

  • Pingback: Como ganhar dinheiro com imóveis : Dinheirama - Investimentos, educação financeira, ações()

  • O aspecto levantado por Rogério e Ricardo acima não pode deixar de ser considerado.

  • Pingback: Dinheirama - Conquistando dinheiro e lucrando idéias - por Conrado Navarro » Imóveis versus Fundos Imobiliários()

  • renato pereira

    gostei muito das dicas!

  • Victor

    Navarro, desculpe mas acho que voce me convenceu do contrario….. ou seja, eh melhor comprar do que alugar…
    Se eu aluguei eu fiquei com 198.000 ao final de 20anos, investindo o meu dinheiro…… Se eu comprei eu soh fiquei com 144.000.
    Sem levar em conta valorizacao nenhuma do imovel, ele custaria os mesmos 100.000 que eu paguei…. 100.000+144.000=244.000. E eh claro que existe a possibilidade de ele ter desvalorizado pra 10.000 ou ter valorizado pra 200.000 mas ai ja eh outra historia. Estou certo, ou fiz algum erro no meu raciocinio? Abraco….

  • Navarro

    Victor, eu não estava mesmo tentando provar que o aluguel é mais interessante. A compra é melhor. Leia novamente e verá que são situações e apenas pontuo o que observar. Sua análise está correta. Obrigado pela visita. Grande abraço.

  • Luciano

    Foi bendita a hora que resolvi procurar informações sobre financiamento. Navarro suas dicas não tem preço, estou salvo de falência pessoal. SEU BLOG ESTÁ NOS MEUS FAVORITOS. Já tenho um filho, eu e minha esposa moravamos com meus pais até construir algo. Só que existe uma pressão familiar (não dos meus pais) mas de minha esposa e de meus irmãos para eu sair da casa de meus pais. Meu problema é que comecei muito tarde fazer economias para ter meu cantinho e meu carro, pois, até ter meu filho 70% ou mais do que eu ganhava era para investir nos meus estudos, porém, mesmo assim ainda não consegui concluir ainda minha faculdade. Já tenho 32 anos, e as coisas não estão faceis… Existe muitas facilidades no mercado que são verdadeiras armadilhas…
    É sempre aquela história… “Ahhh mano porque você não faz um financiamento da CEF, o amigo do amigo da namorada do tio da minha vizinha ganha uma mixaria por mês e também conseguiu financiamento da CEF e tá morando numa casa bem confortavel.” Ainda bem que nos empregos que tevi aprendi muito bem a lidar com pressões, e convicções de outras pessoas, há 2 anos venho economizando de 300,00 a 400,00 mensais, quando o bicho pega sei como sair pela culatra. Já teve dias que (hoje cedo por exemplo, rs rs rs) de entrar numa CAIXA da vida e ceder a pressão familiar… Também já tive vontade de sacar o dinheiro para pagar um ano inteiro de faculdade em função do desconto de 15% (porque a poupança não rende tanto quanto) para poder ganhar mais no meu emprego. Mas, minha prioridade é a casa mesmo…

  • Pingback: » Casa própria vs. aluguel - Ensumos para a sua decisão Produzindo.net: Organização, administração e eficiência nas atividades do dia-a-dia()

  • Zeca

    É interessante, mas achei falho:
    E a inflação? Não vai ter nenhuma em 20 anos? São 0,8 líquidos? Que aplicação conservadora (ou alguém vai arriscar o imóvel?) é essa que dá isso tudo? (a poupança está dando 0,65, os fundos tem que pagar IR, taxa de administração, etc.)
    Não entendi o que reservar um dinheiro mensalmente tem a ver. Não tem nada a ver. O cálculo deveria ser custo do aluguel X ganhos do valor do imóvel ou da parcela do financiamento. E só.
    O mais é irrelevante, já que os 200 reais são aplicados nos dois casos e o rendimento deles é, portanto, idêntico.

    C+Y é maior ou menor que A+Y?
    Depende apenas se C é menor ou maior que A. Y é irrelevante.

  • Navarro

    Zeca, a inflação está presente em todos os investimentos, é ponto pacífico e em diversos artigos já deixei claro que ela deve SIM ser considerada. Não falei de rendimento líquido, apenas comparei alternativas com o objetivo de despertar o raciocínio financeiro. A reserva mensal é apenas uma ilustração do poder dos juros compostos ao longo dos anos e não interfere no raciocínio sob o aspecto financeiro, você tem razão. Agradeço pela visita e pelo complemento ao artigo, esse debate é ótimo e muito produtivo. Forte abraço.

  • Honeyde

    Ok, mas na opção pela compra do imóvel e inicio de uma nova poupança ou investimento sua tabela não considera imposto de renda sobre essa operação e sim apenas no caso de alugar o imóvel certo? isso muda totalmente os valores futuros de investimento da tabela para quem compra…

  • Carlos Gardel

    Não abro mão de morar de aluguel. Só moro em aptos novos e quando vejo os proprietários brigando em prol do condomínio, fico aliviado em perceber que não preciso me estressar com isso. Lógico que estão corretos, pois se trata de um investimento que eles realizaram. O problema é que as pessoas pensam em ficar a vida inteira no mesmo lugar. Eu já estou de olho no apto da frente, recém inaugurado, muito maior, mais novo e com churrasqueira na varanda. Meu contrato temrina daqui a 2 anos. Quando eu for alugar este outro, o apto não será mais novo, e com isso o valor do aluguel irá cair. Daqui a 40 anos vc estará mais velho e o apto, se não for reformado, estará pior ainda. Alguém acredita que um imóvel assim será valorizado?

  • Pingback: Pobreza recua 27,7% durante primeiro mandato de Lula « Comentando por dinheiro()

  • Pingback: Pobreza recua 27,7% durante primeiro mandato de Lula « Endinheirado()

  • Fabiano Banin

    Na minha opinião a compra é melhor. O aluguel depende de vários fatores, se for um apto tem o aluguel mais o condominio. Na minha situação, financiei um apto de 42 metros quadrados, o qual peguei na planta por R$ 55.000,00, fiz o financiamento pela CEF em 240 meses… pago prestações de R$ 633,00 por mês… se fosse alugar o mesmo apto, pagaria uns R$ 500,00 por mês de aluguel mais R$ 170,00 de condominio… e se o dono quiser o apto de volta qdo acabar o contrato ? Ai terá mais gastos para mudanças etc… Minha idéia é quitar o apto antes do tempo, e com o dinheiro que estou guardando juntar com um dinheiro que estar por vir e comprar uma casa e alugar o apto para ter uma renda extra… no final a compra do imóvel é um pequeno investimento….

  • Want to start your private office arms race right now?

    I just got my own USB rocket launcher 🙂 Awsome thing.

    Plug into your computer and you got a remote controlled office missile launcher with 360 degrees horizontal and 45 degree vertival rotation with a range of more than 6 meters – which gives you a coverage of 113 square meters round your workplace.
    You can get the gadget here: http://tinyurl.com/2qul3c

    Check out the video they have on the page.

    Cheers

    Marko Fando

  • Brito!

    Fala Navarro,
    Realmente, o tema dinheiro gera polêmicas de toda sorte. Somente a paixão pode explicar isso, diante das evidências que a ciência pode oferecer… Já morei com os pais, morei em república, dividindo aluguel, sozinho pagando aluguel…. Depois financiei imóvel, demorei a vender, aluguel de novo, financiamento de novo…. Tô bastante experimentado… Todos que opinaram considerando os fatores psicológicos de morar no próprio teto, deixar uma moradia para os filhos, etc, esqueceram que os filhos também poderão comprar um imóvel no futuro com o dinheiro, que também seria herdado… E melhor: novinho e à vista, e com certeza mais barato que um financiamento e com manutenção mais barata também. É claro que a influência dos pais na educação é primordial e marcante, mas não esqueçam que os métodos antigos são inadequados para uma era de grande e acelerada transformação em que vivemos, livrem-se dos preconceitos e rendam-se à Ciência, que é a única de demove mitos. email. [email protected]

  • Raquel

    Navarro, meu marido e eu estamos estudando a possibilidade de vendermos nosso apto e morarmos de aluguel. Resolvi pesquisar o assunto e achei seu site!! Pra mim foi muita sorte e estou cada vez mais convencida de ser um bom negocio o aluguel!! Mas não vi nenhum comentario sobre algum risco de nossos governantes instituirem um novo plano Collor.. O que vc acha disso?

  • Anderson Akutsu

    tbm concordo cm fabiano banin…eu tbm acho q aluguel é um dinheiro q nw tem retorno…
    + como eu nw tenho muita experiencia ainda no ramo deixo para os + experientes….
    + deixo uma pergunta qnto q é o juros de um financiamento de um imoveis +/- ????

  • André Ribeiro

    Prezado Navarro,

    Inicialmente gostaria de parabenizá-lo sobre o artigo.
    Eu sempre pensei em juntar um montante para comprar um imóvel à vista, porém, há algum tempo mudei de idéia.
    Em termos financeiros não é a escolha mais acertada.

    Ficou uma dúvida com relação a sua planilha: qual a razão de se acrescer 15% de I.R. sobre o aluguel, uma vez que estamos pagando e não recebendo?

    Gostaria de um comentário do colega.

    Um abraço,

    André Ribeiro

    Não entendi porque em sua fórmula

  • Hélio Ricardo

    Será que não devemos colocar a opção do consórcio em pauta?

    Por exemplo: Dispomos de 40.000 e queremos um imóvel de 90.000.

    Opção1: O Aluguel fica em 0.8%, ou 720/mes… Sem ter o bem ou aplicações…

    Opção2: A parcela fica em 0,5%, ou 450/mês… Construindo um patrimônio… Inclusive optamos por investir a diferença (270) mensalmente nos próximos 7 anos para troca do imóvel para a chegada do(s) rebento(s), ou seja, excluíndo o final do financiamento, teremos um patrimônio pouco liquido de 90000 (fora valorização) mais 33.000 – para troca, (fora o bolsão de 6 meses e aposentadoria).

    Na situação de ter um valor parcial e precisar de algum lugar para morar, segundo meus cálculos, consorcio é imbatível, o que pensa?

    Abraços,
    Hélio

  • Carlos

    Bom dia!

    E a situação do arrendamento? Pagar um aluguel por 15 anos, por exemplo e ter a opção de compra no final do período pelo valor residual? não seria um bom negócio????

  • Marcia

    Olá Navarro, “Feliz Ano Novo” !!!

    Vim procurar no seu blog, alguma coisa à respeito de consórcio de imóvel…gostaria muito de saber sua opinião à respeito…isso seria um bom negocio para uma pessoa jovem que não tem necessidade imediata de imóvel ?!!

    Abraços

    Marcia

  • Navarro, estou praticamente na mesma situação do Hélio Ricardo: a provável “imbatibilidade” do consórcio com dinheiro suficiente (35 a 40%) para dar um lance e ter a carta de crédito rapidamente ou o aluguel. Isto porque necessito do imóvel com certa urgência. Acho que daria outro artigo “Consórcio ou alugar?”, mas comente aí! Abraços

  • Paulo Sabino

    Faltou uma coisinha muito importante.
    Caso opte por financiar o imovel (no segundo caso), você ainda teria que arcar com 20% do valor do imóvel (R$ 20.000,00) como entrada (os banco dificilmente financiam 100% do valor do imóvel). Você teria esta grana disponível? Se sim, ao invés da entrada, aplique mais este valor junto da sobra (prestação – aluguel) e terá sua casas em menos tempo.

  • Tiago

    ainda existem outros fatores na compra de um imovel, principalmente apartamentos, contabilize tambem os gastos com acabamento e a comissao de 6% das imobiliarias na hora que decidir vender

  • juliana

    Totalmente confusa!
    Olá, fiquei toda confusa. Entendo que o aluguel realmente seja favorável em algumas opções. No presente momento tenho 55.000,00 para dar entrada em um imóvel. As prestações ficarão em torno de 400,00 em 30 anos pela caixa, mas se eu for alugar um imóvel na mesma região aqui em BH para a minha família o valor sairá em torno de 550,00. Mesmo assim compensa o aluguel? Pensei em pegar 5000,00 e investir a longo prazo. o que fazer?
    OBRIGADA

  • Paulo Alexandre

    Caro Navarro,
    Na realidade tudo depende de como cada um se sente ante as situações apresentadas, e isso nem sempre e muito racional…de qualquer forma na hipotetica situação em questão sempre sobra um valor a ser investido, o que seguramente fala a favor da compra,seja pela segurança ou bem estar pessoal,ja que ainda assim você tambem tera acumulado uma reserva financeira ao longo do tempo.
    um abraço,

  • radharani

    minha tia tem uma casa alugada, e a pessoa que está morando, faz um tempinho, não paga o aluguel em dia. Tem como você esclarecer esse problema, existe alguma lei ou regras?

  • Mariana

    Gostaria de saber se o preço dos imóveis tende a subir no 2º semestre de 2008, pois estou tentando negociar um imóvel residencial à vista mas estou achando os preços altos demais.

  • anderson

    …. eu tenho uma planilha como essa em meu PC, formulei com a intenção de tentar uma mulher fazer entender essa relação ….
    mas olha é difícil de colocar na cabeça da mulherada a vantagem de vc alugar…
    belo artigo
    abs

  • Luis

    Financiar ou investir ?

    Comprei um imóvel na planta. Agora, tenho de quitar o saldo devedor pagando à vista ou financiando. Possuo o valor total do saldo devedor a ser pago de 150.000,00. Estou pensando em pagar 50.000,00 à vista, financiar 100.000,00 em 5 qanos(tx. juros 10,50 aa + TR) e aplicar os 100.000,00 em um fundo de investimento. A prestação deste finaciamento ficaria em 2.500,00. Pagaria esta prestação mensalmente com o valor aplicado (redimento mensal + parte do saldo). Ao final de 5 anos, pelos meus cálculos, teria o imóvel mais um valor aplicado. O que acha ?

  • tiago

    a ideia eh interessante, para nao ficar com muito capital imobilizado, porem precisa verificar a taxa de juros anual que irá pagar.. creio q existem outros bancos como santander e citibank onde voce consegue taxas de 7.95% a.a ou mesmo caixa economica a 6% a.a

  • anderson

    Luiz
    porque você não financia em mais tempo? minha sugestão seria financiar em mais tempo para ficar com uma prestação menor, e o que vc der a mais vai abatendo do capital devido, dai com o rendimento da aplicação você vai pagar a prestação + o abatimento do capital, em torno de 10 anos terá o imóvel quitado e 100 mil ou mais aplicado
    se vc fizer isso na caira irá pagar de juro efetivo em torno de 8,5% aa

  • Luciane A. Ferreira

    Por favor, preciso da sua opinião. Estou pretendendo comprar um apartamento na Zona Leste (Itaquera/Penha). Já estou procurando há certo tempo e quando encontrei um que gostei, no valor de R$ 92.000,00 (3.º andar – 57 m²), infelizmente não foi possível a compra, pois o proprietário está com várias restrições em seu nome. O corretor me apresentou um outro imóvel no mesmo prédio, no 7.º andar, no valor de R$ 98.000,00. O gerente da Caixa Econômica fez uma simulação da seguinte forma:

    Entrada de R$ 43.000,00 (recursos próprios)
    Financiamento de R$ 55.000,00 por 360 meses
    Parcelas de R$ 582,87

    OBS.: Minha renda mensal é de R$ 2.000,00. Tenho 40 anos de idade.

    O valor do condomínio lá é de R$ 200,00. Somado a isso teria mais as despesas de água, gás encanado, luz, plano de saúde (R$ 204,00), alimentação, vestuário, telefone e condução.
    O que você acha que seria mais viável: encarar a compra deste apto ou utilizar meus recursos próprios (R$ 50.000,00) e comprar um outro imóvel mais simples à vista e ir juntando novamente uma outra quantia para mais tarde comprar um outro apto, quem sabe na planta? Atualmente pago aluguel – R$ 330,00 / mês.
    Se você puder me ajudar, agradeço imensamente.
    Grata.
    Luciane A. Ferreira – São Paulo / S.P.

  • Luciane, o aluguel que voce paga é bem baixo (330) voce paga algum condominio alem deste aluguel?
    Eu sinceramente no seu lugar, continuaria pagando o aluguel até ter o dinheiro à vista, pois 360 parcelas, sao 30 anos! voce pretente trabalhar até os 70? uma parcela de 580 reais para uma aposentadoria pode ficar pesado.

    Guarde 580-330 = 250 reais por mes, que seria a diferenca do seu aluguel para a parcela + tudo que puder e mantenha seus 50 mil aplicados em algum fundo que lhe renda pelo menos uns 10% a.a.

    qual a taxa de juros a.a que lhe ofereceram nesta simulacao de financiamento?

  • Luciane, um detalhe que esqueci de mencionar, a caixa economica as vezes pode ter taxas mais atraentes, mas cuidado, pois ela embute na parcela alguns valores como seguro e administracao, que as vezes podem chegar a 50 reais ou mais por mes.. isso no longo prazo faz uma diferenca enorme! tente uma simulacao no banco santander, no proprio site deles tem uma ferramenta de simulacao interessante, e a taxa cobrada por eles mensalmente é bem menor.

  • anderson

    57m² ???? seria uma kitinete então, não esta caro demais ..
    1.719,30 por m² !!!!

  • anderson

    minha sugestão é continuar pagando aluguel o resto da vida, pegar 50% do rendimento desta sua aplicação e passar as férias no litoral e ser feliz!!

  • Pingback: A casa própria e o imóvel como investimento | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos()

  • Parabéns pelo artigo! Excelente! Esse assunto sempre rendeu muitas discussões entre eu e meus amigos. Sei do que o investimento sério e disciplinado somado aos juros compostos são capazes de fazer.
    No meu caso, eu não tenho dinheiro para comprar um imóvel agora, prefiro optar pelo aluguel e investir a diferença. Prefiro ter os R$ 376.920,87 ao final dos 20 anos do que ter um apartamento velho de 20 anos que eu não sei se irá valorizar.

  • Olá, Navarro !!

    Parabéns pelo artigo. Moro de aluguel em um apartamento de dois quartos e que atende muito bem a mim e minha familia. A pouco tempo venho estudando sobre mercado financeiro e aplicações e mesmo sem ter conhecimento e nem ler seu artigo sem achei que comprar ou financiar um imóvel não era vantajoso, não no Brasil. Seu artigo mostra em detalhes e com números (planilha) esta verdade.
    E para aqueles que falam sobre a valorização do imóvel eu pergunto: Qual de vocês venderiam o imóvel? Pois a valorização em si só vira se você o vender, e ai entra o sentimento: “Vender algo que lutei pra conquistar?”.
    Eu serei mais radical, para a 90% das pessoas que possuem um imóvel ele é apenas um Passivo (Pai rico e Pai Pobre).
    Mais um vez parabéns pelo artigo e pelo Blog.

  • José Benício Vieira Miranda

    Olha bela polêmica essa do alugar ou comprar? mais gostaria de levantar uma questão. A respeito da disciplina para se guardar dinheiro principalmente por parte de nós brasileiros, parece-me que quando as pessoas têm a obrigação (no caso o consórcio ou financiamento) elas conseguem ¨guardar¨pois é uma obrigação, no caso de poupar sempre tem a tentação do consumismo, o cartão de crédito esta ai e não me deixa mentir. Prazer em participar deste blog tão interessante.

  • Bruno Espindola

    Verdadeiro o comentario do Jose Benício, porém acusa um comportamento irracional de muitos: Preferir se manter sob a mira de um revolver (o banco, no caso de um financiamento) para que consigam manter a disciplina. A mesma disciplina que poderiam exercitá-la diariamente, porém sem maiores consequencias caso ocasionalmente falhassem.
    Nao sei quanto aos demais, mas uma coisa é certa, prefiro extrapolar um mes aqui e outro ali (e no maximo ter a dor de cabeça de pagar um cartao de credito mais caro ou cheque especial) do que ter que brigar com um banco que decidiu executa-lo, ver seu imóvel arrematado e comprometer seriamente o seu planejamento patrimonial, nao raro o de toda uma familia. O banco com certeza nao vai ser tao compreensivo quanto vc ou sua esposa.
    Para cada caso, a compra ou o aluguel será o mais adequado. No entanto o ponto principal é que qualquer que seja a decisão, ela deve ser tomada pelas razões corretas. Acredito que esse é o exercicio que todos temos que fazer.

  • Antonio Neves

    Ola, gostamos muito do seu site.
    1.Moro em SP, em aluguel caro (2700), desde dez/07, em Moema, de 2700. Nao pensamos em comprar apto. Mas gostaria de saber se com o valor que pagamos de aluguel valeria mais a pena comprar?
    2.Além disso economizamos mesalmente, nem sempre a mesma quantia, e temos economias aplicadas em fundos diversos: DI, CDB, PIBB e clube e fundo de acoes, que somam 195 mil reais. Está pensamos ser nossa aposentadoria em 20 anos pois estamos em torno do 40-43 anos.
    3.Tenho 170 mil no meu FGTS (minha esposa tem mais 8 mil no dele) e destes 100 mil (já chegou a 125 mil) mais ou menos em FGTS Petrobras. Vale tirar, comprar um ape e depois vender e aplicar o dinheiro, com todos os custos associados a compra e venda (imposto, corretagem, tempo para venda que terei que pagar condominio e iptu), uma vez que o FGTS vale tao pouco?
    4. Pagamos um fundo de pensao do BB com depositos mensais em torno de 500 no nome da minha esposa. A empresa coloca outro tanto, mas ela nao pensa em continuar la e saira com o valor que ela depositou. Vale a pena parar de pagar e colocar o valor direto nas nossas aplicacoes.
    5. Se formos trabalhar fora do Brasil, vale a pena continuar pagando o INSS, pensando essas regras ainda deverao mudar muito ate chegar nossa aposentadoria, ou colocar o valor do INSS nas nossas aplicoes, mensalmente?
    Agradeço imensamente seu trabalho neste site tao informativo para leigos assalariados.
    Grande abraco,
    Antonio Neves

  • Marcelo

    muito bom! você acabou de me tirar de uma fria, eu acho! estava quase “fechando” a compra de um apartamento (R$ 300.000,00), com 80% do seu valor financiados a txs 12% a.a, por 240 meses e prestações iniciais de R$ 3.000,00 e finais, R$ 1900,00. Eu teria, ainda, que arcar com os 20% restantes (R$ 60.000,00), como entrada. acredito que continuar pagando um aluguel de R$ 1000,00 ainda seja mais interessante e investir as reservas, parte em previdencia privada e parte em poupança. voce concorda???
    parabens pelo blog e bons negócios

  • Adriano

    Uma boa opção, para quem tem rendimentos maiores, ou seja, FGTS maior, é utiliza-lo a cada 2 anos para abater de um saldo de financiamento. Sempre fui contra comprar imóvel, mesmo tendo o capital para comprá-lo a vista, entendo ser mais vantajoso a aplicação do capital e pagar aluguel. Estou revendo o meu conceito, considerando que posso utilizar o FGTS para a compra do imóvel, ainda mais agora onde posso sacá-lo a cada 2 anos para pagamento de financiamentos.

  • anderson

    Adriano
    Foi exatamente a conta que eu fiz para comprar meu AP, utilizei 100% do meu FGTS e consegui financiar 75% em 25 anos com juros de 6% aa. Ou seja, desembolsei apenas 15.000 e estou morando num apartamento MEU e a prestação é menor do que um aluguel. agora a cada 2 anos abato com o saldo do FGTS.

    Abs

  • Valkyrie

    São interessantes essas contas! Mas existem fatores que devem ser considerados. Morar de aluguel pode ser bom aos 30, mas aos 50, não será. E se o banco falir ou vier outro plano monetário louco? Vale lembrar que quanto menor a disponibilidade de espaços para construções em cidades, mais caro os que vão sendo construídos ou até mesmo os usados bem localizados? Imóvel não valoriza só para venda, mas para compra também. Comparativamente, tome como exemplo o financiamento de um carro. Se ele custar 32 mil, financiado em 60x vai sair 50 mil. 18 mil é muito, é, mas ninguém nunca leva em consideração que em 60X esse carro vai estar 5 a 6 mil mais caro que hoje (exemplo: o Novo Ka subiu 1 mil e não tem ainda um ano de lançado). Assim, os juros efetivamente pagos a mais seriam12-13 mil reais, é muito é, mas em 60X o camarada terá usufruído do bem. Falando nisso, não me parece razoável, poupar dinheiro para “comprar a vista”, a menos que o camarada goste de fazer mudanças sucessivas, se daqui a 10 anos você não encontrar o apartamento que você quer, na região que você quer. No fim, uma coisa pode compensar a outra!

  • Lilian

    Muito interessante este artigo. Estou vivendo este dilema atualmente: comprar um imóvel com uma parte financiada pela C.E.F. ou continuar no aluguél ? Acho que no meu caso seria melhor a segunda opção, já que somando o valor do aluguel, condomínio, I.P.T.U.e luz, dá mais ou menos 940,00 mensais.Se eu for financiar a compra de um ap., somando todos estes valores dará uma prestação de 914,00 mais uns 300,00 de condomínio, I.P.T.U. e luz, totalizando mais de 1200,00/mês, fora as taxas extras de condomínio que sempre aparecem.Porém, o que não foi considerado no artigo e que deveria ter sido considerado é que o aluguél sofre reajustes anuais e quando termina o contrato ( geralmente após 30 meses), existe um reajuste muito maior que os reajustes anuais. Gostaria da opinião de vocês.

    um abraço a todos. Lilian

  • exatamente Lilian, eu estou vivendo isso atualmente.. depois de 1 ano de contrato (nem foi apos os 30 meses!) o igpm deu 13%, um reajuste pesado…

    minha solucao foi comprar um terreno e construir uma casa, onde achei que vou ter um retorno patrimonial melhor, já que a casa valerá cerca de 40% a mais do que vou investir contando obra + terreno. existem construtoras que parcelam o terreno ate mesmo em cond fechado e tbem vc pode financiar a obra.. acho q no final das contas eh um bom negocio

    No caso do apartamento nao tem muito o que fazer, ele vale aquilo que o mercado esta pagando. nao sei na sua regiao, porém aqui o preco de apartamentos subiram absurdamente, o que fez com que a minha ideia de morar sempre de aluguel caisse por terra

  • ola eu e o meu marido alugamos uma casa,pela imobiliaria nos estamos já morando no imovel,mais tem um probremas o vizinho abriu um salão no fundo do quintal deles,ai esta um entra e sai na minha frente de casa,a agua nossa é juntas com a deles,ai já sabe né vem muito alta,por favor oque eu faso me ajuda tem 3 meses que a gente esta morando no local,mais o salão do vizinho já tem 2 meses eu posso recorer do contrato.obrigado agora eu e minha familia não temos mais tranquilidade. eles nos tiras do serio é uma só falação nas nossa cabeça.qual o nosso direto por favor nos ajuda.OBRIGADO claudia

  • anderson

    Claudia
    Não entre em desespero, vá até a imobiliária, exponha a situação e se não resolver se muda.
    Simples
    Problema seria se vc tivesse comprado ….

  • paolo

    eu tenho 400.000 e quero comprar o apt onde moro que vale 550.000 e estou pagando 2,300 de aluguel….vale a pena comprar financiando 150.000 ????

  • Rudy Andrade

    Investidores: Trabalho de corretor de imóveis e tenho certeza que a compra de apartamento na planta é o melhor negócio, pois existe a valorização que varia de 30 até 40 % do valor do imóvel, ou seja, para quem quer investir o dinheiro, o apartamento na planta é o local certo. Porém não pode ter pressa, pois geralmente fica pronto em 48 meses. Entretanto, fique atento para não ser enganado, pesquise muito antes de comprar.

  • Emillio

    O valor de hoje R$ 376 mil e fração parece muito, mas daqui a 20 anos, qual o valor real desse dinheiro. Interessante seria fazer a conta de 20 anos atrás, para se ter a idéia do valor do imóvel hoje.

  • rayner

    Sou adepto da idéia de alugar e não comprar um imovél.
    Porem algumas coisas me deixaram em duvida.
    Porque o calculo do imposto de renda e só sobre o valor de 750 de retirada do aluguel? pelo que eu saiba nos pagamos sobre o ganho de capital total.
    E qdo vc começa novamente sua “poupança”, vc não paga mais imposto de renda?Claro que um taxa de 0,8% não e apenas poupança.
    E este juros de 0,8% não e coisa mais real do mundo não. Ele é tão subjetivo como a valoriazação do imóvel.
    Sem falar em tantos argumentos do tipo:
    Quanto o dinheiro vai valer daqui a 30 anos? Deveriamos subtrair do juros de 0,8% o valor da inflação mensal , assim teriamos os chamados juros real.
    E assim saberiamos o real poder de compra deste montante final.
    Existe a possibilidade da desvalorização do imovel assim como a perda de capital no mercado finaceiro.
    Existe custo de reforma do imovel o que no caso do inquilinato não ocorre.
    Acredito que o melhor e mais facil argumento seja o valor do aluguel que esta na casa de 0,5 a 0,7 % do valor do imovel. E a da poupança de 0,6 a 0,8% onde não pagariamos imposto de renda.
    E lembrar que pessoas muito ricas tem sua casa propria, simplesmente porque podem ter!!!
    Não é investimento, é patrimonio, é bem estar, é luxo.
    Mas amigo o blog e bom e ajuda muito.
    Parabens pela iniciativa, e boa sorte no mercham.

  • ander

    Bom dia a todos
    bom dia a todos
    Se antes era vantagem alugar, agora a vantagem é maior ainda:
    Dedução de despesa com aluguel de imóvel residencial do Imposto de Renda da Pessoa Física

    http://baldez.wordpress.com/2008/08/27/deducao-de-despesa-com-aluguel-de-imovel-residencial-do-imposto-de-renda-da-pessoa-fisica/

    o assunto vale um novo post,

    abs
    Anderson

  • Bruno espindola

    Corretissimo o comentario do Rayner de que o imovel na maioria das vezes deveria ser tratado como um luxo, como um bem de consumo e não como investimento. Fato é que a maioria esmagadora das pessoas não trata o seu imovel, a sua propria casa como um investimento, na qual aplicariam metodicamente a lógica maxima de “comprar na baixa – vender na alta” (como fazemos com ações por exemplo). Pelo contrario, as pessoas constituem sua familia nele, se apegam ao bem, usufruem dele, decoram a seu gosto, criam laços, raizes. Suas analises e decisões não são puramente racionais e matematicas (como deve ser com um investimento), ao contario, colocam na balança valores subjetivos, emocionais para decidir se compram ou não, se vendem ou não. Entendo que: ou vc trata um determinado ativo de seu patrimonio como investimento ou vc o trata como um bem de consumo. Carro é consumo, é luxo. Assim, para conseguir um, para usufruir de um, vc busca no mercado as opções existentes (cdc, leasing, financiamento, etc). Ao final, vc escolherá a que lhe parecer mais barata, menos custosa.
    Da mesma forma, casa pra mim é consumo, é um bem a ser usufruido por mim, pela minha esposa e futuros filhos. Não vou ficar especulando com a casa onde vivo. Não vou arriscar com ela. Então o que eu faço? A exemplo do carro, procuro no mercado qual a forma mais barata de tê-lo, aquele que comprometerá o menos possivel meu patrimonio a curto prazo (mensalmente) e longo prazo, de forma que eu possa acumular/gerar mais riqueza ao longo do tempo. No momento, indiscutivelmente o aluguel é a melhor opção para obter esse bem de consumo (o imovel).
    Tirei um grande peso das costas e estou plenamente satisfeito.Sinceramente, pra que endividar-se 30 anos para comprar um imovel se eu posso te-lo mais barato e ser capaz de me desfazer dele muito mais facilmente?
    Como disse o Navarro, autor desse blog, vamos pensar fora da caixa!!

  • Veridiana

    Oi!
    Eu moro nos USA e vivi e estou vivendo toda a crise do subprime…qdo compramos a nossa casa durante o bum economico havia valorizado USD120 mil antes de resebermos as chaves hoje depois de 2 anos desvalorizou USD200 mil.
    Ja que o mercado aqui esta pessimo e devido a alta cotacao do dollar estavamos pensando em investir num apartamento em Santos entao pergunto…
    1) Quais sao as chances dos imoveis em Santos desvalorizarem (como aconteceu aqui) ja que estao super valorizados com a especulacao da Petrobras?
    2) Devido a minha falta de credito no Brasil ja que estou fora a muitos anos minha unica alternativa na compra de um imovel seria pegar um financiamento com a corretora, isso e roubada?
    3) Devo aproveitar pra trocar os dollar agora com a alta e esperar pra comprar um imovel daqui as uns 2 anos?
    Sem mais agradeco qualquer informacao que tiver nesse sentido. Obrigada!

  • Robson

    Olá,
    Sobre o projeto de lei para a dedução do aluguel do imposto de renda, levem em conta que muitíssimo provavelmente o valor do aluguel vai disparar no Brasil inteiro. Haja vista o que ocorreu com o valor dos imóveis, a “valorização” generalizada que assistimos veio da diminuição dos juros e aumento do crédito. Brasileiro sabe como ninguém aproveitar-se do aumento de liquidez devido à sua cultura inflacionária. Pensem nisto…

  • Robson

    Veridiana,
    Se vc ainda está nos USA a hora é de refinanciar o seu imóvel e aproveitar toda a “moleza” que a taxa de juros daí está te oferecendo. Se vc tem bala na agulha a hora é a de comprar um imóvel à vista aí mesmo. O mercado daí está péssimo para quem vende e ótimo para quem compra, portanto não é hora de vc vender, mas sim de comprar.
    Vou tentar responder suas perguntas.
    1) Difícil dizer se o imóvel em Santos desvaloriza, provavelmente não pois aqui tem inflação alta e logo vem outra rodada de queda de juros, puxando os preços para cima novamente.
    2) Financiamento com a construtora sai mais caro do que com a CEF geralmente para longo prazo. Mas dependendo de quanto vc tem para dar de entrada pode ser mais vantajoso pois no curto prazo a construtora costuma dar juro zero, corrigindo apenas o INCC. Tipo, vc pode comprar um imóvel de uns 120 mil pagando prestações de 1 mil por dois anos e 96 mil reais quando o apartamento ficar pronto.
    3) Se vc voltou para o Brazil a hora é de vender dolares sim. Se é a hora de esperar para comprar imóveis não sei dizer, o momento é bom para quem quer comprar à vista pois a demanda deu uma boa esfriada, talvez compense comprar agora com desconto.

  • Robson

    Só mais um comentário, a dedução do IR no aluguel se vier será limitada à 15% do montante pago anualmente, ou seja, seu aluguel é de 1000/mês, sairá por 850/mês, mas obviamente o proprietário que não é besta vai reverter a vantagem para ele e aumentar seu aluguel assim que possível.

  • maehara

    Bm dia!hoje tenho 100,000 reis no banco,ta me rendendo 600,00 reais por mes,to sem trabalhar ,mas quero comprar um imovel no valor de 55,000reais ,o que eu devo fazer,…

  • Bruno espindola

    Antes de tudo, comece a trabalhar.

  • Robson

    Na condição de desempregado a coisa complica muito. Esforçe-se para encontrar um emprego logo.

    Maehara, se vc está pagando aluguel e ele custar mais do que 600,00 por mês é melhor vc comprar o imóvel de 55000,00 à vista, de preferência com desconto que cubra custas de cartório, mudança, reforma “só pra entrar”.

    Se vc estiver morando com parentes, encontre um emprego antes de fazer qualquer coisa, depois de ter uns 6 meses de salário de reserva compre seu imóvel de 55 mil de acordo com a frase anterior e dê um presentinho para o parente que te deu esta força.

  • Marcio

    Navarro parabéns pelo exposto, confirmou ainda mais minha opinião.
    Pensando grande e considerando que dinheiro na mao é vendaval, a melhor opção com certeza é a compra, apesar da baixa liquidez, imóvel sempre foi e sempre será um investimento sólido! sem contar q pode aparecer um Collor no meio do caminho caso voce opte por deixar o dinheiro no banco…

  • lucas

    pessoal,
    aluguel +titulo do governo. alguem concorda?

  • interessante, mas quanto andam pagando os titulos do governo?

  • Cintya

    Gostaria de sanar uma duvida, pago aluguel de 600,00 por mes, não tenho dinheiro alguma aplicado, pois meu noivo e eu começamos a guardar dinehiro agora, seria mais vantajoso continuar no aluguel, ou financiar um imovel em 240 meses como o mesmo valor do aluguel? Ja fizemos uma simulação na caixa federal e conseguiriamos um apartamento de 80 mil por 650 mensais, vale a pena pagar quase o dobro do valor do imovel em um financiamento?

  • lucas

    TIAGO

    12%ANO. FAVOR ME CORRIJIR SE EU ESTIVER ERRADO

  • Lucas, pra mim a conta eh a seguinte:

    seu dinheiro +12%a.a – valor aluguel >= imovel proprio + valorizacao do imovel + dinheiro economizado do aluguel ?

    obviamente nao estou contando o fator liquidez, somente a rentabilidade pura.

    Depois de mto tempo cheguei a seguinte conclusao, construir eh uma saida interessante, apartamento nao. veja porque:

    voce gasta vamos supor 200 mil para adquirir um terreno e construir uma casa razoavel de uns 170 m2. Ela valerá cerca de 300 mil e terá valorizacao anual. Os valores sao um chute, mas percebe q vc investiu 200 e terá valorizacao sobre 300? vamos supor q a valorizacao seja 10% a.a, vao ser 30 mil que sobre os 200 iniciais correspondem a 15%. Tenho alguns artigos em tgbutil.blogspot.com vou tentar escrever mais sobre esse assunto.

    Obrigado!

  • Andrea Melo

    Prezados, Eh muito interessante a discussao deste forum. Sempre ficamos em duvida. Ja tivemos apartamento, mas vendemos por motivo de mudanca. Com todos os gastos e descontos, achamos que nao valia a pena comprar outro. Mas como todo mundo nos fala, pais e amigos, para comprarmos e termos uma seguranca no futuro, sempre fica aquela duvida. Pensamos em ter economias aplicadas ao longo de 17 anos para chegarmos aos sessenta com um valor de retirada mensal para termos uma velhice sossegada. Eu e meu marido temos economias assim distribuidas: 100 mil no FGTS mais 60 mil no FGTS Petrobras, totalizando 160 mil no FGTS dos dois. Mais 15 mil em um PIBB. Mais 200 mil em renda fixa, distribuido em CDB, DI e curto prazo. Totalizando 375 mil. Moramos de aluguel, pagando 3000 por mes fora as taxas. Alem disso conseguimos poupar 30 mil este ano (2300 por mes). Nosso plano é poupar o mesmo valor nos anos seguintes. Estamos em duvida se vale comprar um imovel para morar, ai ficariamos sem nossas economias e comecariamos do zero de novo, so que poupando um 5000 por mes, somando o valor do aluguel. Vale a pena? Temos ainda 50 mil em um fundo de pensao BB PREV. Mas agora a empresa vai titrar de la e fazer um fundo dela. Teremos a opcao de retirar tudo agora. Vale a pena? Para receber o que a empresa coloca, so se a gente se aposentar na empresa, que nao é o que pretendemos mais. Pensamos em retirar e aplicar por nossa conta, pois nao acreditamos mais em fundos de pensao. Meu pai tinha o Aerus da VARIG e agora esta sem nada.

  • Andrea, pelo que entendi, voces vivem num imovel locado que possui um conforto relativamente razoavel, correto? nao sei se é apto ou casa, mas jah pensaram em construir uma casa com parte destes rendimentos? pelo q me falou vcs tem 425 mil de patrimonio. considere em gastar 200 mil para a construcao de uma casa. Essa casa com certeza valerá muito mais depois de pronta, cerca de 300 mil por exemplo. Voce aumentará em 100 mil seu patrimonio e se livrará do aluguel!
    O que voce perde? Liquidez
    Mas considerando que voce ainda tera uma reserva de 225 mil e que voce e seu marido pelo jeito pretendem continuar trabalhando, esse me parece o plano mais lógico.
    O fator nao é seguranca, mas sim reducao de custos.

  • Tem mais Andréa, o rendimento do FGTS ao longo dos anos eh infinitamente inferior a valorizacao imobiliaria, reconsidere em usar os 100 mil que estao lah “parados” pois eles rendem somente 4% a.a (os 60 mil do FGTS petro rendem mais)

  • andrea melo

    Tiago, agradeco sua resposta. Mas continuo com a duvida. Realmente eh muito bom trocar visoes diferentes neste forum. Casa para nos esta fora de questao, por motivos nossos _significaria morar mais longe, mais tempo no carro, lidar com empregados da piscina, jardim, seguranca, empregada, cachorros, fora a falta de seguranca, para nos nao eh uma opocao, casa da muito trabalho. Sim, moramos com conforto em moema em predio novo de 3 dorms., com piscina, que aproveitamos, condominio de 400. So para ter uma ideia, onde seria o terreno dessa casa. esta incluido nos 200 mil ou nao. bem, em todo caso, continuo com minhas dividas, tirando a opcao da casa, o que voce me diz…

  • Oi Andrea, entendi sua posicao. Voce mora em sao paulo. Realmente os condominios em sao paulo sao extremamente longes da regiao central e com valores elevados. Comentei fazendo uma analogia com a minha regiao, onde em valinhos / vinhedo voce consegue ainda construir uma casa razoavel incluindo o terreno por algo proximo de 200-250 mil. No seu caso eu avaliaria a seguinte alternativa, se voces gostam de apartamento e pretendem seguir essa linha a longo prazo, pegue os 100 mil do FGTS e de entrada num apto, financiem o restante, com o menor juros de mercado que conseguirem, e colocando uma parcela proximo aos 3000 que pagam. Quanto custa o apto que voce paga 3000 de aluguel? uns 450 mil? O padrao esta um pouco elevado pela sua renda atual, nao existem muitos milagres, se vc se sacrificar um pouco no padrao de vida agora, podera desfrutar mais depois… talvez comprando um apto de 200 mil.. 100 do fgts e outros 100 vc financia pagando 3000 por mes, vc quite ele rapidinho

  • completando, Andreia, esse dilema seu, ja foi meu também e estou modificando ele agora com essa solucao da construcao. Além do que já comentamos, tem a diversificacao. Não é bom deixar todos os ovos numa cesta só! nos ultimos 2 anos a renda fixa perdeu feio para a valorizacao imobiliaria por exemplo e a cada ciclo nao sabemos quais novidades nos esperam, sendo assim, diversificando no tripé imoveis, renda fixa e renda variavel, ficamos de certa forma mais seguros. Quer uma outra ideia que tive agora? De entrada em um apartamento mais modesto usando os seus 100K de FGTS, financie o resto e o alugue. pronto, terás a garantia de 1 imovel para uma emergencia e continuará gozando do seu alugado
    as opcoes sao inumeras, nao existe a melhor de todas, pois nao sabemos o futuro e o rumo economico.. existe a escolha mais adequada para cada perfil…
    a unica coisa que posso lhe ser unanime é que dinheiro parado no FGTS nao compensa

  • marcio

    Jogar 3 mil reais por mes no lixo, realmente é complicado…FGTS realmente nao rende nada, mas fazer o que né nosso governo tem q ganhar sempre em cima dos trabalhadores!
    Cyntia, no seu caso eu faria sim, mesmo pagando juros e quase o dobro do valor do imovel, muito melhor que pagar aluguel, que na minha opiniao é um dinheiro jogado fora.

  • reiter cabral

    oi Navarro,li seu artigo sobre comprar ou alugar.a minha intencao e fazer um consorcio de imovel no valor de 50.000,00 reais com parcelas de 413,81 reais ou da 1 parcela a decima no valor de 403,32 e após a decima parcela 302,05 até a efetiva contemplacao acaba-se os valores redutores.Pensando bem eu acho que a melhor opcao é pagar os 413,81 do começo ao fim do consorcio,ok.Outra coisa prefiro pagar nesse valor pra nao se prender lá na frente com surpresas e depois complementar o valor da carta de credito com o meu FGTS, deixo claro que nao é para lance e sim aumentar o poder de compra,é valido esse meu caminho??
    att?Reiter Cabral

  • Gustavo

    Em Belo Horizonte, e provavelmente em todos os grandes centros, houve uma super valorização dos imóveis nos útimos cinco anos. Porém concordo com o Navarro quando ele propõe que a valorização é um fator imponderável. Vide a atual crise financeira que fez despencar o preço dos imóveis nos EUA. Isso também pode acontecer aqui? Porque não? O fato é que em BH encontramos apartamentos de médio luxo em bairros bons que são oferecidos por valores que variam de R$ 250 mil a R$ 400 mil. O interessante é que esses imóveis podem ser alugados por algo em torno de R$ 1.600,00. Ora, se você financiar uma apartamento de R$ 100 mil, hoje, você vai acabar pagando uma mensalidade próxima a esse valor durante 20 anos. Sem falar que você não vai encontrar um bom imóvel por esse valor. Mas com um capital de R$ 100 mil não precisa ser um gênio para levantar esse valor mensal. Vamos pensar “fora da caixa”, compre um taxi ou adquira uma franquia, enfim, bote a cabeça para funcionar, para não ficar só na poupança. Dessa forma é possível morar, e morar bem, com um sacrfício menor (juntar R$ 100 mil já é difício, imagine R$ R$ 300 mil ou mais). É como diria Steve Jobs: “Pense diferente, isso não deve doer.”

  • Aguinaldo Claret

    Navarro,
    Com relação ao seus argumentos financeiros nunca tive dúvidas de que estão corretos se levarmos em conta apenas o racional matemático. Porém, tudo o quê leio sobre o tema Imóveis, defendem uma valorização maior do que a maioria dos inv estimentos disponíveis. Claro, isto no longuíssimo prazo. É raríssimo encontrar alguém que perdeu dinheiro com imóvel no longo prazo. Por isso, não podemos desprezar a valorização quase certa no longo prazo p/ decidirmos sobre tal questão.

  • Aguinaldo Claret

    Navarro,
    Os acontecimentos nos EUA em relação às desvalorizações dos imóveis é muito peculiar. Na verdade ali morava uma bolha especulativa. Os créditos eram fáceis e os contratos podres devido às más avaliações dos riscos por parte das entidades financeiras. Mas, concordo com seus argumentos, somente afirmo que tal decisão tem de passar também por uma análise específica de custo de oportunidade. Não há como ganhar mais sem incorrer em riscos. Cabe sempre cautela, análise e consultoria especializada, se for o caso.
    Voltando ao seu pensamento racional, as f’órmulas de sua planilha não acresce como aporte (ou economia) o valor economizado com o aluguel (no caso da compra). Neste caso, quem optar pela compra do imóvel invés de alugá-lo, terá somado ao seu poder de aporte mensal também o valor economizado com o aluguel. Há de se registrar que alguns custos somar-se-ão ãs despesas de quem optar pela compra; refiro ao custo de manutenção e reforma do imóvel.
    Valeu!

  • Eu acho que faltou a possibilidade de valorização do imóvel e faltou também o reajuste do aluguel pelo igpm, aliás, seria interessante fazer o cálculo com dados reais, por exemplo, quanto custava tal casa há 20 anos, o aluguel e tudo mais…

  • Ivanaldo Carvalho

    Oi Navarro!
    Muito bom o fórum! Tô aqui em casa, um ap financiado pela CEF. No meu caso valeu a pena, acredito. Pois o imóvel custava $53 ( nov – 06) e hj vale uns $85mil. Dos $53mil paguei $6,5mil de entrada. Houve um incentivo de mais ou menos $6,5mil…Atualmente pago $383,00 de prestação> Na ocasião trabalhava meio expediente e “entrei” numa margem de juro baixa, acredito que 6%…) O saldo devedor é de $40mil. (Uma informação importante: no prédio onde moro o aluguel custa em média. $450,00. Acho que está sendo um bom negócio. Resultado: estou investindo em outro imóvel aqui na mesma região! Grande abraço…

  • Fernando

    A planilha apresenta erro no cálculo relativo ao imposto de renda, que está incidindo apenas no caso da opção por aluguel, e não está sendo considerado no caso da opção por compra. Por isso a opção por aluguel está aparentemente desvantajosa. Além disso, o imposto de renda está sendo calculado sobre o valor fixo de R$750,00, quando na verdade deveria considerar os juros mensais obtidos.

  • CARLOS

    BOA NOITE NAVARRO, ESTAVA PESQUISANDO SOBRE O ASSUNTO E ENCONTREI SEU BLOG QUE POR SINAL É MUITO BOM, GOSTARIA QUE VC ME DESSE A SUA OPNIÃO EM RELAÇÃO AO MEU CASO. SEGUINTE: EU MORO NO INTERIOR DE SP E ACABEI DE PAGAR UMA CASA NUM SISTEMA DE COOPERATIVA QUE É PRATICAMENTE IGUAL AS CASAS DA COHAB, FINANCIEI EM 5 ANOS E ELA VALE HOJE APROXIMADAMENTE 60.000,00, A MESMA PRECISA DE UMA BELA REFORMA, POIS COMO DISSE ANTERIORMENTE É BEM PEQUENA, A REFORMA DA MESMA ESTA AVALIDA EM TORNO DE 40.000,00, O QUE EU ACHO MUITO DINHEIRO. SURGIU A IDEIA DE AO INVÉS DE FINANCIAR ESSA QUANTIA DA REFORMA, POIS EU NAO TENHO A MESMA EM MAOS, VENDER A CASA, NOS MESMOS 60.000,00, QUE É O QUE ESTA VALENDO AINDA, APLICARIA ESSE VALOR NUM FUNDO OU QUE SEJA NA POUPANÇA E PAGARIA UM ALUGUEL DE UMA CASA QUE NA REALIDADE SERIA ATÉ MELHOR DO QUE A MINHA DEPOIS DA REFORMA, TENDO EM VISTA QUE NA MINHA CIDADE UMA CASA CONFORTAVEL SE ALUGA EM TORNO DE 500,00 MÊS.

    GOSTARIA IMENSAMENTE DA SUA OPNIAO A RESPEITO DO ASSUNTO.

    SEM MAIS. OBRIGADO

  • Reginaldo

    Encontro-me em um dilema terrível. Moro de aluguel (despesa de R$ 2.200, incluindo condomínio). Para manter um padrão de conforto próximo ao atual teria que pagar cerca de R$ 4.000 mensais em um financiamento da CEF, com 8% a.a (crédito especial para servidores públicos) em 30 anos, com uma entrada de R$ 100.000 ( aplicados atualmente em CDB BB, rendimento de R$ 960 a.m). O problema é que com a referida parcela minhas contas ficariam bem no limite por, no mínimo três anos, prazo para quitação de outras obrigações financeiras. Devo aguardar três anos e manter-me no aluguel ou pegar logo o financiamento porque as condições (juros) estão ótimos?
    Ah, moro em Brasília, o m2 onde pago aluguel está em torno de R$ 5.500, no mínimo.

  • Bruno

    Na minha sincera opinião: Continue no aluguel, pegue essa diferença de 1800 mensal (que é uma bela diferença) e aplique. Diversifique seus investimentos. Ao final de uma década seu patrimônio será indiscutivelmente maior do que se tivesse imobilizado 70% da sua riqueza em um único imóvel. Não dê muita atenção aos falsos dogmas de que “casa própria é investimento” e de que “sempre valoriza ou valoriza mais que os outros investimentos” Muitos que comentam isso sequer fizeram um trabalho minucioso no papel para confirmar. Tiram a conclusão fazendo uma conta de cabeça. Ao contrário, casa própria, a exemplo do seu carro, roupas, viagens e moveis da casa, é pra consumir, usufruir. Não conheço uma pessoa que vendeu sua casa própria simples e friamente por oportunidade de mercado. Se o fez, com certeza outros elementos pesaram na decisão: momento na vida, há tempos já queria mudar de local, trocar de cidade, emprego, família crescendo, etc (e decisões sob essas premissas não podem ser tratadas como investimento). Se realmente quiser investir em imóveis, distinga a sua casa própria dos outros imóveis que vc venha a possuir, pois somente com estes últimos que vc deverá “jogar” com o mercado, comprar na baixa, vender na alta, aproveitar bolhas especulativas (como as que estamos vivendo hj), etc. Deixe fora desse jogo a sua casa própria. Não se mistura emoção e apego com investimento. Investimento é matemática.
    Amplie o nível de qualidade de vida de sua família com os rendimentos, viagens, saúde, escolas e faculdade melhor, isso é o que realmente importa. Obter maior qualidade de vida pelo menor custo possível, essa é a conta que todos devemos buscar. Parece simples, mas na maioria das vezes não o fazemos na prática.
    A exemplo de uma boa compra, um bom contrato de aluguel, com pessoas certas, negociado com calma lhe garantirá a mesma segurança. Juridicamente, no que diz respeito ao uso, gozo do imóvel, a compra ou o aluguel em muito pouco se diferem. Acredite, o banco tem muito mais prerrogativas e ferramentas para expulsá-lo do imóvel no caso de um financiamento, do que o locador num contrato de aluguel. E sua margem de negociação com um banco é quase zero. Não espere que ele será compreensivo num momento de aperto. Estou morando hj de aluguel e de vez em quando me pergunto o que teria realmente mudado se tivesse optado pela compra? Se ao invés de ter a qualidade de locatário eu tivesse a de proprietário? Olha, tirando a boa, porém fulgaz, sensação dos primeiros momentos em relação a tudo que vc compra (a exemplo de quando vc compra um carro zero com cheirinho de novo, mas que logo some), sinceramente nada teria mudado a medio e longo prazo. Mobiliei-o da mesma forma, como eu quis. Claro, se eu proprietário fosse, poderia dar umas marretadas na parede ao meu bel prazer sem ter que dar satisfação, mas acho que posso conviver sem esse privilégio em prol de uma melhor qualidade de vida sob um aspecto geral. Na verdade, a exemplo de vc, caso tivesse optado pela compra, estaria num apartamento bem menor do que estou, que não seria o que eu realmente queria, em um bairro distante. E todo esse sacrifício pra poder dizer apeas que tal imóvel é meu, os tijolos dentro da parede são meus e de mais ninguém! Será que teria valido a pena? Acho que não.
    Outro ex: Quanto custa manter uma casa na praia, da qual se aproveita não mais do que 30 dias úteis por ano. Com todo o dinheiro gasto fatalmente vc poderia ficar num excelente resort, ou alugar uma casa maior pelos mesmos dias com muito mais qualidade. Mas ainda assim muitos preferem comprar a casa de praia. Sei lá, cada um cada um.
    Claro tudo isto é apenas uma opinião e cabe a cada um pesar o que realmente importa na vida. Abraço a todos.

  • Filipe Giusti

    É impressão minha ou o valor final da planilha para o caso do aluguel no cenário 1 está diferente do texto?

    Não li todos os comentários, portanto desculpe se eu estiver sendo redundante, mas queria ressaltar que com R$99.450 (valor da aplicação inicial considerando que optou-se por alugar) para investir é muito mais fácil de conseguir alguma aplicação com retorno mais alto do que com R$200 (valor caso a opção tenha sido pela compra), portanto a opção de aluguel pode ser tornar mais interessante ainda.

  • Reginaldo

    Bruno,

    Muito sensato os seus argumentos. De fato, nunca tinha avaliado esta diferença conceitual do morar em algo próprio ou alugado. Acho que somos movidos, muitas vezes, pela opinião comum, por exemplo, o argumento segundo o qual aluguel é dinheiro perdido. Não se computa o ganho/incremento na qualidade de vida daquela opção. Concordo plenamente com você.
    Muito obrigado pela opinião. É algo que guardarei para momentos de decisão no futuro.
    Um abraço,
    Reginaldo

  • rayner

    Bruno e Tiago,

    Vejo que vcs parecem moderadores no fórum, meus parabéns pelo empenho e a procura por alta afirmação das suas idéias.
    Concordo com os dois em muitos pontos.
    Também vou vender meu peixe, levando em conta outro foco, o bem estar.
    Não adianta querer investir se vc no fundo quer morar.
    Indiscutivelmente, construir e muito mais barato do que comprar pronto. E porque não continuar fazendo isto?
    Uma dica, a qual estou fazendo:
    Não posso comprar um terreno com o FGTS, mas posso colocar uma casa sobre ele, regularizar a situação do imóvel com o banco, e ai sim usar o FGTS para abater minha divida.
    Pois quem precisa de subsidio sou eu, e não o governo. Quer usar meu FGTS pague mais por isso.
    E ai surge à idéia se construí uma casa, porque não continuar assim, a primeira e a mais difícil, pois não conhece a equipe e nem os custos. Tantos começaram pequenos e hj são gigantescos.
    Morar de aluguel pode ser uma boa, ou não, pois não adianta ir ao campo, pois lá as coisas são mais baratas e deixar de ir à praia onde vc realmente deseja. Se for este ocaso compre more e seja feliz.
    Mas nunca pense que fez outra coisa, senão comprar, mas um luxo, mas afinal de contas e para isso q serve o dinheiro, pois dele não se extrai mais nada, além de satisfação material, se o mesmo não servir para isso? Para que mais?
    Morar próximo do serviço e fundamental transita e perda de tempo qualidade de vida e dinheiro, por conseguinte.
    Temos que focar na coisa certa, na nossa felicidade.
    Ser empreendedor e diferente de ser sovina.
    A idéia de construir por 200 mil e vender por 300 mil, é real, msm que fosse por 250mil, ainda da uma boa rentabilidade, levando em conta o tempo de construção de 6 meses.
    Morar de aluguel e muito bom, mas é a quebra de um paradigma, que como todos os são, difíceis de quebrar.
    Quanto ao financiamento, acho que os juros esta chegando numa faixa atraente, e pagar o dobro do imóvel em 20 anos, sô a inflação vai ser maior q isso provavelmente, isso levando em contas o juros sobre juros.
    E de qualquer forma, quem conseguir um financiamento pelo msm preço do aluguel, não tem nem o que pensar, pois no final vai ter um valor residual, seja qual for vai diminuir o “prejuízo” do aluguel.
    Entretanto acho difícil do padrão do apartamento, que será financiado, ser o mesmo do AP alugado.
    Contudo se quiser mudar de emprego, não pensar duas vezes, se quiser ter um filho, não precisa gastar com a compra de mais um quarto, vc sempre vai morar no que cabe sua família.

    Contudo cada juiz uma sentença

    A minha e aluguel, qual é a sua?

  • rayner

    Alias pode ser o finaciamento tb, depende do caso, depende de onde vc quer morar, e quanto estão ficadas as suas paizes, pois eu trabalho na petrobras, e de lá não pretndo sair, por isso minha residência pode ser fixa, não me vejo na necessidade de mudar.
    Mas para outros com perfil com mudança de emprego e local de trabalho frequentes, pode ser que uma residencia intinerante seja mais propício, ai o aluguel trás uma vantagem inatingivel pela compra por financiamento.
    Porque comprar avista um imóvel nunca!, só se for com o FGTS e depois vende-lo para embolsar o msm.

    Abraço a todos

  • Olá Navarro, no meu caso prefiro pagar aluguel porque com o valor do financiamento que posso pagar, acabo alugando um imóvel muito superior, pois o que me importa neste momento é viver sempre em imóveis novos que ofereçam qualidade de vida. Sendo assim não é meu foco aplicar a diferença do dinheiro, pois este já esta reservado para moradia. O que você tem a dizer sobre este isso?

  • Pingback: É melhor comprar ou alugar um imóvel?()

  • Bruno

    Olá.. primeiramente parabéns pelo blog…

    gostaria de saber a opnião de vocês..

    Vou me casar em outubro com minha noiva, nós não temos nenhum valor guardado, ou melhor, o que temos vamos gastar na festa e com o móveis… então o quero saber o que vcs acham de eu começar financiando um imóvel com um custo mais baixo, de 2 quartos, no valor aproximadamente de 45mil, e quitar em no máximo 10 anos, e depois disso vender, e usá-lo na compra de um melhor…
    OU
    comprar já um bom, aqui onde moro está em torno de 100mil… só que dai vou ter que financiar em 30 anos por ai..

    sobre alugar sou da opnião do dinheiro perdido, ainda mais que aki o aluguel anda bem salgado, 600 pra cima + cond. pouco sobra pra guardar o suficiente para comprar o meu próprio
    nossa renda é de 2500 reais… tenho um carro no valor de 16.000 e uma moto no valor de 4mil…

    Muito obrigado

  • Bruno

    Olá.. primeiramente parabéns pelo blog…

    gostaria de saber a opnião de vocês..

    Vou me casar em outubro com minha noiva, nós não temos nenhum valor guardado, ou melhor, o que temos vamos gastar na festa e com o móveis… então o quero saber o que vcs acham de eu começar financiando um imóvel com um custo mais baixo, de 2 quartos, no valor aproximadamente de 45mil, e quitar em no máximo 10 anos, e depois disso vender, e usá-lo na compra de um melhor…
    OU
    comprar já um bom, aqui onde moro está em torno de 100mil… só que dai vou ter que financiar em 30 anos por ai..

    sobre alugar sou da opnião do dinheiro perdido, ainda mais que aki o aluguel anda bem salgado, 600 pra cima + cond. pouco sobra pra guardar o suficiente para comprar o meu próprio
    nossa renda é de 2500 reais… tenho um carro no valor de 16.000 e uma moto no valor de 4mil…

    Muito obrigado

  • anderson

    Olá Bruno
    Seu dilema é o mesmo que o meu no ano passado, eu optei por financiar pela caixa pelo SBPE utilizando o FGTS em 30 anos, comprei um AP bom por 85.000, ( 20 entrada +5 FGTS e 60 financiado), estou pagando bem menos que o aluguel.
    Minha sugestão é vc financiar no maior prazo (assim pega um bom valor a juro baixo) e pesquisar um AP que se enquadre na modalidade de menor juros que são os imóveis avaliados em até 80.000, o meu vale uns 90.000 e a caixa na época avaliou em 73, portanto a chance deste imóvel de 100 que vc quer se enquadrar nesta faixa é grande.
    Use o simulador do site da caixa.
    espero ter ajudado
    abs

  • Melissa

    Pergunta:
    Se eu não tenho dinheiro para comprar um imóvel à vista, não seria muito mais interessante trocar o aluguel pelo financiamento? Digo isto pois eu ficaria alguns anos juntando dinheiro + alguns anos pagando aluguel, ou seja, pagando por moradia em dobro (pela futura e pela presente). De qualquer forma eu vou pagar a mais, então não é melhor entrar logo em um financiamento e ainda talvez lucrar com a a possível valorização do imóvel? O aluguel realmente me parece um dinheiro jogado fora neste caso.

  • meire

    ola moro de aluguel a 6 anos e não consigo guarda nenhum centavo para financiar um imovel mas meu sonho é ter um como fazer?pago 450 de aluguel e creio que posso pagar um financiamento mas não tenho nada pra dar de entrada??

  • Carol

    Olá
    gostei muito do blog, mas a dúvida que eu tenho não consegui tirar, rs
    Não sei se compro ou alugo um imóvel. Na verdade eu tenho o dinheiro pra comprar o imóvel a vista sem financiamentos e mesmo assim ainda fico com dinheiro investido. Meu gerente disse para financiar o imóvel e pagar as parcelas com o meu rendimento, e meu marido diz que é melhor alugar, o que daria na mesma, mas alugando não retiro dinheiro dos investimentos em compensação não tenho meu imóvel próprio. O que faço?

  • ander

    Carol
    Tudo depende, depende de quanto é o imóvel, quanto vc tem investido, quanto iria financiar, qual a rentabilidade do teu investimento…. mas a uma primeira vista a vantagem é financiar e COM O DINHEIRO DO RENDIMENTO REFERENTE AO VALOR DO IMÓVEL pagar as prestações.

  • Marcelo

    Ola Navarro , muito legal seu blog, vejo que o tema se estende por anos, eu optei por sair do aluguel dei terreno, carro, poupança e ainda financiei 150.000 pela caixa, fiquei zerado e com divida, mas foi negócio de ocasião comprei uma verdadeira mansão (piscina aquecida 4 suites, hidro, 6 banheiros, 1600 mt2 de area,etc) tudo por 450.000,de um vendedor com dividas; um construtor local vistoriou a casa e disse que não constriuiria igual por menos de 650 mil. Por isso digo a vcs amigos do BLOG, não sigam receitas de bolo, como na minha profissão sempre dizemos cada um reage de um jeito, imóvel para se morar é emocional, por quanto vale morar bem? se for ver como investimento é diferente pense em outra opção, se se sente bem comprando e não se compromete tanto: COMPRE a vida é uma só. abraços felicidade a todos, eu to feliz !!

  • David

    Ola Navarro, ótima matéria realmente me surpreendi quando descobri seu blog e passei horas lendo a principio queria trocar de carro mais já desisti pois teria que financia o resto e vi que realmente não vale apena mais lendo, e estou ak para pedir um conselho relacionado à imóvel, tive a oportunidade de compra minha casa própria em um leilão da prefeitura, com uma pequena quantia onde paguei apenas o imposto da casa num valor de 15 mil mais a casa estava totalmente destruída tive que reforma La, e investi em torno de uns 10 mil, a casa esta valendo agora uns 35mil, mais minha duvida é o seguinte tem 21 anos são casados e penso em aumenta a família ^^. Gostaria de uma casa maior pois a minha dispõe apenas de 1 quarto,
    Agora me veio à dúvida, pois estava pensando em alugar esta casa na qual eu moro num valor de ate 500,00 e com esse valor financia outra casa e continuar com minha poupança para fazer novamente caixa, por outro lado poderia vende esta casa e dar de entrada e financia o restante de um imóvel melhor (uns 100mil uma casa boa onde eu moro), gostaria da opinião de vcs sobre o que e eu devo fazer muito obrigado pela atenção dês de já te mais abraço
    meu email [email protected]

  • Ricardo Matos

    Navarro você pode analisar a proposta da AFTB que é uma OSCIP com autorização do Governo Federal e Ministério da Justiça? Eu adorei
    http://www.aftb.org.br meu código é 23393

    Abraços

  • marcelo

    navarro, estou numa encruzilhada. vou receber 24.000 de um inventário e em mar/2011 poderei vender meu arrendamento da CEF que já quitado está no prazo de 24 meses para venda legal, avaliado em 40.000 Com esses 64000 pretendo virar “empreiteiro” comprando terrenos e construindo casinhas de alvenaria (via construtoras, pois jamais conseguiria cuidar de obras) baratas para serem financiadas pela caixa, com lucro baixo para rodar dinheiro estilo pão quente. trabalhando com lucros de 20% em média nas casas iniciais até chegar a 150.000 e passando a 25% ou 30% a partir daí para cada imovel construído, morando com o sogro, pelas minhas contas mais otimistas, em 12 anos alcançaria meu 1milhão. É muita utopia a minha ou é possível mesmo?

  • marcelo

    Ola gostei do artigo, me ajuda numa duvida, quero comprar uma casa de 250.000 tenho somente 15.000, pago aluguel de 500 reais e agora consigo guardar por mes na poupança 2.000 por mes, financio ou continuo no aluguel ate dar o valor?????

  • Pingback: Da compra de imóveis por ricos, novos ricos e a classe média | Fulltilidade()

  • Ronaldo

    Prezado, a lógica matématica é interessante e não deixa de estar correta, o que não concordo é separar o lado emocional quando da sua explicação, com números podemos provar diversos pontos de vista inclusive rebater o seu, o que eu acho que não vem ao caso. Parabén por provocar as pessoas a pensarem e tomarem as decisão com mais razão do que emoção, pois morar de aluguel também pode ser uma tremenda dor de cabeça quando nos é pedido o imóvel, ou necessitados fazer a mudança ou reparos por exemplo, são custos que você não tem como mensurar no seu modelo, pois são pontuais e particulares.
    Abs

  • Caldas

    Eu nao cheguei a ler todos comentarios, mas acredito que deve-se ter em mente tambem a possibilidade do imovel valorizar. Em 10 anos um imovel que foi comprado por 100 mil, com certeza estara valendo mais (ao menos em Brasilia isso e’ verdade). Entao, na minha cabeca, acredito que adiqurir um imovel e’ muito mais rentavel.

  • Rosana

    Oi! Preciso de direcionamento: Tenho 180.000,00 numa aplicação e consigo poupar de dezembro em diante ( se tudo correr bem ) 15.000,00/mês e estou querendo comprar um terreno de 300.000. A dúvida é: Pago 910,00 de aluguel + condomínio de 570,00 + IPTU de 60,00 e restam 2 anos de contrato e eu não sei por quanto vai ser reajustado já que o aluguel no mesmo prédio hoje vale 1.300,00 e nem se vai ser renovado o contrato;
    Tenho um terreno que vale 100.000,00 e já está a venda. Não sei se dou 20% de entrada ( 60.000,00 ) e financio o restante ( 60 parcelas de 5.528,00 )e uso o restante dos 180.000,00 ( 120.000,00 ) para iniciar a construção + a reserva que posso guardar todo mês ( 15.000,00 ) e aguardo a venda do terreno de 100.000,00 para terminar a construção OU dou 180.000,00 de entrada e financio 120.000,00 e poupo os 15.000,00 todo mês até juntar um montante para iniciar a construção e continuo pagando o aluguel ou terceira opcão.
    Me ajudem.
    Rosana.

  • Diógenes

    Do mesmo modo que alguns tem quase certeza que o imóvel vai valorizar (embora ele envelheça tb — ainda mais no contexto de 20 anos), eu também tenho quase certeza que o Ibovespa vai valorizar.
    Então sejam bem-vindos ao mundo da renda variável com seus riscos/retornos.
    As ações estão aí disponíveis, fácil acesso e liquidez, e corretagem pequena. Já os imóveis…

  • Márcia

    Navarro,
    achei sua avaliação sobre Aluguel x Compra muito boa. Há uma pressão de que todo mundo deve ter casa própria, como um investimento para o futuro. Só que essa idéia não me anima. Não pretendo ter filhos, logo não tenho que me preocupar com herança, sou funcionária pública, dificilmente ficarei sem salário. Seu artigo me ajudou na perspectiva fianceira. Agora é me planejar para conhecer o mundo, vivendo no aluguel.

  • paulo

    Olá Navarro,
    Comprei um imóvel pelo programa do governo e ganhei 13 mil de subsidio e taxa de 5% ao ano. O imóvel tem 2 quartos, 48m2, sol da manhã, e em um local longe do centro da cidade do Rio de Janeiro. Custa em torno de R$ 97 mil, em um local sem favelas e muito residencial. Este que comprei é um apErtamento, mas a maioria dos imóveis da localidade são casas.
    Tem shopping, faculdades, mercados, etc.. É no municipio do Rio, mas é aproximadamente 40 km ou mais longe do centro da cidade.
    A prestação mais alta que vou pagar é depois da entrega das chaves: R$ 590.
    Não tenho um capital maior, por isso não consegui comprar um apt próximo ao meu trabalho e o aluguel aqui gira em torno dos R$ 900 com condomínio.
    Penso que meu investimento possa ser bom se eu aluga-lo após as chaves por um valor próximo a prestação(R$ 590) e continuar de aluguel próximo do trabalho, já que ficando ou não no apartamento novo eu terei que pagar uma prestação, sendo assim, prefiro ficar em um aluguel mais caro e pagando o meu patrimônio com o dinheiro da pessoa que alugou, ou com parte dele caso não alcance o valor das prestações;
    .
    Obs.: O único problema é que creio que o imóvel possa desvalorizar, pois não tem elevador. São 400 unidades e 11 blocos de 4 andares. Escolhi um apartamento no 3º andar por achar o mais razoável para venda.
    Já vi condomínios com mais unidades, 600, mas tinha elevadores. O ponto positivo é que o terreno é muito grande e todos tem garagem, quadra, etc… dessas papagaiadas de hoje em dia e realmente será fechado.
    .
    Gostaria de saber se esse ponto de vista que tive, de comprar para alugar e ficar de aluguel próximo ao trabalho possa ser visto como bom negócio?
    .
    Outra dúvida é saber se o andar térreo é realmente muito desvalorizado. Era uma opção que tinha, gosto, mas como todo gosto é diferente, percebi que o meu era O DIFERENTE! E adquirir um de terceiro.
    .
    Abraços e parabéns.
    .
    Minha opinião sobre o assunto é que se o financiamento tiver o mesmo ou menor valor(prestações) do que o aluguel, o financiamento é mais vantajoso, mas por outro lado existem as pessoas que pagam prestações de R$ 1800 em um apartamento que o aluguel é R$ 900, conheço e não faria tal financiamento.

  • Eric

    Legal a idéia, porém gostaria de saber onde que consigo um rendimento de 0,8% ao mês. Mudando para 0,5% (e olha que a poupança nem dá tudo isso) dá pra ver que em 20 anos o melhor é comprar a casa. Além do valor na conta ser mais alto, ainda a pessoa fica com um imóvel. Não concordo com o post…

  • Rodrigo

    Gostaria de deixar uma sugestao. Que na planilha houvesse um espaço para a valorizaçao do imóvel e que esse dado fosse fornecido pelo usuário. Assim, posso simular com valorizaçao anual de 50% ou 5% ou mesmo de 0. Enfim, a opçao do calculo. De qualquer maneira, é uma ferramenta muito útil.

  • Mile

    Olá Navarro,

    Estou comprando um imóvel mais estou com uma dúvida, devo dar uma entrada maior para financiar o restante e ter prestações menores ou devo diminuir a entrada e quitar o carro ficando apenas com a prestação do imóvel? Qual a melhor opção?

    Obrigada.

  • tereza

    eu queria q vc me ajudasse, qual a matemática q vc usou pa calcular isso ???

  • Sérgio

    Olá Navarro,

    Moro em Pernambuco e pago um aluguel de casa de 370,00. Esta mesma casa a proprietária quer vendê-la por 70.000,00 caso eu queira comprar. É mais vantagem pra mim comprar ou viver de aluguel?

    Obrigado.

  • Faltou mencionar que os juros de financiamento de um imóvel geralmente são inferiores a praticamente qualquer aplicação, até mesmo aos juros da poupança.

  • marciocmp

    Isso é muito utópico, pra quem tem muito dinheiro, investir até numa empresa do Bruno caso ele tenha uma esperando ele ser inocentado e vc ficar rico deve ser bom negócio, né! Num pais que já teve COLLOR , vc dormir e acordar zerado! O coitado junta míseros 200 mil reias, não compra seu ap e vai pagar aluguél com o dinheiro dos juros, a cada PLANTÃO DO JORNAL NACIONAL ele se apavora, a cada atentado que os EUA sofrer ele treme, nada compra a paz, com seu imóvel até catando lata vc sobrevive, pensar grande e viver tenso por 10, 20 anos? Nada compra a paz, melhor perder, ou melhor, deixar de supostamente ganhar dq viver preocupado com economia, troca de governo e mercado dia e noite, ! Isso é pra Mirian leitão etc,,, que precisam viver de olho na economia!

    • Marcelo Mussarelli Corghi

      pra você digo o seguinte: poupança tem FGC, Fundo Garantidor de Crédito, no limite de 750 mil reais. Logo, você não perderá seu dinheiro nunca.

  • luiz

    ola
    eu tenho uma casa grande e gostaria de saber se posso dividir ao meio e alugar para duas familia sendo que so tem uma entrada de agua e uma de luz, perante a lei pode

  • raone

    Issu é um absurdo!!!! Navarro, sua teoria é um absurdo. Se vc diz q não pode considerar a valorização de um imóvel, não deveria considerar a valorização de uma poupança, visto q ela pode correr junto com a inflação e o imovel valorizar acima da inflação e outra coisa, se vc diz q a pessoa não conseguiria guardar os 750 do aluguel, então como essa pessoa guardaria 100 mil investido?

  • Rejane

    Navarro, adorei teu blog. Me tira uma dúvida, se possível. Tenho um imóvel próprio já quitado e pretendo poupar 500 mil até maio/2016. Pergunto, o que é mais inteligente, vender meu imóvel, somar com os 500 mil e comprar o imóvel dos meus sonhos na zona sul do Rio ou ficar com meu imóvel, alugar um imóvel na zona sul e continuar poupando e aplicando os 500 mil? Muito obrigada,
    Rejane

  • Pingback: Comprar ou Alugar « O Apê da Fê()

  • Pingback: IMÓVEIS COM ALTERNATIVA DE INVESTIMENTO » Líder Soluções Imobiliárias()

  • Romilto Maia

    segue algumas coisass para pensar sobre ter imóvel próprio ou não:

    dificilmente você achará uma casa que é realmente como vc quer, cada vez que mudar de localidade terá que pagar a mudança, o iptu pode ser mais caro dependendo da região, você pode gastar mais gasolina e tempo no congestionamento para chegar no seu serviço pois a localidade é mais longe, quanto você vai gastar de gasolina e tempo de congestionamento procurando uma nova casa após terminar o contrato?
    quanto gastará com montadores de móveis, eletricistas, decoradores?
    ainda tem a taxa de transferência de linha telefonica, TAMBÉM não da pra esquecer que você terá que procurar uma nova escola para seus filhos e a perua de ida/volta pode ser mais cara do que a atual.
    E você tem que alterar todos os endereços de suas correspondências do banco, fundo de garantia e outros e avisar seus colegas que agora reside em outro lugar

  • Akira

    Dêem uma olhada nessa calculadora, tem muitas variáveis:
    http://www.nytimes.com/interactive/business/buy-rent-calculator.html

  • Parabeéns pelas dicas, seu site já esta nos meus favoritos! Muito bom o dinheirama!

  • Francisco Neves

    Conrado, muito bom o seu blog.
    Meu nome é Francisco e eu sou Engenheiro formado na UNIFEI também.
    Estou pensando em fazer um investimento e gostaria da sua avaliação, pois estou com uma grande dúvida.
    Estou me mudando para uma capital e terei um auxílio de R$1.700,00/mês da empresa para custear a minha moradia. A minha previsão é de ficar 4 anos nesta cidade.
    A minha dúvida é se eu devo empregar este dinheiro para pagar o aluguel de um apartamento na cidade ou se eu devo encontrar um apartamento a venda e pagar uma prestação mensal neste valor. Neste caso, eu não acabaria de pagar o imóvel em 4 anos, porém no final deste período eu poderia negociar a venda com um comprador que poderia me pagar pelas parcelas que eu já terei quitado e acabar de pagar o imóvel. Pretendo desta forma no final dos 4 anos ter um retorno de aproximadamente 70 mil reais que eu estaria empregando no pagamento do aluguel, sem nenhum retorno.
    Gostaria da sua avaliação para ver se eu estou correto em fazer este investimento.

    PS: Estou desconsiderando o valor do condomínio no cálculo acima, pois comprando ou alugando eu terei que pagar o condomínio da mesma forma.

    Um abraço.

  • Pingback: Encarar um Aluguel ou um Financiamento()

  • Paulo

    Bom dia Bruno,
    Solicito ajuda acerca da compra de um imóvel (apartamento) – moro em um imóvel cedido e não pago aluguel, ou seja não há gasto com aluguel – qual o melhor custo beneficio entre comprar o imóvel à vista ou financiar na situação a seguir:

    1)VALOR DO IMÓVEL: R$ 469.270,00

    1.1) VALOR DE R$ 469.270,00 “FINANCIADO”:

    • POUPANÇA R$ 174.270,00 – (DIVIDIDA EM ATÉ 24 MESES – INCIDE APENAS O INCC ATÉ A ENTREGA DAS CHAVES EM MARÇO DE 2012);

    • COM A ENTREGA DAS CHAVES EM MARÇO DE 2012 INCIDIRÁ IGPM E OS JUROS DO FINACIAMENTO. OBS.: valor mínimo é de R$40.000,00: é melhor fixar o valor da poupança em R$ 40.000,00 ou R$ 174.270,00?

    • SALDO: R$ 295.000,00 A SER FINANCIADO EM 24 MESES (OBS.: ATÉ A ENTREGA DAS CHAVES EM 10/03/2012 INCIDIRÁ APENAS O INCC – APÓS A ENTREGA DAS CHAVES TERÁ IGPM CORREÇÃO/JUROS).

    • 1) ENTRADA DE R$ 41.824,00 COM ASSINATURA DO CONTRATO;
    2) CONTINUARIA PAGANDO 2.333,00 EM 10/12/2010 E NO DIA 10 DOS MESES SEGUINTES CORRIGIDOS PELO INCC;
    3) EM SETEMBRO DE 2011 PAGARIA MAIS UMA PARCELA EXTRA DE R$ 41.824,00;
    4) COM A CONCLUSÃO DA OBRA EM MARÇO DE 2012 PAGARIA/FINACIARIA R$ 295.000,00 E FICARIA A ÚLTIMA PARCELA DA POUPANÇA DE R$ 41.824,00 PARA SETEMBRO DE 2012 – TOTALIZANDO R$ 469.270,00.

    1.2) SENDO PAGAMENTO À VISTA: R$ 430.000,00.

    Qual o melhor custo beneficio entre pagar à vista ou financiar em relação ao caso concreto supracitado?
    Obrigado!

  • Tompson

    Conrado, concordo plenamente com vc sobre a questão do aluguel ser melhor do que comprar. Mas tb acho que não existe melhor ou pior, já que não temos como prever a valorização do imóvel. Se for um otimo imovel a valorização pode ganhar de longe de qq outro investimento em renda fixa. Ou seja, na minha opnião não tem como comparar.

  • ALEXANDER

    Amigos, estou pensando em financiar uma casa pela CEF em 30 anos no plano minha casa minha vida, porém se depois de eu já ter pago 3 anos e morrer, o que acontecerá com o imóvel ? minha mulher não terá direito a nada e terá que devolver para a CEF caso ela não tenha como continuar pagando o financiamento que fiz? Caso seja isto mesmo, o que você aconselha? que eu coloque o imóvel em nome dela e assim a CEF não terá como retirar dela? já que o financiamento tinha sido feito comigo?

  • Rejane

    Alexander, salvo engano, o programa minha casa minha vida só pode ser feito em nome da MULHER; pelo menos foi isso que eu li no jornal. A justificativa é que a incidência de mulheres que abandonam a casa é bem menor comparado com os homens. Confira se é isso mesmo junto à CEF.

  • MARISA

    Boa Tarde.
    Primeiramente, gostaria de elogiar o site. É muito esclarecer. Parabéns!
    Bom, tenho uma dúvida. Comprei um imóvel em 2009, na planta, por R$100.000,00 – Dei uma pequena entrada e mais 18 parcelas de R$ 500.00. O que eu paguei ficou por conta do reajuste do INCC do saldo devedor. Não tenho a intenção de ficar com imóvel. Gostaria de vendê-lo antes da assinatura do contrato (já dei entrada na documentação), pois gostaria de comprar um imóvel em outro município. Quando eu entreguei a documentação, fiquei surpresa com a informação de que a CEF avaliou o mesmo imóvel por R$ 155.000,00 (a localização é ótima). Qual seria mais vantajoso? Vendê-lo por R$ 150.000,00 (desses, R$ 50.000 seriam meus, pois o saldo deveder é de R$101.000,00) ou alugá-lo.

    Complementando a dúvida anterior: o financiamento seria em torno de 230meses de R$ 618,00. Mais uma pergunta: Se eu não conseguir vendê-lo até a assinatura do contrato, o FGTS e o subsídio do governo voltarão para mim como créditos? Agradeço.

    Desde já, agradeço.
    Marisa

  • JonataMoraes

    Você tambem pode Hipotecar a casa e alugar para outra pessoa.
    Assim voce nao vai estar tirando dinheiro do seu bolso e assim que a casa ja tiver com a hipoteca totalmente paga você tera uma fonte de renda sem fazer quase nada.

  • Benedito

    Olá, Navarro.
    Entendo seu ponto de vista.
    No entanto gostaria de encorajá-lo a pensar na seguinte situação…
    Imagine alguém assalariado e num eventual período de desemprego… nada se compara à segurança de estar em sua própria casa numa hora destas.

    E aí? É melhor pagar aluguel ou ter seu próprio canto?

  • Boa tarde Navarro,
    minha mae vai vender o apartamento que ela mora porque o condominio esta muito alto(1.000,00) e ela quer ir para um lugar menor.
    Com a venda do imovel dela, ela pegará na mao 400.000,00. Ela tem uma boa aposentadoria de pouco mais de 5.000,00. Voce aconselharia ela ir para o aluguel e aplicar esse valor numa aplicação segura? Ou até numa hipotese ela financiar um apartamento menor e pagar com o valor do rendimento da aplicação?
    desde já muito obrigado
    nando

  • Andre

    Boa noite Navarro,
    Primeiro, parabéns pelo site.

    Tenho disponível 3000,00/mês.
    Tenho 20.000 disponível para entrada.
    Já estou com 39 anos.
    Gostaria de ter uma casa (se possivel em condominio fechado) ou apartamento – 150m2.
    Minha disponibilidade mensal deve aumentar nos proximos 10 anos.

    O que sugere: aluguel, compra de terreno+construção, ou entrada+financiamento?

    Agradeço desde já sua ajuda.
    Abraço
    André Lima

  • Aline

    Navarro, achei muito interessantes suas instruções e esclarecimentos acerca dessa dúvida entre comprar ou alugar. Você comenta no final de sua exposição que não há como inserir nos cálculos a valorização do imóvel e que, portanto, mantêm-se os cálculos. No entanto, diante de um quadro de ultra valorização imobiliária encontrado em muitas capitais brasileiras, como proceder? Não acho que a valorização seja algo tão subjetivo assim, parece já haver hoje índices imobiliários que marcam o percentual de valorização em determinadas regiões (bairros). Já houve comentários de que certos bairros têm seus imóveis valorizados em cerca de 20% ao ano. Isso procede? Se procede, como incluir essa valorização nos cálculos e saber se ainda continua valendo a pena juntar/investir o dinheiro e continuar pagando o aluguel?

  • Jose

    Gostaria de saber , tenho um valor para receber de 400 mil , devo aplicar esse dinheiro em imovel comercial no qual receberia uma renda de 2.500,00 reais, e fincanciar um apartamento para morar ?

    Ou seria melhor comprar o imovel avista sem precisar financiar.

  • Daniel

    Boa noite, tenho uma grande dúvida e preciso de ajuda.

    Tenho um apartamento financiado, pago parcelas de R$500.

    Minha dúvida é: vale a pena vender o apartamento, quitar as parcelas faltantes e ficar com R$100.000 em conta e alugar um outro imóvel???

    Ou alugo este imóvel que financio, o aluguel paga o financiamento e parto para um aluguel de outro imóvel.

    Detalhe: preciso de um local maior para morar pois tenho filha crescendo, o imóvel que estou morando é pequeno demais.

    Estou na dúvida preciso de ajuda

    Obrigado

  • Rodrigo

    Navarro,

    Tem raciocinio esta correto. Entretanto, quando lidamos com o mercado imobiliario temos que considerar alguns aspectos, a saber:

    1 – os Contratos de Locacao sao reajustados anualmente pela variacao de um indice (geralmente o IGP-M – o que tem representado algo em torno de 10% a.a.);
    2 – os Contratos de Locacao, caso forem superiores a 3 anos, poderao ter seus valores revisados a cada 3 anos a valores de mercado, conforme legislacao em vigor – o que significa que, bem provavelmente, o valor do aluguel tenha a mesma valorizacao do mercado de compra e venda;
    3 – a tendencia eh que os imoveis continuem se valorizando, considerando o momento economico do pais e a consequente mudanca de patamar a que estamos sujeito (principalmente no que se refere a um imovel);
    4 – os brasileiros não tem o costume de trabalhar tao alavandos como nos Estados Unidos pela escassez de credito – portanto quando alguem compra um imovel realmente compra um imovel. E desta forma, a possibilidade de uma queda nos precos eh remota;
    5 – os valores de locacao estao muito mais altos e atualmente não ha um descolamento tao grande (antigamente falava-se que o aluguel representava a 0,5% do valor do imovel – isto mudou)

    Concluindo, entendo que alem do fator financeiro deve-se levar em conta os aspectos mercadologicos e a situacao atual e futura do pais – intrinseca a do mercado imobiliario.

    Abs.,

  • marcela

    Olá Navarro,

    Tenho uma pergunta.
    Gostaria de financiar um imóvel pela Caixa no Rio de Janeiro no valor +ou- de R$250.000,00 e alugá-lo. Com o aluguel (um pouco mais ou um pouco menos) pretendo pagar o financiamento até quitá-lo. Ainda tenho que fazer os cálculos..para ver os números de fato, mas vocë já estudou este caso?

    O que vocë acha?
    É factivel?

    Obrigada.

  • Maria de Lourdes

    Olá Navarro,

    Tenho um imóvel alugado por 650,00 e tenho um comprador interessado em pagar 90.000,00 pelo imóvel. É melhor vender e aplicar o dinheiro ou continuar alugando??? Tenho casa própria, esse imóvel é apenas para alugar. Os inquilinos vão deteriorando a casa, é uma droga.

    Grata
    Lourdes

  • Thiago

    Olá Navarro.

    Bom, vou contar o meu caso e como comprar financiado foi muito melhor pro meu bolso.

    Comprei um apartamento na planta, no valor de R$ 77.000,00. Graças aos planos de habitação do governo, consegui subsídio de R$ 11.000,00. Assim, como você é apaixonado pela matemática pura e simples, meu imóvel acabou saindo por R$ 66.000,00.

    Além disso, com as taxas de juros (baixíssimas no meu caso), somadas TODAS as prestações, meu imóvel acabou saindo (veja-se, somando o valor total do financiamento) por pouco mais de R$ 90.000,00, com primeira prestação de R$ 400,00, decrescente.

    Agora eu te falo, meu caro Navarro. Na cidade onde comprei o apartamento, sabe o que eu alugo por R$ 400,00? Uma Kit sem vaga de garagem. Isso se conseguir achar alguma.

    Hoje eu moro em um apartamento (pequeno, claro) de 2 quartos e com vaga de garagem. Se eu quisesse alugá-lo, hoje teria um lucro (tomando-se por base apenas a primeira prestação), de R$ 250,00 mensais, e CRESCENTE, pois as parcelas são decrescentes.

    Aí eu te pergunto. Cadê a desvantagem?

    • Aaa

      Alugar como meu amigo? Vai morar com a mamãe? Grande vantagem um aluguel ou venda potencial se você nunca vai realizá-lo!

    • Chuchu

      Seu comentário prova que você não entendeu e nunca conseguirá entender a mensagem do texto: O financiamento pode ser bom ou ruim, depende do caso. O que está errado é a devoção cega a ele!

  • Muito bacana o site!

  • kelly

    E um fator que considero muitissimo importante: morar de aluguel pode diminuir muito os gastos com transporte até o trabalho / escola, alem de economizar muitas horas.
    Eu sou um exemplo de como é mais vantajoso morar de aluguel, e não pretendo construir casa própria não…

  • rodrigo

    Olá…
    estou com uma duvida cruel.
    ainda moro com meus pais. e pretendo sair de casa bem rapido.
    possuo um terreno e não tenho condições de construir nele.
    pretendo vende-lo por cem mil reais e deixar na poupança ou aplicar em alguma coisa pra alugar uma casa com os juros. seria uma boa ideia?
    tem alguma sugestao? ou talvez dar de entrada em uma casa e financiar o restante?

    • Marcio_pavanello

      Rodrigo… hoje em dia tem muita construtora que oferece pra vc um ou dois apartamentos, caso vc entre com o terreno para a construção de um prédio… pense nesta opção…

  • Tatiana

    Navarro… uau! Eu estava aqui, meio presa à necessidade de COMPRAR um imóvel. Minha preocupação era JUSTAMENTE o fato de juntar um dinheiro e ficar sem absolutamente nada na conta. Chegou a dar um certo medo.
    Eu calculei juntar uma boa grana durante uns 6 anos (apertando aqui, ali, até que não ia ser difícil). Mas depois, todo aquele dinheiro ia embora (tá certo que era pra casa própria. Mas foi como você disse: será que está na hora de comprar um imóvel? Será que não dá pra continuar juntando esse dinheiro, morando de aluguel por enquanto?).
    Meu sonho da casa própria ainda existe. Mas lendo sua matéria, fiquei mais aliviada. Achei interessantes as suas observações. E eu já calculei infinitas vezes. Supondo que eu não juntasse dinheiro suficiente e optasse por dar uma entrada. As prestações ficariam muito altas (pelos meus cálculos), e eu ainda correria o risco de perder o imóvel se, lá na frente, eu perdesse o emprego e não pudesse mais pagar as prestações (correto?).
    Gostei MUITO das suas explicações, e é sempre bom ter alguém que ENTENDA do assunto, e que seja capaz de mostrar os dois lados da história e acabe com os mitos que ainda povoam nossos pensamentos. Parabéns! E obrigada pela luz.

  • Dricacavalcanti

    Olá, acho seus comentários interessantíssimos e estou em busca de luz para um investimento inteligente. Só gostaria de saber se em seus cálculos foram considerados os reajustes anuais do aluguel e os possíveis gastos com reformas e consertos obedecendo claúsulas contratuais para um término de contrato por exemplo?

  • Diego Romanny

    Muito interessante o artigo, mas além da valorização do imóvel (que não foi considerada e interfere diretamente nos cálculos) existe ainda o problema da rentabilidade. Não conheço nenhuma aplicação que retorne 0,8% am em aplicação menor que R$ 300 mil…

    • Guilherme Skc

      É comprovado que a valorização de um imóvel no longo prazo é anulada, quando observamos o valor de um imóvel num período de 20, 30, 40, 50 anos, fica comprovado que o imóvel não apresenta valorização real, apenas uma valorização nominal anulada pela correção inflacionária do período. Pelo fato do comportamento da esfera econômica trabalhar de forma cíclica, este fato ocorre.

      Entretanto, não posso descordar de sua afirmação relacionada à dificuldade em encontrar investimentos com 0,8% de rentabilidade mensal fixa.

      Mas ao adquirir um imóvel via financiamento, sempre vale calcular o ágio que ficará nas mãos do banco, e que com um pouco de mais de planejamento, poderia contribuir para a aquisição de um imóvel de maior qualidade.

      Atenciosamente,
      GSK.

      Economista formado pela PUC-SP.

      • Marcio_pavanello

        Tem que avisar o pessoal da minha cidade… O preço dos terrenos simplesmente triplicaram em 1 ano…. terrenos que valiam 40 mil, hoje estão sendo vendidos por 120 mil.

        • Marcelo Mussarelli Corghi

          exato, Márcio, valorizaram em um ano…mas e daqui vinte anos, como será?
          Além disso, imóvel para morar não é investimento, visto que você não vai vende-lo.

  • Luiz Navarro

    Acabei de comprar meu apartamento “ALUGANDO” – Obrigado.

  • Navarro,

    Uma pergunta com variações: moro há 42 anos no Itaim Bibi em São Paulo, juntamente com meus pais. O apartamento não sofreu nenhuma reforma em todo este tempo porque os meus pais foram ficando idosos e não dá para enfrentar o quebra-quebra com eles aqui. Surgiu uma oportunidade para eu vender o meu imóvel para uma pessoa jovem que sabe administrar uma reforma TOTAL (eu NÃO sei) por R$ 650.000,00. Apareceu um outro apartamento para locação por R$ 3.000,00/3.500,00 com uma reforma bastante razoável. Tenho recebido críticas de todos os lados mas trata-se do único imóvel para alugar em bom estado no bairro e meus pais não querem sair da região. Estarei fazendo uma loucura? Agradeço sua resposta o mais urgente possível pois preciso fechar o contrato de locação na semana que vem. Se preferir responder também por e-mail: [email protected]

  • Oscar

    Parabéns pelas informações. Oferecer educação financeira é importantíssimo, principalmente, em tempos de supervalorização de imóveis (como nos últimos anos) e especulação/ganância. E também para quebrar esse mito de que sempre é melhor endividar-se (durante décadas) para ter ‘seu cantinho’ do que pagar aluguel. No cenário atual, todo cuidado é pouco, afinal, estamos falando de um alto investimento, quiçá, para muitos um investimento de uma vida inteira.

  • Carlo Gil

    Não sei se alguém já comentou isso, mas acho que há um erro no primeiro cálculo. Se os R$ 100.000 rendem 0,8% ao mês (R$ 800,00) e eu pago aluguel de R$ 750,00, há aí uma sobra de R$ 50,00 que seria somada aos R$ 200,00 investidos todo mês. Não fiz a conta, mas provavelmente a balança vai inverter muito fortemente a favor do aluguel. Pensando de forma ainda mais simples: se a aplicação rende mais que o aluguel (0,80% > 0,75%) neste caso será melhor investir a grana e morar de aluguel. Se pessoas com pouca instrução financeira só conseguirem aplicações de baixa rentabilidade e escolherem imóveis com alto percentual de aluguel, aí sim passa a valer a pena comprar.

  • Agenciatenacity

    Claro que eu sem toda essa riqueza de detalhes, contas para mostrar em numeros a razão de não ser tão vantajoso a compra de um imóvel, eu sempre pensei assim e isso veio a reafirmar minha ideia!!!

  • Pingback: Casa própria III – Alugar ou vender imóvel? | Chega de Dívida()

  • 100002033874609

    Aluguel… O melhor negócio!

  • 100002033874609

    Aluguel… O melhor negócio!

  • Wendel

    Teria como atualizar o tópico, já que o preço dos imóveis aumentou bastante ?

    Obrigado !

  • Angélica Moreira

    Olá Conrado, gostaria muito de sua opinião. Eu, minha bebe e meu marido (que tem 1 filho do primeiro casamento), moramos muito bem com minha mãe. Ele ganha em torno de 5800 e paga uns 1000 de pensão. Minha mãe ganha uns 6000 e eu 2000. Ele não tem imóvel e quer financiar algo. Porém, ao invés de fazer isto enquanto moramos com minha mãe, ele quer alugar um apto (pq se sente mal de ter quase 40 anos e morar com a sogra e para tb ter um lugar para receber o filho). Ele tem alguns empréstimos e quer vender o carro para pagar uma parte dos mesmos e comprar os móveis. Iriamos praticamente sobreviver com meus 1600 liquido mais o vale alimentação de 940 que ganho. Ele quer juntar mais 1 ano de FGTS para melhorar sua entrada. Penso eu que ele deveria esperar para financiar seu próprio imóvel, engolir um pouco o orgulho e permanecer mais um tempo com minha mãe (já que vivemos com muito conforto aqui). Eu por outro lado estou tentando vender uma casa (herança) para que possamos, a partir dela, construirmos uma boa casa num condomínio fechado. Nosso regime de casamento é separação de bens e, falo isto, pq parece que será mais rápido ele financiar um imóvel do que esperar a venda da minha casa. O que vc sugere????

  • Warley

    Eu acabo de adquirir um apartamento cujo preço à vista é de R$600.000,00, dei 20% de sinal concordando
    em pagar 8% a.m. de juros simples sobre o saldo devedor. O plano de pagamento que eu contratei junto à construtora prevê um pagamento de R$ 200.000,00 dois meses após a compra e R$ 280.000,00 três meses mais tarde e um último pagamento ao final do nono mês, sendo que todos os pagamentos são contados a partir da data da compra. Que pagamento terá que efetuar ao final do nono mês?