26 jun Ações e Derivativos Economia Investimentos

O que você precisa saber sobre alavancagem!

Diego comenta: “Olá, Navarro! Parabéns pelo excelente trabalho! Suas impressões são importantíssimas e sempre nos fazem refletir sobre nossos investimentos. Será que você pode falar um pouco sobre fundos multimercado com alavancagem e sem alavancagem? O que isso quer dizer? Como funcionam? O que é melhor? Obrigado! Um abraço”! Diego, obrigado pelas palavras de apoio […]

por Conrado Navarro
há 7 anos

Juros e TaxasDiego comenta: “Olá, Navarro! Parabéns pelo excelente trabalho! Suas impressões são importantíssimas e sempre nos fazem refletir sobre nossos investimentos. Será que você pode falar um pouco sobre fundos multimercado com alavancagem e sem alavancagem? O que isso quer dizer? Como funcionam? O que é melhor? Obrigado! Um abraço”!

Diego, obrigado pelas palavras de apoio e motivação. É importante saber que minhas opiniões são relevantes e podem fazer alguma diferença na vida de leitores como você. Fique sempre à vontade, a casa é sua! Sua dúvida faz parte do cotidiano de grande parte dos brasileiros. Há uma enorme terminologia, para não dizer “economiquês”, que faz com que a ciranda financeira, oferecida pelos gestores e bancos, se torne ainda mais complexa (se é que isso é possível). Usando uma definição rápida e objetiva, alavancar significa usar todos os recursos disponíveis para melhorar sua rentabilidade ou a rentabilidade de seu negócio.

Alavancagem no mundo corporativo
Uma empresa normalmente possui algumas poucas possibilidades para criar seus produtos e alavancar suas vendas. Uma delas é o financiamento. Ora, pegar dinheiro emprestado a uma taxa de juros qualquer, usar este dinheiro de forma coerente e alavancar suas vendas de forma que os juros sejam pagos e ainda sobre uma margem, significa que a empresa está operando alavancada. Ela usa capital de terceiros para criar seus projetos, garante que os juros serão devidamente pagos e ainda consegue retorno. Claro, isso é o que uma empresa inteligente faz.

O conceito é simples, as variáveis envolvidas não. Neste pequeno exemplo citado existem importantes conceitos que não foram discutidos, como TMA (Taxa Mínima de Atratividade), custo de capital, capital próprio etc. Por hora, você só precisa entender que alavancar significa aproveitar uma oportunidade externa, seja ela em dinheiro, tempo ou de cunho material, para impulsionar sua imagem e presença no mercado, gerando maiores receita e lucro. Significa saber usar o que você não tem, com o objetivo de conquistar o que você quer.

Alavancagem no mundo dos produtos bancários
Usando minha definição do parágrafo anterior, você poderá facilmente enxergar a explicação para o tal fundo multimercado alavancado. Suponhamos que o fundo possua um patrimônio igual à X. Se esse fundo não opera alavancado, seu patrimônio aplicado será de X. Lógico né? Bom, se o fundo opera alavancado suas posições investidas são maiores que seu patrimônio, por exemplo 1,2X. A palavra chave para essa artimanha chama-se derivativos. Mas o “como” dessa brincadeira não é tão simples e peço que, por enquanto, não se preocupe com isso. Deixemos para um artigo posterior.

Se ele opera com posições maiores que seu patrimônio significa que, em caso de uma perda, eu poderei perder mais do que investi? Afinal, o mesmo conceito se aplica ao patrimônio que eu coloquei à disposição do fundo, certo?
Certíssimo. O fundo pode incorrer em perdas maiores que o montante que você depositou e que corresponde às suas cotas. Na prática, isso significa ter que colocar algo mais neste fundo para “tapar” a perda que excedeu ao seu patrimônio. Pois é, o risco é mais alto por aqui. Mas o risco de ganhar mais dinheiro também é maior. Ou seja, caímos na velha e boa dupla risco versus retorno. Sim, porque operando um valor maior que o realmente existente, suas chances de ganho são também maiores. Afinal, o que é maior: 20% de R$ 100,00 ou 20% de R$ 120,00?

Legal, agora ficou claro. Será que devo entrar mesmo nessa? Quais suas recomendações?
Olha, os fundos alavancados são escolhas muito boas quando o cenário econômico é estimulante e de horizonte positivo. Claro, algum problema pode ocorrer. No entanto, é muito difícil acontecer um movimento brusco e(ou) fulminante, que não lhe permita avaliar seu investimento ou retirar o dinheiro antes do barco afundar. Além disso, é preciso estar atento ao gestor do fundo. Prefira bancos e gestores com boa qualificação e(ou) fundos que possuam um bom histórico e que já estejam operando há algum tempo no mercado.

Outro aspecto importante e que deve ser notado com atenção é o contrato firmado no momento do aporte inicial. Repare que há uma cláusula bastante clara que trata de notificá-lo de que, em caso de perda maior que a do seu patrimônio real, cotistas como você serão convocados para depositar mais dinheiro.

Então a alavancagem está por toda a parte? Bacana.
Muito bacana. A alavancagem é uma operação muito comum e sabiamente utilizada por empresas e instituições financeiras. Nesses ambientes, financiar-se não é algo visto como prática negativa. Pelo contrário, saber aproveitar a oportunidade de investir, ainda que com capital de terceiros, é uma regra básica para a sobrevivência, principalmente neste país. Portanto, fundos deste tipo não são produtos ruins, desde que você tenha plena consciência de suas características.

Já a alavancagem financeira pessoal anda em baixa. O que acontece é o oposto do que se vê nas empresas. As pessoas continuam se endividando, pagando juros altos que não são suportados por suas receitas. Ao invés de alavancar sua vida, elas alavancam a vida de empresas e bancos Brasil afora. Que tal começar a alavancar seu conhecimento e aplicar a alavancagem em sua vida? Mas lembre-se, boas dicas são sempre importantes.

Conrado Navarro

Educador financeiro, tem MBA em Finanças pela UNIFEI. Sócio-fundador do Dinheirama, autor dos livros "Dinheiro é um Santo Remédio" (Ed. Gente), “Vamos falar de dinheiro?” (Novatec) e "Dinheirama" (Blogbooks), autor do blog "Você Mais Rico" do Portal EXAME e colunista da Revista InfoMoney. No Twitter: @Navarro.

Leia todos os artigos de Conrado Navarro
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.
  • Pingback: domelhor.net

  • Diego

    Navarro,
    Obrigado pela resposta! Agora compreendo melhor sobre este assunto!

    Diego

  • http://www.iniciantenabolsa.com Alessandro Martins

    Ei, obrigado por dar crédito a um mero iniciante na bolsa… rs. Ganhou um leitor. Assinei o feed.

  • Pingback: iGrana

  • Pingback: O CDB contra-ataca. E com força! : Dinheirama - Investimentos, educação financeira, ações

  • Pingback: Consórcio - Nas entrelinhas, um mau negócio | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos

  • Gustavo

    Olá Navarro, como vai? Navarro já estou aplicando na bolsa de valores, e acontece que eu estou amargando um grande prejuízo, mas isso eu não culpo a ninguém a não ser a mim mesmo. Comecei a operar em meados de maio deste ano, entrei com tudo que um inexperiente faz. Não usei nenhuma modalidade de análise, tanto técnica quanto fundamentalista, não fiz uso do STOP, operei no mercado sem saber que tendência era de baixa (contra a tendência) comprei ações do mercado fracionário em uma corretora que cobra taxa de corretagem fixa, diversifiquei minha carteira em sete ativos diferentes, vendi alguns ativos com prejuízo, enfim, fiz toda as presepadas que um investidor iniciante (e leigo no assunto) comete. Portanto gostaria de saber, se devo continuar na esperança desses ativos valorizarem? Será a hora de comprar mais e mais aproveitando que o mercado está em baixa ou quase no fundo do poço? A técnica usada por Warren Buffet de comprar e segurar ações de empresas solidas também é valida aqui no Brasil? E por fim Gostaria de saber se vale a pena pegar um empréstimo ( uma quantia moderada) no banco para comprar ações? Mais uma fez conto com sua valiosa opinião, muito obrigado.

  • ADRIANA

    Achei super interessante como vc explica em um simples texto, o que minha professora não conseguiu explicar no semestre todo.

    grata!

  • Reinaldo

    olá! sou um leigo em assunto de investimentos e a uns dias atraz estava pensando seriamente em um consorcio imobiliario mais agora que visitei este saite,fiquei mais atento em consorcios e ainda bem q não entrei nessa muito bom sua visão e me ajudou,vou me aprofundar mais em investimentos para conhecer. Que dica voce daria para um investidor inesperiente? fico grato!

  • HUGO

    OLA NAVARRO, GOSTARIA DE SABER SE O BNDES TAMBEM PRATICA ALAVANCAGEM COMO OS BANCOS COMERCIAIS ?

  • Robson Eustáquio de Mesquita

    Muito bons esses comentários. Robson Eustáquio de Mesquita.

  • boby

    Olá, gostaria de saber se operaçoes de daytrader a descoberto eu pagarei juros, e se sim de quanto. Obrigado.

  • Gildo Filho

    Caro Cornado,

    Lendo em algumas apostilas na internet deparei-me com a seguinte afirmação:
    Determinado fundo de ações ativo está alavancado em 3 vezes seu PL. Supondo uma queda de 10% no IBOVESPA este fundo perderá cerca de?
    Como posso fazer esse cálculo?
    Agradeço muito, se puder ajudar.

  • Pingback: Endividamento não combina com independência financeira « Você mais rico

  • Ingrydvelloso2011

    O QUE E ALAVANCAR NO FOREX

  • Rating666

    É exatamente por isso (alavancar) e outras matemáticas idiotas que o mercado financeiro acaba com economias de países inteiros.

  • Gisela Teixeira

    Muito bom!! Derivativos, nesse caso, seriam as ofertas “inexistentes” de recursos, como promessas futuras?