Endividamento, cartão de crédito e o Ano NovoO que você espera de 2009? Esperar não parece atitude reativa e acomodada demais? Você já está construindo o ano que vem, portanto, pergunto de outra forma: quais são os seus projetos de vida? Como pretende programar aquele velho plano de voltar aos estudos e conseguir finalmente alcançar alguns de seus sonhos? O que você tem feito, sob o ponto de vista financeiro e profissional, para poder chegar lá e desfrutar do sucesso com alegria e tranqüilidade?

Milhões de brasileiros começam a receber durante os próximos dias o tão aguardado 13º salário. Se este é o seu caso, quais são os seus planos para esse dinheiro extra? Pelo que converso com alguns amigos, a maioria já tem um destino certo: o pagamento de dívidas. Pois é, a decisão é sábia, mas passar ano após ano contando com o extra para sanar dívidas é irresponsabilidade demais.

Uma vida bem estruturada (com um controle eficiente) é o caminho mais claro e melhor para chegar a um ponto de equilíbrio no aspecto financeiro da família. São poucos os investidores[bb] de décimo terceiro salário. Por que? Sendo assim, que tal encarar o próximo ano de uma forma diferente?

Seja mais sincero com o seu bolso
Vamos lá, preste bastante atenção. Trate seu dinheiro e suas receitas de uma maneira justa e franca. Isso significa não desperdiçar a oportunidade única de aplicar seu dinheiro[bb] pensando em objetivos futuros e tratar cada centavo que entra no seu bolso com dignidade e muito respeito. Soa repetitivo, não é mesmo? Então comece a agir agora mesmo.

Descubra o gargalo por onde escapa sua felicidade financeira. Comece analisando sua conta corrente e dê especial atenção aos pequenos valores que todos os meses levam seu dinheiro para outros, para os bancos, para terceiros, empresas e etc. Por exemplo, não venha me dizer que você ainda é adepto dos títulos de capitalização. Se ainda está nessa, que tal ler esses artigos escritos pelo Navarro:

Outro grande vilão que costuma “levar embora” nosso dinheiro é o trato irresponsável que damos ao cartão de crédito. Chega de comprar mais do que a capacidade de pagamento. Ora, aprenda a pagar a fatura integralmente e aceite que os juros são sinônimos de desarranjo financeiro – além do que são exorbitantes e “detonam” com seu fluxo de caixa mensal. O rotativo do cartão é a famosa “bola de neve”. Conhece? Pois é.

Lembre-se também de negociar a anuidade e eventuais taxas de manutenção/utilização do cartão, valores que também levam alguns bons Reais do seu bolso. Também já escrevemos interessantes artigos sobre o assunto. Que tal resgatá-los e lê-los mais uma vez?

No programa Fique Rico, mantido e gravado pela TV Ideal, tive a oportunidade de discutir mais a fundo o assunto ao lado do colega Reinaldo Domingos, Presidente do Instituto de Educação Financeira DiSOP. Assista ao vídeo (clique aqui) e saiba o que o Dinheirama e um renomado especialista pensam sobre o dinheiro de plástico.

Será óbvio?
O importante é perceber que as despesas menores, aquelas que passam despercebidas no dia-a-dia, são a causa das dificuldades de muita gente. Os pequenos gastos se transformam em dor de cabeça porque acabam se tornando atos institucionalizados da família. A quebradeira aparece e quase ninguém a associa com o padrão de atitudes do cotidiano. O problema se instala e sobrevive.

Apesar da constatação ser óbvia, desmascará-la não é tão simples. Você deve ser capaz de mudar de atitude e contagiar a família com este novo espírito. E, claro, passar a gerir de maneira sensata esses valores, com controle, mais investimentos[bb], planos para o futuro, ação e, claro, educação financeira para você e todos aqueles que o cercam. Bom final de semana.

——
Ricardo Pereira é consultor financeiro, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.
Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Aureo Vilas Boas

    Parabéns, me sinto orgulhoso de aprender com vcs, desde o ano passado, a ter melhor controle financeiro. Já decorei a maior parte dos posts e obrigado por tudo isso!

  • Matteo

    Belo artigo, devemos nos lembrar q se queremos um 2009 melhor, temos q trabalhar para q isso aconteça!…e já!

  • Pingback: Cartões de crédito: da praticidade à ruína | Mais Com Menos()

  • Oi, Ricardo. Gostei da puxada de orelha e fiz um link do seu artigo no meu blog. Abraços.

  • Valdemar Engroff

    Buenos Dias Ricardo

    Apesar de eu ter feito meio século de vida neste ano, este é o meu primeiro ano com um pouco de foco e educação financeira, muito disso captado aqui no Dinheirama. Já tenho destino pro meu décimo terceiro: IPVA do meu carrinho popular, que, à vista, me dá em torno de 15% de desconto e o restante na Previdência Privada – metade na minha e a outra metade na da minha esposa.

    Mas confesso uma coisa: a tentação pra comprar (gastar por impulso) nesta fase do ano é demais, mas estou resistindo e vou ver como vai ser se gastança supérflua e extra neste mês de festas e final de ano. Se eu conseguir evitar esta gastança, vou me avalhar na virada o ano e cantarei vitória sobre o consumo impulsivo, pois há muito tempo consegui me afastar dos empréstimos, do cheque especial e do cartão de crédito e já estou na fase de poupar (em vários balaios) e pretendo continuar com o cotrole mensal de gastos da minha empresa (ou seja, da minha família).

    Já é segunda feira , portanto, uma ótima semana para ti e para todos os visitantes deste galpão virtual di DINHEIRAMA!

  • Cibele

    Ricardo, aproveito este seu excelente artigo para agradecer à toda equipe do Dinheirama (Conrado, Mariana…) pela DETERMINANTE ajuda que o site tem prestado nos novos rumos da minha vida financeira.

    Sou jovem ainda (ou nem tanto.. 25 anos), mas sempre quis ter um orçamento mensal equilibrado e planos de médio e longo prazo, mas não conseguia. Meu salário sempre acaba antes do mês e já cheguei a ter o nome “sujo” (SPC). Pura irresponsabilidade!

    O Dinheirama entrou na minha vida há alguns meses – coincidindo com um novo emprego – o que me permitiu iniciar uma nova fase financeira. Juntando as informações que adquiri aqui e também a minha maior maturidade, hoje tenho alguns investimentos, NENHUMA dívida e planos bem estabelecidos para 2009. Inclusive, fiz uma planilha para controlar as finanças do meu pai também… 🙂

    Obrigada ao Dinheirama por me ajudar nesta etapa fundamental da construção do meu futuro. Sou leitura assídua! Valeu!

  • Aureo, muito obrigado pela participação e os comentários positivos de sempre.

    Matteo, como vai? Vamos juntos trabalhar para que o ano de 2.009 seja melhor para todos, divulgando para os amigos e família algumas sugestões básicas podemos fazer a diferença.

    Nanny Costa, olá. Obrigado pela menção em seu Blog. A união faz a força e o conhecimento faz com que pessoas construam um país mais justo e consciente. Parabéns pelo seu Blog.

    Valdemar, seus comentários são fantásticos. Obrigado por dividir conosco sua experiência. Com certeza esta inspirando muitas pessoas.

    Cibele, obrigado de verdade por seu comentário. Com certeza nos dá mais força para continuarmos esse caminho árduo de aprendizado. Isso mesmo, aprendemos muito a cada novo dia graças a todos vocês. Tanto eu, como o Conrado, a Mariana e os demais colaboradores seremos extremamente gratos por essa oportunidade.
    Aproveite essa chance e divulgue o Dinheirama e principalmente o que aprendemos aqui.

    Forte Abraço para todos.

  • Juliano Zimmer

    Na verdade o 13º ja fica comprometido desde o início do ano, e quando ele chega mal da para saudar as dívidas do ano. Por esse motivo acaba não dando para investir esse dinheiro no ano seguinte. Para mudar esse ritmo de vida financeira é necessário um planejamento tributário familiar desde o início do e durante o ano todo.

  • Isa

    Boa tarde!

    Engraçado…entrei por um acaso nesse seti, tava pesquisando para um trabalho universitário sobre juros e endividamento, achei interessante, tinha lido um livro q fala também das finanças entre os casais, mais confesso a você que um seti de graça é muito bom e o acesso a essa informação é riquíssima, queria muito que as pessoas conhecesse e se interessasse por esse assunto e se organizasse antes de se endividar, mais graças a vocês muitas pessoas estão sendo ajudadas…continue esse trabalho que é de grande importância para muitas pessoa que não sabem se organizar nem tem como pagar a um consultor financeiro…parabéns