13 mai Poupança Renda Fixa

Governo bate o martelo nas mudanças da poupança

Você pode estar pensando: “De novo falar da poupança?”. O assunto é importante, tem preocupado os leitores e a solução agora é oficial. O governo divulgou as alterações que serão feitas na caderneta de poupança. Tecnicamente, as alterações terão pouco impacto na economia, pois abrangem um contingente muito pequeno de investidores, ficando muito mais nítido […]

por Ricardo Pereira
há 5 anos

Governo bate o martelo nas mudanças da poupançaVocê pode estar pensando: “De novo falar da poupança?”. O assunto é importante, tem preocupado os leitores e a solução agora é oficial. O governo divulgou as alterações que serão feitas na caderneta de poupança. Tecnicamente, as alterações terão pouco impacto na economia[bb], pois abrangem um contingente muito pequeno de investidores, ficando muito mais nítido que o assunto foi politizado e o país perdeu uma grande oportunidade de avançar mais em um assunto tão importante.

Felizmente, aqui no Dinheirama o tema foi muito bem discutido, sendo até pauta do programa Futura Dinheiro – realizado pela rádio Futura FM 106,9 e que conta semanalmente com a presença do Navarro falando sobre economia, finanças pessoais e educação financeira. Seu último artigo, “A poupança e os hábitos financeiros do brasileiro” traz uma das edições que já tratou da caderneta e das voltas que o assunto deu.

Caderneta de poupança com Imposto de Renda
O que interessa é frisar a informação anunciada hoje de que as cadernetas de poupança com saldo acima de R$ 50 mil vão passar a pagar Imposto de Renda a partir de 2010. O imposto só será cobrado se a taxa básica de juros (Selic) cair abaixo de 10,5%. Lembrando que hoje a taxa está em 10,25% ao ano e a tendência apontada pelo mercado é de que até o final do ano ela esteja entre 9,5%  e 8,5%.

A proposta do governo é taxar quem mantiver mais de R$ 50 mil em poupança de acordo com a variação da Taxa Selic. O quadro abaixo mostra uma tabela progressiva e auxiliará o entendimento da nova medida:

Tabela base Selic X Poupança

Exemplo: imagine que o investidor tenha uma aplicação R$ 60 mil na poupança e que a taxa Selic esteja fixada em 9% ao ano. Diante dos critérios estabelecidos pela nova regra, esse investidor[bb] terá de recolher 30% de Imposto de Renda sobre os rendimentos da diferença do aplicado para os R$ 50 mil do teto. Ou seja, neste exemplo existiria cobrança de IR sobre os ganhos de R$ 10 mil no período. De acordo com as palavras do ministro da Economia, Guido Mantega, o acerto com o Leão será feito no momento da entrega da Declaração de Ajuste Anual.

Se a poupança for a única renda (rentabilidade a partir do investimento) da pessoa, haverá isenção de imposto até R$ 850 mil. Para esses casos, o IR só será cobrado acima desse valor. Mesmo assim, o imposto ainda será menor que o de outras aplicações.

Governo também reduzirá Imposto de Renda cobrado em fundos de investimento
Ainda no campo das notícias importantes, o governo também anunciou que reduzirá o IR cobrado dos fundos de investimento. É uma medida que visa complementar a taxação da caderneta de poupança de forma que os investidores possam ver os fundos e a gestão especializada como opções ainda interessantes frente aos rendimentos da caderneta.

A conta do governo mostra que se a taxa básica de juros (Selic) cair de 10,25% ao ano para 9,25% ao ano, o IR sobre os fundos terá de cair 7,5 pontos percentuais, passando de uma alíquota máxima de 22,5% para 15%. “A redução [da alíquota] será graduada, de acordo com a queda da Selic”, disse hoje o ministro Mantega.

A mesma redução de IR concedida aos fundos será estendida para as aplicações com renda fixa, o que inclui também os chamados Certificados de Depósitos Bancários (CDB) e o agora combalido Tesouro Direto. De uma forma técnica, a medida provisória que será publicada em breve trata a renuncia fiscal como um desconto. Isso permite uma maior facilidade ao governo caso a tendência de baixa na Selic se reverta. E, claro, não assusta o pequeno poupador (eleitor) às vésperas da eleição.

Resumo da ópera
Fica a sensação de que poderíamos ter avançado mais. Para um país com uma economia estável, em desenvolvimento, ter uma aplicação nos moldes de caderneta de poupança (com rendimento garantido de 6% ao ano mínimo garantido) não parece ser muito inteligente. Veja, estou falando como alguém que pensa no futuro da nação – não encarem como crítica pessoal à caderneta de poupança ou ao ato de poupar.

É bem verdade que a elevada carga tributária e as altas taxas de administração dos bancos são grandes obstáculos aos pequenos investidores. Justamente por isso, apenas 1% ou menos dos poupadores da caderneta serão atingidos pelas mudanças oficializadas hoje. A verdade nua e crua é que o brasileiro ainda poupa pouco e para grande maioria das pessoas falar em fundos de investimento soa como hipocrisia.

Nosso grande desafio é criar uma sociedade[bb] que ao final do mês consiga ver a conta no azul, totalmente diferente dos atuais valores “emprestados” do cheque especial, cujos juros andam em percentuais absurdos – e para os quais o governo parece não ligar. Pra frente Brasil, porque atrás vem gente. Pra frente poupador, porque o futuro chega rápido demais.

——
Ricardo Pereira
é educador financeiro e palestrante, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.

Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira

Educador financeiro, palestrante, Sócio do Dinheirama é autor do livro "Dinheirama" (Blogbooks), trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama. No Twitter: @RicardoPereira

Leia todos os artigos de Ricardo Pereira
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.
  • Jonathan Miez

    Eu não sei se já foi comentado aqui no blog (eu não achei), mas aí vai: vocês já recomendaram programas (softwares) de controle financeiro pessoal?
    Procuro algo do tipo há muito tempo. Ms Money e Quicken são complexo demais, queria algo simples, mas que ao mesmo tempo fosse completo!

    PS: aqui não é o melhor local pra falar disso, mas não achei outro local. Grato.

  • Carlos

    bom dia Ricardo… sempre acompanho o blog… parabens pelo texto… gostaria apenas de corrigir o exemplo q vc passou sobre o investidor q tenha 60.000 aplicado na poupança… a nova regra estabelece q a selic estando em 9 % o investidor ira pagar imposto de renda sobre 30 % do rendimento refente ah 10.000 q é a diferença de quanto se tem aplicado para os 50.000 q é o valor isento… obrigado…

  • Emerson

    Você não deve esquecer que a poupança rende 6% de juros ao ano e mesmo parecendo um número alto em comparação a outros países, temos uma inflação em torno de 4,5% ao ano e isso toma a rentabilidade da poupança.

  • Carlos

    Ricardo, porque o Tesouro Direto foi classificado por você como combalido? Quem sabe não sai um Post sobre isso?

  • clara lopez

    Ola, obrigada pela informações, mas gostaria de saber se uma pessoa tem 30mil em um banco e 30mil em outro banco, vai ser descontado no IR pelo total ou fica isento de pagar pq o valor de cada poupança é inferior aos 50mil?
    obrigada

  • Renato Moura Santos

    Tenho R$ 8000,00 e gostaria de investir esse dinheiro para que ao final de 2 anos ou 3 anos tenha R$35.000,00 para compra de um bem. Mensalmente consigo investir R$300,00.
    Onde devo aplicar?

  • http://www.dinheirama.com Ricardo Pereira

    Clara lopez, boa tarde.

    O controle segundo informações da área economica do Governo será feito pelo CPF do titular da caderneta de poupança e não por contas. Desta forma a idéia do que o valor seria inferior ao piso cai por terra.

    Sendo assim, o valor excedente dos R$ 50 mil será taxado por sua rentabilidade.

    Grande abraço e obrigado pelo comentário.

  • ander

    … pelo menos vai baixar o IR das aplicações e o CDB vai se tornar mais atrativo, mas na minha opinião, ainda é pouco, deveria se estabelecer um teto de IR das aplicações em 15% e ele ser regressivo de 15%(curto prazo) a 0%(longo prazo.

  • http://www.corretorageral.com.br JC

    Pessoal, permita-me colocar uma pimenta no assunto. Poupança não é investimento e uma poupança/reserva para uma eventual emergência. A única diferença entre poupança e renda fixa para mim está no momento do saque, pois na poupança vocês terão que aguardar 30 dias e DI por exemplo não. Em um país onde a inflação é de ~5% a.a e um rendimento dando 7%, seu lucro real será de 2% (grosseiramente). Por isso não considero poupança/renda fixa como investimento. Um imóvel alugado lhe dará uns 6% a.a, porém, ainda há a valorização do imóvel já a poupança/renda fixa não valoriza, só rende. Se é para ter um rendimento de 6% a.a, compre um imóvel para alugar.

    Você ainda pode investir em ações, receber dividendos e ainda não ter que pagar IR, pois dividendos está isento de ir, além da valorização da empresa no médio/longo prazo.

  • Anderson

    Jonathan,

    Use isto http://nishimura.eti.br/blog/mymoneylog/ simples, rápido, fácil e direto. Já uso a mais de 1 ano e me atende muito bem.

    JC, pimentinha da boa a abordar mande isto como pauta para a oposição e veja o estrago! As soluções deste governo sempre foram porcas. Porque não começam fazendo faxina na própria casa são milhões jogados no lixo todos os meses com benefícios e vantagens deste parlamentarem e sua corja.

    Gostaria de saber outras alternativas mesmo que no exterior tem hora que é preciso usar a naba no governo é o único jeito de mudar alguma coisa

  • Gerson

    Essa politica do governo LULA de desestimular as aplicaçoes seguras como a poupança, incentivando os brasileiros para aplicarem em fundos de investimento, que para serem atrativos mesclam (misturam) títulos do governo com papeis de mercado como ações, é uma irresponsabilidade, podendo levar alguns brasileiros que necessitam fazer investimento seguro para garantir um futuro melhor, a terem sérios prejuizos.
    Na atual crise, podemos perceber o que aconteceu com as aplicaçoes em bolsa de valores. É muito estranho que um governo, que afirmou, no inicio da crise, que as economias dos brasileiros teriam que ser protegidas da especulaçao financeira agora esteja forçando os brasileiros para um mercado financeiro de alto risco. Porque isso está acontecendo? Porque aderir ao sistema de investimentos de altos risco praticado nos Estados Unidos? Será porque agora o LULA é o “cara”?

    Essa é a hora do Brasil mostrar criatividade, fortalecendo o seu sistema de captaçao de recursos financeiros (captação de poupança interna) através do incentivo ao investimento responsável (fazendo com que os bancos tenham responsabilidade em administrar o dinheiro dos brasileiros), que o dinheiro dos brasileiros não seja corroído pela inflação e o esforço de poupança feito heroicamente pelo brasileiro que consegue poupar, seja dignamente recompensado (QUEM FAZ POUPANÇA NO BRAZIL NÃO É ESPECULADOR, COMO AFIRMA O PRESIDENTE LULA), evitando mercados de regulamentação duvidosa, (COMO OS FUNDOS DE INVESTIMENTO OFERTADOS PELOS BANCOS, VERDADEIRAS CAIXAS PRETA), evitando copiar sistemas de paises como os Estados Unidos o qual é baseado em forte especulação e altos riscos em bolsa de valores.
    Chega de sermos submissos ao sistema da especulaçao em bolsa de valores (VERDADEIRO CASSINO). Vamos valorizar o investimento responsável, ou o governo quer ver as economias poupadas pelos brasileiros perdidas na especulaçao financeira nas bolsas de valores? Será que esse é o destino que o PT quer para o Brasil?, ou será que o PT abandonou de vez o bom senso e vai jogar o pais de vez na especulação financeira que não garante o futuro dos brasileiros que trabalham na iniciativa privada e portanto necessitam fazer poupança segura, pois não são nem grandes empresários, possuidores de vasto patrimônio, nem são altos funcionários do estado, com estabilidade no emprego e aposentadoria integral garantida?

    VAMOS DEFENDER AS ECONOMIAS DOS BRASILEIROS DE MAIS ESSA AMEAÇA. ESSA É UMA COMPANHA APARTIDÁRIA, APESAR DESSA AMEAÇA ESTÁ PARTINDO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT), ACREDITAMOS QUE AINDA EXISTA PESSOAS SENSATAS NOS PARTIDOS POLITICOS QUE NÃO CONCORDAM COM ESSA POLITICA AMEAÇADORA CONTRA AS ECONOMIAS DOS BRASILEIROS QUE NECESSITAM FAZER POUPANÇA. VAMOS COBRAR UMA ATITUDE POR PARTE DOS NOSSOS REPRESENTANTES NO CONGRESSO NACIONAL PARA QUE ELES NOS SALVEM DESSA AMEAÇA.

  • Reinaldo

    Em relação a taxa de administração, é frequente artigos que falam sobre seu impacto na rentabilidade.
    Agora, tenho uma pergunta: como ela é calculada? Por exemplo, em um fundo renda fixa ou DI é utilizado o valor bruto total? No informe dos bancos ela já está descontada, conforme normas da ANBID.

  • Pingback: Caderneta de poupança: investir ou não? Por que? | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos()

  • http://dinheirama.com/blog/sobre Conrado Navarro

    Jonathan, obrigado pelo comentário. Nós iniciamos um trabalho de avaliação de softwares e já publicamos uma resenha. A agenda está complicando novas publicações, mas temos uma boa lista de softwares para experimentar. Vamos voltar com força total nisso. Obrigado.

    Carlos, obrigado pelo aviso. Na verdade, o texto estava completo, com essa informação, mas na edição acabamos cortando mais do que o necessário. O texto está atualizado. Obrigado.

    Abraços.