15 jul Pedagogia Econômica

O impacto da aprendizagem nas finanças da empresa

As organizações buscam continuamente aprimorar o desempenho de suas operações em virtude do avanço tecnológico, mercado competitivo e economia globalizada. Para atender a essas exigências a aprendizagem no trabalho vem sendo cada vez mais relevante. Para entender melhor como a aprendizagem organizacional tornou-se importante estratégia dentro das empresas é preciso mencionar as principais transformações ocorridas […]

por Bernadette Vilhena
há 5 anos

O impacto da aprendizagem nas finanças da empresaAs organizações buscam continuamente aprimorar o desempenho de suas operações em virtude do avanço tecnológico, mercado[bb] competitivo e economia globalizada. Para atender a essas exigências a aprendizagem no trabalho vem sendo cada vez mais relevante. Para entender melhor como a aprendizagem organizacional tornou-se importante estratégia dentro das empresas é preciso mencionar as principais transformações ocorridas no mundo a partir do final do século XX.

O avanço tecnológico e científico proporcionou o aumento da velocidade das informações, demandando por parte dos indivíduos domínio das novas tecnologias e constante atualização. A economia globalizada impõe um ritmo diferente aos negócios, onde é preciso foco na competitividade e inovação. Nesse contexto, as pessoas precisam deixar de serem vistas como problema e sim como solução e vantagem competitiva. Peter Senge alerta que conceber o homem como mais um recurso de produção constitui um obstáculo ao desenvolvimento da organização.

A aprendizagem, segundo ele, se tornou mais importante que o controle dos processos. Para atender às novas exigências impostas nas últimas décadas e trazer um olhar diferenciado sobre os saberes que permeiam as estruturas organizacionais, surge a Pedagogia Empresarial, um ramo da Pedagogia que tem como foco o desenvolvimento dos profissionais e a melhoria dos processos produtivos através da aprendizagem empresarial em suas várias dimensões.

Na minha atuação como pedagoga empresarial percebo claramente que o financeiro das organizações fica muitas vezes comprometido pela falta de atenção devida aos funcionários. Não existe “empresa 100%” com “funcionário 50%” e é nessa diferença que está o perigo! Empresários costumam investir muito em hardware[bb], software, infra-estrutura e acabam descuidando do “humanware”!

A empresa precisa aprender a aprender!
Muitas vezes esquecemos que a aprendizagem faz parte da nossa essência. A educação não se limita à escola; deve se estender à empresa. Os empresários precisam ser educadores organizacionais, líderes que influenciam pessoas e não apenas chefes que controlam funcionários e cumprem tarefas. Os funcionários precisam ter a disposição de buscar o conhecimento, de sentirem-se donos de seu futuro e capazes de construir um ambiente de trabalho positivo.

Fácil? Nem tanto. É preciso decisão e comprometimento para adotar esse novo paradigma organizacional. As diretrizes são: aprender a ser, aprender a partilhar e aprender a construir coletivamente. É preciso dedicação aos programas de treinamento, ao repasse da cultura da empresa, à padronização dos procedimentos, aos canais de comunicação e ao desenvolvimento pessoal dentre outros.

O modelo Kaizen[bb] de gestão é um exemplo de sucesso nas empresas pois é um processo de pequenas e contínuas melhorias, do qual o empregado participa com sugestões constantes. É uma filosofia de aperfeiçoamento constante no trabalho e na vida pessoal. Trazendo para a prática, citarei alguns exemplos de desvios que tinham um impacto no financeiro de empresas com que trabalhei.

A realidade nas empresas
Uma atitude quase óbvia que, quando não tomada, onera muito as despesas mensais é o uso do telefone fixo para fazer ligações para celular. Após a adoção de um plano empresa de uma operadora de celular conseguiu-se reduzir significativamente a conta de telefone. Já vi empresas que faziam ligações a cobrar para seus clientes para economizarem! Atitude que compromete muito a função marketing.

Outro caso interessante foi a campanha sobre o desperdício de alimentos realizada junto aos funcionários de uma outra empresa, onde primeiramente foi feita uma sensibilização acerca da nova proposta, trazendo os números desse desperdício e a importância da ação coletiva em prol da melhora dos processos.

A campanha foi um sucesso pois a aprendizagem foi eficaz! Os funcionários responderam bem às propostas e o gerente financeiro gostou muito da nova planilha de custos mensais! Um olhar diferenciado da gerente de RH após um curso de condução de equipes teve como resultado a diminuição dos gastos na papelaria, já que acabaram-se as impressões sem necessidade e as fotocópias de trabalhos escolares dos filhos de funcionários.

A estatística[bb] também é uma grande aliada dos processos de gestão: ela mostra claramente a situação real da empresa e as melhores oportunidades de crescimento. Pequenos e importantes detalhes que não são levados em conta no dia a dia podem sobrecar os custos de produção.

É preciso saber também que a empresa é um organismo vivo e seus resultados dependem muito da qualidade de seu clima organizacional, da atitude e motivação dos seus funcionários. Enfim, das conexões existentes. Além de cuidar dos tangíveis, do concreto e quantificável, é preciso atenção aos aspectos invisíveis, como alerta Oscar Motomura seus artigos.

——
Bernadette Vilhena é pedagoga empresarial, consultora em diversas instâncias da prática educativa nas empresas. Especialista em Gestão de Pessoas e estudos nas áreas de Ergologia, Gestão do Conhecimento e Educação no trabalho.

Crédito da foto para stock.xchng.

Bernadette Vilhena

Pedagoga empresarial, consultora em diversas instâncias da prática educativa nas empresas e autora do livro "Dinheirama" (Blogbooks). Especialista em Gestão de Pessoas e estudos nas áreas de Ergologia, Gestão do Conhecimento e Educação no trabalho.

Leia todos os artigos de Bernadette Vilhena
  • http://dinheirama.com/blog/author/bruno%20biscaia Bruno Biscaia

    Olá Bernadette!
    Parabéns pelo artigo e por suas idéias. Continue difundindo-as e assim, alcançaremos muitas melhorias dentro do ambiente organizacional.
    Em muitos momentos vejo empresas na rotina, sem querer inovar, ou simplesmente aprender a fazer da forma correta, e sinceramente, isso é muito triste, pois, passamos a maior parte de nossas vidas dentro desses ambientes nada motivadores e nada produtivos.
    Seja bem vinda.
    Um abraço
    -Bruno Biscaia

  • http://www.fgsolutions.com.br Gabriel Carlini Vieira

    Com certeza a adoção das melhores práticas nas organizações colaboram com o desenvolvimeto dos funcionários, produtividade e do financeiro. Ótimo post.

    Abraços

  • Hially Barros

    Oi Bê!!!! Adorei a novidade……..parabéns pelo seu artigo, e, que a partir deste você possa escrever muitos outros e nos dar diversas dicas para melhorarmos o nosso lado profissional. Sucesso sempre e um grande beijo!

  • http://www.edmarjunior.eti.br/ Edmar Junior

    Olá Bernadette Vilhena parabéns por este excelente artigo, absorvi conhecimentos importantes através dele.

  • http://releravida.blogspot.com/ Monica Loureiro

    Gostei do Post….
    Como diria Lya Luft, “as pessoas acreditam que pensar dói”.
    Como microempresária, preciso me reinventar a todo instante…..

  • Felipe Augusto Fonseca dos Santos

    Muito esclarecedor o artigo. A educação deve estar presente em qualquer área de atuação. Parabéns Bernadette!
    Felipe.
    Professor Universitário.

  • http://www.hpsmaster.com.br Maurício Ferreira

    Bernadette,
    Fico feliz que alguém como você está tão perto de nós!
    Essa é uma realidade universal: a importância do aprendizado na vida profissional do indivíduo/empresa.
    Com tanta propriedade você consegue, com essa matéria, dispor informações indispensáveis para a saúde financeira de uma empresa e qualidade de vida profissional dos seus colaboradores.
    Parabéns!

  • Adriano

    muito bom..

  • Renata Custódio

    Bernadette, acredito que a pedagogia empresarial pode contribuir muito com as organizações ao trazer seu conhecimento sobre aprendizagem. Afinal, vocês são especialistas nisto. Parabens e sucesso.
    Renata Custódio

  • Ana Paula -Economista-Pós graduanda em MBA Gestão de RH

    Olá Bernadette! acredito muito na sua visão, penso que “aprender a aprender” é um conceito de extrema valia nesse novo contexto. O ser humano deve ser lapidado, e para que as organizações ,cresçam e se desenvolvam o gestor precisa entender que o funcionário é um colaborador, que precisa de capacitação e motivação.
    Parabéns pelo artigo, estou no aguardo do próximo, precisamos falar muito sobre esse assunto.

  • GRZ

    As empresas médias esquecem dos funcionários. Na atual dificuldade de muitas empresas elas acabam cobrando demais os funcionários sem dar o devido valor para o ser humano.

  • Claudio Cursini

    Gostei da sua sinceridade, simplicidade, coragem e capacidade também. Como você disse, acredito que juntando tudo o que achamos que temos de melhor, invariavelmente, sairá algo muito melhor ainda. Imagine a conta – melhor + melhor = (qual o resultado?) Exatamente o que você está fazendo… parabéns

  • http://claudiocursini.blogspot.com/ Claudio Cursini

    Bernadette gosto das suas matérias – Dê uma passada no meu blog – http://claudiocursini.blogspot.com – o que está em AZUL fui eu que escrevi – quem sabe você possa fazer um comentário – parece que fazemos a mesma coisa, mas eu comecei a pensar nisso bem antes – tenho 63 anos de vivência, bater a cara na parede, muitos “nãos” que senti bastante e alguns elogios que não me afetaram em nada – e a gente vai aprendendo – a vida é assim, assim é a vida

  • profissão

    A profissão do momento é a pedagogia, as maiores empresas dos países mais desenvolvidos estão investindo em profissionais que possam criar um ambiente de aprendizagem nas empresas – esse profissional é o pedagogo – a moda agora é universidade corporativa e ambiente de aprendizagem organizacional. Os profissionais aprendem a aprender no seu ambiente de trabalho e em todos os ambientes…acho que vou fazer pedagogia…uhuuuuuu