29 jul Pedagogia Econômica

Competência e sua importância no mercado de trabalho

Ouve-se muito a palavra competência e fala-se sobre ela nas conversas informais, na escola e nas empresas. Competência é essencial? Competência representa chances de maior produtividade e  aprendizado? Você já parou para refletir o que essa palavra significa e quais suas implicações na sua vida profissional? Iniciemos essa conversa a partir de algumas definições. O […]

por Bernadette Vilhena
há 5 anos

Competência e sua importância no mercado de trabalhoOuve-se muito a palavra competência[bb] e fala-se sobre ela nas conversas informais, na escola e nas empresas. Competência é essencial? Competência representa chances de maior produtividade e  aprendizado? Você já parou para refletir o que essa palavra significa e quais suas implicações na sua vida profissional? Iniciemos essa conversa a partir de algumas definições.

O sociólogo francês Philippe Zarifian define competência como sendo “o tomar iniciativa e o assumir responsabilidade”. Já o especialista em aprendizagem nas empresas Karl-Erik Sveiby define competência como a capacidade que possuímos para agir, baseada em nossos conhecimentos teóricos e tácitos. Estes dois autores centram seus conceitos na ação.

Para mim, a definição mais didática é a encontrada em um artigo escrito pelos professores da USP Afonso Fleury e Maria Teresa Fleury, onde a competência é pensada como a intercessão entre conhecimento, habilidade e atitude. Essas três dimensões precisam se “misturar” para que possamos dizer que somos competentes em determinada área.

Competência!

Aprender sobre as três dimensões que compõem a competência é importante para que se consiga trabalhar na direção certa do desenvolvimento profissional[bb] e pessoal. Vale pensar em alguns pontos interessantes:

  • O conhecimento é o saber. Envolve a educação formal, saber o que, saber o porquê, saber para que e a capacidade de aprender;
  • A habilidade é o saber-fazer. São as experiências, o saber como, as técnicas, o conhecimento tácito e o modelo mental;
  • A atitude é o saber ser. Ou seja, ter determinação, responsabilidade, comprometimento, motivação e iniciativa.

Para consolidar a definição, darei um exemplo de competência a partir dessas três dimensões. Um determinado protético é muito solicitado pelos dentistas, pois é bastante competente na confecção de próteses dentárias. Ele tem um saber acadêmico ótimo (conhecimento), sabe esculpir a prótese muito bem devido à sua precisão manual (habilidade) e entrega os pedidos rapidamente graças a sua capacidade de planejamento, organização e vontade de atender o cliente rapidamente (atitude).

Moral: Se algumas dessas dimensões estivessem em um nível muito inferior de desempenho talvez esse protético não fosse considerado tão competente.

O mercado de trabalho sempre buscou indivíduos competentes tecnicamente para ocuparem os postos de trabalho. Com o passar do tempo e com as novas demandas surgidas a partir de modernos modelos de gestão, as empresas passaram a buscar indivíduos qualificados intelectual e tecnicamente, mas também competentes emocionalmente.

Isso quer dizer que as empresas valorizam o saber, o saber-fazer e o saber ser! É comum a realização de processos seletivos tendo como foco as competências comportamentais como a comunicação, o planejamento, o relacionamento interpessoal, a autonomia, o autocontrole e a capacidade de resolução de conflitos. A gestão por competências já é realidade em muitas empresas, sendo utilizada como um instrumento estratégico para atingir objetivos específicos.

Penso que você já é capaz de responder à pergunta inicial: qual a implicação das competências na vida profissional? A proposta que trago hoje é um breve exercício de autoconhecimento. Diante desse contexto competitivo, volte o olhar para si e tente avaliar como está seu nível de empregabilidade – isto é, o quanto você é a atraente para o mundo do trabalho.

Quais as competências que você possui e quais as que precisa aprimorar? Faça uma lista de seus pontos fortes. Olhe novamente para os três círculos. Verifique quais são seus conhecimentos técnicos, suas habilidades e reflita sobre suas atitudes[bb] em relação às duas primeiras. Observe onde estes três pontos se cruzam e encontre sua competência.

Mas reflita e encare o tema com seriedade. Até para que no próximo artigo possamos continuar esta conversa sobre competência e seu desenvolvimento pessoal e profissional. Boa semana e uma ótima reflexão!

——
Bernadette Vilhena é pedagoga empresarial, consultora em diversas instâncias da prática educativa nas empresas. Especialista em Gestão de Pessoas e estudos nas áreas de Ergologia, Gestão do Conhecimento e Educação no trabalho.

Crédito da foto para stock.xchng.

Bernadette Vilhena

Pedagoga empresarial, consultora em diversas instâncias da prática educativa nas empresas e autora do livro "Dinheirama" (Blogbooks). Especialista em Gestão de Pessoas e estudos nas áreas de Ergologia, Gestão do Conhecimento e Educação no trabalho.

Leia todos os artigos de Bernadette Vilhena
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.
  • Anônimo
  • Renata Custódio

    Bernadette, de fato as pessoas usam o termo competência de uma maneira às vezes distante do verdadeiro conceito. Acredito que esta reflexão proposta sobre os três círculos pode trazer muitas surpresas para quem quiser conhecer suas reais competências.
    Parabéns pelo texto esclarecedor.

  • Pingback: O conhecimento dentro da competência | Dinheirama - Economia, Investimentos e Educação Financeira ao alcance de todos

  • MARCIA VALERIA

    ADOREI O ASSUNTO COMPETENCIA GOSTARIA DE SABER E RECEBER TUDO DE VCS.

  • edsonn

    Olá ($)-DINHEIRAMA,
    Sempre atento aos artigos/crônicas do universo inserido nesta contundente (multimídia).Já tá c/ um tempão que venho sondando quase todas às (regras) p/ arrumar plausivelmente o meu (Curriculum-Vitae) atualisado e aprimorado conforme à área de atuação que pretendo seguir em uma (empresa de comunicação) daqui pra frente.No (jornal) e (revista):(INTERNET como ser correspondende da Yahoo/Hotmail/Gmail );( TV e RA:am ou fm ). Geralmente quando eu chego a ler e anotar trechos de matérias/artigos, é porque tem um cunho de avanço e evolutividade.Este artigo didático desta página eu já fiz às anotações c/ os conceitos e o seu (gráfico) c/ à intercessão. Vão longe ($)-(D.) e se conter alguma falha, é talvez às idéias desconcatenadas em um acidente de percurso. Sempre sondo os mais variados assuntos pois lendo voceis também é mais um avanço.

  • Uilly Clif Mota

    Olá pessoal do Dinheirama!

    Sou um iniciante no que diz respeito aos assuntos financeiros, empresariais e de empreendedorismo. Conheci o site “Dinheirama.com” em uma palestra na Universidade Federal de Itajubá, onde curso o 4° período de Engenharia de Controle e Automação.
    Gostaria de parabenizar este artigo por ter esclarecido algumas dúvidas sobre como identificar os principais aspectos que compõe a qualidade “competência”, pois isto contribuiu muito com a maneira como vou me portar tanto nas minhas atividades acadêmicas quanto no mercado de trabalho.

  • http://WWW.DCE.COM.BR NILSON GOMES

    ONE expert, assunto, quanto mais, escrito por uma tão inclível pedagoga:Bernadette Vilhena, que a considero, uma das melhores no ramo, de Rh,”in loco”, aindá tanto o tocante tema. Competência, nas atividade empresárias, pela qual diversos empreendedores, assumem compromissos, e logo em siguida, deparam-se com dificuldade, e está obra, é essenssial, para o desenvolvimento pessoal.
    Meu Voto, de prestatividade, pela sua competência, pedagoga.
    Sem mais:Nilson Gomes,Diretor acadêmico, na universidade de cuiabá-mt.

  • http://facebook Manuel Barros

    goste do site uma vez que pretendo adquirir conhecimento no que diz respeito a assuntos financeiros, e espero aprender muito com vocês

  • http://www.caputconsultoria.com.br Carlos Moreira

    Bom dia. O artigo foi muito bem escrito, parabéns. Mas a referência a FLEURY está incorreta, em nenhum momento Fleury e Fleury afirmam em suas obras que competência se resume a CONHECIMENTO, HABILIDADE e ATITUDE. Faltou explicar a noção de ENTREGA…ponto forte defendido pelos autores.