10 dez Finanças Pessoais Poupança

O investidor econômico xiita

Sobrou uma grana por ai e você quer investir? Veja como garantir que seus investimentos sejam feitos de forma consciente e sem que intermediários tirem parte de seus rendimentos. Atenção redobrada nas decisões, certo?

por Humberto Veiga
há 5 anos

O investidor econômico xiitaOk, você conseguiu ultrapassar a barreira do som no que se fere a equilibrar seu orçamento. Cortou, cortou, fez malabarismos que nem artista de circo de Pequim conseguiria fazer. De fato, você foi além, aos conseguir ajustar tão bem os gastos à renda, e percebe que já começa a sobrar dinheiro. E agora? Quando eu vejo uma situação assim, fico com muito receio que os frutos do seu esforço tenham que ser compartilhados com algumas pessoas que não tiveram o mesmo trabalho que você.

Por este motivo, imaginei a técnica do investidor econômico xiita. Falando sério, não creio que seja possível aplicar 100% esta técnica, uma vez que  de uma maneira ou de outra, você acaba pagando alguma coisa para algum intermediário que não presta serviço algum, mas é uma boa forma de nos manter atentos para os “vazamentos” que ocorrem em nossos investimentos[bb]. O investidor econômico xiita dentro de você quer maximizar os ganhos, sem ter que pagar muito por isso.

Antes que os ânimos fiquem acirrados, quero dizer que os intermediários a que me refiro são aqueles que não agregam valor. São aqueles que oferecem produtos idênticos aos que podemos encontrar no mercado a preços muito mais baratos. São aqueles que se aproveitam de determinadas intervenções do governo para “dar uma mordidinha”.

Aliás, estas práticas são todas legais (a legitimidade vai por conta do ponto de vista de cada um), mas quanto mais transparência vai se implantando no sistema, menos espaço para isso sobra.

Sobrou dinheiro e você quer investir?
Abordarei algumas alternativas de investimento de forma sucinta, propositalmente com algumas siglas e informações mais técnicas, de forma a despertar seu interesse. Vou começar pelos fundos de investimento referenciados. Eles são um ótimo negócio quando a taxa cobrada pela administração é compatível com o serviço prestado. Cobrar 3% ao ano para oferecer retorno de DI? Sei não.

Dá para fazer uma boa substituição por um CDB-DI, se o percentual de remuneração for elevado e, nesse momento, considerar também a Caderneta de Poupança. O Tesouro Direto pode entrar em cena se o prazo para aplicação for longo e você encontrar uma corretora que “isente” a taxa de corretagem; uma LFT pode ajudar.

Os fundos de ações podem ser outra opção interessante para a diversificação da sua carteira, principalmente se você tem um longo prazo pela frente. Nesse caso, repete-se o que foi dito anteriormente: utilizar um fundo que “persegue” o Ibovespa com uma taxa de administração de 4% não valhe a pena. Procure mais que você acha coisa melhor. Certeza.

Por outro lado, se o dinheiro é pouco para comprar as ações na bolsa[bb], procure um fundo que ofereça a aplicação em PIBB (Papéis índice Brasil Bovespa) – se a grana está curta para aplicar, comprar o papel diretamente é meio “caro” por conta da corretagem. Grandes bancos cobram até 1,5% ao ano de taxa de administração nesse produto. Certamente, ele não rende exatamente a mesma coisa que a variação do Ibovespa, mas, no longo prazo, você acabará indo na mesma direção.

Finalmente, estes são apenas alguns exemplos do que um investidor econômico xiita poderia fazer. Há muitas outras técnicas, mas, repetindo o que já falei no começo, ainda que o objetivo de perda zero não seja atingido, você estará trilhando um bom caminho na preservação do seu dinheiro[bb] para o futuro.

Crédito da foto para stock.xchng.

Humberto Veiga

Humberto Veiga é doutor em economia pela Universidade de Brasília. Autor do livro "O que as mulheres querem saber sobre finanças pessoais", iniciou sua carreira no mercado financeiro em 1989 e ministra palestras e treinamentos aqui e no exterior. Beto mantém um blog onde publica comentários sobre o sistema financeiro e o universo das finanças pessoais: http://www.betoveiga.com

Leia todos os artigos de Humberto Veiga
  • http://antonioavf.wordpress.com/ Antonio Alves

    É isso aí, Beto!
    Eu começei assim, aos poucos: poupança, CDB, Tesouro Direto, PIBB, PIBB11, ações e agora tenho um pouco de todos, pois a “sobra” cresceu multiplicou e posso ir direto surfar naquilo que for melhor dependendo do prazo e do objetivo! Tem taxa, imposto alto, tô fora! Já sei ir direto ao ponto. Este ano devo terminar de vender minhas PIBB11 (ótimo lucro) e ir tentando ganhar da média do mercado.

  • http://www.betoveiga.com/ Beto Veiga

    Olá, Antonio,
    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Sugiro apenas que você repense esta ideia de ganhar da média do mercado, porque isso é para pouquíssimos.
    Abração do Beto

  • http://antonioavf.wordpress.com/ Antonio Alves

    Pois é Beto,

    Só de não perder como a maioria, pra mim já é ganhar.
    E minha carteira de ações está bem, desde julho de 2009, todos os meses fechando positivo, mesmo quando os ganhos são pequenos, são consistentes! E na renda fixa, muito bem, devido a títulos públicos comprados no auge da crise. Sabendo aproveitar as oportunidades não é tão difícil assim tendo uma boa estratégia. Mas todo cuidado é pouco, por isso não opero micos… hehe
    Abraços!
    PS: no meu blog tem o comentário da minha carteira que saiu na CBN (via twitter com a Mara Luquet).