28 dez Educação Financeira

Ano Novo, velhas promessas, mesmos dilemas

Por que poucas pessoas conseguem atingir as metas e promessas de Ano Novo? Porque aos outros falta cumplicidade, “acabativa” e organização. Você pode, mas precisa querer!

por Conrado Navarro
há 4 anos

Ano Novo, velhas promessas, mesmos dilemasO ano de 2011 finalmente chegou e com ele a renovação de muitos votos de sucesso, paz, felicidade e realizações. Você provavelmente se comprometeu com importantes metas: vai reforçar a construção de sua marca pessoal, estudar mais, vai poupar mais, limpar seu nome, voltar para a academia[bb], recomeçar a dieta etc. Ótimo! Começar o ano de alto astral e compromissado faz bem para autoestima, motiva.

O que esperar de 2011 senão a realização de tais objetivos e a sensação de “missão cumprida”? Pois é, você é o agente de mudanças de sua vida e pode transformá-la a partir de simples intenções e alguma ação. Mas isso você já sabe, não é novidade. Por que, então, poucos são aqueles que conseguem atingir seus propósitos?

Porque falta cumplicidade. Não adianta querer limpar seu nome e livrar-se do endividamento se em sua família o consumismo beira o ridículo, transformando a relação conjugal em mero contato físico e o gasto em terapia. É preciso coragem para abrir-se perante as pessoas que você ama e praticar ações capazes de transformar a promessa em motivação (diálogo, desprendimento, paciência, carinho etc.).

Um objetivo lançado sem grande convicção cria perspectivas distantes, incapazes de motivá-lo a agir através das pequenas coisas. A família tem que querer mudar, unida e com a participação de todos. Cumplicidade é fazer muito também pelo conjunto da obra, não apenas pelo benefício pessoal. É quase invisível, mas o querer individual e o egoísmo na realização de sonhos só alimentam a descrença no futuro.

Porque falta “acabativa”. Prometer, começar, provocar é muito fácil, mas dar cabo das tarefas e perspectivas exige dedicação, perseverança e traz alguma angústia. Lidar bem com a frustração do dia a dia enquanto se constrói patrimônio é tão importante quanto definir bem as metas[bb] pessoais e profissionais. Ora, nem tudo acontece logo ou exatamente do jeito esperado. Quem tem calma, bom senso e contumácia alcança seus sonhos.

Quantas vezes você começou a ler um livro e não terminou? Observe sua estante e a quantidade de livros com marcadores nas mais diversas páginas, nunca no final. O que são as promessas de Ano Novo quando delas realizamos apenas parte e por pouco tempo? De onde surgem tantas justificativas para o não cumprimento da meta estipulada? Falta ir até o fim, fazer de verdade! Precisamos terminar o que iniciamos ou corremos o risco de sempre recomeçar. E só recomeçar.

Porque falta organização e cuidado. Encaro a organização como uma das facetas do respeito. Manter as coisas sob controle, cuidar daquilo que você compra e dos recursos que administra geram a sensação de valor agregado, do “fazer a diferença”. O respeito alimenta a motivação na medida em que cria um elo mais resistente entre o indivíduo, seus sonhos e seu poder de realização.

Insisto na necessidade de manter um mínimo controle das receitas, despesas e investimentos familiares. Dedicar tempo às tarefas administrativas do lar dá a exata medida do quanto elas são importantes como suporte para a realização de metas. Afinal de contas, administração não é responsabilidade apenas de administradores de profissão, chefes e executivos.

Aprendeu algo novo? Provavelmente não. A realidade apresentada neste artigo não passa de um retrato óbvio do cotidiano. Gente sem motivação, portanto sem realização. Pessoas acomodadas, portanto desanimadas. Brasileiros mal acostumados, portanto paralisados. Cidadãos resumidos a promessas, esperança e muita iniciativa, portanto dependentes das exigências da sociedade. Uma turma que não faz e se esconde nas mais esfarrapadas desculpas.

Concordo com o que escreveu Gustavo Cerbasi[bb], consultor financeiro, em recente artigo para o jornal Folha de S. Paulo: “Pare de sonhar e comece a realizar!”. O ano já começou, pare de prometer! Prefira encarar o desafio de agir, fazer mais, falar menos e finalmente colocar em prática o que é tão comum nos discursos desta época: a mudança. A necessária mudança.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Conrado Navarro

Educador financeiro, tem MBA em Finanças pela UNIFEI. Sócio-fundador do Dinheirama, autor dos livros "Dinheiro é um Santo Remédio" (Ed. Gente), “Vamos falar de dinheiro?” (Novatec) e "Dinheirama" (Blogbooks), autor do blog "Você Mais Rico" do Portal EXAME e colunista da Revista InfoMoney. No Twitter: @Navarro.

Leia todos os artigos de Conrado Navarro
Importante: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.
  • Rodrigo Silveira

    Conrado,

    Trocar somente o calendário da parede ou da escrivaninha não vai adiantar. 2011 está aí!
    A mudança tem que ser interna, mudarmos nossas atitudes, nossos pensamentos e planejar nosso ano.
    Comemorar com muita energia o ano que vai chegar, e agradecermos pelo o ano que fica para trás.
    Que em 2011 vivamos mais, encontremos pessoas especiais em nossos caminhos, o foco faça parte do nosso dia-a-dia, e que excelência faça parte da vida de todos.
    Um grande abraço.

  • Pingback: Tweets that mention Ano Novo, velhas promessas, mesmos dilemas: O ano de 2011 finalmente chegou e com ele a renovação de muitos voto... -- Topsy.com()

  • http://investindo-mes-a-mes.criarumblog.com/Primeiro-blog-b1.htm Eduardo

    Pegou pesado,, mas esta é mais pura a verdade, para muitos!

  • Rosana

    Conrado,
    Gostei muito do seu artigo.
    É como você disse no final: “Aprendeu algo novo? Provavelmente não.”
    O grande problema é a tão presente procrastinação. Quando ela faz parte da nossa vida, muitas coisas não saem da forma como gostaríamos.
    Um Feliz 2011 à você e á toda equipe do Dinheirama!
    Abraços,

  • http://www.valoresreais.com Guilherme

    Ótimo artigo, Conrado!

    Hoje vi uma reportagem no jornal Gazeta do Povo em que você dá uma entrevista com dicas para poupar para viajar, na seção de Turismo. A capa do livro “Vamos falar de Dinheiro” também é colocada em destaque. Parabéns!

    Feliz 2011!

  • Pingback: Algumas metas para 2011 « Parucker()