Como gastar menos, pagar dívidas, acumular patrimônio e ficar rico? Abordar o tema finanças pessoais em um site é um desafio. Tratar o dinheiro como um assunto cotidiano gera expectativas muito diferentes nos leitores, o que eleva a responsabilidade sobre o material aqui publicado. Relacionar uma vida mais plena, feliz e de mais qualidade ao cuidado com as finanças familiares requer habilidade (e coragem) para mexer com significados enraizados e hábitos antigos.

O mais interessante, no entanto, é que o aprendizado relacionado ao planejamento financeiro se dá muito mais pelas reflexões impostas por textos e artigos provocativos (menos evidentes) que pelas respostas ou “receitas” (até certo ponto inevitáveis e muito utilizadas como exemplos).

O fato é que o conhecimento tácito e a experiência relacionada ao dinheiro são marcantes, mas suas lições parecem ser perenes diante do apelo pelo consumo. O futuro fica representado pelo pensamento, enquanto o presente ressalta a emoção. A educação financeira ainda é tema restrito, infelizmente!

Dinheiro é tão óbvio…
A bota notícia, no entanto, é que de dinheiro todo mundo entende. Você já sabe que é mais importante gastar menos do que ganha. Estabelecer um padrão de vida confortável, mas também inteligente, significa consumir com mais consciência.

Você sabe que não confiar tanto nas compras como remédio para a depressão e tratar do assunto com mais naturalidade entre amigos e familiares podem dar resultados mais duradouros. É bem fácil entender que construir patrimônio também significa adiar o consumo.

Você também já sabe que é importante economizar sempre que possível, bem como negociar muito bem o que se compra. Exercer seu papel de consumidor é um direito. Apesar de pouco valorizados, temos competentes órgãos de defesa do consumidor.

Você concorda que pedir descontos, barganhar por melhores preços e condições comerciais, exigir o tratamento adequado em uma negociação e ter tempo/apoio para ler/assinar um contrato são premissas básicas de uma transação honesta. Respeitar o suado dinheiro do trabalho é ser adulto o suficiente.

Você entende que o melhor preço não é aquele anunciado na vitrine, mas sim aquele montante que você concorda em pagar depois de uma boa negociação. Seria ingenuidade demais acreditar que “palavra de vendedor” possa representar “a melhor compra”.

E você também crê que deve poupar e investir parte de suas receitas para evitar surpresas e também planejar o futuro. Ora, tenho certeza que você já pensou em um dia fazer uma reserva de emergência, colocar seu dinheiro para trabalhar para você, abrir o negócio próprio ou separar mais dinheiro para a poupança familiar. Certo?

Dinheiro, pois…
As questões financeiras são, portanto, óbvias. É provável que tenha sido sempre assim. O que é bom. E ruim. Bom porque dinheiro é assunto corriqueiro, é ferramenta que circula, é assunto em qualquer lugar. Ruim porque de tão presente, se faz misterioso, secreto e é usado como meio de diferenciação.

Ainda assim, dinheiro continua sendo dinheiro. Continua passando nas suas mãos diariamente, caindo na sua conta ou desaparecendo nas compras realizadas no shopping. Logo, as “receitas” e dicas sobre finanças você conhece bem. O que falta para colocá-las em prática? Compromisso? Disciplina? Objetivos realmente importantes? Apoio familiar? Mudança de atitude?

A pergunta usada no título é propositalmente apelativa. Como gastar menos, pagar dívidas, acumular patrimônio e ficar rico? Agindo. Fazendo. Ficando. Realizando. Qualquer verbo capaz de denotar movimento, esforço, dedicação, disciplina ou atitude responde à pergunta. Porque, de verdade, a resposta para ela você já sabe.

A pergunta, repare, é mais importante que a resposta. Lembre-se: é preciso provocar sensações para despertar ações capazes de buscá-las. O resto é óbvio. Agora que o Carnaval ficou para trás, quem sabe não “começa seu ano” e coloca em prática tudo aquilo que está cansado de saber (e ler por aqui e por ai)? Pois é. Vamos começar?

Dinheirama Shop
Aproveite nossa promoção de lançamento, compre o meu livro “Vamos Falar De Dinheiro?” (Ed. Novatec) por R$ 34,90 e receba também um DVD com provocações sobre finanças pessoais, investimentos e educação financeira, um brinde e a possibilidade de ser sorteado para participar do curso on-line “Mercado à Vista de Ações”. O kit custa apenas R$ 34,90, o frete é grátis e você receberá o livro autografado em sua casa. Você pode pagar com boleto, cartão de crédito ou transferência usando PagSeguro, Pagamento Digital ou MoIP. Clique aqui para comprar!

Foto de stock.xchng.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Anônimo
  • Rafael

    É verdade. O difícil é começar.
    E estou “querendo” começar a investir desde que ouvi falar no PIBB, quando este foi lançado.
    Melhor nem lembrar que ano foi isso.
    Sempre se arranja um problema, uma desculpa para não tomar a atitude de começar.
    O meu entrave atual é a escolha da corretora… e assim vai indo …
    Espero esse ano finalmente conseguir quebrar a barreira.

  • O simples fato de conhecer sobre inteligência financeira não significa necessariamente ter um bom controle sobre suas finanças pessoais. No meu caso, há tempos que estudo e acompanho sobre o assunto, mas as mudanças de hábitos e atitudes são lentas e muitas vezes difíceis de acontecer, seja por costumes de longa data ou influencia de terceiros.

    Muito bom o artigo Navarro, parabéns!!!
    Abraços,

  • Muito bem, reforçando o foco do meu objetivo

    abços
    ITM

  • Educação financeira é um ótimo tema, gosto bastante de discuti-lo, porém todos sempre tem um motivo para não poupar, seja uma emergência ou contas atrasadas que são prioridades. O fato é que tudo isso é resultado de Modelos de Dinheiro enraizados em seu subconsciente, pra quem tem dificuldades em compreender e praticar os princípios básicos da educação financeira, recomento o livro “Os segredos da mente milionária”.

    Um abraço.

  • Se sabemos o que fazer, porque não o fazemos?

    Planejamento e disciplina são as palavras chaves. Penso que por sermos tão imediatistas, nós brasileiros temos uma certa dificuldade em colocar essas duas idéias em prática. Só nos damos conta de como era importante poupar na juventude quando a velhice nos alcança e não temos o mesmo vigor para trabalhar e acumular como tínhamos antes.

    Como sempre, excelente artigo Navarro.

    Abraços.

  • Lucas Fernandes

    Depois de ler alguns livros e matérias sobre finanças pessoais acredito que a melhor estratégia para ficar rico (Rendimentos > Despesas (fixa, arbitrárias, luxo)) seja a seguinte:
    Dividir a caminhada em 3 etapas
    1º Curto Prazo: Manter um investimento com baixo risco (poupança, renda fixa) para despesas emergenciais. Geralmente de 5 a 8 vezes o total de despesas do mês.
    2º Médio Prazo: Ter um planejamento razoável para os pequenos “sonhos”. Casar, comprar casa, carro, viajar etc…
    3º Longo Prazo: Este sim talvez o mais importante. Reservar pelo menos 15% da receita anual e realizar bons investimentos. É fazer o famoso juro composto trabalhar para você.

    Realmente não é fácil, requer muita disciplina e regularidade.

    Abraços

  • Sempre leio o dinheirama. Gosto muito dos artigos. Mais a verdade é que educação financeira é para quem ganha de R$1500,00 para cima. Me diz Navarro como eu que ganho 750,72 liquidos ao mês e tenho 22 anos posso economizar? A faculdade é R$415,00 com desconto pontualidade vai para R$340, R$185,00 de um parcelamento de divídas ( q aconteceu qdo eu estava desempregada), celular R$35,00, provedor R$8,33 e formatura R$45,00. Somou aí? Nunca vou ficar rica. Espero conseguir um emprego com um salário melhor e aí sim por as dicas do site em prática.

    • venda um rim!
      brincadeira, estude pra concurso e ganhe o dobro.

      Abç

  • Gilmar Rodrigues

    Muito bem lembrado Navarro!
    Parabéns.
    Recomendo o kit! O livro por exemplo, já no 1º capítulo, me deu uma lição de moral! rs.
    Os erros, as desculpas para não mudar, a vontade de ir atrás dos sonhos, tudo é a gente que decide se quer mesmo melhorar ou não…

    Colega Drielle,
    não quero ser intrometido ou grosso, só quero contribuir.
    Não se engane não! Também tenho 22 anos, meu salário líquido fica R$783,55.
    Aplicando o que estou aprendendo, já controlei dívidas, mas ainda devo R$500 em parcelas que foram feitas há algum tempo atrás. Também estou estudando, mas “cortando” alguma despesa lá, outra aqui… Já consegui recuperar o controle das minhas despesas mensais, poupar, me divertir, comprar um livro, ir à academia e finalmente consegui bancar a mensalidade de um aparelho ortodôntico, que tanto queria mas “nunca tinha dinheiro sobrando”, rsrs.
    Enfim, uma mudança gigantesca na minha vida.
    Sempre há uma maneira, mas essa maneira para a maioria sempre é difícil, mas não impossível.
    Acredite em você, e logo verá onde estava e onde já chegou.
    Um abraço.

  • Davi

    Drielle, fique tranquila pois vc não vai ganhar isso para sempre! Pelo que falou, está fazendo faculdade. Td na vida tem prioridades. Essa é a sua, no momento. Qdo se formar, outras virão. O importante é vc controlar os gastos, por hora (se já não o faz). Isso com ctz vai gerar novas atitudes na sua vida e logo vc verá as diferenças. A tendência do ser humano que trabalha com objetivos bem traçados é sempre crescer.

    abs

  • Pereira

    Prezada Drielle ,

    Acho muito legal quando as pessoas expoem a real situação como voce fez de forma clara e simples.
    Fica mais fácil de voce receber uma orientação ou mesmo uma palavra amiga.

    A educação financeira deveria ser muito menos complexa como todos nós gostaríamos, mas não é.

    Ela interfere diretamente no nosso emocional, porque quase todos nossos atos se origina do nosso estado emocional.
    As nossas atitudes são resultado do que pensamos, e alguns escritores dizem que somos o que pensamos, logo somos o que fazemos.
    Quem não se sente feliz ao adquirir um objeto de desejo ?

    Concordo com voce quando diz que nunca vai ficar rica com o pouco que ganha.

    Mas felizmente não é bem assim.

    Talvez voce não percebe o grande investimento que está fazendo, que é o estudo, sem ele ninguém é nada, pode ter o dinheiro do mundo todo, que sem conhecimento não deixa de ser ignorante.

    O que posso dizer pra voce, é que a riqueza não está no montante de dinheiro que se tem, mas sim em como voce o controla, ou seja, no seu comportamento diante dele, no respeito que tem pelo dinheiro.
    Aqui mesmo no Dinheirama tem muitos artigos que ressaltam bem as virtudes de pessoas bem sucedidas, e uma delas é a PACIENCIA.
    Nenhum investidor pode ser impaciente, eles sabem a hora de ir devagar, e sabem também quando devem correr, tudo é questão de momento.
    As coisas mudam e temos que acompanhar o mundo, estar atento aos acontecimentos , às oportunidades, acima de tudo estar preparados.

    Estou escrevendo isso aqui, é porque em menos de 2 anos , eu saí de uma situação devedora muito grande, daquelas que sem um mínimo de educação financeira seria impossível de sair, e passei a ter minha conta bancária, modéstia parte, muito saudável, de um saldo que eu jamais acreditaria ter, e sem ter mais dívidas.
    Eu devia prestação de carro, emprestimos bancários, impostos atrasados de uma firma que eu tinha, IPTU, IPVA , enfim eram contas que não tinha mais fim.
    Imagina como fica a cabeça de uma pessoa num barco furado desses ?
    Ahh , e o que eu ganhava, mau dava para as despesas de segurança.
    (segurança aqui tem o significado de despesas básicas)

    O mais importante de tudo não é tanto o quanto de dinheiro que tenho, e sim a minha capacidade que tenho de ganhar muito mais, entende ?
    Além de saber observar oportunidades que antes eu não via, e melhor, perdi o medo de arriscar, de confiar nas pessoas, e de investir.

    Uma das primeiras coisas que fiz, foi procurar diminuir todo tipo de conta a pagar, e aumentar tudo que poderia fazer ganhar.
    Claro que tive sorte em alguns negócios, mas creio que isso foi as portas que abri para favorecer a minha meta, que era sair de dívidas.

    Não tenho nada contra dívidas, por que o erro não está na dívida e sim no mau uso dela, até porque além do comprometimento ela tem custos.
    Não se deve se tornar escravo de dívidas.
    Haja controle-financeiro !!!
    E pra terminar, vou ousar um pouco com as palavras.
    Eu nunca ví nem ouví falar que alguém enriqueceu vendendo mão-de-obra.
    A mão de obra é boa para aprendizagem, se tornar conhecedor de como fazer.

    Drielle , pode ter certeza de uma coisa, voce está no lugar certo, aqui no Dinheirama voce só tem à evoluir financeiramente.

    Quero agradecer à todos que compoem a equipe Dinherama, obrigado por nos tornar melhores !!!

  • Obrigada pelos comentários. A esperança é a última que morre.

  • Olá Drielle , obrigado por acompanhar o Dinheirama. É um prazer tê-la por aqui.

    Você mesmo sem perceber está já pensando no seu futuro, investindo na educação e fazendo uma faculdade que lhe trará emprego e renda melhores.

    Enquanto isso é fundamental observar ao seu redor as oportunidades que surgem de consumo e mesmo de renda extra, já pensou nisso?

    Aos demais amigos que comentaram percebo que entenderam o sentido do artigo e aos poucos começam a por em prática o que manda a educação financeira com inteligência e muito planejamento.

    Grande Abraço

  • andrea

    Ola
    Acabo de receber um dinheiro da venda de um apartamento. Alem dos emprestimos que vamos pagar, temos um carro financiado que ainda falta 4 anos com parcela mensal de R$920,00. Nosso orçamento não tem sido fixo, sendo q precisamos de R$3.000,00 mensais. Seria uma boa opção pagar o financiamento do carro para começarmos do zero e administrar melhor sem conta alguma ou investir o dinheiro do carro ?

  • Obrigado, Conrado.
    Esse seu texto realmente me animou a organizar minha vida financeira.
    Vou aproveitar que amanhã começa um novo mês para eu poder ter controle de tudo.
    Tentarei fazer também uma retrospectiva do mês de maio para identificar os meus gastos supérfluos.
    Agradeço muito, muito mesmo, por essas palavras bem organizadas que me fizeram tirar a bunda da cadeira e agir.

  • Pingback: Manual da Educação Financeira para iniciantes – Prof. Elisson de Andrade()

  • eu gostei demais das dicas q foram dadas, se eu seguir essa linha de raciocinio eu tenho 19 anos com trinta eu ja vou ter uma vida legal e uma boa saude financeira para sustentar o meu patrimonio.

  • TO FORA

    Agora entendo como (você) ganha dinheiro !!! rsrs