13 out Internet

Exigências da FIFA para a Copa 2014 sob a ótica do cidadão

Você concorda com as exigências da FIFA para a Copa 2014? Barrar o CDC e o Estatuto do Idoso? Leia a opinião de um cidadão e entre no caminho para evitar esse caos.

por Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
há 3 anos

Exigências da FIFA para a Copa 2014 sob a ótica do cidadãoA FIFA quer a suspensão do CDC (Código de Defesa do Consumidor) e do Estatuto do Idoso durante a Copa de 2014. Até aqui nenhuma grande novidade, já que a chamada do título pôde ser vista em vários meios de comunicação durante a semana passada. O que realmente interessa é o que vamos ler e ver nos jornais daqui pra frente. E aí, caro leitor, para que as notícias sejam favoráveis ao povo brasileiro, todos nós precisaremos nos envolver.

Esta é uma guerra de braço que não pode ficar apenas entre Governo e FIFA. Nós, cidadãos brasileiros, eleitores, torcedores, filhos da pátria amada Brasil, a terra do samba e do futebol, temos o dever de mostrar a essas pessoas que neste país tropical, “abençoado por Deus e bonito por natureza”, quem manda somos nós!

Sou absolutamente leiga no que se refere à legislação e relações internacionais, mas do meu ponto de vista, o pedido da FIFA deveria ser tratado como um incidente diplomático. Afinal, a entidade pede a revogação de dois instrumentos de proteção ao consumidor que nunca, em circunstância alguma, foram revogados ou suspensos, nem temporariamente.

E tem mais: mesmo que o governo ganhe essa batalha e não ceda ao pedido, a guerra pode estar perdida, já que a FIFA diz que não arcará com o custo gerado pela meia-entrada. É muito provável que nós, contribuintes, banquemos os parcos R$ 180 milhões correspondentes a esse custo.

O que isso significa na prática para o povo brasileiro? É simples e você entendeu direitinho: nós vamos pagar a conta. De muita coisa, aliás, uma realidade muito diferente daquela prometida quando nos candidatamos e fomos anunciados vencedores. Quem não se lembra do discurso onde foi dito que esta seria “a Copa da iniciativa privada”?

Se o CDC e o Estatuto do Idoso forem mesmo suspensos durante a Copa, a sua carteirinha de estudante ou a sua carteira de identidade não servirão para nada, já que você perderá temporariamente o direito sobre a meia-entrada.

Aliás, cabe aqui um parênteses (e que me socorram os advogados): se isso acontecer de fato, o direito à meia-entrada fica suspenso para qualquer compra de ingresso ou só para os ingressos dos jogos? E mais, nesse caso abriremos precedente para outras entidades poderosas ou essa aberração se tornará apenas mais uma “piada de Copa do Mundo”?

Bem, voltando à conta, suponhamos que o Governo se mantenha firme e forte, mas decida “bancar” a meia-entrada. Eu pergunto: de onde vem o dinheiro que abastece os cofres públicos? Isso mesmo, o dinheiro vem de uma parte da sua renda. Portanto, quem vai pagar a conta sou eu, você e todos os brasileiros.

Bem, o que fazer, então?
Fazer o possível! Se você ficou indignado com o fato, assim como eu, pode começar assinando uma petição on-line em repúdio às exigências da FIFA, elaborada pela Associação PROTESTE (clique para saber mais). Assine, divulgue e espalhe o texto, bem como seu protesto contra tudo isso. Deixar claras nossas opiniões já é um excelente começo.

E, retomando os bordões e letras de música, eu diria que “chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor” e “que a gente já sabemos escolher presidente e que é bom gringo pará de pensá que nóis é indigente”! Você, cidadão, tem direito de se manifestar. Vamos lá?

Adriana Spacca Olivares Rodopoulos Adriana Spacca Olivares Rodopoulos

Economista pela PUC com extensão em Psicologia Econômica pelo COGEAE-PUC, é integrante do Grupo de Estudos sobre Psicologia Econômica supervisionado pela Dra. Vera R. de Mello Ferreira e é sócia-fundadora da Oficina de Escolhas.

Leia todos os artigos de Adriana Spacca Olivares Rodopoulos
  • http://jovempreendedor.wordpress.com André Savi

    Eu acho que existe uma outra maneira de se ver as coisas:
    1- Brasileiro é tido como malandro, ou seja, o que vai ter de neguinho falsificando declaração escolar não vai ser brincadeira (e eles sabem disso);
    2- Até onde sei, somente no Brasil tem meia-entrada;
    3- Seria um oportunidade para acabar de vez com essa medida.

    Os ingressos por aqui são caros justamente por existir a meia-entrada, ou esqueceu do lema de ecônomia? – Alguém esta pagando o café (e esse alguém somos nós mesmos).

    Nem tudo parece ser como é.

    Abraço fica com Deus.

  • Rafael

    Assino embaixo do que disse o André Savi.
    O trabalhador paga para o que não trabalha usar.
    Cinema, teatro, passagem de ônibus, etc … poderiam ser mais baratos, tirando esse custo embutido da meia-entrada.

  • ANDERSON

    Faço minha as palavras do André
    Sou estudante mas não concordo com a meia entrada, por ser estudante não possuo as mesmas condições de obter renda que qualquer outra pessoa???? por que devo pagar menos e os outros pagarem por eu ser estudante???
    1+1 sempre tem que dar 2, se eu e os idosos estão pagando meia, todo o resto está bancando o que falta… e TODOS não são iguais perante a lei???

    Meia entrada é remendar o burado, porque não fazem um abaixo assinado pedido mais investimentos em educação, ou que Economia e Finanças se tornem disciplina obrigatória para que no futuro todos tenham condições de pagar o valor justo ????

  • Filipe

    Estou com o André também. Apenas a constatação de que algum outro idiota está pagando a conta já basta.

  • João

    Me parece que existe também um agravante a esta questão. Ao se candidatar para sediar o mundial, nosso governo concordou tacitamente com todas as regras da FIFA. Não entro nem no mérito se estas regras estão certas ou erradas, mas me parece que se concordamos com tudo para concorrer como país sede não devemos “roer a corda agora”. A impressão que ficaria, neste caso, é de um país que não honra os compromissos que assume (imagem aliás da qual não conseguimos nos distanciar por mais que tentemos).

  • Alessandro – Estudante/Trabalhador

    Senhores,

    com todo respeito que tenho em relação à opinião de todos, mas nós não pagamos mais caro em ingressos de eventos culturais em função da meia-entrada, mas sim do lucro abusivo que os produtores desses eventos têm. Aliás, tudo o que se refere à compra seja de um carro, pão, tijolo, livro, o consumidor é esfolado tanto pelo lucro e pelos impostos que pagamos. Já pagamos mais de um trilhão de reais em impostos esse ano e com mais de 30 dias comparado ao ano anterior. Ainda, comparem os preços de nossos carros com os de fora, EUA, por exemplo. Abram os olhos e deixem de lado esse clichê de que é culpa da meia-entrada por tudo ser mais caro.
    Discordo totalmente que a próxima Copa do Mundo de Futebol seja realizada em nosso país. Explico: nossa saúde está muito bem? Nosso ensino público é uma maravilha? A infraestrutura de nossas cidades, como pavimentação de rodovias, avenidas, ruas, é boa? Nos sentimos seguros ao andar pelas ruas de nossas cidades a noite? Poderia continuar perguntando aos senhores uma infinidade de coisas que nosso país necessita melhorar, mas não farei isso. A FIFA exige um mega evento, fazendo os países sede gastarem o que não tem. Os senhores acham mesmo que precisamos de uma Copa aqui com tantos problemas mais importantes para resolvermos? Enquanto pensarmos que somos apenas o país do futebol e do samba não dando atenção e energia para o que realmente necessitamos continuaremos a ser uma país subdesenvolvido, exportador de matéria-prima e mão-de-obra não qualificada. Fico admirado em ler um texto de uma pessoa que trabalhou tantos anos na área de Educação e esta pessoa está mais preocupada com “pão e circo”. Piada! Uma das mais sarcásticas que já ouvi na minha vida!

  • Rosana

    Gostei muito desse post, era só o que faltava…
    Jã assinei a petição e repassarei aos meus amigos.
    Abraços,

  • Davi Aragon

    Olá a todos!

    Eu escrevi um texto, há alguns meses, aqui no Dinheirama mesmo, que pode ajudar na discussão. Pelo fato da discussão ter tomado rumos além do proposto pelo texto, acho que a ideia do meu texto pode entrar aqui. O primeiro elo dessa corrente toda está no consumo passional do “produto” futebol. Espero que gostem!

    http://dinheirama.com/blog/2011/06/29/copa-do-mundo-olimpiadas-e-consumo-consciente/

    Abs

  • Adriana Spacca Olivares Rodopoulos

    Olá Pessoas,

    Bem, antes de mais nada gostaria de agradecer ao Navarro e à equipe do DINHEIRAMA por terem cedido espaço para essa discussão etambém agradecer a todos que dela participaram.

    Objetivo de escrever sobre um assunto que foge um pouco da minha linha, foi o de demonstrar a minha indignação como cidadã sobre o fato e também de divulgar a petição elaborada pela PROTESTE, que contava com pouco mais de 200 assinaturas até o final da semana passada e que hoje já chega a quase 2500. E tenho certeza de que esse espaço contribuiu para esse aumento significativo.

    André, Rafael e Filipe
    Não teno uma opinião formada sobre a questão da meia-entrada, até porque me falta conhecimento para isso. Entretanto, acho que o direito à meia-entrada deve ser discutido pela sociedade e governo brasileiros, e não suspenso ou revogado, ainda que temporariamente, em função dos jogos da Copa de 2014.

    Anderson
    Temo que a matemática nesse caso não seja assim tão simples e lógica. Levando-se em consideração as gratuidades, cortesias – sem falar nas isenções fiscais – e outras “cositas mas” que virão no Pacote da Copa, 1+1 com certeza passará de 2.

    Davi
    Li o seu artigo e concordo plenamente. Quando consumimos futebol da maneira que vc coloca, acabamos confundindo esporte e imagem. E nesse caso, sediar uma Copa do Mundo talvez seja a cereja do bolo para muitos, ainda que essa cereja e esse bolo saiam às custas de menos educação, saúde, transporte, …

    João
    Eu realmente não vejo a iniciativa da PROTESTE como uma ameaça à nossa imagem lá fora. E não acho que esse enfrentamento seja uma maneira de “roer a corda”.

    Só para terminar eu, particularmente, não sou a favor da Copa de 2014. Acho que sediar mega eventos esportivos, hoje, é para aqueles que têm dinheiro sobrando e escrúpulos faltando. Além disso, é realmente uma pena que entidades de proteção ao consumidor tenham de se ocupar dessas questões justamente num momento em que o CDC precisa de revisões sobre assuntos da máxima importância como o superendividamento, por exemplo.

  • ANDERSON

    Adriana

    Eu também era radicalmente contra a copa, no entanto em que outra circustâncias o país iria investir tanto em infra-estrutura e transporte coletivo senão nestes anos pré copa?

    Quanto a meia entrada não falo somente no caso da copa, mas sim numa visão ampla, hoje por exemplo o ponto de equilibrio da bilheteria de um cinema é mais elevado por causa da meia entrada, em locais aonde o nº médio de público é baixo o negócio se torna inviável.

    Ai pergunto o que é melhor em temos de cultura, levar o cinema e espetáculos a cidades menores e aumentar muito o nº de salas de projeções do país ou oferecer desconto para estudantes e aposentados?

    att
    Anderson

  • Adriana Spacca Olivares Rodopoulos

    Ai Anderson, sei não…esses investimentos em infraestrutura em função da Copa, com estádios sendo construídos no meio do nada, obras feitas a “toque de caixa”, orçamentos astronômicos, não tenho tanta fé assim, não. Espero, sinceramente, que vc esteja certo.

    Mas com relação a levar cultura para além do eixo Rio-São Paulo, será que podemos colocar a meia-entrada como a grande vilã? É o que eu disse antes, me falta conhecimento para ter uma posição quanto a isso.

    E toda essa discussão em torno da “meia” me fez pensar na meia-entrada oferecida por instituições financeiras aos seus clientes…

    Bem, de qq forma muito obrigada pelo papo! Vou tentar me inteirar melhor do assunto e quem sabe não escrevo mais alguma coisa à respeito, afinal, como já disse, essa é uma questão que, ao meu ver, deve ser discutida por nós, brasileiros.

    Abraço,
    Adriana

  • Crítico

    Que porcaria.
    Não deveria ter nem ao menos Copa.
    Os caras roubam da saúde, educação e segurança, agora vão usar um monte de dinheiro que era pra ser usado em algo importante e gastar nisso.
    NÃO TEM UTILIDADE NENHUMA PARA O PAÍS, EXCETO PARA A POLÍTICA DO PÃO E CIRCO DO GOVERNO.
    Estádios abandonados, igual aos que já vimos na TV, não movimentam economia nenhuma.

  • http://twitter.com/tarciozemel Tárcio Zemel

    Assistam “Segredos Sujos da FIFA”. Sem mais.

    http://www.youtube.com/watch?v=4FDQgn2oYEw

  • http://www.facebook.com/people/Luciano-Jesus/1526756847 Luciano Jesus

    A copa não é do Brasil, é da FIFA, pra nós só resta a conta.