Riqueza e qualidade de vida: é rico quem pensa como rico.

01 mar Finanças Pessoais

Riqueza e qualidade de vida: é rico quem pensa como rico.

Quer ficar rico? Aprenda a pensar como um rico! O conceito de riqueza deve levar em conta a geração de fluxo de caixa, não apenas o patrimônio material. Entenda!

por Elisson de Andrade
há 2 anos

Riqueza e qualidade de vida: é rico quem pensa como rico.Em minhas aulas e palestras, costumo usar os termos RICO e POBRE com bastante frequência – inspirado no famoso livro “Pai Rico Pai Pobre”. Porém, em tais ocasiões, antes que qualquer ouvinte me acuse de politicamente incorreto, também costumo deixar bem claro o que cada um desses dois termos representa e significa para mim. É exatamente esse ponto de vista que gostaria de compartilhar com os leitores do Dinheirama.

Primeiramente, uso as palavras RICO e POBRE para diferenciar como as pessoas pensam (e, por consequência, agem), e não pelo quanto ganham por mês. Perceba que a diferença é imensa. Por tal conceituação, uma pessoa que tenha renda mensal de R$ 15.000,00 pode ser considerada pobre, enquanto outra com renda de R$ 1.500,00 pode ser rica. Isso simplesmente pelo fato de pensarem e agirem de maneiras diferentes. Para exemplificar como isso é possível, apresento o famoso exemplo da caixa d’água.

A riqueza e a caixa d’água
Imagine a situação de uma casa em que a caixa d´água que a abastece esteja completamente cheia. Essa fartura momentânea pode fazer com que os moradores da casa comecem a gastar mais água do que a bomba consegue repor. Assim, se ao longo do tempo as saídas forem maiores que as entradas, a caixa um dia ficará vazia e os moradores passarão sede.

Repare que esse exemplo, discutido de maneira pormenorizada em meu artigo “Entenda o Balanço Patrimonial e o Fluxo de Caixa”, demonstra que, para evitar problemas futuros, não adianta a caixa d´água estar cheia. É preciso que o fluxo de água seja constantemente positivo.

No campo financeiro, isso significa dizer que não basta ter patrimônio. É preciso que, consistentemente, as receitas mensais sejam maiores do que as despesas – na verdade, essa é a única maneira de se aumentar a riqueza. Aliás, se quiser medir sua riqueza, acesse este excelente artigo dos amigos do Blog Quero Ficar Rico.

Ricos e pobres pensam de maneira diferente
Com base no exemplo da caixa d´água e sua possível analogia com as finanças pessoais, já é possível delinear a diferença de pensamento entre pobres e ricos. Acompanhe a seguir.

Os pobres
Os indivíduos que se encaixam nessa definição têm sua conceituação sobre riqueza financeira baseada em quantos ativos se tem no Balanço Patrimonial. Isso significa que olham apenas se a caixa d´água está cheia.

Ainda é preciso destacar um detalhe importante: a riqueza percebida pelos pobres está geralmente associada a ativos que dão despesa. Isso porque, apesar de investimentos[bb] também serem ativos, o POBRE associa riqueza a quem possui casa de luxo, carros importados, roupas de grife etc., bens que geram mais despesas e aumentam as responsabilidades financeiras da família.

Ao lidar com as finanças pessoais, sua intenção é potencializar o consumo, acreditando que seu bem estar e qualidade de vida estão diretamente associados à quantidade de bens e serviços que consegue obter, nem que para isso seja preciso endividar-se.

Os ricos
As pessoas pertencentes a essa categoria dão grande importância ao fluxo de caixa, isto é, tomam providências para que, sistematicamente, entre mais líquido do que saia na caixa d´água. Dessa forma, é possível verificar que o RICO abre mão do consumo imediato e exacerbado em troca de receitas maiores que suas despesas. O destino para a “sobra” do dinheiro é inteligente: compram ativos que geram mais receita; ou, em outras palavras, investem.

Conclusão
Com base na argumentação construída ao longo do texto, é possível perceber claramente que diferencio POBRES e RICOS pela maneira como definem riqueza[bb] financeira. A maneira como pensam e agem são completamente distintas e independem de sua receita mensal.

Obviamente, uma pessoa RICA e com alta renda mensal, conseguirá atingir a independência financeira mais rapidamente que outra com renda menor, mas definitivamente o quanto se ganha não é condição suficiente para geração da verdadeira riqueza financeira.

A realidade é uma só: se você pretende se tornar uma pessoa rica, pense e aja como tal, independentemente de sua renda atual!

Boa sorte em suas finanças e vida pessoal. Até a próxima. Foto de sxc.hu.

  • Anônimo
  • Anônimo
  • Renato C

    Post perfeito e didático !

  • Celso

    O tópico do artigo – a riqueza e a caixa d´água – é excepcionalmente claro !
    Pena que temas assim não sejam tratados pela rede pública de ensino. Seria de uma importância …

  • Germano

    São assuntos como este que precisam entrar na pauta de discursão de muitas salas de aula, inclusive de universidades, pra que tenhamos uma sociedade mais justa e esclarecida a respeito do que realmente é riqueza e qualidade de vida. Sobreviver a inumeros bombardeios diários de apelos do consumismo somente com doses cavalares de consciencia financeira.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Prof. Elisson,
    Excelente analogia. Didática, perfeita.
    Com exemplos simples e práticos assim, entender a lógica do que faz alguém ser rico ou pobre fica mais fácil.
    Parabéns, gostei demais do artigo.

    Abraço meu amigo.

  • http://www.facebook.com/people/Andersson-Melo/603251596 Andersson Melo

    Essa ideia de pensar como rico também aparece no livro Segredos da mente milionária de T. Harv Eker.

  • http://twitter.com/Prof_Elisson Elisson de Andrade

    Poxa Pessoal, agradeço as palavras de todos aqui

  • empregodinheiro

    Este seu exemplo da caixa de água faz lembrar, outra teoria sobre como as pessoas interpretam quando observam um copo de água, em que o copo está meio cheio para uns, ou meio vazio para outros…

  • http://ricardokozima.com/ Ricardo Kozima

    Olá Elisson!

    Belo artigo! Cada vez mais percebemos o quanto é importante adquirir uma educação financeira.

    Grande abraço,
    Ricardo Kozima

  • Fernando Mendes Nolasco

    Excelente artigo! A visão de riqueza e seus consequentes pensamentos, estimulam os princípios da educação financeira, fundamentais para o alcance do equilíbrio e estabilidade pessoal.

  • Junior Gonçalves

    Ellison,
    já li o livro “Pai rico, pai pobre” e acho que você soube sintetizar muito bem a diferença da mentalidade entre as pessoas “ricas” e as “pobres”, coisa que é claro, não tem nada haver com sua renda mensal.

    Parabéns pelo artigo.