De um lado, muitas pessoas estão alertando para a gravidade catastrófica da crise econômica e política no Brasil, que está cada vez mais intensa. Por outro caminho, há aqueles que negam ou preferem ignorar a crise, alegando que tudo é uma questão de mentalidade e os pensamentos devem ser direcionados para as oportunidades existentes.

No meio de tanto “tiroteio”, quem está com a razão?

Antes de discutir o tema, gostaria de comentar que, na pequena rua onde eu moro, está ocorrendo uma fase impressionante de construção, com cinco casas sendo erguidas e duas sendo reformadas.

Agora, será que uma visão tão restrita poderia me credenciar a escrever algo perguntando, com arrogância e presunção: “Cadê a crise?”. Embora muita gente esteja fazendo exatamente isso, a resposta certamente é negativa – isso porque esse comportamento seria baseado numa perspectiva muito limitada.

Por isso, antes de darmos atenção para quem está defendendo algum posicionamento no contexto atual, é necessário parar e analisar os dados e pontos de vista de forma abrangente (lembrando que, em muitos casos, há interesses ocultos por parte de quem ergue bandeiras, principalmente com a intenção de usá-las para tapar os olhos dos demais).

Desse modo, para quem procura pensar e agir com seriedade, a atitude essencial é procurar a verdade, mesmo sabendo que, no mundo atual, a maioria das pessoas está buscando simplesmente “mentiras reconfortantes”.

Dessa forma, considerando que os leitores do Dinheirama.com são inteligentes e bem informados, vamos partir do pressuposto evidente de que estamos realmente numa crise sem precedentes.

Os indicadores econômicos, notícias e análises (realizadas com seriedade) estão à disposição para mostrar essa realidade e, indo além, claramente não há nenhum sinal objetivo e concreto de que haverá uma melhora nos próximos meses e anos, caso o atual arranjo seja mantido.

Levando em conta as teorias que analisam mais profundamente os ciclos econômicos, percebe-se que o Brasil ainda tem muito a colher em relação aos equívocos que foram plantados. Até por conta disso, na minha visão, estamos diante de uma situação de colapso.

De certo modo, a seguinte afirmação do presidente do Grupo Ultra, Paulo Guilherme Aguiar Cunha, em recente entrevista ao Estadão, resume bem o momento vivenciado pelos brasileiros: “Eu já vi o País parado e assustado em muitas crises, mas nunca o vi tão sem esperança como vejo hoje”.

Agora chegando ao ponto central deste artigo: se existe uma crise tão séria ocorrendo, o que você deve fazer? Para onde direcionar o seu foco em meio ao caos vigente?

Foco interno e externo (algo de que muitos se esquecem)

Como diz Daniel Goleman, no seu livro “Foco”, a “atenção, do latim attendere, entrar em contato, nos conecta ao mundo, moldando e definindo nossa experiência”.

Na mesma obra, comentando sobre a tríade do foco composta pelo foco interno, pelo foco no outro e pelo foco externo, temos a seguinte lição fundamental:

“O foco interno nos põe em sintonia com nossas intuições, nossos valores principais e nossas melhores decisões. O foco no outro facilita nossas ligações com as pessoas das nossas vidas. E o foco externo nos ajuda a navegar pelo mundo que nos rodeia. Um líder fora de sintonia com seu mundo interno será um desorientado, um líder cego para o mundo dos outros será um desinformado; os líderes indiferentes aos sistemas maiores dentro dos quais operam serão pegos de surpresa”.

Considerando esses ensinamentos, fica clara a importância de equilíbrio envolvendo nosso foco, que deve ser mais amplo do que normalmente as pessoas imaginam.

Para exemplificar na prática, pensando no assunto deste texto, o comportamento mais interessante no momento atual é o de procurar entender e acompanhar com efetividade o cenário crítico envolvendo o Brasil, agindo e tomando as atitudes que estiverem ao seu alcance para colaborar nas (mais do que) necessárias mudanças.

Lembre-se de que “ser omisso” é algo triste e lamentável, o que pode ser resumido na seguinte frase de Dante Alighieri: “No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise”.

No entanto, ao mesmo tempo em que analisa e participa das ações relacionadas com o ambiente em que você vive, é essencial manter em ótimas condições o seu foco interno e poder de ação.

Nesse sentido, merecem ser ouvidas as pessoas que estimulam e inspiram atitudes para que, na sua vida pessoal, você não fique abatido pela crise.

Mais do que isso, o momento requer energia e visão em dose extra, para enxergar perigos, buscar as melhores alternativas e criar as oportunidades para superar os desafios crescentes. Independentemente dos rumos do Brasil, a sua vida continua e sempre existirão possibilidades positivas a serem desenvolvidas.

Como exemplo, o mercado digital brasileiro permanece com boas perspectivas e há inúmeros casos de empresas e empreendedores que estão crescendo nos nichos existentes nesse ramo.

Como disse o admirável empresário e autor Flavio Augusto, do canal Geração de Valor:

“As oportunidades são incontáveis no mercado. Na crise, ainda mais, pois esta afasta os que têm medo de navegar em mares revoltos. A concorrência diminui, mas diferentemente do que se pensa, ainda há muito peixe neste mar. (…)

Dias de ventos, chuva e ondas assustadoras são o terreno fértil para quem não se intimida com a dissolução das zonas de conforto. Ao contrário, essa é a hora em que as cartas são redistribuídas no jogo e que a riqueza muda de mão e os que confiavam em sua aparente estabilidade veem seus castelos desmoronando diante de seus olhos”.

Portanto, o momento é de manter olhos e ouvidos atentos, mas continuando com a mão na massa. Não seja como determinados venezuelanos que, no passado, acreditaram que a crise seria passageira e, agora, afundam severamente por não terem se preparado.

Conclusão

Diante da gravidade extrema da situação econômica e política do país, é importante que você se mantenha informado e atento a conteúdos relevantes produzidos por fontes confiáveis.

O monitoramento precisa ser constante, para evitar amargas surpresas e, principalmente, para atuar nos momentos em que for preciso. Engana-se quem pensa que surgirão soluções sem iniciativas efetivas dos indivíduos e empresários.

Simultaneamente, nos seus projetos, planos e ações na vida pessoal e profissional, deve ser preservada a capacidade de ser otimista e ter atitudes para criar e aproveitar oportunidades. Como já dizia Hellen Keller: “O otimismo é a fé que leva à realização. Nada pode ser feito sem esperança ou confiança”.

Não ignore a crise, mas não se entregue a ela. Algumas pessoas oferecerão oportunidades e outras as aproveitarão. Finalmente, recordando, de novo, das lições do Flávio Augusto, vale prestar atenção neste pensamento que resume tudo que foi falado até aqui:

“Não entre na pilha dos que entram em desespero correndo de um lado para o outro, achando que agora é o fim. Por isso, não negue a tempestade, porque ela de fato está aí, mas navegue com coragem e visão em busca de seus projetos, porque é justamente entre a noite escura e o dia que está preste a chegar que, em meio a escuridão, a sua hora vai chegar… se você navegar com visão, coragem e competência”.

PS: Nos últimos anos, você tem acompanhado diversos artigos meus aqui no Dinheirama sobre o tema envolvendo “finanças e carros”. Essas análises permanecerão acontecendo. Enquanto isso, também estou envolvido em um promissor projeto relacionado com finanças pessoais, que trará um conteúdo bem inovador e útil para os novos tempos. Para saber de novidades e ter acesso a condições especiais no futuro, peço a gentileza de encaminhar um e-mail copiando o título “Quero mais informações sobre Finanças Pessoais” para o meu endereço atual: [email protected]. Caso você queira fazer algum comentário adicional sobre os seus desafios financeiros atuais, será bem bacana e ficarei agradecido. Essas observações serão levadas em conta para elaboração de melhores materiais.

PPS: Para trazer uma motivação adicional para quem está enfrentando as dificuldades com a crise do Brasil, gostaria de compartilhar uma das melhores entrevistas que eu já vi na vida. Ela foi gravada com o Dr. Viktor Frankl, psicólogo sobrevivente de Auschwitz, tratando do assunto relativo a como superar as mais sérias adversidades. A primeira pergunta é justamente “Por que certas pessoas são fortes e conseguem superar os seus problemas e outras não?”. Assista abaixo:

Obrigado pela atenção, forte abraço e até a próxima!

PPPS: Para facilitar o controle dos gastos com o seu carro, eu elaborei uma planilha completa e de fácil preenchimento. Ela permitirá cuidar melhor do seu orçamento e você pode baixá-la agora, gratuitamente, no seguinte link: →  http://bit.ly/PlanilhaCarro

Foto “Standing woman”, Shutterstock.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Excelente Leandro! No fundo, tudo resume-se a mantermos nosso protagonismo, nunca permitindo deixar a vida, as crises, nos levarem.

    E sucesso no novo projeto!

    Abraço!

    • Leandro Mattera

      Muito obrigado pelo comentário, André! Creio que é uma mensagem bem importante para o momento e para o que vem pela frente. Fico contente de saber que gostou do conteúdo. Abraços!

  • Cristiano Lima

    Achei ótimo esse post. É interessante notar que sempre há oportunidades, mas elas são reservadas apenas a aqueles que não são reclamações nem preguiçosos. São reservadas a aqueles que não ficam parados se lamentando optando por seguir em frente com determinação e coragem. Com crise ou não devemos assumir a responsabilidade de nosso futuro e fazer algo para mudar e melhorar sempre.

    • Leandro Mattera

      Olá, Cristiano! Agradeço mesmo pelas palavras e pelo ótimo comentário. Muito bacana que tenha essa mentalidade e valorize as atitudes. Obrigado e abraço!