A pergunta do título é frequente e está no meu dia a dia. Muitos empreendedores têm dificuldade de encontrar um Investidor Anjo no Brasil ou até mesmo entender o momento de buscar investimento.

De forma objetiva, o que o empreendedor precisa saber é que ele deve se preparar muito antes de procurar um investimento. O ideal é apresentar sua ideia quando ela estiver pelo menos em estágio validação ou pronta para se manter e crescer.

Mas uma coisa é certa, o melhor momento para buscar investimento-anjo é quando você não precisa dele, isso porque não é somente dinheiro que conta nesta relação.

Além disso, uma boa equipe de founders e desenvolvimento do projeto é fator fundamental para essa escolha, afinal investidores-anjo investem em pessoas e não somente em negócios.

Leitura recomendada: Por que o Investimento Anjo é um bom negócio?

Pois bem, preparei 5 dicas para te ajudar na busca pelo Investidor Anjo para seu projeto.

1. O que o investidor pergunta para o empreendedor?

  • Qual a oportunidade?
  • Qual é o problema que seu projeto irá resolver?
  • Qual a inovação? Quais são suas diferenças em relação ao que já existe?
  • Qual é a solução? Como seu negócio irá atender a esta necessidade?
  • Qual é o mercado? Qual é o perfil dos clientes?
  • Quais recursos? Quanto precisa de dinheiro, em quanto tempo e para quê? Além de dinheiro, do que mais precisará?
  • Qual a receita estimada? Qual, como, em quanto tempo e de onde vem o ganho e a monetização?
  • Quem são os players de mercado? Quem são os principais concorrentes diretos e indiretos?
  • Quais as hipóteses testadas? Quais as barreiras de entrada?
  • Qual o estágio do projeto? Inicial, protótipo, pronto, faturando?
  • Qual o time? Descreva um pequeno histórico de cada sócio, principais atividades e participações no negócio.

 2. Como fazer um Pitch?

A receita para um bom pitch para investidor passa preferencialmente por essa ordem de slides: exposição do problema, solução, mercado, concorrentes, modelo de negócio, demonstração, equipe, expectativas, investimento e um final surpreendente (encantamento).

3. Como conseguir Investimento-Anjo?

Não existe receita de bolo, mas dependendo do estágio do seu projeto existem alguns caminhos para encontrar este “patrocinador” dependendo da situação de quem me pergunta. Alguns exemplos:

  • Se é apenas uma ideia na cabeça, procure por conhecidos e parentes, eles poderão ser seus anjos e/ou participe de eventos como o Startup Weekend;
  • Se é um projeto validado, mas ainda em desenvolvimento, procure prioritariamente por um empresário que tenha afinidade ou interesse no segmento do seu negócio, ele pode se transformar em um anjo e/ou submeta seu projeto a uma aceleradora;
  • Se é um projeto já pronto e que precisa de tração, venda seu serviço ou produto no mercado (os clientes serão seus investidores);
  • Participe de eventos e demonstre o que você faz;
  • Submeta à avaliação de anjos experientes para ter um “padrinho” ou quem sabe um Deal Leader, para uma captação de investimento;
  • Faça a captação em uma Plataforma de Equity Crowdfunding;
  • Se é um projeto que tem escala, tração e faturando que precisa internacionalizar, procure um investidor sênior que possa te ajudar a fazer a ponte com rodadas maiores de investimento. Tenha em mente que investidores bem-sucedidos e qualificados têm teses de investimento definidas e/ou publicadas que filtram negócios e oportunidades e você deve primeiro verificar se o seu negócio se encaixa no que o investidor procura;
  • Dependendo do valor de sua startup no estágio mais avançado, procure diretamente um investimento seed ou Venture Capital.

Leitura recomendada: Startup: Como Calcular o Valuation e a Participação do Investidor-Anjo?

 4. Quanto tempo demora?

O processo para entrada de um investidor-anjo no seu negócio pode demorar três meses ou mais desde o interesse do investidor até a assinatura dos termos e o início dos aportes.

Se você tem pressa, pode assustar o investidor, pois este tipo de investimento requer tempo para estabelecer uma relação de parceria e confiança mútua, ou pode simplesmente fazer ou falar ou conceder coisas que possa se arrepender depois.

5. Quais as coisas importantes que o Empreendedor tem que se preocupar?

Procure por um Mentor primeiro para receber orientação; esse mentor pode fazer o aporte de experiência e conexões com investidores no mercado. Tenha um propósito definido, se possível até uma causa.

A oportunidade se abre para quem se abre para ela. Apareça nos eventos certos, mantenha interação frequente com investidores não somente para pedir dinheiro. Torne-se um seguidor, antes de qualquer coisa.

A melhor hora de buscar um investidor é quando você não precisa imediatamente ou desesperadamente do dinheiro dele. Isso assusta! Neste caso, procure um outro tipo de financiamento ou banco.

Demonstre seu track record em negócios anteriores ou que seu negócio atual está maduro o suficiente para provar que vai dar certo.

Ah, não fale demais, mantenha o “Simancol” em ótimo nível. O investidor não entrará somente com o dinheiro, ele certamente vai participar das decisões e rumos do negócio, então ofereça um assento no Conselho.

Valorize seu time, afinal ninguém é tão bom ao ponto de fazer tudo sozinho. Procurar por outros aportes além do dinheiro, aportes de experiência, conexões e mentoria também é importantíssimo.

Um investidor-anjo não investe em um ponto, mas sim em vários pontos, investe em uma barra de progresso na linha do tempo de um negócio. Seja humilde e muito cuidado com a arrogância do sabe tudo.

A dica final que eu deixo é que investimento é uma relação de longo prazo e envolve riscos para ambas as partes, portanto quanto mais ajustada e combinada, melhor.

Leitura recomendada: O Investidor Anjo e Seus Riscos Jurídicos

Foto “Attract Money”, Shutterstock.

João Kepler
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários