O tão esperado ano de 2016 chegou! Para quem estava de saco cheio de 2015, eis que estamos enfim em 2016. Ano novo, novos projetos, novas expectativas, mas algo permanece exatamente igual: as elevadas despesas do mês de janeiro.

Além das contas – que não são poucas – que precisamos pagar tradicionalmente todo santo mês, em janeiro surgem despesas extras para “reforçar” o nosso orçamento. Matrículas de escolas e faculdades, compra de material escolar, IPVA, IPTU, sem falar nos parcelamentos que foram feitos para bancar os presentes, festas e viagens de fim de ano e que começam a surgir na fatura do cartão.

Se você tem os hábitos da maioria dos brasileiros, é provável que, além de não ter economizado seu décimo terceiro salário para ajudar nas despesas do início do ano, você também tenha gastado além da conta no mês passado.

Resumindo: seu ganho extra já foi embora, mas as despesas extras continuam aí para serem pagas. O que fazer então nessa hora?

Como diria Chico Xavier em um de seus belos poemas: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”. É isso que você precisa fazer! É isso que eu preciso fazer! É isso que qualquer pessoa que saiu da linha precisa fazer: começar agora e fazer um novo fim – sem dívidas, de preferência.

Os problemas – contas – já estão aí! Choramingar não irá resolvê-los. O que precisamos fazer é encontrar uma maneira de solucionar esses problemas para que eles não se acumulem e virem uma “bola de neve”. Acredite, o resultado disso nunca é bom.

Leitura recomendadaAtenção para as despesas do início de ano

De maneira prática, existem duas formas de solucionar essa questão: reduzindo as despesas ou aumentando as receitas.

Como surgiram gastos extras, uma das alternativas que você possui para não ficar no vermelho é segurar as pontas. Reduzir ao máximo todas as suas outras despesas do mês. Alimentação, transporte, lazer, tudo precisa ser reduzido para que você consiga comportar no seu orçamento atual as novas despesas sem se tornar inadimplente.

A outra alternativa que você tem à sua disposição é aumentar suas receitas. Nada melhor para combater uma despesa extra do que uma renda extra. Assim, você não precisaria reduzir seus demais gastos, pois sua nova renda supriria as suas necessidades.

Talvez você esteja pensando: “Bacana, achei interessante, mas como conseguir essa renda extra? Eu já passo o dia trabalhando, não tenho tempo para mais nada. Não sei fazer outra coisa, a não ser o que eu faço”. Pois é, conseguir uma renda extra vai exigir esforço extra da sua parte.

Você vai precisar sair da sua zona de conforto e procurar alguma alternativa que possa ajudar nessa tarefa. Fazer algum “bico” aos finais de semana, trabalhar com a venda de algum tipo de mercadoria ou, quem sabe, se desfazer daquele monte de tralha que está aí entulhada na sua casa através da Internet. Lembre-se: todo dinheiro que entrar será de grande valia.

Por segurança, sugiro que você trabalhe tanto na redução das despesas quanto na busca por novas receitas. Se um não funcionar muito bem, pelo menos ainda te restará o outro. E, por favor, no próximo fim de ano, gaste com parcimônia. Começar o ano neste aperto ninguém merece!

Leitura recomendadaA melhor e mais completa planilha de controle financeiro (download gratuito)

Foto “2016 ahead”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários