Sempre foi imensa a polêmica envolvendo as vantagens e desvantagens relacionadas a compra de carros zero quilômetro ou usados. Um dos argumentos mais utilizados pelos defensores dos veículos novos é a suposta maior tranquilidade decorrente de menos problemas e defeitos que necessitam de manutenção e reparo.

Na verdade, esse pensamento é apenas mais um entre tantos mitos que rondam o mundo automotivo. O objetivo deste artigo é justamente tratar desse assunto com uma visão pouco convencional.

Há mais de 3 anos, os leitores do Dinheirama têm acompanhado minhas análises envolvendo os critérios para a boa escolha de qual carro comprar, considerando tanto o lado técnico quanto financeiro.

Uma das ideias que mais defendo é necessidade de, antes de tudo, buscar modelos de carros com bom projeto e boa qualidade de construção, principalmente considerando o retrospecto e pós-venda das melhores marcas.

Outro ponto essencial é o foco na boa conservação e realização rigorosa da manutenção preventiva, a qual permite que bons carros durem por muito tempo.

Mencionados estes aspectos, vamos a alguns exemplos recentes que mostram sérios problemas envolvendo carros 0km (lembrando que são casos meramente ilustrativos, considerando que diversas outras fabricantes também têm enfrentado situações parecidas, haja vista o aumento no número de recalls nos últimos tempos).

Conforme matéria da revista Quatro Rodas, o novo Ford Ka, que está realizando o teste dos 60 mil km, há pouco tempo acabou sofrendo uma pane durante uma viagem decorrente do superaquecimento do motor, sendo guinchado.

Segundo a revista, a própria Ford reconhece uma série de outros casos semelhantes. Vale lembrar que esse teste, pelas condições propostas, envolve muitos trajetos em estrada, o que em tese desgasta menos ainda o veículo.

Aproveitando o gancho, também têm sido notórios os problemas no câmbio Powershift (de dupla embreagem) da mesma fabricante. Esses casos envolvem diversos modelos ainda bastante novos.

Leitura recomendada: Carros: O Maior Erro na Hora da Compra. Evite-o a todo custo!

Para que ninguém pense que isso se restringe a carros mais acessíveis ou mesmo ocorra apenas nos nacionais, vale lembrar de um relato atual, publicado no site inglês Car Throttle, mostrando alguns defeitos eletrônicos em um luxuoso carro da Jaguar, com dois meses de uso, que o levaram a ficar uma semana parado. Nos comentários, especialmente do leitor Lee Palmer, há problemas mais sérios.

Essas situações acabam trazendo uma série de transtornos, além da perda de tempo e energia por parte dos proprietários. Isso pode ser ainda mais grave quando as falhas comprometem a segurança do automóvel e seus ocupantes.

Analisando com um pouco mais de profundidade, fica evidente que essa tendência tem se acentuado principalmente após a crise de 2008. Pressionadas pela redução de custos e procurando desenvolver projetos em menos tempo, as fabricantes e seus fornecedores têm pecado no controle de qualidade.

Em uma matéria publicada pelo IG, na qual eu fui entrevistado, ficou demonstrado que o número de reclamações envolvendo carros 0km aumentou bastante desde 2009.

Além disso tudo, nem sempre a garantia tem servido como solução, considerando o comportamento de determinadas marcas e sua rede de concessionárias.

Portanto, não é o simples ato de comprar um carro zero quilômetro que assegurará tranquilidade. A escolha de qual carro comprar exige um planejamento consistente, tal como procurei apresentar no método disponível no meu livro, o “Como Escolher o seu Carro Ideal” (clique agora para conhecer).

Nessa mesma obra, também apresento de maneira completa a minha visão sobre os benefícios da compra de carros usados. Em síntese, esse caminho tende a ser muito interessante em grande parte dos casos, desde que respeitados diversos critérios, principalmente relacionados com a qualidade do modelo pretendido e seu estado de conservação.

Evidentemente, cada pessoa (e cada família) possui um perfil de uso e capacidade financeira diferentes. Dessa forma, a escolha de qual carro comprar (ou a análise se vale a pena trocar) precisa ser objeto de planejamento e pesquisas.

Afinal, uma boa compra, tanto de 0km quanto de usado, tende a trazer mais satisfação, possibilitando a propriedade do carro por mais tempo, o que tende a ser bastante vantajoso também do ponto de vista financeiro.

PS: Para ajudar você a controlar melhor os gastos crescentes com seu carro no dia a dia, eu também elaborei uma planilha completa e de fácil preenchimento, que pode ser baixada (gratuitamente) no seguinte link: → http://bit.ly/PlanilhaCarro

Obrigado pela atenção, um forte abraço e até a próxima!

Leitura recomendada: Carros: as bizarras maquiagens esportivas que custam (muito) caro!

Foto “Red triangle sign”, Shutterstock.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários