Cíntia comenta: “Navarro, sei que você é ótimo nisso, então de forma simples e objetiva, por favor, me diga que investimento tenho que fazer para substituir a poupança por algo que ganhe da inflação. Sou muito leiga no assunto, estou estudando, mas gostaria de resolver isso primeiro. Obrigada”.

Direto ao ponto (risos), sempre! Gosto muito da ideia de montar um “passo a passo” para fazer essa troca de investimentos. Há algo importantíssimo na mensagem de hoje: a preocupação em obter rentabilidades reais (acima da inflação).

Vamos então aos passos:

1. Substituindo a poupança por um investimento com lucros reais

Recordando, hoje a caderneta de poupança não é um investimento interessante porque ela oferece um rendimento menor que a variação da inflação. Então, apesar dela fazer seu dinheiro crescer, isso não é o suficiente porque não protege seu poder de compra, que fica corroído mês a mês ou ao final de qualquer período de comparação.

O produto que melhor se enquadra como um substituto da poupança é o Tesouro SELIC. Ele é um título público emitido pelo governo e disponibilizado às pessoas físicas através do programa chamado Tesouro Direto.

Trata-se de um título que acompanha a taxa SELIC, que no momento em que escrevo está em 14,25% ao ano (bruto) e que, mesmo descontando os impostos e taxas, ainda vence a inflação que está em torno de 9,7% ao ano (IPCA).

Leitura recomendada: Faça como outros milhares de brasileiros: fuja da Caderneta de Poupança!

2. Escolhendo a instituição financeira para comprar títulos públicos

Uma das dúvidas mais comuns dos investidores iniciantes em títulos públicos é como comprá-los. Da mesma forma que você precisa de um banco para aplicar seu dinheiro na caderneta de poupança, você precisará de uma instituição financeira (que pode ser um banco ou uma corretora de valores), para comprar seus títulos públicos (que nosso caso aqui, é o título que se chama Tesouro SELIC).

Como as taxas administrativas cobradas pelos bancos costumam ser bem maiores que aquelas cobradas pelas corretoras de valores, sugiro que você abra uma conta numa corretora. Se você não mora numa capital, você não vai encontrar uma corretora na sua cidade, mas isso não é um problema.

Hoje, com a internet, é muito fácil resolver isso, pois você pode abrir sua conta acessando o site da corretora e preenchendo um cadastro (clique aqui). Basta seguir as instruções na tela e em até 48 horas sua conta estará aberta. Aí basta transferir o dinheiro que deseja aplicar da sua conta no banco para a sua conta na corretora (que funciona como ser fosse um banco, só que bem mais simples).

Como praticamente todo mundo pergunta qual corretora eu utilizo para aplicar meu dinheiro, já vou logo dizer que é a Rico.com.vc, e os links que coloquei nos parágrafos anteriores vão direcionar você para a página de cadastro deles. Mas fique à vontade para usar a instituição financeira que você desejar.

3. Comprando os títulos Tesouro SELIC

Seja qual for a instituição financeira que você for utilizar, haverá na sua área de clientes no site da instituição um local para que você clique e escolha quais e quantos títulos você deseja comprar. Vou dar o exemplo abaixo, que mostra a tela da corretora que utilizo:

Passo a passo para trocar a poupança por um investimento melhor

Neste caso, basta você apertar aquele botão azul do “carrinho de compras” e escolher a quantidade de títulos. Pronto! Tesouro SELIC comprado.

Vídeo recomendado: Tudo que você precisa saber sobre a Caderneta de Poupança

Considerações finais

Uma dica para quem pretende comprar um pouco de títulos a cada mês e em valores mais baixos: como a transferência do dinheiro do banco para a corretora é feito através de uma TED, e a maioria dos bancos cobra algo próximo de R$ 8,00 para cada TED executada na sua conta corrente convencional, procure abrir uma conta digital no banco de sua preferência. A conta digital não cobra envio de TED.

Por fim, a primeira vez que você executar este procedimento, vai achar tudo muito estranho, pois é algo novo. Depois, como tudo na vida que praticamos um pouco, passará a fazer parte de sua rotina. Portanto, não deixe que a preguiça de experimentar o novo te impeça de cuidar melhor do seu suado dinheiro. Abraços e até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Olá Conrado, ótimo artigo
    Direto ao ponto mesmo, e de forma simples de entender. Muitas pessoas deixam de fazer investimentos melhores que a poupança por acharem tudo complexo…quem sabe com este artigo mais pessoas começam a investir melhor seu dinheiro.
    Abraços

  • Juliany Martins

    Muito bom texto! Esclareceu-me muito!
    Só ainda me restou uma dúvida… Qual é a diferença entre entrar na plataforma do Tesouro no meu banco ou investir nos títulos de renda fixa que estão disponíveis na própria plataforma do Internet Banking, o que são esses títulos que são tidos como de risco baixo?

    • Jumbonium

      Aparte os títulos do Tesouro, existem os títulos privados como LCI (Letras de Crédito Imobiliário), LCA (Agrícola), CDB (capital de giro dos bancos) e debêntures (empréstimo que empresas pegam no mercado). Cada um financia uma atividade e podem ou não estar segurados pelo Fundo Garantidor de Crédito em até R$ 250 mil. Alguns tem liquidez periódica, permitindo resgatar juros diários, mensais ou semestrais, outros exigem a permanencia do investimento pelo prazo contratado, que pode ser de até 5 anos. Alguns pagam imposto de renda, outros não. Tem várias questões a se levantar antes de adquirir um título de renda fixa, em geral não vale a pena comprar pelos bancos pois as taxas são maiores que das corretoras. Muitos bancos não oferecem títulos, mas fundos de investimento.

      • Juliany Martins

        Muito obrigada pela resposta! 🙂

  • Darty Lima

    Excelente Texto.

  • ANA

    Gostaria de saber se posso investir pela poupança? transferir o dinheiro da poupança para a corretora rico??