Assunto polêmico e que está muito relacionado à educação financeira.

Essa tal reforma da previdência, em minha opinião, é necessária para controle dos gastos do governo. Não tem para onde correr! Fazendo uma pequena reflexão, já conseguimos perceber que a conta não vai fechar.

A população está ficando cada vez mais velha. A expectativa de vida vem crescendo, portanto, os aposentados da previdência social irão receber aposentadoria por mais tempo.

A taxa de natalidade está cada vez menor, logo, no futuro teremos menos pessoas ativas no mercado de trabalho contribuindo para a previdência social.

Ebook gratuito recomendado: O Novo Aposentado

Mais pessoas recebendo, menos pessoas contribuindo

O resultado é certo! Se continuar como está, a previdência social não terá dinheiro para bancar os futuros aposentados.

Claro! Concordo que só isso não resolverá o problema de gastos do governo, mas outros gastos também têm que ser cortados o mais rápido possível, e a corrupção é um deles.

Também concordo que tem muito a ser discutido sobre essa reforma e que muitos dependem e dependerão da previdência social para sobreviverem no futuro. Portanto, a classe mais pobre da população não pode ser a mais prejudicada.

Porém, a maioria das pessoas não quer ir a fundo para levantar soluções que possam resolver o problema, nem mesmo ler para conhecer a realidade das questões sobre este assunto, para que se possa ter uma discussão mais profunda.

A primeira coisa a se fazer é começar a se interessar por política. Por que? Ora, muitas consequências das escolhas de nossos políticos eleitos (por nós) são refletidas em nossas vidas, diretamente ou indiretamente. A reforma previdenciária será apenas uma delas.

Leitura recomendada: Previdência Privada: o básico para entender e investir

Aposentadoria em foco

A questão é sempre a mesma: “Vamos ter que trabalhar até morrer”, “Nunca vou me aposentar”, “Os políticos não querem diminuir seus salários, só acabar com a nossa aposentadoria”, etc…

Enfim, o fato é o seguinte: O povo se acostumou a depender do governo para se “aposentar” e parar de trabalhar.

Antigamente não tinha informação, mas hoje é diferente. O povo brasileiro precisa mudar essa cultura imediatamente antes que seja tarde demais e fique sem aquele pique para trabalhar e construir sua própria “aposentadoria” para viver tranquilamente a velhice.

E acredite! Esse papo aqui é para quem está começando a vida e também é para você que se acha velho demais.

Você pode estar com 50 anos, mas lembre-se que poderá viver até os 100 anos! Seguindo esse raciocínio, você ainda está na metade de sua vida, ainda tem tempo para mudar as coisas.

Atitude para elaborar e seguir um bom planejamento e controle financeiro! Isso é uma das coisas que o povo precisa para se “aposentar”, e não só ficar dependendo do governo.

Podcast recomendado: Finanças e o fim do ano: cuidados para não se enrolar

Mudança de hábito já!

Comece lendo um bom livro sobre finanças pessoais, caminhe para tomar as rédeas de suas finanças, faça um bom planejamento financeiro e termine construindo sua própria “aposentadoria”.

Atualmente há um novo conceito de “aposentadoria”. Indico a leitura do livro “Adeus, aposentadoria” do Gustavo Cerbasi, e também do ebook gratuito do Dinheirama, “O Novo Aposentado“, para fixar esse novo conceito que veio para ficar. Só não vê quem não quer.

Basicamente o “novo aposentado” pode continuar trabalhando, mas não precisa. Isso é independência e liberdade para escolher o que você quer fazer da sua vida.

Já ouço a pergunta: “Como vou construir minha própria aposentadoria, se mal consigo pagar minhas dívidas“?

Ah meu amigo, existem perguntas que não há respostas prontas, mas você pode e deve ir em busca delas.

Talvez a resposta esteja em você perceber que consegue pagar aquela parcela de seu smartphone de última geração ou então do seu carro zero km, mas só não consegue poupar e investir para sua independência financeira.

Entretanto, como eu disse antes, quem tem que buscar essas respostas é você mesmo.

Estamos na era da informação e as pessoas só querem saber e repassar informações superficiais (aquelas mensagens de grupos de WhatsApp e Facebook que se você não repassar ou não compartilhar em três dias, você nunca mais se aposentará).

Vídeo recomendado: Aposentadoria: existe percentual ideal para investir até lá?

Não podemos nos contentar com isso!

Temos que ir atrás de conhecimento mais aprofundado. Nunca se teve tanto conhecimento disponível e tanto conteúdo de qualidade, que pode ser adquirido gratuitamente ou por um preço bem baixo e justo através da internet.

Uma coisa é certa. Se você não for atrás da sua aposentadoria, ninguém vai atrás dela pra você. Você pode até contar com o governo, mas se eu fosse você, eu não contaria com isso!

Não penso que a aposentadoria da previdência social deva ser descartada totalmente, mas sim, penso nela como um plano B.

Além disso, muitas pessoas, assim como eu, são obrigadas a contribuir para a previdência social do governo. Outras podem, e até acho que devem contribuir com pelo menos um salário mínimo para garantir o plano B.

Sou servidor público federal e sou obrigado a contribuir pelo Regime Próprio da Previdência Social. Óbvio que eu espero poder usufruir disso algum dia.

Temos o dever de lutar por nossos direitos

Todos nós devemos entrar nessa discussão da reforma previdenciária!

Na regra atual, para os novos servidores públicos federais se aposentarem, eles devem ter no mínimo 60 anos de idade. Após essa reforma, vai saber qual será a idade mínima.

Espero estar gozando de boa saúde para trabalhar até lá. Anseio não depender do governo para ter uma vida digna aos meus 60 anos de idade ou mais. Quem sabe quando eu chegar lá eu não possa escolher se continuo trabalhando ou não?!

Então você tem duas opções: a de ficar choramingando e reclamando do governo que vai deixar sua “aposentadoria” cada vez mais distante e menor em termos de remuneração, ou mudar sua visão agora e tomar um novo rumo na sua vida.

A escolha é só sua, de mais ninguém. Até mais!

Bruno Cardoso
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • André Norbim

    Não adianta reclamar. Torne se indispensável. Mude de comportamento, aprenda outra profissão, não conte mais com o estado. Quem insistir em ficar na mesma vai se dar mal.

  • Phillihp Ray

    ótimo texto … educação financeira e algo que falta em muitas escolas não só aqui no brasil mas fora também