Poucas pessoas apostariam no Brasil, como uma das Bolsas de Valores que teriam melhor desempenho do mundo em 2016.

E não apenas isso, foi melhor que a poupança, dólar, ouro, renda-fixa (títulos públicos) e, aliás, a melhor bolsa do mundo em dólares.

Agora, muita gente costuma perguntar: “é  hora de investir em ações? Qual o melhor investimento agora“? A questão nem é acertar qual vai ser o melhor investimento. Até porque ninguém aqui é vidente!

E vamos ser sinceros, não temos pretensão de sermos profetas do mercado. Aliás, isso é exatamente o que não acreditamos!

Ninguém é capaz de prever o preço futuro das ações!

Agora, o que é muito possível – e certo – é você saber o momento onde existe maior probabilidade de ganho, isto é, quando as chances de retorno compensam o risco!

Por isso, fizemos uma análise (você pode clicar aqui e baixar gratuitamente) de 15 ações com este tipo de potencial para 2017.

O máximo que a gente pode fazer é inferir cenários, hipóteses mais prováveis, analisar dados e nos preparar.

Em 27 de dezembro de 2015 lá no facebook do Investidor Inteligente falamos que a bolsa estava barata e a probabilidade de retorno valia o risco.

Era a assimetria de retorno positiva apresentada por Taleb (em linha com a margem de segurança vista desde Graham e Buffett). Era o momento de aumentar a exposição a essa classe de ativos.

E foi o que aconteceu

O Ibovespa (bolsa brasileira) foi o melhor investimento de 2016, com 38,9% de retorno – e a melhor bolsa do mundo se avaliarmos o seu desempenho em dólar (63% de retorno).

Algumas das maiores altas foram de ações cíclicas e que subiram com notícias políticas ou altas das commodities, como a alta do minério, petróleo e aço. Esse foi o caso de ações de empresas como Vale, Petrobras, Gerdau, entre outras.

Já outras (poucas) empresas tiveram fortes altas porque cortaram custos e retomaram lucratividade de seus negócios. Como foi com Fleury, Magazine Luíza e Banco do Brasil.

E agora para 2017?

Agora em janeiro, após o corte mais agressivo do Banco Central, já vimos uma sinalização clara da tendência do mercado. Com a acomodação da inflação, o juro real vai voltar a cair.

Vimos muitas ações subindo já. Isso porque o juro real menor reflete em menor custo de capital para as empresas, mais crédito na economia.

Agora, acreditamos que em 2017 o mercado de ações vai ser muito mais seletivo, exigindo resultados financeiros mais consistentes das empresas.

Leitura recomendada15 Ações Para Investir em 2017 

Veja rapidamente que, grande parte da alta vista em 2016 aconteceu por conta de um maior apetite ao risco.

Isso porque, várias das maiores altas são empresas com problemas financeiros e cujo valor só se sustenta com um cenário muito positivo para as commodities e para China (o que não achamos totalmente prudente e justificável).

É comum o mercado ter esses momentos de euforia

Como investidores prudentes, devemos buscar boas empresas a preços baratos. É essa estratégia de comprar barata e investir a longo-prazo que buscamos.

Aliás, foi assim que conseguimos entregar aos clientes da carteira Blue Chip Investidor Inteligente, uma excelente rentabilidade.

Foram +69,3% de valorização no ano contra apenas +38,9% do Ibovespa (uma diferença de +30 pontos percentuais a mais).

A boa notícia

Estamos agora disponibilizando gratuitamente para você a nossa análise completa das melhores ações para investir em 2017.

Aproveite e clique aqui para baixar sem custo o nosso relatório com análise das ações que vemos potencial para 2017.

Listamos todas as ações com potenciais catalisadores de valor e que acreditamos podem se valorizar neste ano. Um material rico e relevante para você e seu bolso. Aproveite! Abraços!

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários