Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais de tecnologia, empreendedorismo e cultura digital.

Nosso destaque é o anuncio do brasileiro Hugo Barra como novo diretor de realidade virtual do Facebook

Brasileiro Hugo Barra é o novo diretor de realidade virtual do Facebook

Poucos dias após anunciar sua saída fabricante chinesa de smartphones, o brasileiro Hugo Barra já está de casa nova: nada mais nada menos do que o Facebook, maior rede social do mundo com mais de 1 bilhão de usuários.

Segundo anúncio feito pelo próprio CEO da rede social na madrugada desta quinta-feira (26), Barra vai liderar os esforços de realidade virtual da companhia, incluindo a equipe da Oculus, plataforma comprada pelo Facebook em 2014 por 2 bilhões de dólares.

Conheço o Hugo há bastante tempo, desde quando ele ajudou a desenvolver o Android até mais recentemente, quando ele trabalhou para a Xiaomi, em Pequim, ajudando a levar aparelhos inovadores para milhões de pessoas”, afirmou Zuckerbergao anunciar a entrada de Barra para a empresa.

O Hugo compartilha da minha visão de que a realidade virtual e a realidade aumentada serão as próximas grandes plataformas da computação. Elas nos permitirão experimentar coisas completamente novas e ser mais criativos do que nunca. O Hugo vai ajudar a construir esse futuro, e estou ansioso em ter ele em nossa equipe.”

Logo abaixo da publicação de Zuckerberg sobre a novidade, o próprio Barra aproveitou para comentar a sua entrada no Facebook. “Obrigado, Mark! Mal posso esperar para começar a construir esse futuro e me juntar à equipe em alguns meses.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Amazon negocia chegada do Audible ao Brasil

A Amazon começou negociações para trazer o Audible, serviço que permite ouvir audiolivros, para o Brasil. Segundo fontes do mercado editorial, a empresa já negocia com editoras locais para levar o conteúdo dos livros físicos para o mundo do áudio.

Além disso, a empresa abriu uma vaga de produção de áudio para seu escritório em São Paulo no projeto do Audible, sete meses após transferir Milton Leite da divisão responsável pelo leitor eletrônico Kindle para chefiar os negócios do Audible no País.

Segundo o que o jornal O Estado de São Paulo, as negociações ainda estão em estágio inicial e não há previsão para o lançamento do serviço por aqui. “A Amazon está esperando para formar um bom catálogo em português antes de lançar”, disse uma das fontes, que preferiu não se identificar.

Por enquanto, a empresa tem oferecido às editoras um acordo para produção dos audiolivros em seu próprio estúdio, que está sendo montado em São Paulo – em troca de exclusividade na venda dos volumes e uma fatia maior sobre o valor dos livros vendidos.

Canal de áudios recomendado: DinheiramaCast, o seu podcast de educação financeira

Fabricantes abandonam tecnologia de TV 3D

A TV 3D, uma promessa da tecnologia que nunca chegou a ser exatamente popular, está finalmente com seus dias encerrados. Nos últimos dias, LG e Sony anunciaram que vão parar de fabricar e dar suporte à tecnologia de vídeos em 3D em seus televisores.

As duas empresas eram as últimas grandes fabricantes a fazê-lo em pleno 2017. Antes disso, a Samsung já havia parado de fabricar TVs com a tecnologia em 2016, e a Vizio, desde 2013. O sistema de vídeo em 3D também não teve nenhum grande anúncio na CES 2017, nem por fabricantes menores como Sharp, TCl e Hisense.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários