Agora você confere as principais notícias de 10/02/2017, quinta-feira.

Cresce a aposta na queda dos juros ao longo deste ano

Na esteira da recessão econômica, a inflação de janeiro desacelerou para o menor patamar no mês em mais de 30 anos, aumentando as apostas de que o BC vai cortar mais fortemente os juros neste ano.

O IPCA (índice oficial de inflação) ficou em 0,38% na comparação com dezembro, a menor alta desde 1979. Em janeiro do ano passado, o indicador subiu 1,27%.

No acumulado dos 12 meses encerrados em janeiro, a inflação foi de 5,35%, ante 6,29% um ano antes.

O indicador veio abaixo também da expectativa dos analistas, que agora preveem que a melhora na inflação abrirá espaço para um corte mais forte da taxa selic pelo Banco Central.

Calendário de saques do FGTS será anunciado na terça-feira

O governo federal vai divulgar na terça-feira que vem dia 14, o calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O anúncio está previsto para ocorrer pela manhã no Palácio do Planalto.

A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador. A retirada deve ser feita até julho, conforme informou o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. A Caixa vai criar um site para orientar os trabalhadores. Os correntistas do banco estatal poderão ter o dinheiro transferido direto para a conta.

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Fundos de investimento têm maior captação para janeiro em 4 anos

Considerados os “patinhos feios” das aplicações financeiras em 2014 e em 2015, os fundos de investimentos registraram em janeiro a maior captação dos últimos quatro anos.

Descontados os resgates, os fundos receberam quase R$ 40 bilhões no mês passado, a maior injeção líquida desde janeiro de 2013. O montante equivale a 37% do volume destinado a essas aplicações em todo o ano passado.

Desde o ano passado é crescente o interesse por essas aplicações. Segundo a Anbima (associação que reúne as instituições do mercado), a captação em 2016 foi a mais elevada desde 2010.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Relator defende idade mínima e diz que transição precisa ser analisada

Depois de ser oficializado como relator da comissão que analisará a reforma da Previdência, o deputado Arthur Oliveira Maia (PPS) defendeu a idade mínima de 65 anos e disse que a regra de transição prevista na proposta do governo “precisa ser melhor analisada”.

“A grande maioria já se aposenta aos 65 anos. Aposentar com menos de 65 anos é privilégio de pouca gente”, afirmou.

Atualmente, podem se aposentar antes dos 65 anos os brasileiros que tenham 30 anos de contribuição (mulher) ou 35 (homem). A partir dos 65, têm direito à aposentadoria aqueles que conseguem comprovar 15 anos de trabalho formal. De acordo com as regras propostas pelo governo, o tempo mínimo de contribuição sobe para 25 anos.

eBook gratuito recomendado: Invista e Construa o Futuro dos seus Filhos

Mercado Financeiro

A expectativa do mercado de que a inflação está sob controle aumenta a aposta de que os juros poderão ficar abaixo do que o esperado no final de 2017.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários