Na medida que o tempo passa, vamos percebendo que as coisas não são exatamente como gostaríamos que fossem. O ambiente profissional fica ruim, o chefe é um péssimo líder, o salário parece não acompanhar as exigências e as insatisfações, junto com os questionamentos, vão se instalando, tornado a vida pesada.

Mas nem tudo está perdido, afinal, se você não está satisfeito com seu trabalho (e muitos não estão), você pode mudar de setor, de empresa ou até de carreira.

A sua vida pessoal, por outro lado, vai “acompanhá-lo” até a morte. Digo isso porque é muito comum vermos pessoas priorizando mal suas vidas, destruindo sua saúde e seus relacionamentos familiares por não dedicarem tempo de qualidade a eles.

Enquanto fazem isso, pisam fundo na vida profissional, doando seu sangue como se essa fosse a única coisa realmente importante e que merecesse ser preservado. Você já percebeu que vamos conversar mais e melhor sobre prioridades, propósito e tempo, certo?

Mas, o que dizer do dinheiro? Alguns até conseguem ganhar muito, afinal, são experts naquilo que fazem, mas não aplicam sua inteligência (a mesma que usam tão bem para realizarem seus trabalhos) para administrar suas finanças pessoais. O resultado é óbvio: desperdício.

Aliás, para a maioria, o foco é apenas trabalhar e ganhar dinheiro. Não percebem que uma boa educação financeira eliminaria tanta dependência de suas profissões e empregos, liberando mais tempo para viver (família, amigos, esportes, lazer, leituras, viagens e etc.).

O pior disso tudo é que pessoas assim acabam se acostumando a (sobre)viver, principalmente em meio ao caos financeiro, sem se questionarem sobre uma possibilidade de fazer as coisas de um modo diferente.

Sejamos francos: nos dias de hoje, temos coisas demais para fazer e outras tantas para nos distrair. Há excesso de conteúdo e informações vindas todos os lados.

Relatórios sem fim no trabalho, e-mails que não param de se multiplicar, redes sociais com os infinitos acontecimentos dos amigos, noticiários sensacionalistas (que são longos e abalam nossas emoções) e por aí vai.

Quem não aprende a desenvolver uma espécie de “filtro” no meio disso tudo corre sérios riscos de perder parte de um dos bens mais valiosos que temos: o tempo.

eBook gratuito recomendado: Riqueza pessoal é possível

Cuidado com o tempo

O tempo é um bem escasso e, diferente do dinheiro, ele não pode ser reposto; se tivéssemos mais consciência disso, seríamos mais responsáveis com ele, não é mesmo?

Hoje quero convidar você a refletir sobre isso: o que realmente diferencia uma pessoa que prospera daquela que não consegue fazê-lo, considerando iguais condições e oportunidades? Eu arrisco dizer que a resposta está relacionada ao foco nos objetivos.

Responda rápido: qual é o seu real propósito de vida? Por quê você faz o que faz? Quem tem um propósito claro para motivar suas ações aprende a pensar de forma precisa – e pensar com precisão é fundamental para não perder tempo com distrações nos dias de hoje.

Pessoas que pensam assim aprendem a separar as coisas que são realmente importantes daquelas que são irrelevantes. Mais do que isso, evitam que seu cotidiano seja inundado de coisas urgentes.

Com isso, elas se tornam tanto eficientes (fazer as coisas do jeito certo), como eficazes (fazer as coisas certas), fazendo mais com menos e de forma acertada. O resultado é mais tempo para o que realmente importa (inclusive para enriquecer e prosperar).

O grande benefício de fazer as coisas deste modo é não se deixar levar pelas circunstâncias. Pelo contrário, quem pensa com precisão controla e até cria suas próprias histórias.

eBook gratuito recomendado: Do Endividamento ao Investimento

Como pensar assim?

O conhecimento que agrega no dia a dia concentra fatos e opiniões de forma coordenada, mas ao mesmo tempo cuidadosa. O primeiro passo para otimizar o tempo e as finanças é aprender a separar aquilo que é fato daquilo que é opinião.

Grande parte das informações que circulam são apenas opiniões das pessoas, que na maioria das vezes não refletem a verdade ou mostram apenas como determinada pessoa enxerga um acontecimento ou assunto.

Opinião é fundamental porque é uma maneira de absorver mais rapidamente a interpretação de um fato, além de humanizar o cada vez mais cheio caldeirão de conteúdo disponível nos dias de hoje. O problema é seguir cegamente alguém, algo que jamais deve ser feito.

Siga, portanto, diferentes pessoas, especialistas, profissionais e empresas. Leia e confronte ideias e opiniões contrárias para que você tenha também a sua própria visão (e opinião) sobre os acontecimentos. No final, é isso que importa!

Para que todo este processo produza os efeitos desejados, precisamos ainda separar os fatos que são realmente importantes daqueles que têm pouca (ou nenhuma) relevância – estes últimos devem ser sempre desprezados.

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Conclusão

Quem pensa de forma precisa, tem uma ferramenta poderosa para acelerar a realização de seus objetivos, sejam eles a construção de um belo patrimônio financeiro ou a realização de qualquer outro projeto de vida.

Trabalhar o tempo com precisão e foco fará você se sentir mais realizado por ser uma pessoa produtiva, além de permitir mais tempo para desfrutar a vida com as pessoas que você ama. Enriquece quem tem mais tempo para o que é importante, na vida pessoal e no trabalho, sempre com atenção para as finanças pessoais e investimentos.

Não deixe que o excesso de tarefas, informações e opiniões “trave” seus planos de prosperar. Trabalhe melhor seu senso de urgência e defina prioridades com atenção. No final, interessa viver e não apenas parecer uma pessoa ocupada. Abraço e até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Cleber Souza

    Excelente artigo. Obrigado.