A partir do dia 02 de março a Receita Federal começou a receber a declaração do Imposto de Renda de 2017, que deverá ser feito por todos os contribuintes que precisarem declarar seus rendimentos referentes ao ano de 2016.

Para muitos brasileiros, a data é uma verdadeira corrida contra o tempo, já que é preciso reunir todas as informações da declaração, que tem como data limite até 28 de abril e pode render multa mínima de R$ 165,74 por atraso.

De acordo com Eliana Lopes, especialista em imposto de renda da Imposto Rápido (Plataforma que facilitará o envio de sua declaração) – o IR está relacionado com o valor cobrado pelo governo sobre os ganhos dos cidadãos, seja em aluguéis, salários, prêmios etc.

“O imposto é descontado todos os meses do salário e outros rendimentos das pessoas. E uma vez por ano, o trabalhador precisa enviar essa declaração para que a Receita veja se ele pagou mais ou menos do que deveria”, explica Eliana.

De acordo com a especialista, algumas informações são essenciais para não ter problemas na hora da declaração, como a organização dos documentos. Eliana listou 5 dicas para facilitar a vida de quem vai declarar o imposto e quer evitar dores de cabeça. Confira:

Quem deve declarar?

1 – Tem que declarar quem recebeu rendimentos tributáveis, como salário, aluguel ou aposentadoria, acima de R$ 28.559,70 em 2016.

2 – Declara também quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte, acima de R$ 40.000,00.

3 – Também deve declarar quem obteve em atividade rural receita bruta maior do que R$ 142.798,50.

4 – Declaram também aqueles que até 31 de dezembro de 2016 tiveram posses de bens ou direitos de valor acima de R$ 300 mil.

Organize os documentos

De acordo com a especialista, é recomendável que os contribuintes se preparem com antecedência, já procurando e separando todos documentos necessários, porque são muitos. Lembre-se, quanto antes fizer sua declaração, mais cedo receberá sua restituição neste ano.

Como declarar sem erro? A tecnologia pode ajudar

Declarar imposto de renda é sempre uma missão difícil (Conheça uma forma mais fácil para fazer sua declaração). Muita gente investe em um contador ou apela para conselhos de amigos e familiares. Para realizar a declaração do imposto de renda é possível baixar um programa direto do Site da Receita ou investir em tecnologia que automatizam o processo de declaração. Na plataforma Imposto Rápido (Clique aqui para conhecer), por exemplo, é possível enviar todos os arquivos digitalizados de maneira prática e segura. O sistema irá avaliar os documentos, procurar por possíveis erros e realizar a declaração, já salvando todos os dados para o caso de futuras consultas.

Como não cair na malha fina?

De acordo com a especialista, a omissão de rendimentos é o principal erro que faz com que mais pessoas caiam na malha fina. Também costuma cair na malha fina o contribuinte que inclui na sua declaração um dependente com renda, mas não informa esse rendimento.

Despesas médicas merecem atenção! Como o valor para dedução de gastos com saúde não tem limite, contribuintes acabam engordando os valores das despesas realizadas e deduzem gastos com pessoas que não são suas dependentes na Declaração do IR.

Guarde documentos antigos

A Receita pode solicitar declarações de até cinco anos atrás, caso o contribuinte caia na malha fina. É importante, portanto, guardar as declarações dos cinco últimos anos.

Nota: Esta coluna é mantida pela Imposto Rápido, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Imposto Rápido
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários