Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é o Airbnb que finalizou mais uma rodada de investimento

Airbnb levanta US$ 1 bilhão em rodada de financiamento

O Airbnb informou nesta quinta-feira (9) que levantou US$ 1 bilhão em uma rodada de financiamento, o que levou o valor da companhia para US$ 31 bilhões.

Dessa quantia, a empresa captou US$ 447,85 milhões no fim do ano passado, afirmou a agência Reuters, com base em pessoas próximas do Airbnb. Em setembro, a empresa disse que tinha levantado cerca de US$ 555 milhões, como parte da mesma rodada de injeção de recursos.

O Airbnb opera em mais de 65 mil cidades do mundo e teve lucro na segunda metade de 2016. A empresa espera continuar entregando resultados positivos neste ano e não tem planos de listagem de ações no futuro próximo, afirma ainda a agência Reuters.

eBook gratuito recomendado: Como falar sobre dinheiro com o seu filho

Uber anuncia que deixará de usar ferramenta secreta contra autoridades

O serviço de carros Uber anunciou na quarta-feira (8) que proibiria o uso por seus funcionários de um programa chamado Greyball, cuja função é inibir as ações das autoridades contra a empresa.

A nova regra da Uber para o uso do Greyball, um software que a empresa desenvolveu para mostrar a usuários versões diferentes de seu app, vem depois de um artigo do “New York Times” que delineou a maneira pela qual a empresa havia usado o recurso a fim de identificar e evitar a ação de autoridades regulatórias locais que estavam investigando o serviço.

O artigo, que citava quatro atuais e quatro antigos funcionários da Uber, revelou que a empresa havia usado o Greyball para restringir as ações das autoridades em diversas cidades, nos Estados Unidos e em outros países.

Webcurso gratuito recomendado: Tudo o que você precisa saber sobre Tesouro Direto

Escola investiu US$ 15 mil no Snapchat e lucrou milhões com ações na Bolsa

Uma grande oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) de uma empresa de tecnologia normalmente arrecada bilhões. Mas nem sempre são apenas megainvestidores e banqueiros que lucram.

Simon Chiu, diretor da Saint Francis High School, na cidade americana da Mountain View, no Estado da Califórnia, escreveu essa semana aos pais dos alunos para relatar o que classificou como “notícias monumentais”.

Em 2012, a escola privada tinha investido US$ 15 mil em um novo aplicativo de celular usado de forma inveterada por dois alunos da escola, os irmãos Andrew e Natalie Eggers. O pai deles era sócio de uma firma local de investimentos, e depois de ver que os filhos e amigos estavam obcecados pelo app, farejou uma oportunidade.

O app era o Snapchat.

Depois de se encontrar com os criadores do programa, Evan Spiegel and Bobby Murphy, naquela época trabalhando em um alojamento da Universidade de Stanford, ele decidiu investir US$ 500 mil no aplicativo.

E convenceu a escolar a arcar com parte do dinheiro.

No último dia (2), o Snapchat fez sua primeira OPI e, já nos primeiro dias, as ações dispararam. Foi o suficiente para que a escola obtivesse um lucro estimado em US$ 24 milhões com a venda de apenas dois terços de suas ações

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários