Pode não estar claro para muita gente, mas é fato que trazemos dentro de nós alguns pré-conceitos que aprendemos lá atrás, quando éramos pequenininhos.

São as armadilhas que a mente nos prega e com as quais temos que lidar arduamente para que não estragem os nossos caminhos potenciais. E quando se trata de dinheiro, eles são muito comuns e podem estar tão enraizados que a gente nem percebe.

Um deles é a crença de que todo rico é uma pessoa ruim, um explorador ou, ainda, de que dinheiro demais pode ser uma desgraça no lugar de ser algo bom e etc.

Além disso, talvez nunca tenha acontecido com você, mas eu, por diversas vezes na vida, senti certa culpa em comprar uma peça de roupa ou uma bolsa um pouco mais cara e pensar que, ao mesmo tempo, aquele dinheiro poderia ser usado para matar a fome de alguém por exemplo.

Cheguei, inclusive, a levar o assunto para a terapia uns anos atrás, pois quase não conseguia gastar comigo, mas se era com os outros, aí não pensava duas vezes.

Estranho? Posso te garantir que acontece com muita gente! E não apenas com relação a dinheiro.

Mas como será que devemos lidar com essas crenças limitantes e como é possível usar o dinheiro de uma forma saudável, que ajude a proporcionar mais alegria para nossas vidas e também para as vidas de outros ao nosso redor?

Pesquisando um pouco mais para escrever sobre o assunto, topei com um estudo superinteressante realizado por pesquisadores de Harvard, British Columbia e Vancouver.

A pesquisa traz pontos úteis sobre a questão do dinheiro, sendo que o título em si já diz muita coisa: “Se o dinheiro não te faz feliz, então provavelmente você não o está gastando da forma certa”. Será que é assim mesmo? Provavelmente!

Para que possamos refletir a respeito, e parar de nos auto-sabotar, coloquei alguns pontos a seguir. Todos são citados de alguma maneira, ainda que de forma um pouco diferente, neste estudo que citei. Vamos lá?

Aplicativo gratuito recomendado: Controle suas finanças na palma da mão com o DinheiramaOrganizze

  1. Use o dinheiro para acumular experiências, não coisas

Você se lembra de quando comprou aquele telefone celular que tanto queria? Pense no dia da compra e em quando chegou em casa e o tirou da caixa para usá-lo. Esta lembrança te deixa feliz?

Agora lembre-se daquela viagem incrível que você realizou para um lugar que tanto queria. Compare os sentimentos. É bem possível que não faça muita diferença hoje lembrar do telefone celular, mas da viagem… ah… parece até que você consegue sentir o vento daquele primeiro dia assim que saiu do aeroporto, não é verdade?

Não é à toa que usar o dinheiro para acumular experiências e não coisas é um dos pontos principais quando se trata de fazer um bom uso dele. Coisas materiais geralmente trazem uma felicidade momentânea, experiências não.

Em geral, muita gente compra aquele objeto dos sonhos e na semana seguinte já está sonhando com outra coisa para comprar. No caso das experiências, não é toa que dizem que elas ficam para a vida. Procure fazer mais isso!

  1. Use o dinheiro para ganhar tempo com amigos e família

A felicidade é um estado de espírito. Uma pessoa rica pode não ser tão feliz quanto uma pessoa sem dinheiro que sabe aproveitar o tempo e agradecer os momentos com pessoas queridas.

Por isso, se você tem condições financeiras para aproveitar melhor o tempo com aqueles que gosta, faça isso! Os filhos, pais, irmãos, animais de estimação ou sejam quais forem especiais para você, agradecerão muito. Será uma troca de muito valor.

Conseguir ter um tempo de qualidade é algo com que a maioria das pessoas sonha, mas poucos conseguem, inclusivem os que têm muito dinheiro, mas trabalham tanto que não conseguem parar. Por esta razão, encaixe alguns momentos especiais no calendário e faça valer tudo que você está conquistando financeiramente.

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

  1. Use o dinheiro para realizar sonhos, não apenas seus, mas dos outros

Não é à toa que tanta gente sábia e tantas doutrinas ensinam que ajudar a quem precisa ou proporcionar a realização de alguns sonhos a outras pessoas é uma das melhores coisas para que nós mesmos consigamos nos sentir felizes.

Quando paramos para ouvir a dor do outro ou os sonhos do outro e podemos ajudar, mesmo que por alguns momentos, acabamos nos esquecendo das nossas próprias dores e dificuldades.

Se a sua condição financeira te permite realizar não apenas os próprios sonhos, dê um passo adiante e procure ajudar ao menos um pouco os sonhos dos outros. Você verá que será incrível!

Vale proporcionar aquele passeio legal para os pais que trabalharam tanto, um curso que o filho da empregada gostaria tanto de fazer, mas a mãe não tem condições de pagar e etc.

  1. Compartilhe: quanto mais doamos, mais recebemos

Compartilhar no lugar de acumular. Este é um ponto importante, pois de nada adianta passar a vida guardando dinheiro para se tornar uma pessoa de posses, se este dinheiro estiver igual ao do Tio Patinhas, guardado no colchão.

Para que o dinheiro traga felicidade é preciso expandir as possibilidades do uso dele, e elas são enormes.

É claro que não estou dizendo que devemos esbanjar, muito pelo contrário, é preciso cuidar direito de nossas finanças para que estejam sempre em ordem e para que as conquistas financeiras durem muito, mas lembre-se de que o acúmulo por si só não ajuda muito. Compartilhe ao menos uma pequena parte e você provavelmente se sentirá muito bem fazendo isso.

eBook gratuito recomendado: Invista e Construa o Futuro dos seus Filhos

  1. Você não precisa garantir o futuro, mas pode ensinar a pescar de uma forma mais tranquila

Uma das maiores preocupações de quem quer acumular um bom dinheiro na vida é garantir o futuro dos que ele ama, especialmente se tiver filhos. Precisamos lembrar que isto é válido, mas que, mais do que deixar o dinheiro pronto para ser usado, o importante é ensinar quem fica a usá-lo bem.

Não é à toa que há tantas obras que falam sobre o tema da herança e de como filhos podem perder completamente tudo que foi conquistado pelos pais.

Lembre-se que o seu dinheiro hoje pode ajudar seus filhos, ou sobrinhos, ou seja lá quem for, a se preparar de uma forma mais tranquila para o futuro. Isso, sem dúvida, é algo muito positivo.

E estar preparado para enfrentar as adversidades da vida e cuidar bem de um patrimônio é muito mais importante do que receber tudo de mão beijada. Se você consegue ensinar alguém a pescar hoje, certamente o dinheiro lhe trará não somente felicidade, mas uma tranquilidade enorme! Boa sorte!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Saulo de Baco

    Gostei muito, Janaína. Obrigado por compartilhar essas ideias.

    • Janaina Gimael

      Eu que agradeço pela leitura e retorno Saulo 🙂

  • Gabriel Brandolin

    Muito bom o texto…
    Precismos de mais experiencias e menos coisas!!!
    Ótimas dicas..
    Parabéns pelo texto..

    • Janaina Gimael

      Muito obrigada pelo retorno Gabriel 🙂