Agora você confere as principais notícias de 18/05/2017, quarta-feira.

Dono da JBS grava Temer autorizando compra de silêncio de Cunha, diz jornal

Os donos da JBS, Joesley Batista e seu irmão Wesley Batista, gravaram uma conversa em que o presidente Michel Temer supostamente dá aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB), preso na Operação Lava Jato. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (17), pelo jornalista Lauro Jardim, do site do jornal O Globo.

Joesleu e Wesley, segundo o jornal, firmaram acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato. A colaboração também inclui outros executivos da empresa, a maior produtora de carne do mundo.

Na gravação, feita em março, Temer teria indicado a Joesley o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Em nova gravação entregue aos procurados, o parlamentar foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil que teria sido enviado por Joesley.

eBook gratuito recomendado: Riqueza pessoal é possível

Crise política nos EUA faz dólar subir a R$ 3,13 e Bolsa brasileira cair 1,7%

A Bolsa brasileira interrompeu sua sequência de seis altas e fechou em baixa de 1,67%, para 67.540 pontos.

O volume financeiro negociado foi de R$ 8,63 bilhões. A média diária do ano é de R$ 8,12 bilhões. O dia foi de vencimento de opções sobre o índice Ibovespa, que movimentou R$ 243,4 milhões.

A preocupação dos investidores com o risco político nos Estados Unidos fez o dólar subir para R$ 3,13 nesta quarta-feira (17), na primeira alta após seis sessões seguidas de baixa. A Bolsa brasileira também reagiu à piora do humor no exterior e recuou 1,7%.

O dólar comercial fechou em alta de 1,19%, para R$ 3,13. O dólar à vista, que encerra seus negócios mais cedo, subiu 0,41%, para R$ 3,10.

A alta da moeda americana refletiu a piora da aversão a risco dos investidores, após episódios envolvendo o presidente americano, Donald Trump, criarem novas turbulências políticas.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Copom avalia se intensificará cortes na Selic, diz presidente do BC

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou, durante evento do FMI (Fundo Monetário Internacional) nesta quarta (17) em Brasília, que a autoridade monetária avalia uma “intensificação moderada” em relação ao atual ritmo de cortes na taxa básica de juros, de 1 ponto percentual.

“Estamos ponderando qual o grau de antecipação adequado, entre o atual ritmo e uma intensificação adicional moderada. Não há definição no momento, a decisão ocorrerá apenas na próxima reunião do Copom”, afirmou ele, segundo apontamentos lidos durante o evento e divulgado pela assessoria de imprensa do BC.

Goldfajn disse que a avaliação da última ata do Copom, de que o ritmo de 1 ponto percentual é “adequado”, mas que é necessário monitorar a conjuntura, permanece válida.

‘Financial Times’ diz que recessão no Brasil está chegando ao fim

O jornal inglês Financial Times publicou na edição desta terça-feira (16), um caderno especial sobre o Brasil com 11 reportagens. A publicação destaca que a recessão parece estar chegando ao fim, o governo está cortando gastos e as reformas do presidente Michel Temer estão avançando, apesar dos protestos da população e da baixa popularidade do presidente. “O Brasil parece estar se movendo de novo”, afirma o especial, que recebeu o título de “Reinventando o Brasil”.

O especial tem uma série de reportagens, além de entrevistas com a equipe de Temer, incluindo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários