É muito comum ver entre alguns investidores mais experientes um certo preconceito com a Previdência Privada.

Ouço com certa frequência: “Para que pagar taxa de administração, se eu mesmo posso investir meu dinheiro direto nos títulos que eu quiser?” ou ainda “Previdência Privada rende pouco, existem alternativas melhores”.

E na maioria das vezes, eles até estão certos. No entanto, alguns poucos fundos de Previdência Privada conseguem oferecer rendimentos muito satisfatórios superando seus benchmarks, consistentes e com baixos custos de taxa de administração.

Nesses casos específicos a Previdência Privada pode ser uma alternativa muito mais interessante do que você imagina por conta de algumas características e vantagens próprias que só ela oferece no Brasil.

E o pior é que a maioria dessas características são completamente desconhecidas mesmo por esses investidores mais experientes. É por isso que hoje vou contar aqui as 5 principais vantagens da Previdência Privada que a faz superar muitos investimentos comuns.

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

1. Sucessão Patrimonial

O primeiro ponto que vale a pena destacar é o da Sucessão Patrimonial. Embora na maioria dos casos façamos previdência pensando na nossa própria aposentadoria, nós nunca sabemos o dia de amanhã e podemos acabar não usufruindo ou consumindo apenas parcialmente o capital acumulado ao longo do tempo por conta de uma fatalidade inesperada.

Nessas situações, quem já teve que passar por elaboração de inventário, divisões de herança e outras questões burocráticas do tipo, sabe quão custoso, trabalhoso e demorado é esse processo.

Já no caso da Previdência Privada, esse tipo de transição é muito facilitada, de forma que os herdeiros podem recuperar o capital investido rapidamente, sem a necessidade de inventário.

Além disso, muitos estados brasileiros isentam as Previdências Privadas do ITCMD, portanto reduzindo consideravelmente os custos tributários dos herdeiros.

2. Não há incidência de come-cotas

Muita gente pode dizer que a implicância com o come-cotas é besteira e que esse imposto tem pouca relevância final para os resultados dos investidores.

Isso até pode valer para o investidor de curto prazo que está poupando para uma viagem no final do ano ou para outros objetivos mais curtos. No entanto, certamente não existe objetivo de mais longo prazo que a aposentadoria.

Por isso, quando falamos de Previdência Privada, geralmente estamos de olho nos próximos 10, 20, 30 anos ou até mais longe! Nesses cenários, o efeito do come-cotas pode ser devastador!

Para se ter ideia, com um capital inicial de R$ 100.000,00 rendendo 10% ao ano por 30 anos (sem novos aportes), mais de R$ 350.000,00 seriam torrados só com o come-cotas.

Portanto essa é uma diferença que certamente precisa ser levada em conta quando pensar em investir seu dinheiro em fundos para aposentadoria.

eBook gratuito recomendado: O novo aposentado

3. Portabilidade sem reiniciar alíquotas da tabela regressiva do IR

O mundo está sempre em constantes mudanças, assim como a economia e as oportunidades de investimentos.

No entanto, cada vez que uma oportunidade mais interessante de investimentos aparece para nós, temos que recolher os impostos sobre os rendimentos – o que na melhor das hipóteses levará apenas 15% dos ganhos se já estivesse aplicado há mais de 2 anos (no caso dos títulos de Renda Fixa tributados e fundos que não sejam de ações).

Como a Previdência Privada oferece a possibilidade de portabilidade de investimentos, é possível que você transfira seu dinheiro entre diferentes fundos sem ter que realizar um “resgate” desse dinheiro.

Dessa forma, você não precisaria antecipar o pagamento do imposto de renda e nem reiniciar a contagem da tabela regressiva do IR que acontece em boa parte dos investimentos comuns em renda fixa e fundos de investimentos.

4. Aportes regulares via débito automático

Uma das dificuldades mais comuns e conhecidas das pessoas que tentam poupar mensalmente a longo prazo é manter a consistência desses aportes.

Somos bombardeados por publicidade em todos os cantos e sabemos que as tentações de consumo, em grande parte de supérfluos, são diárias.

Como se isso não bastasse, mudanças drásticas que inevitavelmente ocorrem nas nossas vidas como uma troca de emprego, a vinda de um novo filho ou outros eventos às vezes inesperados, facilmente nos tiram do foco e disciplina necessários para seguir um objetivo de longo prazo como a construção de uma aposentadoria financeiramente tranquila.

Por conta disso, a opção de débito automático que a maioria das previdências oferece acaba vindo muito a calhar, de forma que antes de pensarmos em fazer qualquer coisa com a nossa renda, a parte do dinheiro planejada já é direcionada automaticamente para a sua reserva da aposentadoria.

Dessa forma, fica muito mais difícil cometer desvios no planejamento e não cumprir com seu compromisso de longo prazo.

eBook gratuito recomendado: Do Endividamento ao Investimento

5. Modelo tributário sob medida

Diferentemente da grande maioria dos investimentos nos quais você é obrigado a recolher impostos sobre os rendimentos já retidos na fonte num único, a Previdência Privada oferece alternativas que podem funcionar melhor para cada caso específico.

Uma dessas opções é que escolhendo entre o formato de PGBL ou VGBL, é possível optar por uma alíquota maior com abatimento do IRPF ou uma alíquota menor sem abatimento.

Além disso, existe também a alternativa entre a tabela regressiva ou progressiva de imposto, sendo que no primeiro caso o investidor pode chegar a uma alíquota de apenas 10% sobre os rendimentos se manter o dinheiro aplicado por 10 anos ou mais. Essa é simplesmente a menor alíquota entre todos os tipos de investimentos do mercado financeiro, com exceção obviamente dos isentos de impostos.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Conclusão

O objetivo desse texto foi apenas chamar a atenção para alguns pontos específicos que podem fazer a Previdência Privada ser uma opção muito mais inteligente e lucrativa do que se pensa inicialmente dependendo dos objetivos e perfil de cada investidor.

A ideia aqui não era aprofundar o texto em muitos detalhes, o que tornaria o texto extenso e maçante. Por isso, antes de tomar qualquer decisão em relação a esses pontos, vale a pena consultar seu assessor de investimentos ou estudar conteúdos mais aprofundados presentes aqui no Dinheirama.

Aliás, se você não sabe nem por onde começar na hora de escolher sua previdência, recomendo conferir esse checklist completo de como escolher o melhor fundo.

Felipe Medeiros
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

  • Junim

    Isso que querem Que você acredite assim como a falência da previdência. Querem não gastar mais com o povo. Povo só da despesa.

  • Edson

    Você não citou que no caso de PGBL é possível deduzir até 12% da renda bruta anual tributada no IR. Ou seja, vc investe, rende é ainda consegue abatimento fiscal!

    • malanar11

      Você reduz esses 12% hoje mas paga quando for fazer o resgate. Cuidado com essa “redução”. E o pagamento no final é em relação ao valor total, e não apenas sobre os rendimentos.

  • Claudio Marques

    Além de não haver incidência de come cotas, os fundos de Previdência não cobram taxa de performance, como a grande maioria dos fundos multimercado

    • Felipe Medeiros

      Perfeito Claudio, muito bem lembrado.

      Abraço!

  • Helder (MBA em Finanças Ibmec)

    Gostaria de desafiá-lo a informar que plano de previdência tem a possibilidade de garantir rentabilidade líquida de 100% do CDI pelos próximos 5 anos, com isenção total de IR, como investimentos recém anunciados pela XP para LCA, que até significativo montante é garantido pelo Governo, através do Fundo Garantidor de Crédito, trazendo semelhante segurança ao que investe em poupança e não tem uma fração desta remuneração.
    O texto parece uma propaganda de fundos de previdência, e não uma análise imparcial dos mesmos.
    Veja o que ocorreu com muitos, que após décadas, na ilusão de que teriam uma confortável complementação para a aposentadoria, estão tendo que equacionar déficits recorrentes, e ainda, não cumprindo com suas metas atuariais e veem nas reformas temer a possibilidade de se distanciarem ainda mais de seus prêmios, que se sacrificaram por tanto tempo para ter, e por vezes sequer usufruirão?

  • Marcelo Mussarelli Corghi

    voces vao acabar perdendo toda a credibilidade que levaram anos para construir….