Agora você confere as principais notícias de 11/07/2017, terça-feira.

Relator dá parecer favorável à denúncia contra Temer

O deputado Sergio Zveiter (PMDB) frustrou a base governista e deu parecer favorável à denúncia contra o presidente Michel Temer nesta segunda-feira (10) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara.

O relator entendeu haver elementos para a chamada “admissibilidade” da acusação formal da PGR (Procuradoria-Geral da República), segundo a qual o presidente cometeu crime de corrupção passiva.

“Por ora, o que temos são indícios de autoria que ao meu sentir, ensejam o deferimento da autorização”, afirmou Zveiter em seu voto. A leitura do parecer e voto do deputado durou exatamente 59 minutos.

Para o relator, “a denúncia não é inepta”.

Palestras gratuitas recomendadas: Conrado Navarro e convidados falam sobre finanças pessoais e empreendedorismo

Bolsa sobe 1% e dólar recua para R$ 3,26 com cenário político no radar

A expectativa dos investidores de que o governo mudará de mãos em breve e as atenções voltarão a se concentrar na economia, em vez de na crise política, fez a Bolsa subir 1% e o dólar recuar para R$ 3,26 nesta segunda-feira (10).

O Ibovespa, índice que reúne as ações mais negociadas da Bolsa brasileira, teve alta de 1,13%, para 63.025 pontos, depois de quatro sessões seguidas de queda. O volume negociado foi de R$ 5,54 bilhões, abaixo da média diária do ano, que é de R$ 8,16 bilhões —em parte já por causa do período de férias nos Estados Unidos, que reduz a liquidez no mercado brasileiro.

O dólar fechou em baixa, influenciado pelo retorno da atuação do Banco Central no mercado de câmbio. O dólar comercial teve baixa de 0,73%, para R$ 3,261. O dólar à vista teve desvalorização de 0,60%, para R$ 3,263. É o menor nível desde 2 de junho.

eBook gratuito recomendado: O novo aposentado

Governo poderá elevar gastos em apenas R$ 39 bi em 2018

O relatório final do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018 emite um alerta ao governo de que o espaço para expansão de despesas sujeitas ao teto será de apenas R$ 39 bilhões, aproximadamente. Esse valor, na avaliação do relator, deputado Marcus Pestana (PSDB), já se mostra insuficiente para abrigar o avanço previsto para as despesas obrigatórias no ano que vem.

“Os aumentos já concedidos e o crescimento vegetativo previsto para o conjunto de despesas obrigatórias sujeitas ao teto ultrapassam a variação nominal do limite, não havendo espaço para novas despesas obrigatórias”, diz o documento entregue à Comissão Mista de Orçamento (CMO).

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

PF rebate perito de Temer e insiste que não houve adulteração em áudio

Os peritos do Instituto Nacional de Criminalística (INC) da Polícia Federal que fizeram a análise do áudio da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário e delator Joesley Batista, gravada por este, reafirmaram ao Supremo Tribunal Federal (STF), em resposta a 12 quesitos apresentados pela defesa de Temer, que não houve indícios de adulteração do conteúdo ou edição de qualquer trecho.

Na manifestação, encaminhada ao Supremo na sexta-feira (7), os peritos Paulo Max Gil Innocencio Reis e Bruno Gomes de Andrade afirmaram que um dos pedidos formulados pelo perito Ricardo Molina, contratado por Temer, representaria um “procedimento forense limitado” e que se distanciaria “das boas práticas de exames”.

Essa crítica veio diante de um pedido de Molina para que a PF respondesse a uma pergunta sobre as descontinuidades do áudio baseando-se “exclusivamente no sinal de áudio e em pistas acústicas inerentes ao sinal de áudio e não em aspectos circunstanciais”.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários