Neste artigo, vamos dar um passo para trás e ver como a narrativa de avaliação está em ação ao analisar o recente aumento da volatilidade nas ações das principais empresas de tecnologia nos Estados Unidos.

Estamos diante de uma “festa” como a do fim dos anos 90? Bem, sim e não. Nas últimas semanas certamente houve pressão sobre as ações das empresas “FAANG” e o universo maior de empresas de tecnologias.

“FAANG” significa Facebook, Amazon, Apple, Netflix e Alphabet/Google estão apoiando a tecnologia focada na bolsa da NASDAQ 100 este ano – responsável por mais de 40% do índice total –, mas estagnaram no mês passado.

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

De acordo com alguns analistas, a correção está atrasada. Os ganhos de dois dígitos das ações da Internet, entre as maiores empresas de Wall Street, puxaram o setor de tecnologia para níveis recordes em 2017.

Este movimento foi seguido não apenas por praticamente todos os fundos multimercados entrando e comprando as ações de tecnologia no primeiro trimestre, como transformou o setor no mais sobrecomprado da história, de acordo com o Bank of America e com Goldman Sachs.

Estas instituições emitiram um alerta para um “valuation air pocket” causado pelos gigantes da tecnologia. Ademais, as empresas de tecnologia compõem cerca de um quarto do valor de mercado do S&P 500. É a maior participação em tecnologia em mais de 16 anos.

Com os primeiros vendedores emergentes depois de um “mercado bullish”, a visão de consenso também mudará para o downside? O momento é, afinal, chave. Alguns comentaristas estão argumentando que o estado da nossa economia atual e do mercado é semelhante ao de 1999, um ano antes de estourar a “bolha ponto-com”.

Esse desempenho superior tem sido impulsionado também pelo crescimento secular e por um mundo digital crescente, mas o Goldman Sachs também avisa que o cenário perfeito de conto de fadas para tecnologia é improvável.

No entanto, apesar de certas semelhanças com o ano 2000, devemos colocar tudo isso em contexto. As ações da “FAANG” têm preços muito mais razoáveis ​​hoje em termos de sua participação nas bolsas, bem como seus múltiplos de PE, saldos de caixa e a geração de fluxos de caixa livres.

No entanto, a produtividade dos ativos e o ROIC (retorno sobre capital investido) foram maiores durante o pico da “Bolha ponto com”, sugerindo que, embora os fundamentos fossem relativamente robustos, as avaliações ainda fugiram da gravidade econômica.

Na verdade, os analistas do Bank of America voltaram a sugerir que uma bolha estava se formando no setor como a era .com, observando que a relação preço-lucro no setor de tecnologia global é de 18 vezes, ou seja “muito abaixo do nível alcançado em março de 2000, quando ações estavam negociadas em cerca de 50 vezes seu lucro anual”.

Em 2017, os números de tecnologia [lucro por ação] estão se fortalecendo e o Bank of America prevê que eles crescerão 16% neste ano. Porém, há exceções: a Netflix, por exemplo, atualmente está sendo negociada 259 vezes do seu lucro.

O índice Nasdaq Internet, com uma relação P/L de mais de 60, “está se aproximando dos níveis de P/L que são tão aquecidos quanto antes nos mercados de ações e em um momento em que a política econômica está se tornando menos favorável”.

A alta avaliação, por esta métrica, está relacionada aos altos níveis de crescimento que as empresas de internet têm relatado: crescimento médio de 23,3%, em comparação com 9,2% para a tecnologia global.

Em contraste, os participantes no mercado amplo do S&P 500 têm crescimento de vendas de apenas 5,9%, de acordo com o Market Watch. O maior setor do mercado também foi responsável pelos maiores ganhos, o que significou um forte desempenho das ações no geral. No entanto, esse mesmo fator poderia deixar os mercados vulneráveis ​​quando o sentimento mudar.

No entanto, apesar da recente volatilidade no mercado, as ações de tecnologia ainda são (por enquanto) sólidas. Isso levou alguns investidores a sugerir que “as coisas podem ser diferentes desta vez”. Advertência ao leitor: essa expressão geralmente é considerada a palavra mais cara pronunciada.

Em geral, a maioria das principais empresas de tecnologia gera crescimento de vendas, receitas recorrentes, ganhos e crescimento de estoque, embora em uma tendência ascendente menos aguda do que na década de 1990.

Existem também diferenças importantes entre aqueles tempos e os dias de hoje. Naquele momento, estávamos diante do início da economia baseada na internet e houve incerteza em relação aos modelos de negócios e quem seriam os líderes do mercado. Poderia haver um paradigma de investimento tipo “o vencedor leva tudo”.

eBook gratuito recomendado: Invista e Construa o Futuro dos seus Filhos

No entanto, para colocar em contexto o desempenho recente do setor, as ações da “FAANG” possuem maior capitalização do mercado do que o Brasil. As avaliações podem não ser tão altas como na década de 1990, mas ainda são altas com base nas médias do mercado.

Não estamos em 1999, mas isso não significa que não estejamos diante de uma bolha. A volatilidade do setor é historicamente baixa. De fato, as ações se tornaram estreitamente correlacionadas a jogos de refúgio seguro, como títulos e serviços públicos.

O que é claro é que os investidores estão dispostos a pagar mais para possuir essas ações. E muitos deles se aglomeraram no mesmo punhado de grandes empresas tecnológicas, como o grupo “FAANG” que possui o chamado “fosso econômico”, ou vantagens competitivas fortes e duráveis.

Além disso, essas empresas também estão na vanguarda da próxima onda de inovação, como a logística assistida por motorista, a inteligência artificial e a Internet das coisas. A nova tecnologia conecta bilhões de clientes a milhões de produtos e serviços em todo o mundo, melhorando a eficiência do negócio e os potenciais retornos dos investimentos.

eBook gratuito recomendado: Bolsa de Valores para Iniciantes

Esta tendência secular continuará. Nós também (supostamente) entendemos melhor os modelos de negócios de internet/tecnologia e as métricas de avaliação adequadas.

Vou fechar este artigo com uma citação de Warren Buffett: “É só quando a maré baixa que você pode ver quem está nadando nu”.

Em outras palavras, durante os próximos trimestres, teremos uma melhor ideia em relação a se as atuais avaliações das ações de tecnologia, juntamente com todo o mercado, são baseadas em fundamentos sólidos, um ambiente econômico estável e maior relevância para a vida moderna ou se o setor esqueceu de arrumar o seu traje de banho na praia.

Adam Patterson
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários