Agora você confere as principais notícias de 05/08/2017, sábado.

Temer começa retaliação a quem votou contra ele

O governo exonerou o superintendente do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) em Santa Catarina como punição ao deputado Jorginho Mello (PR), que votou contra o presidente Michel Temer na Câmara na última quarta-feira (2).

O engenheiro Vissilar Pretto ocupava o comando do órgão desde abril de 2014, apadrinhado por Mello. A portaria com a exoneração do superintendente foi publicada nesta sexta-feira (4) no Diário Oficial da União.

Fontes do Palácio do Planalto confirmaram que se trata de uma retaliação a deputados da base aliada que votaram a favor da denúncia por corrupção passiva contra Temer encaminhada pela Procuradoria-Geral da República. O governo conseguiu rejeitar a denúncia no plenário, mas 89 parlamentares de partidos governistas votaram contra o presidente.

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Mudança na meta fiscal será avaliada ‘nas próximas semanas’, diz ministro

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, declarou a jornalistas nesta sexta-feira que o governo vai avaliar nas próximas semanas a mudança ou não da meta fiscal, que prevê déficit primário de R$ 139 bilhões este ano. “Temos tido uma frustração continuada de receitas.”

O governo, disse Dyogo, já havia reduzido a previsão para arrecadação com o segundo programa de repatriação de recursos no exterior e mesmo assim os números acabaram vindo abaixo do esperado. “Isso vai colocando dificuldades. Vamos avaliar isso nas próximas semanas e assim que houver alguma novidade comunicaremos.”

O ministro ressaltou ainda que não existe discussão no governo de substituir a meta fiscal por outro mecanismo. “Isso não é viável do ponto de vista jurídico.” Perguntado sobre nova elevação de impostos, o ministro ressaltou que a equipe econômica está “avaliando as circunstâncias”.

Palestras gratuitas recomendadas: Conrado Navarro e convidados falam sobre finanças pessoais e empreendedorismo

Alívio no cenário político faz Bolsa avançar 2% na semana; dólar cai 0,3%

A força demonstrada pelo governo ao barrar a denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer fez os investidores voltarem a confiar na capacidade do Planalto de tocar a agenda de reformas. Essa expectativa fez a Bolsa subir 2% na semana, enquanto o dólar recuou 0,3%.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas no mercado brasileiro, teve alta de 0,18% nesta sexta (4), para 66.897 pontos. O avanço foi de 2,17% na semana –a segunda seguida em que a Bolsa fechou no azul.

O dólar comercial teve alta de 0,38%, para R$ 3,126, mas caiu 0,3% na semana. O dólar à vista subiu 0,08%, para R$ 3,120. Na semana, houve queda de 0,8%.

Baixe grátis: Guia completo sobre investimentos

Produção de veículos cresce 22% até julho e soma quase 1,5 milhão de unidades

A produção de veículos no Brasil cresceu 17,9% em julho deste ano ante igual mês do ano passado, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 224,7 mil unidades produzidas no primeiro mês do segundo semestre, em conta que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Em relação a junho, a produção teve alta de 5,9%. Com os resultados, os sete primeiros meses do ano somam a fabricação de 1,488 milhão de unidades, expansão de 22,4% em relação a igual intervalo do ano passado. O crescimento tem sido impulsionado principalmente pelas exportações.

Por segmento, os automóveis e comerciais leves, juntos, somaram 215,2 mil unidades produzidas em julho, aumento de 17,1% em relação a julho do ano passado e de 5,9% ante o volume do mês anterior. No acumulado do ano, o avanço é de 22,6%, para 1,432 milhão de unidades.

Relatório grátis: É hora de comprar ações da Petrobras?

Acompanhe o fechamento do mercado 04/08 com Alvaro Bandeira

Clique para ouvir

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários