Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque são os números positivos conquistados pela Apple.

Vendas do iPad sobem pela 1ª vez em 3 anos, e Apple tem lucro de US$ 8,7 bi

A Apple sinalizou uma recuperação continuada nas vendas do iPhone, depois dos declínios do ano passado, e registrou 7% de alta de receita em seu mais recente trimestre.

A empresa previu desempenho melhor que o esperado para o trimestre que se encerra em setembro.

O segundo trimestre também viu uma retomada do crescimento do iPad, pela primeira vez em três anos, com alta de 15% nas vendas pelo critério de volume, depois do lançamento de um novo modelo de preço mais baixo e de uma atualização da linha de tablets Pro em junho.

Após a divulgação do resultado, As ações da Apple subiram mais de 6% depois do fechamento dos mercados nos Estados Unidos nesta terça (1º) e bateram um novo recorde, superando a cotação de US$ 157.

A receita geral da Apple no segundo trimestre foi de US$ 45,4 bilhões, com alta de 2% nas vendas do iPhone, para 41 milhões de unidades, o que confirma as previsões médias dos analistas.

O lucro líquido da empresa subiu 12% e atingiu os US$ 8,7 bilhões. Quanto ao seu  quarto trimestre fiscal, que se encerra em setembro, a Apple previu receitas de entre US$ 49 bilhões e US$ 52 bilhões, com alta de entre 5% e 11% ante o período em 2016, o que pode resultar em receita superior à média das projeções de Wall Street, que é de cerca de US$ 49 bilhões.

Descubra: LCI e LCA, ainda dá para investir?

Facebook promete reforçar checagem de fatos para combater notícias falsas

O Facebook deve enviar mais artigos potencialmente falsos para verificadores de informações terceirizados e mostrar as descobertas abaixo da publicação original, informou a maior rede social do mundo nesta quinta-feira (3), em um esforço para conter a circulação de notícias falsas.

Em comunicado, a companhia disse que começará a usar algoritmo para detectar possíveis notícias falsas e enviá-las aos verificadores de informação, potencialmente mostrando os resultados da checagem abaixo do artigo original.

O Facebook tem sido criticado como sendo um dos principais pontos de distribuição de notícias falsas, que muitos pensam ter influenciado o resultado das eleições presidenciais americanas em 2016.

Palestras gratuitas recomendadas: Conrado Navarro e convidados falam sobre finanças pessoais e empreendedorismo

Após fusão com Cabify, Dennis Wang deixa a Easy

Após cinco anos na liderança do aplicativo Easy Táxi, que foi um dos pioneiros no País a permitir a solicitação de serviços de transporte por meio de um aplicativo, Dennis Wang deixou a empresa nas últimas semanas. A saída de Wang do cargo de presidente da empresa brasileira acontece pouco tempo depois que a empresa passou por uma fusão com o aplicativo espanhol Cabify na América Latina. As duas empresas anunciaram a união no final de junho, como forma de ganharem força na disputa com o aplicativo norte-americano de carona paga Uber.

Wang foi um dos primeiros funcionários da Easy Taxi. Ele entrou na empresa em fevereiro de 2012, meses depois que a empresa foi fundada pelo brasileiro Tallis Gomes. Na época, a startup operava em apenas uma cidade. Sob a liderança de Wang, a empresa acelerou a expansão internacional e chegou a mais de 30 países na América Latina, atingindo mais de 25 milhões de downloads do aplicativo e 500 mil taxistas registrados globalmente. Desde setembro, Wang estava focado em buscar novos investimentos e oportunidades de negócio para a empresa.

No total, a empresa levantou US$ 77 milhões em investimentos, com participação de fundos grandes como Rocket Internet — também investidor de empresas como a gigante do delivery de comida, Delivery Hero, e o site de comércio eletrônico especializado em moda, Dafiti.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários