Sim, é isso mesmo que você leu. Você pode se organizar sem precisar dedicar mais do que 30 minutos da sua semana. Isso pode parecer bom demais para ser verdade. Mas, quem já está organizado, sabe que isso é uma realidade. É o poder do hábito em ação.

E falando em hábito, quero chamar sua atenção para a seguinte situação.

Infelizmente muitos de nós têm o hábito de postergar várias atividades que precisam fazer. Exercícios físicos, limpeza da geladeira, trocar uma lâmpada queimada, cuidar das finanças, etc. E uma das razões que nos fazem postergar é superestimar o tempo e o trabalho que vai dar. Tenho certeza que você já passou por isso. É nossa mente tentando nos manter na zona de conforto.

Lembra daquela vez que precisava arrumar o guarda-roupa, o armário da cozinha, ou a geladeira? Antes de começar, parecia uma tarefa interminável. E você não queria fazer porque iria tomar o dia inteiro. Mas quando finalmente começou, descobriu que nem iria demorar tanto tempo assim. Era só a impressão de quem não estava habituado com a tarefa.

E isso acontece com as nossas finanças. Principalmente quando estamos numa situação aparentemente fora de controle.

Mas superar a “postergação” é mais fácil do que parece. Primeiro:

Ferramenta recomendada: Super planilha para seu controle financeiro

Comece pelo simples

E por simples quero dizer, adote um pequeno caderno. Um que caiba no bolso ou na bolsa. E, durante 30 dias, anote tudo o que gasta. Mas tudo mesmo, passando do café à mensalidade da escola. Inclua todas as parcelas que paga no cartão de crédito, carnês, boletos, contas, tudo mesmo.

E, importante! Adote de forma que consiga identificar claramente a data do gasto, valor, forma de pagamento e natureza, ou categoria, do gasto. Você pode anotar de forma cronológica (por data) ou separar uma folha para cada tipo de despesa.

Faça aquilo que fizer sentido para você. Mas anote TUDO MESMO, de preferência no momento que gastar. Caso não possa, pegue o cupom ou a nota e deixe dentro do caderno para anotar depois (mas não faça disso um hábito, ok? Você vai se irritar com a quantidade de papel. Vai por mim…)

Aproveite! Relatório gratuito do Tesouro Direto com os melhores títulos para você!

Mantenha simples

Você gosta de planilhas? Maravilha! Você não gosta de planilhas? Tudo bem!

Se você gosta de planilhas, após uma semana de anotações, crie um arquivo para tabulação com todas as informações que foram registradas no caderno. Abra uma tabela simples, com uma coluna para as categorias e outra para os valores. Coloque as categorias que apareceram até agora e some os valores para cada uma. Acrescente mais duas colunas, que serão usadas ao final do período.

Já para quem não gosta muito de planilhas, use um caderno. Crie uma coluna para as categorias e mais sete ou oito colunas. Quatro ou cinco serão para fazer subtotal de cada semana, uma para o total do período e as últimas para o passo final.

Lembre-se: atualize a planilha ou o caderno apenas uma vez por semana. Mas não caia na tentação de fazer só no final do período, combinado?

Descubra: LCI e LCA, ainda dá para investir?

Avalie, ajuste e controle

Após o período de 30 dias você já será capaz de ter clareza em relação à sua situação, sabendo realmente quanto está gastando. E agora poderá avaliar quais são as categorias que mais pesam no orçamento, ou aquelas que você nunca achou que pesassem tanto (lembra do café?).

Use as últimas colunas para estabelecer uma nova meta de gastos mensais e semanais. Isso é muito importante, ok? O mensal é para acompanhamento, e o semanal é para realmente conseguir cumprir o orçamento.

A explicação é simples: metas fora da agenda não se realizam. Ou seja, gastos que você não acompanha fogem ao controle. Por isso, a prática de estabelecer uma semanada para os gastos variáveis vai te ajudar a respeitar o orçamento sem se sentir privado. Afinal, nova semana, nova grana.

Gostou dessas dicas? Que tal começar a praticar?

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários