Agora você confere as principais notícias de 21/09/2017, quinta-feira.

Justiça condena Sérgio Cabral a 45 anos de prisão

A Justiça Federal no Rio condenou nesta quarta-feira (20), o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) a 45 anos e 2 meses de prisão na Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa.

O peemedebista tem uma primeira condenação imposta pelo juiz Sérgio Moro – 14 anos e 2 meses de reclusão, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro.

“Principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados nestes autos, o condenado Sérgio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema”, afirmou o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio, na sentença.

Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e de pertinência à organização criminosa.

Sérgio Cabral está preso desde novembro do ano passado. O ex-governador do Rio está custodiado em um presídio em Benfica, na capital fluminense.

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

Maioria do STF rejeita suspender tramitação de denúncia contra Temer

A maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitou, nesta quarta-feira (20), suspender tramitação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. Eles votaram por seguir o andamento da denúncia e disseram que não é o momento de discutir provas.

Seis ministros acompanharam o relator Edson Fachin: Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli.

Para eles, não cabe ao STF proferir juízo de admissibilidade da denúncia antes que a Câmara dos Deputados examine o caso.

Gilmar Mendes, até o momento, foi o único a divergir e acolher o pedido da defesa de Michel Temer. A presidente do STF, Cármen Lúcia, suspendeu o julgamento, que será retomado na quinta (21).

eBook gratuito recomendado: Bolsa de Valores para Iniciantes

Bolsa supera 76 mil pontos

A Bolsa brasileira fechou em leve alta nesta quarta (20) e superou a marca de 76 mil pontos sustentada pela forte valorização das ações da Petrobras. O dólar, que chegou a cair para R$ 3,11, diminuiu a queda após o banco central americano sinalizar que fará um terceiro aumento de juros neste ano.

O Ibovespa, que reúne as ações mais negociadas da Bolsa, subiu 0,04%, para 76.004 pontos. O giro financeiro da sessão foi de R$ 12,2 bilhões, acima da média diária do ano, que é de R$ 8,25 bilhões.

O dólar comercial teve leve queda de 0,19%, para R$ 3,131. O dólar à vista recuou 0,52%, para R$ 3,118.

Imperdível: 5 ações para comprar agora

Moreira Franco fala em privatizar Correios

De Nova York, para onde viajou integrando a comitiva de Michel Temer, o ministro Moreira Franco, da Secretaria Geral da Presidência, afirmou nesta quarta-feira (20), que a privatização dos Correios está em estudo e precisa ser feita com muito cuidado.

“A situação financeira, pelas informações que o (Ministério do) Planejamento tem e nos passa, é muito difícil”, disse o ministro. “Até porque do ponto de vista tecnológico, há quanto tempo você não manda telegrama, as pessoas perderam muito o hábito do uso da carta”, afirmou.

Segundo o ministro, a tendência é dos Correios passarem a atuar no setor de logística. “Mas isso ainda está em fase de estudo. É o mesmo caso da Casa da Moeda, que produzia mais de 3 milhões de cédulas por ano e agora está (produzindo) 1 milhão e pouco. As pessoas não usam mais moeda”, destacou o ministro.

Descubra: LCI e LCA, ainda dá para investir?

Acompanhe o fechamento do mercado com Alvaro Bandeira


Clique e Ouça

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários