Você já deve ter observado, até porque costuma ser um fato meio inevitável, que geralmente o mercado de trabalho e muitas outras áreas da vida costumam premiar aqueles que falam bastante, expõem a vida e os pontos de vista sem problemas, e conseguem atrair a atenção de uma plateia com apenas alguns minutos de exposição. Pois bem, confesso que admiro quem é assim, mas como sempre me adequei melhor do outro lado, também acho importante tratar de outras faces que geralmente precisam ser resgatadas e não nos damos conta.

Quando era mais nova, gostava daquela frase que dizia: “Você tem dois ouvidos e uma boca, portanto, ouça mais e fale menos”. Hoje ela me parece meio simplista demais, até boba, mas se formos pensar, também traz um significado que merece reflexão. Tenho muitos amigos que conseguem se expor bastante.

Falam muito sobre tudo e são muito agradáveis. Mas quando se trata de ouvir e observar, simplesmente não conseguem parar. E qual o problema nisso? O problema é que só conseguimos encontrar um caminho com real significado quando nos auto-conhecemos de verdade. E só nos auto-conhecemos de verdade quando nos ouvimos. É preciso aquietar a mente para fazer isso e não seguir simplesmente a manada, mas algo que faça real sentido para cada um de nós, afinal de contas, o sucesso é algo totalmente subjetivo.

O que são dividendos? Como escolher ações que pagam dividendos?

Primeiramente, ouça a si mesmo

É fácil ir seguindo pelas diferentes fases da vida e fazendo apenas o que o mundo espera. “Você precisa comprar uma casa até os 40”. “Você precisa se casar até os 30”. “Você precisa ter filhos até os 35”. “Você precisa conquistar a sua independência financeira até os 50”. Mas será que você já parou para pensar no que realmente deseja para si mesmo? No que realmente lhe traz satisfação? É apenas parando e deixando para lá todos os ruídos externos que você conseguirá fazer isso.

Uma pessoa que não consegue dedicar nem um tempinho por semana para avaliar a si mesmo também acaba deixando passar uma série de oportunidades para simplesmente seguir a multidão. E se este é seu caso, está na hora de aquietar, ouvir a si mesmo e simplesmente observar. Como anda sua vida? O que é o sucesso para você?

Para onde você gostaria de ir a partir daqui e onde desejaria estar daqui a 5 ou 10 anos? Sempre é tempo de dar aquela virada, o importante é começar. E estou lhe propondo para que faça isso a partir de hoje, pois um dia, algum tempo atrás, alguém também me fez a mesma proposta e as coisas começaram a se encaminhar da forma que eu realmente queria. Isso não tem preço!

eBook gratuito recomendado: Invista e Construa o Futuro dos seus Filhos

Ouça e observe os outros também

E uma vez que você esteja aprendendo a ouvir e observar a si mesmo, comece a fazer este exercício com os outros também. É muito legal ser uma pessoa que fala bastante, mas também é muito legal ser alguém que sabe ouvir. É fundamental aprender a observar e entender efetivamente o lado do outro se quisermos de fato estabelecer relações mais profundas e verdadeiras na vida, pois é isso que vai fazer diferença nos momentos mais importantes e desafiadores.

Pense nas vezes em que teve que tomar grandes decisões ou nos momentos em que simplesmente não sabia o que fazer. Quem você queria por perto? Alguém que pudesse ouvi-lo com atenção ou alguém que estivesse ao seu lado para convencê-lo sobre suas ideias e convicções?

No livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, Dale Carnegie fala sobre a importância de saber ouvir. O autor, inclusive, dá o exemplo de uma pessoa que, um belo dia, estava sentada na cozinha com seu filho, e que, após uma breve conversa com ele sobre algo aparentemente sem muita importância, ouviu da criança: “Mãe, eu sei que você me ama muito”. A mãe ficou muito tocada e respondeu: “Mas é claro que te amo muito. Você duvida?”. O menino respondeu: “Não. Mas eu realmente sei que você me ama muito porque sempre que quero conversar com você sobre alguma coisa, você para o que está fazendo para me ouvir”. E esta historinha tão simples diz tudo, percebeu?

Nosso desafio diário, além de toda exposição a que o mundo cada vez mais nos obriga, é também aprender a escutar e observar. Tanto a nós mesmos quanto aos outros. Porque é inegável que qualquer relação pode se tornar melhor quando estamos dispostos a ouvir verdadeiramente o outro lado, e isso inclui o nosso lado interno também. E lembre-se que ouvir o outro também significa respeitar os pontos de vista do outro, afinal, cada um de nós é um universo inteiro pronto para trocar conhecimentos e experiências. Ou, ao menos, deveria ser assim!

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

E se está difícil começar a ouvir mais, separei algumas dicas simples que podem ser inseridas em nosso dia a dia para tornar esta missão mais fácil. Fique à vontade para sugerir outras também!

  1. Separe alguns minutos por dia para simplesmente aquietar a mente e ouvir o coração. Anote o que lhe vier a cabeça: coisas que agradaram no dia e coisas que incomodaram. O que você poderia fazer para ter um dia seguinte ainda melhor?
  2. Pense nas oportunidades que teve de ouvir com atenção quem é importante para você. Você conseguiu fazer isso ou estava de olho no celular o tempo todo? Da próxima vez, ponha no mudo antes de iniciar a conversa.
  3. Saber ouvir não significa que você tenha que deixar de ser seletivo e estar à disposição o dia inteiro para todo mundo. Saiba reconhecer o que e quem realmente merece a sua atenção. E dê real atenção para quem merecer.
  4. No lugar de começar uma conversa retrucando e tentando impor o seu ponto de vista, faça o exercício de simplesmente ouvir por alguns minutos e só depois falar. Pode ser que você venha a entender mais claramente o lado do outro, o que fará total diferença no diálogo.
Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários