Agora você confere as principais notícias de 19/12/2017, terça-feira.

Gilmar põe Adriana em domiciliar

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes mandou, nesta segunda-feira (18) para prisão domiciliar a mulher do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

Por três votos a dois, o Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro da 2ª Região (TRF-2) havia decidido mandar de volta para o regime fechado a ex-primeira-dama do Rio. A decisão foi proferida no dia 23 de novembro.

Adriana Ancelmo foi mandada de volta para a penitenciária de Benfica, zona norte do Rio de Janeiro.

O ministro levou em consideração o fato de Adriana ter filhos.

“Em suma, a questão da prisão de mulheres grávidas ou com filhos sob seus cuidados é absolutamente preocupante, devendo ser observadas, preferencialmente, alternativas institucionais à prisão, que, por um lado, sejam suficientes para acautelar o processo, mas que não representem punição excessiva à mulher ou às crianças”, anotou.

Adriana foi presa na Operação Calicute e condenada a 18 anos de reclusão por associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Em novembro, a ministra do Superior Tribunal de Justiça Maria Thereza de Assis Moura havia indeferido medida liminar em habeas corpus impetrado pela defesa de Adriana.

O que são dividendos? Como escolher ações que pagam dividendos?

Bitcoin tem alta de 1.751% no ano, e discussão sobre bolha ganha força

Será que o bitcoin, que acumula alta neste ano de 1.751%, está seguindo o mesmo caminho de uma bolha como a da internet dos anos 2000? Essa é uma discussão que ganhou força nas últimas semanas e gera reações apaixonadas.

Se os entusiastas pela moeda virtual defendem com unhas e dentes a solidez do ativo, uma parcela do mercado financeiro se questiona até que ponto essa onda é baseada em fatos reais.

Para seus defensores, os sucessivos recordes dos últimos meses se deve à confiança de que o bitcoin será usado como moeda no futuro.

Os detratores, por outro lado, não veem perspectivas que sustentem essa demanda e associam o processo especulativo ao de uma bolha, como a do “ponto.com”, quando empresas de internet com faturamento pequeno logo passaram a ser avaliadas em bilhões de dólares na Bolsa.

eBook gratuito recomendado: Finanças Pessoais para Mulheres

Bolsa acompanha exterior e tem alta

O bom humor dos investidores no exterior ajudou a Bolsa brasileira a sustentar o segundo pregão de alta nesta segunda (18), impulsionada pelo dado positivo do indicador de atividade econômica do Banco Central. O dólar fechou em leve baixa, quase em R$ 3,30.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, teve alta de 0,70%, para 73.115 pontos. O giro financeiro foi de R$ 14,2 bilhões, em dia de vencimento de opções sobre ações que movimentou mais de R$ 4,4 bilhões.

O dólar comercial teve queda de 0,27%, para R$ 3,299. O dólar à vista se desvalorizou 0,51%, para R$ 3,293.

eBook gratuito recomendado: Invista sem medo em títulos públicos

Governo deve liberar mais R$ 4 bilhões do orçamento a duas semanas para o fim do ano

Faltando menos de duas semanas para o final do ano, governo pode fazer uma liberação por volta de R$ 4 bilhões de despesas do Orçamento. Um relatório extemporâneo de avaliação de Despesas e Receitas do Orçamento para permitir a liberação está sendo preparado pelo governo e pode ser assinado nesta terça-feira (19).

Como a arrecadação de dezembro ainda não está fechada, o governo está calibrando o tamanho com base na arrecadação de novembro que foi muito positiva.

Por isso, o valor só deve ser definido nesta terça-feira. A maior parte da arrecadação de tributos só entra no caixa do governo no último dia útil do mês.

A perspectiva é que, mesmo com o desbloqueio de mais recursos orçamentários, as contas do governo devem fechar com um valor menor do que a meta de déficit de R$ 159 bilhões.

Em agosto, o governo piorou a meta, elevando o déficit previsto de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões. Mas arrecadação de tributos passou a dar sinais de recuperação, o que vem se confirmando nos últimos meses.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários