Agora você confere as principais notícias de 06/01/2018, sábado.

Presidente do Patriota chama de ‘vergonha’ demora de Bolsonaro em se filiar

O presidente do Patriota, Adilson Barroso, chamou de “vergonha” a demora do deputado Jair Bolsonaro (PSC) para definir sua filiação ao partido.

“O partido foi feito na conjuntura dele porque eles que mudaram o estatuto, o nome e colocaram cinco pessoas na executiva. Seria uma vergonha ficar com esse lenga-lenga já que tem essa segurança aqui”, disse Barroso.

O Patriota é o novo nome do antigo PEN. A legenda fez a mudança para abrigar a candidatura de Bolsonaro à Presidência da República em 2018, já que o PSC pretende lançar o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, ao cargo.

As negociações para mudança de legenda do deputado fluminense já duram quase um ano.

A declaração de Barroso ao jornal Folha de São Paulo Folha ocorreu em meio a uma disputa de Bolsonaro por mais espaço na estrutura de comando do Patriota.

Isso fez com que o deputado, segundo colocado na corrida presidencial, segundo pesquisa Datafolha, buscasse outras legendas como o PSL.

Temer veta o Refis para micro e pequenas empresas

O presidente Michel Temer decidiu vetar o Refis para micro e pequenas empresas para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal, mas deve trabalhar para ver o projeto aprovado nos próximos meses, afirmou nesta sexta-feira (5), o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

Segundo Afif, que se encontrou por cerca de 40 minutos com Temer em seu escritório em São Paulo, o veto ao Refis não aconteceu por questões políticas, mas, sim, “técnicas” e “econômicas”. “Não houve a previsão das perdas e caberia ao Executivo fazer essa previsão”, explicou.

“Então na segunda-feira, o presidente vai chamar o ministro da Fazenda e estudar o impacto das perdas para negociar com o Congresso a derrubada do veto de comum acordo, mas já devidamente resolvido o problema do impacto econômico”, prosseguiu o presidente do Sebrae.

Bolsa engata décima alta seguida e fecha a semana em topo histórico

A Bolsa brasileira engatou a décima alta seguida nesta sexta (5) e teve a melhor sequência de valorizações desde julho de 2010, em semana marcada por indicadores econômicos positivos e pela ajuda do exterior, onde os índices americanos atingiram patamares máximos. O dólar se manteve na casa de R$ 3,23.

O Ibovespa, índice das ações mais negociadas, subiu 0,54%, para 79.071 pontos, novo recorde nominal. Na primeira semana do ano, acumulou ganho de 3,49%.

O dólar comercial caiu 0,03%, para R$ 3,234, e na semana teve depreciação de 2,44%. O dólar à vista, que fecha mais cedo, subiu 0,10%, para R$ 3,231. Na semana, recuou 2,46%.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários