Agora você confere as principais notícias de 14/01/2018, domingo.

Sete delatores vão depor a Moro sobre sítio de Atibaia

Menos de duas semanas depois de enfrentar julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o ex-presidente Lula será alvo, novamente, de delatores, desta vez, no processo em que é acusado de ser dono do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia. Na primeira semana de fevereiro, sete testemunhas de acusação – todos colaboradores – vão depor ao juiz federal Sérgio Moro no caso que envolve supostas propinas da OAS e da Odebrecht.

O imóvel em Atibaia, em nome de Fernando Bittar, filho de Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas pelo PT, é pivô de mais uma ação penal em que Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O Ministério Público Federal sustenta que as reformas bancadas pela Odebrecht e a OAS dissimularam pagamentos de R$ 1 milhão ao ex-presidente.

No dia 5 de fevereiro, os marqueteiros João Santana e Mônica Moura, que confessaram ter recebido pagamentos da Odebrecht no exterior para realizar as campanhas petistas, vão depor.

No mesmo dia, está marcada a audiência do ex-gerente da Área Internacional da Petrobrás, Eduardo Musa, que admitiu direcionar licitação na estatal para o grupo Schahin para sanar dívida de R$ 60 milhões com o partido no caso que envolveu empréstimo fraudulento ao pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.

Disputa entre Maia e Meirelles contamina debate econômico

A disputa entre o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), pelo posto de candidato governista ao Planalto contaminou o debate sobre o rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela Standard & Poor’s.

Nesta quinta-feira (11), horas depois do anúncio de que a nota passaria de “BB” para “BB-“, Maia e Meirelles deram novos –e fortes–contornos à briga política que travam há semanas na tentativa de se viabilizarem como o nome de centro para as eleições.

Meirelles transferiu ao Congresso o ônus pelo atraso na aprovação de medidas do ajuste, como a reforma da Previdência. A demora no encaminhamento da proposta e as incertezas eleitorais estão entre os fatores que pesaram na decisão da agência.

O presidente da Câmara ficou bastante irritado com o discurso do ministro, disse que a tese não era correta e, por fim, telefonou ao presidente Michel Temer, ainda na noite de quinta, acusando Meirelles de ter “errado no tom”.

Em seguida, a nota oficial da Fazenda, que inicialmente transferia a responsabilidade pela não aprovação das medidas ao Congresso, acrescentou uma única frase ao texto, apenas para fazer um afago aos parlamentares.

“Sempre contamos com o apoio e com a aprovação das medidas necessárias para o país pelo Congresso e temos certeza de que o mesmo continuará a trabalhar em favor das reformas e do ajuste fiscal fundamentais para o Brasil”, dizia o último parágrafo.

Trump acusa democratas de impedirem conclusão de acordo migratório

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado que a falta de ação dos democratas pode impedir a conclusão de um acordo migratório negociado durante meses no Senado por um grupo bipartidário. A acusação ocorre depois de o republicano chamar países como El Salvador e Haiti de “buracos de merda” na última reunião sobre o assunto, nesta semana.

Em sua conta no Twitter, Trump disse que os democratas enterraram um possível pacto depois de suas declarações no encontro terem sido vazadas ao jornal The Washington Post.

“Os democratas são só palavras e nada de ação. Não estão fazendo nada para consertar o Daca (Programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância, em Tradução Livre). Uma grande oportunidade perdida. Muito ruim!”, escreveu o presidente ao se referir sobre a situação dos jovens imigrantes ilegais que chegaram ao país quando crianças.

“Não acredito que os democratas realmente queiram ver um acordo sobre o Daca. Esse é o momento, mas, dia após dia, estão desperdiçando a grande oportunidade que têm”, completou.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários