Home Comprar ou Vender 10 ações “agressivas” para bater o Ibovespa com análise técnica e fundamentalista

10 ações “agressivas” para bater o Ibovespa com análise técnica e fundamentalista

Portfólio leva em consideração catalisadores de curto prazo (do lado de análise fundamentalista) e indicadores de momentum do lado de análise técnica

por Gustavo Kahil
0 comentário
Mercados

O BTG Pactual revelou nesta segunda-feira (17) a terceira edição da sua carteira recomendada “Excess”, que leva em consideração catalisadores de curto prazo (do lado de análise fundamentalista) e indicadores de momentum do lado de análise técnica.

Para este mês, os times de análise técnica e fundamentalista do banco optaram pela saída dos papéis da Embraer (EMBR3), Engie (EGIE3) e Iguatemi (IGTA3). Entram os ativos da Gerdau (GGBR4), Vibra Energia (VBBR3) e Arezzo (ARZZ3).

A performance acumulada de 2023 da carteira apresenta uma variação positiva de 5,8% contra 7,5% do Ibovespa, um alfa de -1,7%. (Fonte: BTG Pactual)
Arezzo
(Imagem: Divulgação/ Arezzo)

Arezzo

Apesar de desempenho superior ao do setor nos últimos 2 anos e a desaceleração esperada na receita nos próximos trimestres, bem como alguma pressão na rentabilidade vinda das operações EUA (que esperamos amenizar nos próximos trimestres), ainda vemos a Arezzo como uma de nossas principais teses do varejo.

Segundo a análise técnica, o ativo está em um processo de consolidação a médio prazo. A visão a curto prazo mostra um teste de suporte vital em R$ 62,00, o que resultou na formação de um piso. Paralelamente, nota-se a melhoria do fluxo comprador, criando um pivô de alta superior a R$ 70,91 e intensificando a pressão compradora.

“Projetamos a continuação dessa tendência, com objetivos de R$ 81,50, seguido pelo pico anterior de R$ 90,00 (fevereiro/23)”, aponta o BTG.

Gerdau 2
(Imagem: Divulgação/ Gerdau)

Gerdau

Na visão fundamentalista, o BTG vê a ação combinando resiliência e ótima dinâmica de resultados, com métricas de valuation atraentes. As operações norte-americanas têm impulsionado a maior parte dos resultados da empresa nos últimos trimestres, com margens mantidas em níveis de 25-30%, o que acreditamos que devem continuar nestes patamares.

Já na avaliação técnica, o ativo GGBR4 indicou reversão de baixa para alta no curto prazo.

O preço encontrou suporte no fundo anterior de R$ 23,20 e o impulso comprador retornou, com a quebra do topo de R$ 26,15 resultando em um padrão de reversão e expansão da volatilidade. O movimento de topo em R$ 31,40 e fundo em R$ 23,15 é utilizado para estabelecer futuras resistências nas retrações de Fibonacci em R$ 28,00 (61,8%) e R$ 29,20 (76,4%).

Vibra Energia 2
(Imagem: Reprodução/ Site da Vibra)

Vibra Energia

As ações da VBBR têm tido um desempenho inferior aos pares no acumulado do ano, e achamos que o valuation não apenas ignora o cenário topdown de um setor mais favorável à frente, mas também importantes marcos específicos da empresa que irão impulsionar geração de caixa e acelerar o crescimento dos lucros

“A sensação de que o pior dos últimos dois trimestres já está para trás deve ajudar as ações. Negociando a 13,5x P/L em 2023, vemos uma relação de riscoretorno atraente na companhia”, aponta o BTG.

Na visão técnica, o banco projeta uma tendência altista de médio prazo.

“O cruzamento de alta das médias móveis de 21 e 50 dias sinaliza o aumento da pressão compradora. O gráfico diário evidencia um período de lateralidade no curto prazo e o eventual rompimento do patamar de R$ 18,60 poderia deflagrar um novo ciclo de alta. Esperamos que a média móvel de 50 dias, atualmente em R$ 16,50, atue como suporte significativo nos próximos períodos de negociação. As resistências subsequentes podem ser identificadas através das projeções de Fibonacci em R$ 21,25 (141,4%) e R$ 23,00 (161,8%)”, conclui o banco.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.