13º Salário: gastar ou investir?Você pode achar que ainda é cedo para pensar no que fazer com o 13º salário, mas a verdade é que se você não se planejar desde já, poderá acabar gastando-o antes mesmo de ele ser depositado na sua conta. Acredite!

Trabalhos de finanças comportamentais – área que se dedica ao estudo dos impactos do comportamento humano sobre as decisões econômicas e financeiras – apresentam evidências de que tendemos a separar o dinheiro com base em critérios subjetivos, como, por exemplo, a fonte pagadora, e isto explica a razão pela qual temos maior facilidade para gastar o dinheiro que “ganhamos” do que o dinheiro conquistado com muito esforço.

Em outras palavras, o salário recebido mês a mês é visto como de maior valor e gasto com mais cautela e ao dinheiro proveniente de bônus ou qualquer outro extra é atribuído menos valor e despendido com mais facilidade.

Tecnicamente, a inclinação para agirmos desta maneira é conhecida como contabilidade mental e, como a maioria de nós apresenta este viés, não nos damos conta de que poderíamos dar um destino melhor para este dinheiro.

O 13º salário é um destes casos que gastamos com mais irracionalidade, pois é recebido como um presente e não como merecimento, talvez porque o recebamos numa época de festas e de férias. Por isso, o fim mais comum para ele é o gastá-lo, sendo que o ideal seria aplicá-lo bem.

Só alcançamos objetivos e nos preparamos para a aposentadoria com disciplina. Quando consumimos tudo o que ganhamos, estamos colocando o futuro em xeque. Esta época é ótima para se compreender a importância dos investimentos, começar e estabelecer uma rotina de aplicações, mesmo que sejam anuais – se você ainda não começou.

Também é muito comum as pessoas utilizarem o dinheiro do 13º para quitar alguma dívida. Se esse é o seu caso, se você já conta com este dinheiro, pois antecipou uma compra, faça isso mesmo. Não tem lógica investir, receber rendimentos de 0,5% ou até mesmo 3% ao mês e pagar 5%, 6% ou 8% de juros mensais. Não tem problema adiar mais um ano; o importante é fazer como manda o figurino, de maneira a obter mais rendimentos.

Há pouco tempo, recebi uma pergunta interessante de uma cliente que, após ter lido nosso eBook Planejamento Financeiro (clique aqui para baixar), me escreveu o seguinte: “Só posso começar a investir em fundos depois que meus ativos forem maiores que os passivos?”.

Não necessariamente alguém precisa ter mais ativos do que passivos para investir. A análise do patrimônio líquido (ativos – passivos) é utilizada para identificar a situação financeira de um indivíduo.

Quando a situação é de patrimônio líquido negativo, costumo dizer que a luz vermelha está acesa. Deve-se dar atenção às contas, mas, por exemplo, se a sua dívida for o financiamento de um carro ou de um imóvel e você conseguir pagar as prestações e investir, não só pode como deve começar.

O que não é recomendado é investir quando as suas dívidas estiverem sendo roladas no cheque especial ou cartão de crédito. Neste caso, é melhor liquidar o saldo devedor antes de investir.

Voltando aos planos para investir o seu 13º, sugiro uma carteira diversificada que contemple liquidez, pois você pode precisar de dinheiro em situações emergenciais, e que supere a inflação no longo prazo, aumentando sua riqueza a fim de proporcionar segurança para a família e independência na aposentadoria.

A contabilidade mental, mencionada no início do texto, também é um comportamento apresentado por muitos investidores, os quais preferem desvincular o dinheiro seguro daquele aplicado em produtos de maior risco, com a intenção de evitar que as variações negativas dos investimentos arriscados afetem a carteira como um todo.

Esta prática, no entanto, exige certo esforço e, em alguns casos, também custos, mas não fará diferença quando comparada a investir todo o valor. Evitar a contabilidade mental é fundamental para alcançar maiores retornos. O dinheiro é fungível, isto é, independentemente da sua origem e objetivo.

Dinheiro é dinheiro! Nem a fonte deveria ser um fator determinante na hora de decidir como gastá-lo, nem separá-lo vai produzir resultados diferentes.

E você, já sabe o que vai fazer com o dinheiro do 13º? Estou à sua disposição se tiver dúvidas sobre as melhores opções de investimento para o seu 13º através do canal “Fale com a Sandra”, no site da Órama.

Foto observing statistics, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários