2011: menos promessas e mais açãoAno novo. Novos horizontes. Novas promessas e muita esperança. O ano de 2011 traz consigo novamente o imenso desejo de renovação.  Renovar o que exatamente? Com o passar dos meses acabamos nos dando conta de que se não adotarmos novas posturas as promessas feitas no Réveillon continuarão sendo somente promessas. Proponho uma atitude muito positiva e determinada nesse início de ciclo e nos meses seguintes. Prefira fazer a renovar.

“Para sonhar um ano novo que mereça este nome, você tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”Carlos Drummond

Todo esse clima envolvente do dia 31 de dezembro pode ser repetido todos os dias, pois a felicidade[bb] está ao alcance de nossas mãos. Não tem jeito, eu sou otimista e acredito muito na capacidade de transformação e superação das pessoas. Mas para que tenhamos uma qualidade de vida melhor e dias mais felizes é preciso ter atitude para transformar nossos desejos em realidade.

Que tal fazermos menos promessas e cumprirmos todas elas? A palavra de ordem que sugiro é realização. O melhor é que nesse caminho podemos descobrir muitas coisas interessantes que proporcionam nosso crescimento pessoal. Podemos nos deparar com novos desejos, abandonar posturas limitadoras, romper limites, sermos presença na vida de alguém, descobrir habilidades e conhecer pessoas especiais.

Dê o primeiro passo e deixe a vida surpreender você! Que tal aproveitar o início de ano para fazer um “balanço” de 2010 e pensar sobre as novas possibilidades? Comece respondendo algumas perguntas:

  • Consegui atingir os objetivos traçados em 2010?
  • O que comprometeu a realização desses objetivos?
  • O que deixou de funcionar ou poderia ter funcionado melhor?
  • Errei? Onde? Como? O que aprendi?
  • Pretendo seguir pelo mesmo caminho?
  • Qual minha definição de sucesso e felicidade?
  • O que posso começar fazer para ter sucesso[bb] e mais qualidade de vida?
  • Qual o sentido da minha vida e quais são meus maiores tesouros?
  • Quais são as pedras no meu caminho e como retirá-las?

Complete as questões propostas com seu toque pessoal e faça uma avaliação honesta de suas conquistas, seu sucesso, mas principalmente dos seus fracassos. O que não deu certo? Por quê? Ora, precisamos tomar posse da felicidade que nos espera apesar de todas as dificuldades cotidianas.

O escritor Canísio Mayer traz em suas palavras o meu desejo para cada um de vocês em 2011: “A vida tem sentido quando dela faz parte o carinho, a liberdade, o entusiasmo, o bom humor, o compromisso e um projeto de vida. Esses ingredientes nos fazem transcender o imediatismo, superar as falsas comodidades, vencer todo tipo de escravidão, ultrapassar as dificuldades e limites, continuar perseguindo um sonho, sistematizar os bons desejos, confiar, apesar de tudo. Ser feliz!”.

Que em 2011 você chegue mais longe, aprenda, ensine e ouça mais. Que o Ano Novo encha seu coração de alegria[bb], mas também a mente de planos e coragem para enfrentar novos e diferentes desafios. Grande abraço!

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários