Depois de um mês praticamente pautado pelos jogos do Brasil, quando era impossível marcar compromissos em alguns dias e horários, a vida aos poucos vai voltando ao normal.

Ontem, precisei ir até o banco para resolver algumas questões, conversar com o gerente e “marcar território”, afinal para encontrar um bom gerente é fundamental marcar presença e desenvolver um relacionamento de confiança e reciprocidade. É preciso participar.

Ao sair da agência, encontrei com um amigo que foi muito próximo de minha família durante boa parte da vida, mas que acabou se distanciando e perdendo o contato por conta de escolhas profissionais naturais da vida.

Após os cumprimentos de praxe, percebi certa angústia por parte de meu amigo. Para que o papo pudesse acontecer de forma mais tranquila, convidei-o para um café ali perto. Ainda que meio sem jeito, ele aceitou o convite.

Empreender: um caminho para todos?

Papo vai, papo vem e depois de algumas provocações de minha parte, meu amigo abriu a guarda e me contou que estava atravessando um período complicado de sua vida. Após anos de trabalho remunerado, ele saiu da empresa e com o dinheiro da rescisão decidiu montar uma pequena empresa. Em pouco mais de um ano, ele quebrou!

A situação financeira foi piorando, ele não conseguiu retornar para o mercado de trabalho com o mesmo salário e, em pouco tempo, tudo começou a desmoronar. A falta de grana tinha comprometido inclusive seu casamento.

Esse tipo de situação é mais comum do que muita gente imagina. No caso do meu amigo, o desespero financeiro surgiu como resultado de um mau negócio, mas na vida de muita gente ele vem de diversas formas, mas sempre com a perda, mesmo que momentânea, do poder de compra e da manutenção do padrão de vida.

Leitura sugerida sobre empreendedorismo: Cuidado ou Você vai Matar seu Próprio Negócio.

3 atitudes para manter as finanças do empreendedor em dia

Quem decide abrir um negócio precisa levar em consideração diversas questões relacionadas ao dinheiro, e não apenas da empresa. Afinal, antes de ser um empresário de sucesso é preciso conquistar o sucesso das finanças da própria vida.

Acho interessante lembrar três cuidados essenciais que o candidato a empreendedor precisa levar em consideração e praticar:

1. Criar a reserva de segurança

Já abordamos a necessidade de construir uma reserva de emergência em inúmeros artigos aqui no Dinheirama, mas sempre vale a pena lembrar e reafirmar o quando isso é crucial.

Para quem decide empreender, essa reserva passa a ter uma importância ainda maior, afinal a chance de o negócio não prosperar, ou mesmo demorar para entregar o retorno desejado para o empreendedor, é grande.

É fundamental trabalhar dentro do planejamento e criar a reserva tendo em vista duas realidades: primeiro, garantir a manutenção do padrão de vida durante algum tempo (o negócio demora para “maturar”; segundo, usar a reserva para se precaver diante de um possível insucesso do negócio.

Leitura sugerida sobre reserva de emergência: Reserva de emergência: por que é tão importante ter uma e como montar?

2. Ajustar o padrão de vida

Um dos maiores desafios que muitas pessoas precisam enfrentar é o ajuste do padrão de vida em situações de perda de renda. A reserva de emergência (item anterior) pode ajudar durante algum tempo, mas em alguns casos extremos nem mesmo a reserva é suficiente para resolver a situação.

Nesses casos, é fundamental que o problema não seja “empurrado com a barriga”, pois é comum as pessoas passarem a utilizar o limite do cheque especial, o cartão de crédito e mesmo o empréstimo consignado como complemento de renda. Viver pendurado para pagar as contas pode dar fôlego, mas não deve ser algo definitivo.

Todos sabemos o tamanho e o estrago que os juros no Brasil são capazes de fazer no orçamento das famílias, por isso a atitude mais sensata é organizar o mais rapidamente possível uma conversa franca com os membros da família e abrir o jogo.

É preciso mostrar o atual cenário familiar, dizer que será preciso um esforço de todos para que o orçamento possa ser ajustado de modo que a família não seja obrigada a contrair dívidas e ter que abrir mão de seu patrimônio. Falar sobre o assunto é sempre melhor do que esconder um problema.

Separar as finanças pessoais das finanças da empresa é outra ação importantíssima – esse foi um dos principais problemas que viveu meu amigo. Os empreendedores que não separam suas finanças das da empresa podem demorar para perceber quando algo não vai bem com a empresa e, consequentemente, com o próprio bolso.

O ideal é ter sempre uma contabilidade atuante, com os respectivos cuidados fiscais e identidades bancária independentes, para que o que seja da empresa seja apurado corretamente e, a partir daí, sejam pagos salário e pró-labore dos empregados e sócios.

Administrar as contas através de sistemas de gestão financeira é fundamental, o que ajuda muito a organizar o dia a dia da pessoa e de seu papel enquanto empresário.

Leitura sugerida sobre dinheiro e família: 5 Sinais de que o Dinheiro é um Tabu em sua Vida.

3. Preparar-se para ser um empreendedor

Outro detalhe importante e muito comum: o preparo precário do aspirante a empreendedor brasileiro. Muita gente decide empreender na base da empolgação, sem um mínimo de planejamento e conhecimento e acaba vendo os planos afundarem.

Hoje, quem decide empreender tem à disposição uma série de iniciativas e órgãos de apoio, como o SEBRAE, agências de fomento e incubadoras, que são capazes de oferecer orientação para os primeiros passos no desafio de empreender.

Nestes espaços de aprendizado são ministrados cursos e até consultorias individuais para que o empresário defina os aspectos principais da empresa, que vão desde a criação do plano de negócios até como será o dia a dia da gestão.

É importante ressaltar que é sempre recomendado ao empreendedor se dedicar a uma área em que ele se sinta confortável e tenha algum conhecimento prévio, assim ele terá à sua disposição uma rede de contatos e experiência prática capazes de aumentar suas chances de sucesso.

Leitura sugerida sobre empreendedorismo: 10 Coisas sobre Empreendedores que Você Precisa Saber.

Conclusão

Dizem por ai que “empreender é uma arte”. Se levarmos em conta nossa burocracia, mão de obra e a quantidade de impostos, o desafio tende a ser ainda maior. Felizmente, percebo que aos poucos nossos empresários estão amadurecendo, mesmo que muitas vezes tendo que falir e começar de novo. Um cenário como o nosso faz com que o preparo do empreendedor seja indispensável.

Quanto ao meu amigo, infelizmente não existe caminho fácil. Sugeri que vendesse alguns bens, trocasse o carro por um bem mais barato e que investisse tempo em se aperfeiçoar e voltar a turbinar sua carreira – no caso dele, a pouca idade é um trunfo que o permite essa “reinvenção”.

Outra sugestão foi a de melhorar o nível da comunicação sobre dinheiro dentro de casa, para que se invista em um diálogo franco e ações capazes de ajustar as expectativas da família. Tudo com o objetivo de diminuir as surpresas e o desconforto das dívidas.

Por fim, lembre-se que várias lições da educação financeira podem e devem ser utilizadas na vida de empreendedor. Não se trata de não correr riscos, mas de aprender a gerenciá-los. Saber planejar cada passo é fundamental para que todos os riscos sejam conhecidos e calculados. Obrigado e até a próxima.

Foto “Accounting”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários