Temos uma pergunta muito importante para abrir o tema de hoje: por quanto tempo você acha que sobreviveria, se as suas fontes de renda secassem de uma hora para outra?

A perda de um emprego, ou a quebra de um negócio são os exemplos práticos mais clássicos da pergunta acima.

Segundo o livro “Pai Rico Pai Pobre“, escrito por Robert Kiyosaki e Sharon Lechter, ao nascermos o sistema nos coloca em uma “Corrida de Ratos”. Estamos aprisionados em um círculo vicioso de trocar tempo por dinheiro.

Por isso vendemos quase toda nossa vida útil por salários que não alcançam completamente nossas necessidades e sonhos. Só que não precisa ser assim. Existem maneiras de você se livrar dessa situação.

E queremos apresentar a você uma maneira real, baseada em 3 passos simples. Este método pode realmente mudar a sua vida para sempre, como já mudou de algumas pessoas que o seguiram à risca.

Você irá aprender a realmente colocar o seu dinheiro para trabalhar para você, e este é o princípio da autonomia financeira.

Passo 1

O investimento é a melhor árvore de dinheiro que existe, e só através dele que você poderá criar novas mudas. Então, poupe uma quantia para investir em ativos que vão lhe proporcionar lucros no futuro.

Lembre-se, investimento é aquilo que lhe traz lucros. É quando você faz o dinheiro trabalhar por você. Por isso, o Passo 1 é encontrar ativos que serão excelentes investimentos e poderão multiplicar seu patrimônio de forma progressiva e segura.

Passo 2

Agora é que vem o pulo do gato. Esse é o ponto mais importante para alcançar sua Autonomia Financeira. Supondo que enquanto aguardava que os ativos gerassem lucro, você continuou poupando seu dinheiro mensalmente.

Ao receber os lucros, use-os junto com o que poupou para reinvestir. O erro mais comum cometido pela maioria das pessoas é cortar o processo.

Ao retirar os lucros do investimento, você para de regar a sua árvore de dinheiro. Por isso, é muito importante que você seja focado, e mantenha o método de forma contínua por algum tempo.

Passo 3

Entre manter os ativos e utilizar os lucros para reinvestir, o Passo 3 nada mais é do que saber quando você pode começar a desfrutar do seu investimento.

Você alcança a Autonomia Financeira quando os juros do total acumulado ultrapassam o valor necessário para arcar com seus custos de vida.

Leitura recomendada: Os melhores ativos para você alcançar sua autonomia financeira

O exemplo do Miguel

Miguel ganha R$ 4.000. Ele já vinha poupando dinheiro há alguns anos e possui R$ 30.000 acumulados. Ele tem um custo de R$ 2.500 com suas despesas de vida, e consegue investir R$ 1.500 ao mês.

Ele adotou os passos acima, e escolheu um grupo de ativos financeiros que proporcionam para ele uma rentabilidade de 20% ao ano.

Se ele se mantiver disciplinado com estes passos, em 5 anos, contando os investimentos mensais de R$ 1.500 e os juros acumulados, ele terá acumulado cerca de R$ 191.000.

Com este montante, ele pode parar de investir os R$ 1.500 e ainda retirar os R$ 2.500 mês a mês para seu custo de vida, que apenas os 20% de rendimentos anuais sobre o capital acumulado, serão suficientes para mantê-lo crescendo.

Em outras palavras, Miguel alcançou sua autonomia financeira em 5 anos.

É claro que esses valores vão variar muito em função de sua renda, patrimônio já acumulado e custo de vida. Mas tem uma coisa que não pode variar: são os 20% de rentabilidade anual.

Agora você está se perguntando: como é que vou conseguir investir de tal forma que obtenha um retorno anual de 20%, ainda mais em tempos de juros em queda?

Aqui entra a melhor parte, mas a história é um pouco mais longa, e precisamos que você clique aqui para continuarmos nossa conversa noutro local.

Nota: Esta coluna é mantida pela Empiricus, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Empiricus Research
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.