A crise chegou e, aos poucos, tomou de assalto a vida de muitas famílias. Hoje, milhões de brasileiros perderam o emprego e precisam conviver com inflação ainda elevada, enquanto lidam com o crédito cada dia mais escasso e a juros exorbitantes.

Um dos grandes e talvez mais preocupantes problemas da crise é a falta de esperança. Não ter uma perspectiva real para o futuro paralisa o país, e o que existe de mais inquietante no atual cenário é que a crise econômica se fundiu com a crise política; a coisa ficou bem bagunçada, mas estamos aqui para ajudar a manter seu bolso em ordem.

É sempre importante manter a consciência financeira, tratando as finanças pessoais com responsabilidade, ou seja, respeitando o seu padrão de vida. Com a piora da crise, duas ações se tornam indispensáveis: um pente fino no orçamento pessoal e adotar alguma forma de cortar os gastos.

Leitura recomendada: 3 dicas para enriquecer na crise (e fora dela)

Se a ordem do momento é economizar, a melhor forma de fazer isso é conseguir manter o seu orçamento em dia e cortar tudo aquilo que agora não é essencial. Ao contrário do que possa parecer, nem sempre identificar os gastos desnecessários é algo simples; pensando nisso, decidi compartilhar 5 dicas para ajudar a identificar as goteiras do seu orçamento.

1. Anote os seus gastos

Gastou? Anote! É simples assim: conforme você anota os seus gastos, você consegue ter uma noção real de para onde está indo o seu dinheiro. A grande dificuldade aqui está em conseguir manter um registro realmente seguro de todos os gastos.

Normalmente, colocamos apenas as contas grandes e deixamos as coisas simples do dia a dia de fora. Evite fazer isso e anote absolutamente tudo que você gastar, ainda que por alguns meses apenas. A partir dessa fotografia ficará mais fácil descobrir para onde está indo seu dinheiro e quais gastos poderão ser cortados para que você possa economizar.

2. Planeje seu mês

A maioria dos pagamentos do mês são relacionados a gastos fixos. Isso significa que todos os meses você sabe que terá que pagar determinada despesa (aluguel, condomínio, água, luz e etc.).

Ao planejar essas contas, você consegue controlar melhor quanto ainda sobrará ou faltará no mês e, com isso, terá mais segurança sobre o que ainda terá para gastar. Ao unir o planejamento das despesas com a prática de anotar os gastos, dificilmente você se verá surpreendido no final do mês.

Vídeos recomendados: Já conhece o canal de vídeos do Dinheirama no YouTube? Se inscreva agora.

3. Reveja o uso do cartão de crédito

Existem duas boas formas de controlar seus gastos através do cartão de crédito: ou usando ele como ferramenta que regulará os gastos no mês em períodos, ou deixando ele totalmente parado (utilizando-o apenas em casos específicos).

Na prática, isso significa que você pode utilizar o cartão de crédito para todos os seus gastos, se assim desejar, já que assim será possível ter um registro real com todos os lugares para onde o seu dinheiro foi, mas precisa ser organizado e capaz de pagar a fatura em dias sempre.

Quem não consegue lidar com o crédito de forma responsável, talvez deva ficar o mais longe possível dele (pelo menos até aprender a controlar o ímpeto e entender suas vantagens e reais características).

Lembre-se ainda que o cartão de crédito é uma forma de pagamento e não uma despesa em si, por isso se utilizar o cartão lembre-se de lançar e detalhar a despesa em seu controle da forma correta.

4. Tenha em mãos o dinheiro que pretende gastar

Outra excelente maneira de controlar seus gastos e identificar possíveis excessos é gastar apenas aquilo que você tem em mãos. Por exemplo, no começo do mês retire uma certa quantia de sua conta e considere esse dinheiro o retrato de seu orçamento para tudo o que quiser fazer durante o mês.

Acabou o dinheiro, acabou a diversão – mesmo que sua conta diga o contrário. Dessa forma, você se acostumará a não se descontrolar ou exagerar, seja usando incessantemente o cartão de débito ou o crédito.

Algumas famílias no Japão costumam separar o dinheiro em envelopes; para cada tipo de despesa, eles colocam um montante de dinheiro. Quando acaba o dinheiro do envelope, paciência, para gastar de novo com aquilo só no próximo mês.

5. Use e abuse da tecnologia

Atualmente, existem centenas de bons aplicativos que ajudam você a conseguir controlar os seus gastos mensais. Aprender a usá-los é uma excelente forma de manter os olhos abertos para identificar o rumo do dinheiro e fazer um controle financeiro mais eficiente.

Além disso, utilizar esses aplicativos por mais tempo permitirá compreender de forma ainda mais completa a realidade financeira familiar. Os relatórios, a possibilidade de compartilhar informações e atualizar facilmente os registros, cria uma série de facilidades neste sentido.

Leitura recomendada: 3 Investimentos para realizar mesmo em épocas de crise (e você os conhece)

Conclusão

A consciência financeira é um desafio para todos. Ajustar o orçamento é um passo fundamental neste sentido, principalmente em períodos de crise. Nós vivemos hoje a pior crise registrada em décadas, e muita gente acredita que teremos ainda períodos difíceis antes de voltarmos ao rumo do crescimento.

Acontece que, ao contrário do que a maioria consegue perceber, crises são momentos importantes para reflexões e mudanças de atitude, e uma dessas transformações precisa ser a do orçamento. Opte por cortar despesas que não são essenciais, reforce sua reserva de emergência e invista em produtos seguros e capazes de oferecer boas rentabilidades. Até a próxima!

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários