Gilson comenta: “Navarro, vendo toda esta onde de crise e desemprego, resolvi me antecipar e pedi demissão no início de 2015, quando comecei um negócio de revenda de roupas e calçados no atacado. Não tenho loja própria. Faço os contatos por telefone, visito as lojas e uso a internet como suporte. Não tinha ideia do quanto era difícil empreender, e quero te agradecer porque aprendi muito sobre finanças pessoais no Dinheirama. Só estou conseguindo avançar, ainda que lentamente, porque fiz uma boa reserva financeira antes dessa mudança profissional. Quando for possível, faça um texto reforçando isso aos leitores, pois neste último ano vi quatro amigos quebrarem por não conseguirem sustentar financeiramente suas famílias enquanto começavam seus negócios próprios, e um deles inclusive se divorciou”.

Empreender é um estilo de vida. Iniciar um novo negócio é uma decisão que requer coragem, muita dedicação e planejamento. Sempre que eu me lembro da minha história, gosto de comentar alguns pontos importantes que precisam ser levados em consideração ao decidir abandonar o emprego para ser dono do próprio negócio.

Escolhi cinco itens relevantes, alguns técnicos, outros comportamentais, que você precisa avaliar com carinho antes de fazer uma transição como esta. E reforço ainda que, se for possível, você deve considerar por algum tempo manter seu emprego e começar a empreender em paralelo para reduzir os riscos (embora isso vá exigir muito mais de seu tempo).

Vamos então aos 5 pontos que você não pode esquecer de analisar antes de começar a empreender:

1. Tenha dinheiro para ficar pelo menos 12 meses sem gerar renda

Quando digo “pelo menos”, é isso mesmo. Esses 12 meses já considero um período de alto risco – bom mesmo seria mais que isso. Acredite, quando você deixar seu emprego e começar a empreender, seu dinheiro vai acabar mais rápido do que você imagina.

Como assim? É simples: vão surgir gastos adicionais e não previstos, dependendo da natureza de seu negócio, como honorários contábeis extras, custos com advogado, equipamentos e infraestrutura para trabalhar, maior investimento em propagandas do que o previsto e por aí vai.

Assim, é muito importante que você ajuste seus pensamentos para, se necessário, reduzir seus custos ao máximo, considerando viajar menos, comprar menos roupas e objetos, deixar de comer fora de casa e várias outras coisas, como até se mudar para um imóvel mais barato, seja ele próprio ou alugado.

Por um instante, pense em como se sentirá caso seu dinheiro esteja acabando e você ainda não tenha conseguido gerar renda com seu negócio. Serão momentos excepcionalmente difíceis, em que a pressão crescerá bastante (de você mesmo e das pessoas que convivem com você). Você terá até dificuldades para dormir bem.

Enfim, ao contrário do que muitos “gurus” dizem, o sucesso virá lentamente, enquanto o dinheiro irá embora rapidamente. Então, seja realista e comece a planejar o quanto antes.

Leitura recomendada: 5 Passos para você criar sua reserva de emergência (ou fundo de reserva)

2. Suas horas de sono irão diminuir consideravelmente

Aqui mora uma velha lenda sobre empreender. Muita gente pensa que os donos de negócios próprios trabalham menos e têm uma “vida boa”. É exatamente o contrário. Se um empresário de sucesso já trabalha muito, imagine como é a agenda de quem está começando um negócio. Pois é, este tem que dedicar muitas (muitas mesmo) horas diárias de trabalho.

Ah, e tem mais: esqueça os fins de semana. Durante um bom tempo você terá que abdicar de suas vontades para colocar toda energia disponível no seu negócio, a fim de retirá-lo do “zero”.

Aquelas fotos sorridentes do seu amigo empreendedor, em lugares legais, dizem muito pouco sobre o que acontece nos bastidores: dias sofridos, noites de trabalho, rejeições de todos os lados e fracassos frequentes. Não quero te assustar ou desaminar, mas contar o que poucos contam. Parece uma tragédia, mas é uma escolha!

3. Você precisa suportar bem as pressões de amigos e familiares

É provável que poucos de seus familiares e amigos sejam empreendedores. Se isso não for verdade, você é um privilegiado. Acredite, são as pessoas mais próximas de você as que mais irão te pressionar por resultados rápidos na sua caminhada empreendedora (ainda que elas façam isso de forma inconsciente).

Falando nisso, a história de um amigo que começou a empreender me vem à cabeça. Ele me disse que quase todos os dias os pais dele perguntavam algo assim: “E aí, filho, já está ganhando dinheiro”?

Isso aumenta a tensão e, por vezes, confunde as decisões. A gente passa a se cobrar em excesso, o que aumenta ainda mais nossa carga de trabalho, e faz isso apenas para tentar provar para as pessoas que estamos no caminho certo. É a desgraça de ficar se preocupando com o que os outros pensam.

Cuidado com essas pressões alheias! Você precisa ter muito controle emocional para não ficar desperdiçando sua preciosa energia com essas bobagens. Foque no seu negócio e avance conforme o seu cronograma, não pelos outros, mas por você mesmo.

Vídeo recomendado: Pense mais em Padrão de Vida e menos em Renda

4. Atenção redobrada se você é casado ou está em um relacionamento sério

Dediquei um item só para isso porque esta é uma questão sensível. Os relacionamentos amorosos têm um peso enorme em nossas vidas, além de serem capazes de mexer (profundamente) com nossas emoções e decisões. Então eu pergunto: seu(sua) parceiro(a) é realmente uma pessoa compreensiva?

Como já escrevi, não é nada fácil começar um negócio, e isso vai exigir muito de você; em outras palavras, você terá pouco tempo para estar com seu(sua) amado(a). Você sairá cedo da cama e voltará tarde para ela; os passeios de fim de semana irão reduzir; e o pior: o dinheiro pode ficar bem escasso, e este é o “tema campeão” das discussões e separações de casais.

Então, fica o recado: tenha muitas (e frequentes) conversas francas sobre a realidade do empreendedorismo, e explique que seu(sua) parceiro(a) precisa entender que, algumas vezes, até um simples abraço ou beijo poderá ser esquecido naquele dia, e isso não quer dizer que você deixou de amá-lo(a).

Este lapso significa apenas que você está começando um negócio cujo objetivo final é trazer mais alegria para todos, mas até lá, há um preço a pagar. Repare que eu fui bem direto, sem o romantismo clássico que envolve o tema. É assim, não adianta tentar se enganar…

5. Pense com carinho sobre onde você quer chegar

Agora que já tomamos um “banho de realidade”, posso finalmente perguntar o que é mais importante. Ah, a pergunta é simples, mas difícil: o que é sucesso para você? Embora muitos tentem colocar o conceito de “sucesso” dentro de uma caixa, a verdade é que a definição é muito subjetiva e está muito relacionada com seus princípios e valores de vida.

Parece haver um senso comum em torno da afirmação de que o dinheiro é um bom representante para a palavra sucesso; quando associado a uma posição de destaque na sociedade ou no mundo corporativo, isso se torna ainda mais forte. É o status em ação, e aqui começa o perigo da ostentação, que é o caminho mais rápido para você perder tudo o que conquistou.

Sucesso é aquilo que faz você se sentir satisfeito, com a sensação de ter conquistado ou alcançado os seus objetivos (que são seus, e não dos outros). Isso também inclui sua capacidade de gerar renda, é claro, mas trabalhando com algo que você gosta. Ao final, você trabalhará bastante, mas se sentirá bem, pois passará muitas horas fazendo algo que tem sentido para você.

Ebook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Conclusão

Penso que este texto mostra um pouco melhor a realidade de quem empreende, e fui muito sincero, inclusive retratando muito do que eu mesmo vivi e passei (e ainda passo). Ter o próprio negócio está longe de ser “um mar de rosas”, ou mesmo aquela “beleza” que alguns gurus vendem por aí (besteiras como se tornar um milionário em um ano ou coisas do tipo).

Situações extremas e fáceis de sucesso podem até acontecer e existir, mas as probabilidades são bem pequenas; ainda que aconteça, não será por conta de nenhuma fórmula sensacional, mas sim como resultado de um trabalho duro, feito com dedicação e paixão.

E aí, você ainda quer empreender? Então comece do jeito certo, com os pés no chão, muita energia, coragem e uma boa dose de planejamento. Um forte abraço!

Foto “working overtime”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários