Cá estou eu novamente escrevendo para você, amigo e leitor fiel do Dinheirama. Antes mesmo de criar um negócio online, não seria importante saber como maximizar as chances desse negócio ser um sucesso?

Pensando nisso, escrevi esse artigo. Meu objetivo é ajudar empreendedores atuais e aqueles que ainda sonham em um dia empreenderem nos mares da internet, mas sem o papo furado pregado por “gurus” do enriquecimento rápido (clique aqui para entender porque isso é um perigo).

5 dicas para criar um negócio online de sucesso

Aqui arrisco-me com 5 dicas nada convencionais sobre o que ajudará no sucesso do seu negócio online. Vejamos:

1. Fique atento às necessidades específicas das pessoas

Ao mesmo que tempo que a internet nos proporciona o acesso a um mundo maior de clientes por sua quase que “onipresença”, há também uma quantidade muito maior de concorrentes.

Por isso, o fator chave de diferenciação deve ser a atuação em nichos específicos. “Vender tudo, para todos” não é um jogo saudável de se jogar na internet, pois a mensagem se torna vaga demais e não se destaca.

Para evitar isso, crie um negócio (um site, um aplicativo, um produto ou o que seja) que “fale diretamente” com um grupo específico e devidamente analisado de pessoas. Evite a tentação de vender para todos. Eu diria que esse é o segredo número um para obter sucesso online.

Pense no exemplo da Amazon. Ela começou vendendo livros para as pessoas que estavam propensas a comprar através da internet. Lembre-se que a empresa não estava tão preocupada, naquele momento, em convencer as pessoas de que elas deveriam comprar online.

Esse “movimento” foi acontecendo naturalmente, à medida que a Amazon concentrou seus esforços em vender para um público menor, mas que já demonstrava claro interesse em comprar pela internet.

A Amazon teve a coragem de trabalhar focando num nicho específico, mesmo quando muitos empresários de sucesso diziam que ninguém iria comprar um livro online e que esse tipo de negócio era impossível.

Definir muito bem seus objetivos em termos de negócio e público-alvo é tão importante quanto ter produtos matadores. Falei mais sobre isso em um artigo recente, clique aqui para lê-lo.

2. Aprenda marketing online que funciona

Muitos empresários acreditam que entendem como o marketing funciona. Ledo engano! A maioria dos empreendedores acredita que devem jogar o jogo da “divulgação” do negócio e fazem anúncios, folders e criam propaganda em revistas. Como não entendem do processo de marketing que funciona, acabam desperdiçando dinheiro.

Basta perguntar por aí e você vai ver quantos gastaram toda sua reserva financeira fazendo “marketing” na esperança disso impulsionar seus negócios, quando na verdade não tiveram retorno e acabaram sem clientes e mais vendas (e sem dinheiro).

Branding, ou “divulgação de marca”, é uma estratégia de marketing sofisticada que só serve para empresas com altos orçamentos destinados ao marketing. Pequenas e médias empresas devem saber que há uma outra filosofia de marketing mais eficiente do ponto de vista de resultados.

Essa “filosofia” se chama Marketing de Resposta Direta ou Marketing Direto. Dentro dessa estratégia de marketing, toda ação realizada busca uma resposta específica do cliente, como um cadastro, um formulário preenchido, um telefonema, um e-mail enviado ou uma compra.

Desse modo, você consegue medir exatamente quanto foi investido em relação à quantidade de ações obtidas de potenciais clientes. Com isso, é possível refinar o marketing a cada nova ação, tornando o negócio mais eficiente ao longo do tempo.

Já escrevi um texto específico sobre Plano de Marketing e os pilares de sucesso para que ele funcione (clique aqui para acesá-lo).

3. Controle os números como um Pitbull

Um negócio online é como se fosse um negócio off-line, porém com algumas particularidades. A mais interessante e importante delas, a meu ver, é a possibilidade de medirmos tudo o que acontece dentro da nossa “loja”, ou seja, o nosso site.

Monitorar permite entendermos o que está sendo valorizado pelos nossos clientes e o que não está. A seguir, alguns indicadores importantes que sempre monitoro em meus negócios e que você deveria também se preparar para monitorar no seu:

  • Monitore números absolutos como: quais os produtos mais acessados, quais os mais vendidos e etc.;
  • Monitore taxas importantes como: taxa de clique, taxa de abertura de e-mail e taxa de conversão por produto;
  • Monitore custos de aquisição e o LTV do cliente (valor do cliente durante o relacionamento como um todo).

O mesmo interesse por números associados aos produtos e seus clientes deve ser levado para o aspecto gerencial da empresa: assim como no mundo off-line, você também precisa de fluxo de caixa positivo, investimentos e lucratividade para se tornar um empreendedor online de sucesso.

4. Jogue o jogo do relacionamento e não da transação

A grande maioria dos seus concorrentes está jogando o jogo do “Uma noite e nada mais”, ou seja, estão procurando realizar transações a todo momento. Claro que vender é muito importante, mas focar-se nas transações não permitirá a você ver o que realmente importa por trás disso.

Escrevi um texto falando da importância de saber vender (clique aqui para acessá-lo), mas só isso não resolve. Em vez de pensar apenas na transação, procure jogar o jogo do “Eu te amo, você me ama”.

Isso mesmo, os negócios online de sucesso jogam o jogo do relacionamento com o cliente. Esse jogo gera mais vendas e transações do que o “Uma noite e nada mais”, pois nutre a confiança e direciona a atenção do cliente para o seu negócio.

Não é à toa que dados mostram ser sete vezes mais barato vender um novo produto para um cliente antigo do que buscar vendê-lo para um cliente que nunca realizou uma transação comercial com a sua empresa. Sim, eu disse sete vezes!

Para isso, procure investir em ferramentas que permitam a você entender mais o comportamento dos seus clientes e relacionar-se melhor e com mais profundidade com eles durante o tempo. Embora as redes sociais ajudem muito nesse relacionamento, a melhor de todas as ferramentas ainda é o bom e velho E-mail Marketing.

5. Livre-se do seu senso de justiça

Muitos empreendedores se colocam como se, lá no fundo, fossem inimigos dos seus clientes. Como se não fosse justo dar algo para o cliente sem que o cliente dê dinheiro em troca. Esse senso de justiça é muito nocivo no mundo online.

Isso quer dizer que o empreendedor influenciado por seu senso de justiça vai buscar a todo momento obter o máximo de lucro possível do seu cliente.

Na internet, isso não somente afasta o cliente, mas também quebra o elo mais importante dele com seu negócio: a confiança. Por isso, procure cultivar a cultura de sempre gerar valor para o seu cliente mesmo antes de haver transação comercial envolvida.

Você pode ajudar dando informação, tirando dúvidas em relação ao que oferece, publicando vídeos que ensinem ele a usar melhor o produto, enfim, a ideia é cativá-lo mesmo antes dele ser seu cliente “de verdade”.

Jay Abraham, um dos grandes mestres do marketing moderno e talvez de todos os tempos, diz que devemos atuar como o agente fiduciário dos nossos clientes. Isso quer dizer que devemos ser o conselheiro mais confiável dos nossos clientes e prospects.

A razão para agir assim é simples: esse comportamento nutre o relacionamento e permite aos clientes entenderem que o seu interesse consiste em gerar valor para eles. Quando eles entendem isso, em troca do que você gera, eles passam a gerar mais valor ao seu negócio – claro que na forma de dinheiro.

Vamos discutir mais e melhor o assunto?

Também falo sobre esses assuntos no Rock’n Marketing Show, um podcast que você pode acessar clicando aqui. Agora, deixe seu comentário abaixo. Mostre-nos um pouco do que você pensa sobre esse assunto. Obrigado e até a próxima.

Foto “Businessman at the beach”, Shutterstock

Rodrigo T. Antonangelo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários