A simples menção ao empreender costuma dar calafrios em muitas pessoas. Algumas delas já pensam que vão perder todo o dinheiro conquistado, outras que o negócio simplesmente não vai dar certo e alguns ainda defendem que a crise não permite realizar esse tipo de investimento.

Enfim, são muitas as razões que podem alimentar o medo de empreender. Assim, para ajudar a quebrar essa barreira e aliviar a tensão de possíveis empreendedores, ofereço no texto de hoje cinco dicas de como começar do jeito certo. Confira:

1. Faça uma preparação adequada

Quem vai empreender, independentemente do ramo escolhido para iniciar seu negócio, precisa se preparar bastante. O foco deve ser minimizar a chance de o empreendimento dar errado a partir de conhecimento de mercado, análise da concorrência, plano financeiro e de marketing e viabilidade como um todo.

Estude bastante, leia livros e revistas específicas sobre o seu ramo de atuação, converse com empresários que possuem negócios na área, analise o que os concorrentes oferecem, participe de cursos e eventos sobre empreendedorismo, enfim, invista em conhecimento.

Muitas vezes o que “quebra” um negócio não é a falta de dinheiro, mas um péssimo planejamento (ou a falta dele). Ferramentas como Canvas, a criação e um MPV (Mínimo Produto Viável) e teste de cenários econômicos (Fluxo de Caixa Descontato etc.) são essenciais neste sentido.

Com tudo isso, quero que você tente visualizar o seu empreendimento antes dele realmente existir. Agindo assim, o medo vai diminuir, afinal temos muito medo do que não conhecemos, mas agora você já está se familiarizando bastante com a realidade que pretende criar.

Leitura recomendada: 6 características do empreendedorismo que você pode adquirir

2. Faça o que você gosta

Antes mesmo de pesquisar o mercado e saber qual o melhor negócio, pense nas opções de trabalho que estejam associadas a gostos pessoais. Será que não existe uma oportunidade de negócio a partir disso que você tanto ama?

A afinidade certamente diminuirá seu medo. Sua principal reação será de prazer e você não terá tanto receio de fracassar, pois estará trabalhando com ímpeto naquilo que você gosta muito. Claro que não basta gostar, é preciso valorizar (muito) o item anterior também.

3. Acredite em si mesmo

Pode até parecer papo de autoajuda, clichê ou algo assim, mas autoconfiança é essencial para quem vai empreender e quer perder o medo de começar seu próprio negócio (principalmente do zero).

Pense no poder deste item: se nem você mesmo acreditar no seu negócio, como pretende vender produtos e conquistar clientes? Como atrair investidores e sócios para algo que você faz sem propósito? Difícil.

O lance da autoconfiança tem a ver com a credibilidade que você “emprestará” ao seu negócio e ao mercado, portanto é melhor acreditar sempre, mas com planejamento, do que duvidar ao menor sinal de problema, e desistir.

Leitura recomendada: Empreendedorismo: clichês vazios que não param em pé

4. Pense nos seus objetivos, não nos obstáculos

Quando você estiver inaugurando o seu negócio próprio, pense nos principais objetivos traçados, não as barreiras que virão pela frente (e elas virão). A dica aqui é focar no planejamento realizado, de modo que sejam tomadas ações e atitudes associadas ao desenvolvimento do negócio, não no medo de dar errado.

É muito comum nos assustarmos quando algo dá errado, mas para estes momentos a força das metas, a resiliência e a persistência precisam ser reconhecidas como a única saída para prosperar.

É na crise que muito dinheiro troca de mão, ou seja, muita gente aproveita e cria oportunidades. Por que? Porque isso é um dos objetivos das pessoas bem-sucedidas.

5. Dê um passo de cada vez

Por fim, uma última dica para romper o medo de empreender é dar um passo de cada vez. Cada conquista merece uma comemoração, o que significa que as vitórias acontecem nas pequenas coisas e na persistência, não nas grandes tacadas.

Sempre costumo orientar que as pessoas não tentem fazer logo a maior loja do bairro. Isso pode e deve ser um sonho, que será logo transformado em objetivos, mas todo começo pressupõe humildade, profissionalismo, seriedade e muito trabalho.

Convenhamos, começar pequeno também tem outra vantagem: se você quebrar, o tombo não será tão feio e tampouco será traumático a ponto de tirar de você o desejo de tentar de novo – e isso é de uma relevância enorme.

Leitura recomendada: O sonho de abrir o próprio negócio e as probabilidades de sucesso

Você tem alguma outra dica para superar o medo de empreender? Por favor escreva no espaço de comentários abaixo. Obrigado e até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários