Nessa segunda, tive o privilégio de ser o convidado especial do programa “Tudo pelo seu Dinheiro”, do Conrado Navarro, fundador do Portal Dinheirama, o maior do país quando o assunto é Finanças Pessoais.

Ao longo de uma hora conversamos sobre renda fixa, renda variável, imóveis e outros assuntos referentes ao tema. Como é de praxe no programa, o apresentador abriu para perguntas do público, para que pudessem interagir conosco e, claro, ajudarmos a sanar algumas dúvidas.

Como era de se esperar, muitos espectadores estavam em busca de respostas prontas, as famosas receitas de bolo. Onde devo investir R$ 800 por mês? Tenho R$ 40 mil disponíveis para investir, onde devo colocar meu dinheiro?

Infelizmente, fomos obrigados a deixar algumas pessoas sem respostas e o motivo é bem simples: não existe resposta pronta! Em se tratando de investimentos, não existe receita de bolo, até porque o bolo que eu gosto pode não ser o seu preferido, e vice-versa.

O que nós enquanto investidores precisamos entender é que a resposta para essas e muitas outras perguntas depende de uma série de variáveis. São elas:

1. Seu perfil de investidor

Nenhuma decisão de investimento deveria ser tomada antes de você conhecer o seu perfil de investidor. Para descobrir o investimento mais adequado para você, é preciso, antes de tudo, conhecer a si mesmo. Como você lida com as perdas? E com os lucros? Quanto você está disposto a perder para ganhar? Isso tiraria seu sono?

2. Suas metas financeiras

Outro fator fundamental é você saber que destino dará aos recursos investidos. O que você fará com o dinheiro? Quando você precisará resgatar seus investimentos para fazer uso desses recursos? Qual a rentabilidade esperada para que você consiga atingir sua meta?

Leitura recomendadaFinanças Pessoais – Utilizando metas SMART para lidar com seu dinheiro

3. Capital disponível

Dependendo do montante que você tenha à disposição para investir, pode ser que a estratégia de alocação de recursos mude, afinal a gestão de risco varia de caso a caso. Quanto você tem disponível para investir inicialmente? Você fará aportes periódicos? De quanto em quanto tempo? Quanto você irá aportar periodicamente?

4. Seu nível de conhecimento

Um investidor pode até ser bem-sucedido com pouco capital, mas ele jamais o será com pouco conhecimento. Qual seu nível de conhecimento sobre as alternativas de investimento disponíveis? Como você pode aprimorar esse conhecimento?

5. Tempo

Por último, mas não menos importante, é preciso analisar o tempo que você tem para dedicar aos seus investimentos. Dificilmente você conseguirá ser um bom especulador do mercado financeiro se não puder dispor de algumas horas diariamente para tomar suas decisões financeiras. Quanto tempo você tem para se dedicar aos investimentos? Esse tempo é diário, semanal ou mensal? Qual tipo de investimento mais adequado para o tempo que você tem disponível?

Os aspectos listados nesse texto funcionam como um checklist dos seus investimentos. Seguir todos os passos sugeridos não traz garantia de lucro, mas arrisco-me a dizer que não os seguir significa correr um sério risco de arcar com prejuízos.

Ah, antes que eu me esqueça, abaixo você pode assistir ao programa que fiz com o Conrado Navarro, aquele que mencionei no início do texto:

Obrigado e até a próxima!

Foto “Smart invest”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários