Algumas pessoas acreditam que enriquecer é uma questão de escolha. Eu acredito que as escolhas que fazemos no decorrer da vida podem, se feitas de maneira inteligente e consciente, nos direcionar para boas oportunidades de sucesso em diversas áreas da vida, inclusive a financeira.

Creio que temos a chance de fazer boas escolhas todos os dias: escolher trabalhar com afinco e fazer bem feito; escolher investir em boa formação para aproveitar as necessidades do país por mão de obra qualificada; escolher agir dentro de preceitos éticos e profissionais. Temos escolhas.

Será que inovar e perseverar também são decisões que envolvem escolha? Provavelmente sim, como podemos ver na história de Jorge Paulo Lemann, atualmente o homem mais rico do Brasil (veja aqui o ranking) e um dos mais ricos do mundo.

Ao longo de sua trajetória de sucesso, Lemann criou em suas empresas uma cultura inovadora no país, fazendo com que o mérito fosse levado em consideração na hora de decidir quem ocuparia as melhores colocações e, eventualmente, se tornar seu sócio. A partir daí, crescer rapidamente e ter a companhia dos melhores se tornou possível.

Mas não bastava ser bom. Ao seu lado só havia espaço para os melhores! Falo de profissionais capazes de conciliar competência técnica, boa formação e disposição para que o trabalho fosse sempre prioridade.

Essa cultura sempre despertou minha curiosidade e admiração, afinal o Brasil sempre teve na produtividade um dos seus grandes gargalos (mesmo sendo um reduto de gente muito trabalhadora e criativa).

Ao analisar mais de perto a trajetória da Jorge Paulo Lemann percebi que alguns pontos foram fundamentais para seu sucesso, sendo um deles o ponto chave: a construção de uma carreira sólida se deu ao longo de quase quatro décadas, e não da noite para o dia (jeito romântico que geralmente usam para tratar do empreendedorismo).

Hoje, Jorge Paulo e seus sócios controlam ou possuem participações de destaque em empresas com presença global, como: Burger King, Ab-Inbev (dona das marcas Budweiser, Brahma, Skol, Stela Artois, entre outras) e Heinz. Clique aqui para conhecer os livros que contam essas histórias.

5 lições de Jorge Paulo Lemann para atingir o sucesso

Para ajudá-lo a entender um pouco mais sobre como Jorge Paulo Lemann se tornou o empresário de sucesso que é hoje, separei 5 lições importantes observadas ao longo de sua trajetória.

Ao analisar essas lições mais de perto, talvez tenhamos algumas pistas para que possamos seguir caminho de sucesso parecido. Vejamos:

1. Sonhe grande, mas mantenha o foco

Uma das frases favoritas de Jorge Paulo Lemann e seus sócios, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Herrmann Telles, é: “Sonhar grande dá o mesmo trabalho de sonhar pequeno”. Não existem limites para quem trabalha muito e corre atrás dos objetivos, desde que a gestão dos negócios seja acompanhada de foco e decisões “pé no chão”.

Jorge Paulo foi um esportista (jogava tênis) durante a juventude e levou das quadras para a vida profissional a ideia de que mais importante do que jogar para a plateia é ganhar o jogo. Ao sonhar grande e perceber que com sua equipe e estilo de trabalho seria possível ir além do Brasil, Jorge Paulo fez seu império cervejeiro se tornar o maior do mundo.

2. O simples é melhor que o complicado

Um dos grandes trunfos de Jorge Paulo Lemann foi a capacidade de tomar decisões rápidas e objetivas. No Garantia, o mítico banco de investimentos que fez história no mercado financeiro durante as décadas de 80 e 90, praticamente não haviam reuniões e as decisões eram tomadas em simples conversas.

Por lá não existiam salas e todos estavam sempre muito próximos uns dos outros. A necessidade de tomar decisões rápidas fazia com que o simples fosse sempre a alternativa mais viável, o que ao longo dos anos se tornou, de fato, parte de seu estilo de liderar – os resultados comprovam a eficácia dessa estratégia.

3. Tenha ao seu lado profissionais melhores que você

Trabalhar em equipe sempre foi algo essencial e característico das empresas que adotam a meritocracia, por isso Jorge Paulo Lemann e seus sócios levaram em consideração a necessidade de contratar profissionais excepcionais e que fossem “melhores do que eles”, como eles sempre dizem. As contratações eram feitas com essa premissa desde o início.

Essa ideia, somada à disposição de trabalhar incessantemente, criou uma geração de profissionais obcecados pelo cumprimento de metas e por desafios cada vez maiores. Quem quisesse se juntar a essa turma precisava ser muito bom, além de trabalhar muito (e aqui falo de muitas horas por dia, inclusive nos fins de semana).

Muita gente seguiu em frente, mas muitos também desistiram logo no início. O fato é o quadro de profissionais sempre tinha gente motivada, com excelente formação e muita experiência.

4. O maior risco é não arriscar

Sair da cama todos os dias rumo ao trabalho já é um grande risco, muito embora seja difícil assumir essa realidade. A nossa vida é marcada pela constante incerteza do que vai acontecer (principalmente aqui no Brasil), mas com trabalho e planejamento muitos riscos podem ser mitigados.

O planejamento funciona justamente com a ideia de ter um Plano B, uma saída de emergência que funcione como alternativa para resultados não tão bons. Ao não arriscar, podemos deixar escapar boas oportunidades, seja na vida pessoal ou profissional.

Jorge Paulo Lemann sempre defendeu a importância de arriscar como parte natural do caminho de sucesso de qualquer profissional. A diferença é que ele estava sempre pronto a lidar com as consequências e assumir responsabilidades diante dos resultados de suas decisões arriscadas. Ele sempre soube que não arriscar é pior do que tentar e errar.

5. O bom é inimigo do ótimo

Sair da vala comum é sempre um desafio. Muita gente está acostumada a se contentar com o que tem, outros mais contestadores acreditam que o “mais ou menos” não é uma opção e buscam superar-se. O perigo está em crer que há perfeição a ser atingida, o que torna a jornada uma busca cansativa e contraproducente.

Jorge Paulo Lemann e seus sócios entenderam logo que o bom é inimigo do ótimo e, em vez de desejarem criar o cenário corporativo ideal, passaram a buscar a excelência através da melhoria de seus processos, da evolução de sua equipe e da oferta de seus produtos. A discussão sobre a melhor cerveja nunca pareceu fazer sentido para eles.

Essa lição também pode ser constatada ao olharmos o cuidado com que Jorge Paulo e suas empresas lidam com os custos. A excelência dos negócios administrados por eles vem do foco nos custos, na equipe e no produto. Eles preferem ser muito bons nisso, pecando em outras coisas. Parece óbvio, mas outras empresas tentam ser perfeitas em tudo e, bom, comem poeira.

Conclusão

Alcançar posições de sucesso na vida não é algo tão simples. Chegar lá requer muito esforço, dedicação, uma boa dose de sorte ao assumir certos riscos e sabedoria (e experiência) para encontrar bons parceiros e sócios.

Durante sua vida, Jorge Paulo Lemann mostrou ter mais acertado que errado, embora reconheça as incontáveis lições aprendidas com alguns de seus fracassos (alguns que custaram muitos milhões de reais). Sugiro que você leia e conheça também quatro decisões essenciais para tornar-se um milionário (clique aqui).

Para finalizar o artigo, vou usar uma frase de Harry S. Truman, que abre um dos capítulos do livro “Empresas Feitas Para Vencer”, de Jim Collins, um dos principais influenciadores de Jorge Paulo e seus sócios, e retrata muito bem a forma com que trabalham:

“Você pode realizar qualquer coisa na vida, desde que não se importe com quem vai levar o crédito”

Resta a nós, aprendizes e observadores de gente como Jorge Paulo, aguardar seus próximos passos. Compartilhe sua opinião sobre estas lições no espaço de comentários abaixo. Obrigado e até a próxima!

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários