Com linguagem própria e funcionamento desconhecido por muitos cidadãos, o mercado financeiro é terreno fértil para a criação de mitos, que se espalham rapidamente a acabam afugentando investidores em potencial. Nesse post vamos desconstruir 5 desses mitos.

1. “Para ganhar na bolsa é preciso acompanhar o mercado diariamente”

Quando se investe na bolsa e se tem objetivos de longo prazo não é preciso acompanhar o mercado com tanta frequência. Acompanhar com muita assiduidade pode até atrapalhar seus objetivos já que movimentações diárias podem impactar o resultado final de seus investimentos. Quem investe na bolsa através de fundos de gestores renomados delega o acompanhamento constante dos mercados e a busca por melhores oportunidades a quem realmente entente, os gestores independentes.

2. “Só se pode investir com muito dinheiro”

As pessoas têm a impressão de que para fazer investimento é necessário ter altas quantias, o que não é verdade. Atualmente, é possível investir em diversos Fundos de Investimento, com bom histórico de rentabilidade, com um montante menor. A Órama, por exemplo, oferece os melhores fundos de gestores independentes que permitem aplicações a partir de apenas R$1.000. O Órama DI Tesouro Master, por sua vez, é um fundo conservador com benefícios equivalentes ao da poupança que entrega melhores rentabilidades.

3. “Investir é como apostar”

Muitos acreditam que, ao investir em um fundo ou comprar ações de uma empresa, conta-se somente com a sorte. Isso não é verdade. O resultado de um investimento depende dos seus fundamentos, e o investidor pode pesquisar para entendê-los melhor. Por trás de um fundo de investimento, por exemplo, existe um gestor especializado, que acompanha o mercado diariamente e aloca os recursos da empresa da melhor forma possível para alcançar ótimas rentabilidades.

4. “Para ter um resultado positivo em seus investimentos, é preciso que a bolsa esteja em alta”

Não necessariamente. Quando se acompanha o mercado com frequência é possível enxergar que, mesmo quando os índices estão negativos, é possível ter resultados positivos, basta acertar a tendência. O movimento ideal é comprar papéis na baixa e vender na alta, ou seja, o momento atual pode ser um bom momento para comprar ações que, no futuro, poderão subir.

5. “Só se tem boa rentabilidade quando não se paga imposto”

Muitos não querem nem ouvir ofertas de investimentos quando estes são taxados mas, por isso, muitas vezes perdem ótimas oportunidades. Vamos usar o exemplo das Letras de Crédito, que são as mais procuradas atualmente, pois não pagam IR. Muitas vezes, ao comparar a rentabilidade de um CDB ou de um Fundo com a de uma letra de crédito, ela pode ser maior mesmo depois de pagar os impostos.

Se você se interessa pelo assunto e quer aprender mais, dê uma olhada nos nossos e-books e nos diversos posts do nosso Blog! Até a próxima!

Nota: Esta coluna é mantida pela Órama, que contribui para que os leitores do Dinheirama possam ter acesso a conteúdo gratuito de qualidade.

Foto: Businessman, Shutterstock.

Parceiro de Conteúdo
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários