Gostamos de frisar aqui no Dinheirama que uma vida mais rica pode ter um sentido muito maior do que ter muito dinheiro na conta bancária. Isso porque sonhos e objetivos são individuais, e o que traz satisfação a um, pode não trazer satisfação ao outro, e vice-versa. Mas falar sobre essas coisas também requer uma reflexão e um estudo mais amplo, que vá além das palavras bonitas e mostre o que tem sido cientificamente comprovado por aí.

Recentemente decidi voltar aos estudos da psicologia positiva, um ramo da psicologia que – de forma simples e resumida – é mais voltado à ampliação das coisas que nos fazem bem e que, de certa forma, poderiam nos ajudar a conquistar mais bem-estar, de forma mais duradoura e com mais sentido. Vamos falar um pouco sobre isso?

No livro Florescer – uma nova compreensão sobre a natureza da felicidade e do bem-estar, o psicólogo e professor da Faculdade da Pensilvânia, Martin Seligman, diz o seguinte: “O bem-estar não pode existir apenas na sua cabeça: ele é uma combinação de sentir-se bem e efetivamente ter sentido, bons relacionamentos e realização. O modo como escolhemos nossa trajetória de vida é maximizando todos esses cinco elementos”.

E quais seriam estes elementos tão importantes aos quais deveríamos dar mais atenção em nosso dia a dia? Vou apresentá-los a seguir:

Emoções positivas

Naturalmente que sentir emoções positivas sempre ajuda. Fisicamente inclusive, quando estamos nos sentindo emocionalmente bem, também ajudamos o nosso organismo a contar com mais hormônios do bem-estar. É mais ou menos como acontece quando estamos com alguém de quem gostamos, brincamos com nossos animais ou filhos, assistimos ao time do coração ganhar, fazemos exercícios físicos etc. Já as emoções negativas, ao contrário, liberam uma quantidade grande de hormônios que geram estresse e agressividade. E como cultivar emoções positivas? Nos autoconhecendo e entendendo o que em geral costuma nos fazer bem. Só não vale dizer que é sair torrando dinheiro nas compras, combinado? Faça uma lista das coisas que poderiam te ajudar a cultivar emoções positivas de uma maneira financeiramente mais equilibrada e procure inseri-las com maior frequência na sua rotina.

Engajamento

Nos sentirmos de fato engajados com algo é muito importante para manter o bem-estar. Pode ser um trabalho que amamos, um projeto voluntario, uma ideia que nos faz felizes cada vez que conseguimos colocar em prática etc. Viver seguindo um fluxo que faça sentido, que nos possibilite um engajamento real pode fazer a diferença quando falamos em bem-estar mais duradouro. O que faria sentido para você com relação a este item?

Relacionamentos

Relacionamentos são um pilar extremamente importante para uma vida com mais bem-estar. Não é à toa que diversas pesquisas apontam que pessoas que têm relacionamentos saudáveis (família, amigos, parceiros) normalmente costumam apresentar muito mais satisfação em seu dia-a-dia. Os países com as maiores taxas de bem-estar também são aqueles nas quais a população normalmente consegue confiar e manter relações mais próximas entre si. Como anda a qualidade das suas relações? É importante achar um tempinho para cultivar relacionamentos, fazer uma ligação para quem está longe, tomar um café com alguém querido.

Sentido

O penúltimo item tem a ver com sentido. Ou seja, qual a sua missão por aqui? Qual o sentido de estar fazendo o que está fazendo? O que anda faltando fazer para que a sua vida realmente tenha um sentido que valha a pena? Veja bem, não precisa ser um sentido no estilo “mudar o mundo”. Muitas vezes o sentido é apenas estar presente dentro da família, ajudar as pessoas com seu trabalho, levar um exemplo positivo com sua força e determinação etc. É importante começar a pensar nisso porque toda vez que as coisas não andarem exatamente do jeito esperado, você vai conseguir ganhar uma visão e um entendimento bem maior a respeito dos acontecimentos.

Realização e gratidão

Finalmente, o quinto ponto tem a ver com realização, com objetivos, e com gratidão pelo que foi alcançado até aqui. Vou ter que te perguntar se você já tem aquela listinha com as metas de curto, médio e longo prazo que a gente sempre sugere para o uso do dinheiro, lembra? Além da questão financeira, na verdade, uma lista como essa serve para nos dar um rumo e nos manter motivados por todo percurso. Viver sem ter sonhos é muito chato e desanima qualquer um a enfrentar os momentos mais turbulentos. É preciso, portanto, pensar em objetivos a realizar e, mais importante ainda, ser grato pelo que foi alcançado até aqui. Voltar o olhar com gratidão para o que há de positivo hoje pode ajudar muito a conquistar aquele pouquinho de bem-estar que tanto precisamos às vezes quanto o ânimo e a paciência faltam. Pronto para colocar tudo isso em prática?! Vamos juntos!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários